Em nota, CNBB diz que não tem candidato a presidente e nem partido

No documento, dom Leonardo reafirma que a CNBB é uma instituição aberta ao diálogo com pessoas e grupos da sociedade brasileira e que é comum, em período eleitoral, que candidatos de diversos partidos e grupos políticos solicitem agenda e sejam recebidos pela entidade

Na manhã desta quinta-feira, 11 de outubro, o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, recebeu, na sede da entidade, em Brasília (DF), o candidato à presidência da República, Fernando Haddad. Em Nota Pública, emitida após a reunião, o secretário-geral explicita os temas e assuntos abordados com o candidato. No documento, dom Leonardo reafirma que a CNBB é uma instituição aberta ao diálogo com pessoas e grupos da sociedade brasileira e que é comum, em período eleitoral, que candidatos de diversos partidos e grupos políticos solicitem agenda e sejam recebidos pela entidade.

Na reunião, o candidato expôs suas propostas de governo e sua preocupação com o Brasil. O secretário-geral, por sua parte, abordou com o candidato assuntos que preocupam os bispos do Brasil, como por exemplo, a não legalização do aborto, a defesa da democracia e o combate rigoroso à corrupção, entre outros. Dom Leonardo também apresentou ao candidato o trabalho realizado pela CNBB durante a Campanha da Fraternidade deste ano que tratou, de forma profunda, a mobilização pela superação da violência.

Nota Pública

Sobre a visita do candidato Fernando Haddad

Recebi, na manhã desta quinta-feira, 11 de outubro, o candidato à presidência da República, Fernando Haddad. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é uma instituição aberta ao diálogo com pessoas e grupos da sociedade brasileira. É comum, em período eleitoral, que candidatos de diversos partidos e grupos políticos solicitem agenda e sejam recebidos, sem a presença da imprensa.

O candidato não veio pedir apoio e a CNBB não tem partido e nem candidato. O candidato expôs suas propostas de governo e sua preocupação com o Brasil. Da minha parte, abordei com o candidato assuntos que preocupam os bispos do Brasil: a legalização do aborto, a proteção do meio ambiente, atenção especial à questão indígena e quilombola, a defesa da democracia e o combate rigoroso à corrupção. Também lembrei ao candidato o trabalho realizado pela CNBB durante a Campanha da Fraternidade deste ano que tratou, de forma profunda, da mobilização pela superação da violência.

Brasília-DF, 11 de outubro de 2018

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

Uma ideia sobre “Em nota, CNBB diz que não tem candidato a presidente e nem partido

  1. Bispo falando em COMBATE A CORRUPÇÃO ………com o PT-LULA-HADDAD……..é muita inocência—–PT-LULA-HADDAD—-PT PARTIDO DAS TREVAS —PARTIDO DA CORRUPÇÃO E LADROAGEM DE BILHÕES…..BILHÕES….BILHÕES……. SOMENTE SENDO MUITO BURRO —BURRA——BOBO–BOBA —– TROUXAS PARA VOTAR EM PT–LULA- HADDAD=======EM 16 ANOS DE PODER O PT-LULA-HADDAD O PT—-ARRUINOU COM O BRASIL——-30 MILHÕES DE DESEMPREGADOS=====30 MILHÕES…….. e ainda encontra burros—burras—–bobos—bobas —–trouxas—–retardados para VOTAR EM PT-LULA-HADDAD……….cruz credo —xô satanás—para o inferno………..ACORDA BURROS—–ACORDA BURRAS———-ACORDAM ……….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *