Roseana Sarney e a desarticulação política de seu grupo…

Mesmo com todo o barulho feito pela mídia ligada ao grupo Sarney, Roseana chega à disputa, politicamente, fraca, o que traduz todo seu desânimo.

A falta de apoio político está causando uma situação um tanto quanto inusitada para o grupo Sarney. Com o domínio há décadas de vários partidos historicamente ligados ao clã, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) entra, pela quinta vez, na disputa do governo, mas, pela primeira vez, sem o apoio de um número considerável de siglas.

Até o momento, com ela, além do MDB, apenas o PV, o PHS, o PMB e o PSD, o que gera especulações de que a chapa poderá sair “puro sangue”.

A perda mais significativa para Roseana são os partidos que hoje orbitam a base do governador Flávio Dino (PCdoB). Com diretórios espalhados por todo o estado e com uma grande fatia do horário político, PT, DEM, PR, PP, PTB e PRB farão uma grande diferença para a campanha da ex-governadora em 2018. Neles estão deputados e aliados com uma grande densidade de votos.

Outros partidos, que sempre estiveram ligados ao grupo Sarney, já declaram apoio a outras candidaturas. Maura Jorge, por exemplo, vai reunir PSL, PRTB, PSDC e o Podemos, antigo PTN.

Alguns partidos ainda estão indefinidos. O PMN do deputado Eduardo Braide pode encabeçar uma candidatura e ter o apoio do PSC. Além do PRP, que pode ter o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, como candidato ao governo.

Mesmo com todo o barulho feito pela mídia ligada ao grupo Sarney, Roseana chega à disputa, politicamente, fraca, o que traduz todo seu desânimo.

Maura Jorge e o apoio de dois partidos nanicos…

Em questão do tempo de TV, PRTB e PSDC acrescentam pouca coisa na campanha de Maura

A mídia ligada à ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PSL), noticiou, com grande estardalhaço, o anúncio do apoio dos partidos PSDC e PRTB a sua pré-candidatura.

O PSDC, agora comandado pelo suplente de senador, Pastor Bel, entrou no projeto de Maura Jorge de olho em uma das vagas para o Senado Federal.

Já o PRTB, presidido pelo empresário Márcio Coutinho, declarou apoio visando à eleição proporcional. Ele busca uma das vagas na Câmara dos Deputados.

Em questão do tempo de TV, no horário político, ambos os partidos acrescentam pouca coisa na campanha de Maura.

O PRTB, por exemplo, não tem tempo de TV, o PSDC não chega a cinco segundos. Os dois partidos, somados ao PSL, que também não tem tempo de TV, não poderão ajudar Maura a conseguir espaço suficiente para ser conhecida no estado e para mostrar seus projetos.

Apesar do anúncio, Maura Jorge continua com dificuldades em manter sua pré-candidatura.

Roberto Rocha e Maura Jorge estagnam em pesquisa, apesar de apoio de presidenciáveis

Apesar de contarem com o apoio de duas figuras conhecidas em nível nacional, os candidatos Roberto Rocha e Maura Jorge não conseguem subir nas sondagens.

A última pesquisa Data Ilha/Difusora, divulgada na terça-feira (15), mostra dois cenários bem distintos na disputa ao governo do Maranhão. Apesar de contarem com o apoio de duas figuras conhecidas em nível nacional, os candidatos Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (PSL) não conseguem subir nas sondagens.

O senador Roberto Rocha lançou sua pré-campanha desde o final de 2017 e recebeu, recentemente, o ex-governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB). A pesar de ter o apoio de uma grande figura do PSDB e que já disputou uma corrida presidencial, o novo tucano aparece com apenas 2,63% na pesquisa Data Ilha/Difusora.

A ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, também recebeu o apoio do pré-candidato a presidente, Jair Bolsonaro (PSL). Mas a pesar da popularidade do presidenciável nas redes sociais, dos vídeos amplamente divulgados e dos outdoors espalhados pela capital e por cidades do interior, ela aparece apenas com 1,61%, o que mostra que a transferência dos votos e a popularidade não ocorreram.

Os dois candidatos seguem na disputa, mas por enquanto, não aglutinam nem 5% do eleitorado maranhense. Nem muito menos, lucraram com o apoio dos notáveis presidenciáveis.

Maura Jorge e o efeito Jair Bolsonaro nas pesquisas…

Maura Jorge já foi acionada pela Procuradoria Regional Eleitoral do Maranhão por propaganda antecipada ao lado do seu aliado Jair Bolsonaro.

O pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), parece ter atingido seu teto de intenções de voto, segundo análise de Marco Antônio Carvalho Teixeira, cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Pré-candidata ao governo e aliada de Bolsonaro no Maranhão, a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PSL), que trabalha sua marca de pré-campanha colada no deputado federal, pode ter dificuldades em atrair a popularidade de seu aliado logo nesse momento de estagnação.

A parada no crescimento do candidato pode também significar que Maura Jorge não terá a ajuda de sua aliança para sair das últimas posições nas pesquisas de intenções de voto.

A pesquisa

A pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira (14), indica o deputado federal na vice-liderança, com 16,7%, no cenário que inclui o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança.

Bolsonaro aglutina os votos dos radicais da extrema-direita, mas sofre uma grande rejeição nas classes mais carentes.