Arnaldo Melo é lembrado para vice de Roseana

Arnaldo certamente não deixará sua eleição garantida para acompanhar Roseana numa disputa desacreditada até pelo próprio grupo Sarney

O ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (MDB), continua sendo lembrado por alguns setores do MDB para ocupar a vaga de candidato a vice-governador na chapa de Roseana Sarney (MDB).

O nome de Chiquinho Escórcio não agradou algumas lideranças que veem o emedebista com poucas chances de ajudar Roseana se recuperar nas pesquisas políticas.

Arnaldo Melo tem uma base considerável no interior do estado e uma carreira política de dar inveja a muitos do MDB.

Arnaldo já declarou que disputará uma vaga para deputado estadual novamente, o que já o elimina como um dos prováveis nomes para vice de Roseana.

Arnaldo certamente não deixará sua eleição garantida para acompanhar Roseana numa disputa desacreditada até pelo próprio grupo Sarney.

Nome de Chiquinho Escórcio não agrada no grupo Sarney para vice de Roseana

Muitas lideranças não veem em Chiquinho um nome que possa agregar uma determinada base política ou grupo de indecisos

A notícia do nome do ex-deputado federal Chiquinho Escórcio para a vaga de candidato a vice da ex-governadora Roseana Sarney não agradou nem mesmo os aliados do grupo Sarney.

Muitas lideranças não veem em Chiquinho um nome que possa agregar uma determinada base política ou grupo de indecisos.

Líderes do MDB desconfiam também que Escórcio não tem capital político para a chapa de Roseana. Chiquinho disputou as eleições de 2014 para o mandato de deputado federal, mas foi o 22° colocado.

Faltando pouco mais de um mês para as convenções partidárias, Roseana segue com dificuldades de fechar sua chapa.

Chiquinho Escórcio deve ser consagrado vice de Roseana

A escolha de Chiquinho teria passado pelo aval do presidente Michel Temer (MDB)

As várias especulações sobre a indicação do vice na chapa da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) parecem ter chegado ao fim. Nas últimas horas, o nome do ex-deputado federal, Chiquinho Escórcio (MDB), ganharam corpo e tudo indica que o grupo Sarney vai para a disputa com uma chapa “puro sangue”.

O nome de Chiquinho virou notícia na coluna da jornalista Denise Rothenburg, do Jornal Correio Brasiliense. O ex-deputado, fiel escudeiro do ex-presidente José Sarney (MDB), já estaria sendo tratado pelo Palácio do Planalto como o candidato a vice da chapa de Roseana Sarney. A escolha de Chiquinho teria passado pelo aval do presidente Michel Temer (MDB).

A ex-governadora Roseana Sarney teve muita dificuldade em escolher seu vice. Nem mesmo a garantia da vaga e de uma estrutura num possível governo fez com que Roseana fechasse um acordo com outra legenda. Os grandes partidos não se interessaram em indicar o nome para o cargo, tal é a rejeição do grupo Sarney.

Muito se especulava pela escolha do senador João Alberto (MDB) para a vaga, mas seu nome sofre muita resistência da própria Roseana.

A ex-governadora Roseana também não tem mais o PT para indicar seu vice. O partido garantiu, nas últimas eleições, um bom tempo de TV para o grupo Sarney, mas hoje já faz parte da base de apoio do governador Flávio Dino. Sem o vice “ideal”, a única saída será ter que escolher Chiquinho Escórcio.

Roseana reúne em sua residência a turma dos “Exs” para lançar pré-candidatura

A pré-candidatura de Roseana Sarney serve para tentar aglutinar o que sobrou do outrora forte grupo Sarney

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) reuniu, em sua residência, lideranças políticas, ex-prefeitos, ex-deputados e ex-vereadores para anunciar sua pré-candidatura ao Palácio dos Leões. Peso político fraco em comparação a anos passados quando o grupo Sarney estava no poder.

Fazem parte do projeto político de Roseana representantes municipais, amigos que deram sustentação ao grupo Sarney, responsável pelo atraso do estado por mais de cinco décadas.

Nos bastidores, fortes especulações de que Roseana cedeu às pressões para defender os interesses da família. Sua pré-candidatura serve para tentar aglutinar o que sobrou do outrora forte grupo Sarney.

Sem a presença de presidentes de partidos políticos e sem lideranças de peso, a reunião não teve nenhuma nova adesão ou anúncio que poderia dar um gás ao projeto político.

Sem uma multidão, como era característica dos encontros de Roseana, a reunião aglutinou pessoas que perderam espaço no governo ou que, pela representatividade do atraso, não conseguem mais voltar ao poder, como o ex-deputado federal, Chiquinho Escórcio.

Roseana Sarney segue sua pré-campanha, sem tempo de TV, sem antigos aliados e agora sentindo, de perto, que classe política não comparece mais aos seus eventos.