Cadê o argumento, Andréa Murad?

Na hora H com Carlos Lula faltaram argumentos a Andrea Murad

A deputada estadual, Andrea Murad (PMDB), filha do ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, levou três perguntas para uma audiência na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Maranhão com o atual titular da pasta, Carlos Lula.

Ao começar a ler os questionamentos, a peemedebista imaginou que brilharia. Ledo engano. As perguntas foram as mais frágeis entre as levadas pelos quatro deputados da oposição: Wellington do Curso (PP), Souza Neto (PROS), Edilázio Júnior (PV) e a própria Murad.

Andrea Murad viu e ouviu Carlos Lula derrotar a sua retórica muradista-sarneista com extrema facilidade. O secretário o fez com um debate franco e classudo.

Se por algum instante, alguém imaginou que haveria confrontação de ideias… faltou a Andrea Murad ideias do que perguntar, do que questionar, do que confrontar.
Ela imaginou que pudesse “desmascarar” a atual gestão da Saúde. Enganou-se.

Por algumas vezes, Andrea sacudiu a cabeça em concordância ao que disse seu “oponente”. Caso o deputado estadual Levy Pontes, presidente da Comissão de Saúde,  não interrompesse, abruptamente, a reunião, o secretário Carlos Lula teria sido capaz de convencê-la – até a ela – que a Saúde no atual governo Flávio Dino é muito melhor.

Governo cortou para menos da metade gastos com transporte aéreo…

Heringer Táxi Aéreo apresentou os melhores preços, segundo o governo

O governo do Maranhão já economizou R$ 13,5 milhões com o fretamento de aeronaves desde 2015. O valor representa uma redução de 64% em relação ao contrato do governo anterior. Conforme dados publicados no Portal Transparência, em apenas 23 meses, entre início de 2013 e final de 2014, a gestão passada pagou R$ 25,2 milhões à PMR Táxi Aéreo. Já a gestão atual pagou menos e em um período maior pelo mesmo serviço. Ao longo de 31 meses, a contar de fevereiro de 2015, o governo atual desembolsou R$ 13.519.574,30.

“Diferente das gestões anteriores, o governo do Estado tem apenas um contrato com a empresa de táxi aéreo, cujas aeronaves devem atender à Casa Civil e demais secretarias. Estamos trabalhando de forma transparente para gerar economia aos cofres públicos”, afirma o secretário de Governo, Antonio Nunes.

Histórico

Em 2013, o governo do Estado firmou contrato com a PMR, com pagamento mínimo, segundo a licitação, de R$ 680 mil mensais. Ou seja, mesmo que não usasse a aeronave para nenhum voo naquele mês, o Governo do Estado pagava por seu uso.

Se esse mesmo valor fosse pago hoje, com a correção do Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM), esse montante subiria para R$ 855 mil e o valor total do contrato, R$ 7,4 milhões, com a correção do mesmo índice, subiria para R$ 9,4 milhões.

A mesma empresa mantinha ainda outros dois contratos: um com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), no valor mensal de R$ 385 mil, e outro com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), de R$ 495 mil (sem correção). Se for atualizado pelo IGPM, o valor global anual que foi pago pelos serviços prestados à SES subiria para R$ 6,2 milhões por mês.

O governo realizou uma nova licitação em julho de 2017 e a Heringer Táxi Aéreo apresentou mais uma vez os menores preços. Nesta última contratação, os valores ficaram ainda mais baixos e o estado irá economizar 5% em relação ao contrato que terminou em junho deste ano. O valor do contrato anual, que tem vigência de 12 meses, para oferecer os mesmos serviços passou de R$ 11, 7 milhões para R$ 9,9 milhões.

Oposição estrebucha porque alugar e reformar é o caminho mais rápido e barato para HTO…

Governador disse que a reforma do hospital está entrando em fase de conclusão

Perto de inaugurar mais uma obra que mudará o patamar da saúde no Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) tem sido alvo de constantes ataques da oposição sarneysista por conta da reforma da Clínica Eldorado, que vai abrigar o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO). São várias as justificativas do governo que levam a crer que esse foi o melhor caminho para oferecer, com agilidade e qualidade, essa importante especialidade.

Atualmente, São Luís possui apenas 16 leitos de ortopedia, que funcionam em um puxadinho do Hospital do Câncer. Com o HTO, São Luís passará a ter 44 leitos, sendo 10 para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e o Maranhão será o primeiro estado do Nordeste com uma unidade de alta complexidade destinada ao exclusivo atendimento traumaortopédico, ambulatorial e cirúrgico, no sistema público de saúde.

Se fosse construir um hospital nos mesmos moldes, o governo do Estado gastaria em torno de R$ 20 milhões, ou seja, valor correspondente ao que vai gastar em 20 anos de aluguel. O tempo de construção também pesou, já que uma unidade deste porte demoraria cerca de três anos para ser finalizada. Com o aluguel, o Governo atenderá 9.600 pacientes a mais nos dois anos que ganhou com a agilidade de reformar um prédio já existente.

Após essa análise, só não enxerga que alugar e reformar um prédio como o da Clínica Eldorado é o caminho mais rápido e barato para o HTO. A oposição esperneia porque não conseguiu, em décadas no poder, fazer o que Flávio Dino está fazendo em apenas dois anos e meio. A clínica sempre esteve lá, inclusive alugada para esses que estrebucham quando estavam no poder, mas parece que faltou vontade de melhorar a qualidade de vida do povo.

Flávio Dino está fazendo. E isso está incomodando muito a oposição sarneysista.

Valor gasto na reforma de hospital será abatido no contrato, diz Othelino sobre o HTO

O deputado reiterou que, para iniciar qualquer reforma em um imóvel, é obrigatório ter a formalização do contrato

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) defendeu, na sessão desta quarta-feira (16), o governo Flávio Dino das acusações feitas pelo conglomerado de comunicação do grupo Sarney contra o processo de instalação do Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão (HTO). O parlamentar disse que o primeiro erro foi não ter ouvido as explicações do outro lado, ou seja, foi não permitir que o governo se explicasse. Ele lembrou que o valor gasto na reforma do prédio vai ser abatido no decorrer do contrato do aluguel, o que está previsto em lei.

“Como reformar um prédio sem primeiro alugar? Como é que o governo poderia entrar em um prédio particular sem que tivesse um contrato de locação? Primeira pergunta que precisa ser respondida, como é que se entra na casa de alguém, em um bem do outro e vai lá modificar a estrutura sem que o outro tenha permitido, sem que haja um contrato, quanto mais quando se trata de recursos públicos que serão usados?”, indagou.

Othelino reiterou que, para iniciar qualquer reforma em um imóvel, é obrigatório ter a formalização do contrato. “Mas alguém pode fazer uma pergunta: ‘ah, mas está alugando um prédio, ele já não teria que ter as características necessárias para aquela finalidade’? Ora, ali vai funcionar um Centro de Ortopedia e de Traumatologia, em quaisquer circunstâncias e, em especial, os médicos sabem que teria que se fazer as adequações”, esclareceu.

Segundo explicou ainda Othelino Neto, a obra do HTO está em fase de conclusão e o valor que foi gasto na reforma do prédio vai ser abatido no decorrer do contrato do aluguel, o que está previsto em lei. De acordo com o parlamentar, as melhorias e intervenções que são feitas em um imóvel alugado, elas, obrigatoriamente, têm que ser compensadas no decorrer do contrato e isso é uma garantia prevista na legislação para que a pessoa, que faça os investimentos, não saia perdendo em caso de destrato.

“O que deseja a oposição saudosista, que ainda não conseguiu superar a acachapante derrota eleitoral de dois anos e meio atrás, embora já se aproxime uma próxima, é o ‘quanto pior, melhor’. Grupo que teve uma grande derrota em 2012, em 2016 e já se aproxima uma nova e acachapante derrocada em 2018, porque o povo do Maranhão não haverá de querer de volta os tempos tão sombrios que passaram décadas experimentando no passado”, comentou.

Segundo Othelino Neto, o HTO não vai apenas quintuplicar a quantidade de cirurgias realizadas nesta área de ortopedia e traumatologia, como vai desocupar 24 leitos do Hospital do Câncer, ou seja, tem um duplo benefício. Ele informou que a nova estrutura comportará 50 novos leitos, especificamente, para esta finalidade.

Dos 50 leitos, dez serão de UTI e os 24 desocupados ficarão disponíveis para, exclusivamente, o tratamento do câncer. Segundo explicou Othelino, o HTO está dentro do contexto de ampliação dos serviços na rede de Saúde, que ainda é deficitária.

“Só não enxerga quem não quer os avanços e os vários hospitais que foram abertos no governo Flávio Dino. Aí alguém pode dizer: Não, mas alguns deles já estavam construídos. Sim, o difícil não é construir. Difícil é mantê-lo funcionando. E o governador Flávio Dino vem enfrentando esse desafio: abrindo novos hospitais para conseguir, no menor espaço de tempo possível, reduzir este déficit grande que existe e essa enorme fila de pessoas que sofrem pela falta de vagas nos hospitais”, afirmou Othelino Neto.

O deputado disse ainda que o novo hospital, que em breve será entregue ao povo do Maranhão, vai também colaborar com o Socorrão II, que vive sobrecarregado, ainda por conta de não terem leitos suficientes nos outros hospitais para atender essas situações de ortopedia e traumatologia. “Queriam os saudosistas ou não, a vida do maranhense está melhorando no governo Flávio Dino. Não adianta negar isso, nós constatamos essas mudanças todos os dias”, frisou.

Fizeram apartes ao pronunciamento de Othelino Neto os deputados Marco Aurélio (PCdoB), Rafael leitoa (PDT), Levi Pontes (PCdoB), Rogério Cafeteira (PSB) e Raimundo Cutrim (PCdoB).

Flávio Dino troca presidente da Caema; Davi Teles vai para a Ciência e Tecnologia

Por sua conta particular no Twitter, o governador Flávio Dino anunciou, nesta terça-feira (1º), mudanças na estrutura de governo. Pelo Twitter, ele disse que as alterações serão feitas nos próximos dias.

O atual presidente da Caema, Davi Telles, será o novo secretário de Ciência e Tecnologia. “O atual secretário Jhonata Almada vai se dedicar exclusivamente ao Iema”, escreveu o governador.

“Davi Telles é professor universitário e tem mestrado na Sorbonne. Jhonata conhece profundamente o Iema e vai cuidar do seu crescimento”, explicou.

O novo presidente da Caema será Carlos Rogério Santos Araújo, que é do quadro da empresa e atual diretor de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente. Ele terá a missão de concluir importantes obras já adiantadas.

“Um dos principais objetivos das mudanças é fortalecer as políticas de ciência e tecnologia, bem como de formação profissional via Iema”, afirmou o governador. “O Iema já tem mais de 20 unidades e chegaremos a 30 muito em breve. Sob coordenação de Davi e Jhonata, o projeto vai crescer ainda mais.”

“Davi Telles tem a missão também de consolidar a UemaSul e continuar a apoiar os projetos de fortalecimento da Uema e da Fapema”, acrescentou.

Sobre a Caema, o governador disse que Carlos Rogério tem a meta de, além de concluir obras, iniciar o Plano de Revitalização de Sistemas (PRS).

“Agradeço a todos que me ajudaram muito até aqui e tenho certeza de que, nas novas funções, manterão idêntica dedicação e eficiência”, disse Flávio.

Governo autoriza pavimentação de 200km para região metropolitana de São Luís

Governador assinou pacote do Mais Asfalto beneficiando mais de 1 milhão de pessoas da Grande Ilha.

O Governo do Maranhão deu início à 3ª etapa do maior programa de desenvolvimento urbano da história de São Luís. Em solenidade realizada no Palácio Henrique de La Rocque, na manhã desta terça-feira (25), o governador Flávio Dino autorizou o início de obras de pavimentação e mobilidade do Mais Asfalto nos quatro municípios da Ilha, que vão beneficiar 1,4 milhão de pessoas. Ao todo serão gastos R$ 80 milhões para o asfaltamento de cerca de 200km de vias.

Desde 2015, em cooperação técnica integrada com as Prefeituras de São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar, o Governo do Estado, por meio do Mais Asfalto, já executou aproximadamente 300km de pavimentação asfáltica. Com a conclusão da 3ª etapa, São Luís chegará a 500km de asfalto novo que beneficiará ruas, avenidas, interbairros e MAs dos quatro municípios.

Em seu discurso, o governador Flávio Dino ressaltou que o mais importante desse investimento é o benefício que ele gerará para as pessoas. Ele enalteceu os laços existentes com as Prefeituras das cidades que compõe a Grande Ilha e enfatizou que essa “união ampla permite que a gente possa enfrentar essa quadra especialmente difícil que o Brasil vive”.

De acordo com Flávio Dino, o Governo do Estado apoia os municípios, assim como os municípios apoiam o Governo do Estado, “naquilo que nós chamamos de federalismo cooperativo”. Ele explicou ainda que existe um planejamento dinâmico para fazer mais com menos que prioriza as grandes avenidas e vias.

O secretário de Infraestrutura (Sinfra), Clayton Noleto, fez uma extensa exposição dos resultados do Mais Asfalto nesses dois anos e meio e do planejamento feito para a 3ª etapa do programa. Clayton realçou, ainda, o trabalho integrado que envolve a Sinfra, a Agência Metropolitana, a Agência de Mobilidade Urbana e a parceria com as Prefeituras, que tem papel fundamental na elaboração do planejamento técnico e também na execução.

Prefeitos elogiam parceria

A solenidade contou com a participação dos prefeitos Edivaldo Holanda Júnior (São Luís); Luís Fernando (São José de Ribamar); Talita Laci (Raposa), e Domingos Dutra (Paço do Lumiar), além de vereadores e lideranças políticas dos quatro municípios. A assinatura da ordem para a nova etapa do Mais Asfalto foi bastante elogiada pelos gestores.

Também participaram da solenidade o vice-governador Carlos Brandão, os deputados federais Weverton Rocha e Waldir Maranhão, o presidente em exercício da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, os deputados estaduais Ana do Gás, Fábio Macedo e Bira do Pindaré, o presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Astro de Ogum, e vários vereadores dos quatro municípios da Ilha.

Confira abaixo as vias e bairros que serão contemplados com o Mais Asfalto

– COHATRAC / AV. 05 (ACESSO PRINCIPAL);

– TRECHO DA AVENIDA MARIO ANDREAZZA ATÉ A RUA CEL. EURÍPEDES BEZERRA;

– CIDADE OPERÁRIA / AV. 103 / 203 (Interligação Jardim América / Cidade Operária);

– AVENIDA PRINCIPAL DA CIDADE OPERÁRIA (Entrada Cidade Operária / Estrada da Mata)

– AV. GUAJAJARAS (Retorno do Aeroporto / Forquilha)

– AV. DOS AFRICANOS

– AV. SÃO MARÇAL (Av. Principal do João Paulo)

– RUA RIACHUELO (Paralela a Principal do João Paulo)

– AVENIDA MOCHEL (Acesso ao Pq. Pindorama / Pq. dos Nobres)

– CIDADE OLÍMPICA (Bloco C)

– VIAS DAS VILAS JOSÉ REINALDO E SARNEY COSTA

– LAGOA DA JANSEN

– Parque da Juçara / BR-135

– AV. OESTE EXTERNA / AV. OESTE INTERNA (Cidade Operária / Jardim América / Santa Clara)

– APACO – AV. DAS ACEROLAS (Interligação Cidade Operária / Santa Bárbara)

– RAPOSA (Rua Feitosa Reis) (Rua Principal) (MA-203/Estrada do Porto)

– JARDIM TURU / PARQUE JAIR / ALTO DO TURU (Drenagem e Pavimentação de ruas principais)

– AV. GENERAL ARTHUR CARVALHO

– ESTRADA DA MATA – MA-201 (Rio São João) a Tancredo Neves

– INTERLIGAÇÃO MA-201 (ESTRADA DE RIBAMAR)/ MA-202 (ESTRADA DA MAIOBA)

– PONTE DE INTERLIGAÇÃO ESTRADA DE RIBAMAR/MAIOBA

– PONTE ESTRADA DA VITÓRIA (Interligação da Av. Nossa S. da Vitória / Maioba)

– PINDOBA / IGUAÍBA

– CONJUNTO PARANÃ

– CONJUNTO TAMBAÚ

– VILA NAZARÉ

– INTERLIGAÇÃO VILA INDUSTRIAL/MARACANÃ

– INTERLIGAÇÃO VILA MARANHÃO / VILA EMBRATEL

– AVENIDA 200 (BR-135/Acesso ao Maracujá)

– LIGAÇÃO TIBIRI / CAJUPE / SÃO RAIMUNDO / AV. SÃO JERÔNIMO / SANTA BÁRBARA

Investimentos devem gerar mais de R$ 18 bi para o Maranhão

Pierre Januário, titular da Secretaria de Programas Especiais (SEPE).

Rearticulada pelo governador Flávio Dino em 2015, a Secretaria Extraordinária de Programas Especiais (SEPE) tem desempenhado ações para captação de investimentos que devem gerar no Maranhão mais de R$ 18 bilhões nos próximos anos.
Ao coordenar e gerenciar políticas, diretrizes e estratégias para o desenvolvimento de programas de interesse do Governo do Estado, a SEPE está diretamente envolvida em seis grandes programas, além de coordenar ações de cooperação técnica com outros países nas áreas de tecnologia, energia solar, refinaria, agronegócio, além de diálogo com organismos multilaterais de fomento e desenvolvimento.
Um dos programas em estado avançado de negociações para garantia de recursos, é a reconstrução de 650 quilômetros da MA 006, importante corredor de escoamento da produção de grãos do estado.
O governo negocia investimentos de R$ 600 milhões na requalificação de trechos da rodovia entre o município maranhense de Alto Parnaíba e o Entroncamento com a BR-222 na região do município de Buriticupu, além da pavimentação de suas vias alimentadoras.
A obra tem uma importância estratégica para o desenvolvimento do Estado na evolução da logística de escoamento da produção agrícola do Sul do Maranhão e estados vizinhos, em direção ao Porto do Itaqui.
Programas
Entre os principais programas em andamento na SEPE está a ampliação de ações do Plano Mais IDH, com garantia de investimentos de R$ 150 milhões para abastecimento de água à população em situação de vulnerabilidade social, com a construção de cisternas, kits sanitários, banheiros ecológicos, capacitação de agricultores, planos de recursos hídricos, construção de cisternas, captação de águas fluviais.
Outro programa em andamento é o de Revitalização da Bacia do Rio Itapecuru que prevê ampliação da capacidade de vazão, e segurança hídrica da Região Metropolitana da Grande São Luís e 52 municípios localizados na sua bacia hidrográfica. A SEPE estabelece tratativas com organização de financiamento para investimentos de R$ 650 milhões.
A SEPE estabelece, ainda, tratativas para ampliação de infraestrutura rodoviária, segurança pública, mobilidade urbana, turismo, além da obra de transposição do Rio Parnaíba, da represa de Boa Esperança para a Bacia do Rio Itapecuru, tendo como receptor o Riacho Balseiro. São de R$ 7,69 milhões em investimentos para estudos e projetos.

Governo do Estado anuncia instalação do IML de Caxias solicitado por Humberto Coutinho

O Governo do Estado anunciou um importante benefício para Caxias: a instalação de uma unidade do Instituto Médico Legal (IML) no município. A conquista é fruto de um empenho do presidente da Assembleia, deputado Humberto Coutinho (PSB), junto ao governador Flávio Dino (PCdoB).

O IML irá funcionar no prédio anexo aos cursos de Medicina e Enfermagem da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e põe fim a uma antiga reclamação dos cidadãos caxienses.

Atualmente a Delegacia Regional de Polícia Civil encaminhava as demandas para o município de Timon, o que acaba gerando custos para quem necessitava. Dentro dos serviços que serão oferecidos, a instalação de um IML em Caxias irá facilitar o acesso a perícias, exames de corpo de delito, necropsia e laudos cadavéricos.

De acordo com Dr. Humberto, o processo seletivo simplificado para a contratação de pessoal já foi aberto e, em pouco tempo, o serviço deverá estar funcionando.

Pacientes do Tocantins vêm ao Maranhão em busca de tratamento

Pacientes do Tocantins que precisam de tratamento na área de radioterapia estão vindo ao Maranhão em busca do tratamento contra o câncer, é o que informou a edição desta quarta-feira (19) do telejornal Bom Dia Brasil da TV Globo. Segundo o noticiário, no Tocantins o único aparelho da rede pública está sem funcionar desde 2014. A reportagem destaca que o governo Michel Temer (PMDB) promete entregar 20 máquinas de radioterapia até o final do ano em todo o país, mas até agora apenas três estão em funcionamento das 80 máquinas que já deveriam ter sido entregues pelo Ministério da Saúde.

No Maranhão o tratamento do câncer é prioridade desde 2015. Logo no início da sua gestão, o governador Flávio Dino (PCdoB) firmou convênio com clínica especializada de Imperatriz para descentralizar a oferta do serviço de radioterapia no Estado, antes disponível apenas em São Luís.

O direito ao atendimento oncológico, antes negado à população da Região Tocantina, hoje atende mais de 200 pessoas por mês, incluindo os pacientes do estado do Tocantins, que desde 2015 usufruem do serviço de radioterapia oferecido pelo governo do Maranhão.

Saúde de Verdade

No artigo “Saúde de verdade”, publicado no final de 2016, Flávio Dino listou várias ações implantadas para ampliar e melhorar o atendimento em saúde pública no estado, além de destacar o trabalho desenvolvido pela Unidade Móvel de Combate ao Câncer e a ampliação ao acesso a radioterapia por meio de convênio celebrado para compra de novos equipamentos a serem instalados no Hospital Andenora Bello, em São Luís, que deve ocorrer ainda em 2017.

Outros investimentos estaduais estão previstos para Imperatriz nos próximos anos, especialmente na área da saúde. Por meio de convênio com clínicas particulares, o poder público estadual irá implantar o serviço de oncologia pediátrica na região.

Atualmente, um tratamento completo de radioterapia custa de R$ 40 a R$ 70 mil na rede privada. A radioterapia é um dos tratamentos mais eficazes para destruir as células cancerígenas no corpo, sendo, portando, um tratamento fundamental para pacientes com câncer e que, pelo alto custo, não pode deixar de ser ofertado pela rede de saúde pública.

Infelizmente o governo federal não vem cumprindo seu papel, mas em alguns estados, como é o caso do Maranhão, o tratamento do câncer vem sendo encarado como essencial.