Lava Jato investiga vazamentos de reuniões do Copom de 2010 a 2012

Nova fase da Lava Jato mira suposto vazamento de reuniões do Copom

A Polícia Federal e o MPF (Ministério Público Federal) investigam se houve vazamento dos resultados de reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária) de 2010 a 2012. Em nova fase da operação Lava Jato deflagrada nesta quinta-feira (3), foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede do banco BTG Pactual, que administra 1 fundo de investimento que teria sido beneficiado com informações antecipadas das reuniões que definem a taxa básica de juros no país –a Selic.

A ação tem como base a delação premiada do ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil, Antonio Palocci. Até às 12h30, os papéis do BTG Pactual (BPAC11) na bolsa caíam 2,86%.

Segundo o Ministério Público Federal, as informações eram usadas em favor do fundo Bintang FIM, criado em 2010 e administrado pelo BTG. O órgão afirma que, com os dados privilegiados, o fundo “teria obtido lucros extraordinários de dezenas de milhões de reais”.

O BTG alega que o fundo não era gerido pelo banco e que, por isso, não era o responsável pela estratégia. O gestor era Marcelo Augusto Lustosa de Souza, o único cotista do fundo.

A operação desta quinta-feira foi batizada de Estrela Cadente. A força-tarefa da Lava Jato apura se houve a prática dos crimes de corrupção passiva e corrupção ativa, informação privilegiada, lavagem e ocultação de ativos.

Em 23 de agosto, a 64ª fase da Lava Jato já havia feito buscas em endereços ligados a André Esteves, acionista do BTG, a partir de denúncias de Palocci.

Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz BTG/FSB

A pesquisa, contratada pelo BTG Pactual, foi realizada nos dias 13 e 14 de outubro. As entrevistas foram realizadas por telefone com 2.000 eleitores nas 27 unidades da Federação

Levantamento da FSB contratado pelo banco BTG Pactual indica que o candidato do PSL à Presidência, tem 59% das intenções de voto contra 41% de seu adversário petista Fernando Haddad (PT). Os percentuais referem-se a votos válidos, conta que exclui votos brancos, nulos e indecisos.

Considerando o as intenções de voto totais, o militar recebe 51% contra 35% de Haddad. Os votos em branco e pessoas que não escolhem nenhum candidato somam 11%. Os dados são do levantamento da FSB Pesquisa e foi divulgado nesta segunda-feira (15).

A pesquisa, contratada pelo BTG Pactual, foi realizada nos dias 13 e 14 de outubro. As entrevistas foram realizadas por telefone com 2.000 eleitores nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 p.p. e o intervalo de confiança é de 95%. O registro no TSE é BR-07950/2018.

Rejeição

A pesquisa também buscou apurar o potencial de votos e a rejeição dos candidatos. Quando questionados em quem não votariam de maneira nenhuma, Fernando Haddad é o mais indicado. O petista tem 53% de rejeição, contra 38% do militar.

Já com relação a certeza de votos, os eleitores de Bolsonaro se mostram mais decididos: 54% dizem ter certeza em votar no PSL, enquanto 39% afirmam ter certeza de votar no PT.

O índice de conhecimento dos 2 candidatos pela população é bem semelhante: 8% disseram não conhecer Bolsonaro e 7% disseram não saber quem é Haddad.

Motivos do voto

Os eleitores também foram questionados qual a razão de sua escolha para este 2º turno.

Melhor opção:
Jair Bolsonaro – 84%
Fernando Haddad – 78%

Impedir a vitória do outro candidato:
Jair Bolsonaro – 10%
Fernando Haddad – 15%

Não souberam responder:
Jair Bolsonaro – 6%
Fernando Haddad – 7%

Bolsonaro sobe para 33% e Haddad vai a 16% em nova pesquisa BTG/FSB

Fernando Haddad (PT) dobrou suas intenções de voto de 8% para 16% após ter sido confirmado oficialmente como candidato no lugar de Luiz Inácio Lula da Silva

Uma pesquisa de intenção de votos divulgada na madrugada desta segunda-feira (17), feita pelo banco BTG Pactual em parceria com o Instituto FSB, traz Jair Bolsonaro (PSL) na liderança com 33% das intenções de voto.

Ele subiu três pontos percentuais em relação ao levantamento de uma semana atrás, fora da margem de erro.

A pesquisa do BTG é a que tem dado maior pontuação a Bolsonaro na comparação aos outros levantamentos como o Datafolha e o Ibope.

Fernando Haddad (PT) dobrou suas intenções de voto de 8% para 16% após ter sido confirmado oficialmente como candidato no lugar de Luiz Inácio Lula da Silva.

Ciro Gomes (PDT), subiu dentro da margem de erro e chegou a 14%, ante 12% da semana anterior. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 6% e Marina Silva (Rede) tem 5%.

9% disseram não votar em ninguém, 2% votariam nulo ou em branco e 4% não souberam responder. 1% dos entrevistados não responderam à pesquisa.

Segundo Turno

As simulações de segundo turno dão empate para Bolsonaro na disputa com Ciro Gomes, cada um com 42% dos votos.

Os números mostram que Bolsonaro venceria todos os outros concorrentes: Haddad (46% dos votos contra 38%), Alckmin (43% contra 36%) e Marina Silva (48% contra 33%).

Rejeição

Segundo a pesquisa, Marina Silva tem a maior rejeição entre os eleitores com 58%. Alckmin fica em segundo lugar com 53%.

Haddad e Meirelles estão com 48%. Ciro aparece com 46% e, Bolsonaro, com 45%.

Metodologia

Por telefone, o Instituto FSB Pesquisa entrevistou 2 mil eleitores a partir de 16 anos, nos 27 estados.

A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. As entrevistas telefônicas foram realizadas entre 15 e 16 de setembro.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como BR-06478/2018.

Ciro Gomes vai para 2º turno com Bolsonaro, diz BTG Pactual

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos

Nova pesquisa eleitoral do BTG Pactual divulgada hoje (10) mostra Jair Bolsonaro e Ciro Gomes indo para o segundo turno das eleições 2018. Bolsonaro (PSL) tem 30% das intenções de voto, enquanto Ciro (PDT) tem 12%.

Atrás deles, vêm três empatados: Marina Silva, Geraldo Alckmin e Fernando Haddad, cada um com 8% de intenção de voto.

A pesquisa foi feita nos dias 8 e 9 de setembro (após Bolsonaro ser esfaqueado, portanto). Na última pesquisa do BTG, do dia 3, Bolsonaro aparecia com 26%.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa já exclui o ex-presidente Lula, preso em Curitiba, de se apresentar como candidato do PT. Antes, Lula e Haddad ainda eram citados em diferentes cenários apresentados aos entrevistados. Agora, só o nome de Haddad aparece.

No 1º turno

Jair Bolsonaro – 30%

Ciro Gomes – 12%

Marina Silva – 8%

Geraldo Alckmin – 8%

Fernando Haddad – 8%

João Amoêdo – 3%

Alvaro Dias – 3%

Henrique Meirelles – 3%

Guilherme Boulos – 1%