Sem dor e febre, Bolsonaro começa dieta branda

Jair Bolsonaro faz caminhada em hospital – Jair Bolsonaro/Redes Sociais

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, do PSL, internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, desde o último dia 7, começou hoje uma “dieta branda”, o que significa uma evolução em relação à dieta leve que estava recebendo, com boa aceitação, segundo boletim médico divulgado nesta tarde (24). Ele teve alta da unidade de terapia semi-intensiva no último sábado (22) e permanece em quarto no hospital.

Bolsonaro permanece sem dor, sem febre nem sinais de infecção e sem disfunções orgânicas. Segundo o hospital, os exames laboratoriais estão estáveis. Ele tem boa evolução clínica e foram mantidas medidas de prevenção de trombose, além de exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto.

Bolsonaro recebeu uma facada durante ato de campanha no último dia 6, em Juiz de Fora (MG). Após ter sido atendido na Santa Casa da cidade, onde chegou a passar por uma cirurgia, ele foi transferido, a pedido da família, para o Hospital Albert Einstein, na capital paulista, na manhã do dia 7.

Possível desistência de Maura Jorge é cogitada

Uma possível desistência da candidatura da ex-prefeita Maura Jorge (PSL) ao governo do Maranhão vem sendo especulada nos bastidores.

A candidata convocou os meios de comunicação para uma coletiva de imprensa, na próxima segunda-feira (24), o que pode culminar no anúncio da retirada do seu nome.

No site do Tribunal Superior Eleitoral, o nome de Maura Jorge aparece com o status de deferido com recurso.

Maura Jorge é ex-prefeita de Lago da Pedra e, nesta eleição, conta apenas com o apoio do PRTB. A candidata sempre aparece em terceiro ou quarto lugar nas pesquisas eleitorais e vem tendo algumas dificuldades na sua campanha.

Maura Jorge segue perdendo aliados

Certamente, a perda dos apoios seja pelo fato da própria candidata Maura Jorge não apoiar candidatos a deputado federal e estadual de sua coligação

A candidata ao governo do Maranhão pelo PSL e ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, chega à reta final da campanha perdendo apoios e prejudicando uma possível subida nas pesquisas eleitorais.

Após uma convenção polêmica em que o candidato Carioca (PRTB) discursou ao vivo, que não votaria nem em Maura, nem no candidato ao Senado Federal pelo PSL, a campanha da aliada do presidenciável Jair Bolsonaro vem perdendo apoio de mais candidato a deputado.

O primeiro foi o candidato Leonardo Sá. Nesta semana, foi a vez do médico e vereador de São Luís, Dr. Gutemberg se fazer presente em um dos eventos do governador Flávio Dino para sinalizar a nova parceria com o comunista.

Certamente, a perda dos apoios seja pelo fato da própria candidata Maura Jorge não apoiar candidatos a deputado federal e estadual de sua coligação. Na cidade de Lago da Pedra, Maura apoio Aluísio Mendes para federal e Fábio Macedo para estadual, ambos os candidatos fazem parte de outras coligações.

Com Bolsonaro fora da campanha, Maura Jorge se vê sozinha na disputa

Agora, com Bolsonaro hospitalizado e fora da campanha eleitoral, Maura Jorge terá que enfrentar as ruas sozinha

A vinda do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), para uma agenda no Maranhão chegou a ser ventilada, mas, após o atentado sofrido e duas cirugiras, isso já foi descartado.

Com isso, a candidata Maura Jorge (PSL) se vê sozinha na corrida ao Governo do Estado, não podendo mais usar o nome de Bolsonaro para impulsionar sua candidatura.

Líder nas pesquisas eleitorais, Bolsonaro ainda não transferiu sua popularidade aos candidatos a governadores, a exemplo de Maura Jorge, no Maranhão, que flutua entre o terceiro e quarto lugares nas pesquisas, pontuando em média 3% do eleitorado.

Agora, com Bolsonaro hospitalizado e fora da campanha eleitoral, Maura Jorge terá que enfrentar as ruas sozinha.

Propaganda do PRTB esconde Maura Jorge

Mesmo falando em alcançar a vaga no segundo turno, Maura Jorge vem tendo muitas dificuldades para prosseguir com sua campanha

A campanha televisiva do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), iniciada desde o dia 31 de agosto, não mostra a candidata ao governo do Estado, Maura Jorge (PSL)

Mesmo com a coligação do PRTB com o PSL, o partido comandado pelo empresário Márcio Coutinho preferiu esconder o nome de Maura Jorge.

No lugar de Maura Jorge, a campanha da TV mostra o nome e o número do senador Edison Lobão (MDB), candidato à reeleição da coligação de Roseana Sarney.

Mesmo falando em alcançar a vaga no segundo turno, Maura Jorge vem tendo muitas dificuldades para prosseguir com sua campanha.

Notas rápidas deste sábado (18)

Marina Silva protagonizou o primeiro momento de embate direto com o líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL), nos dois debates até aqui

Artistas querem showmício
Liderado pela produtora Paula Lavigne, um grupo de artistas pede o direito de cantar de graça em eventos com candidatos nas eleições. Eles prometem pressionar o STF pela mudança na Lei Eleitoral, que veta em seu Artigo 39 a realização de showmícios. A ideia é permitir os shows, desde que os artistas não recebam para isso. Luiz Fux é relator de uma ADC que pede a alteração na lei, mas aguarda manifestação da Procuradoria-Geral da República para se decidir. Criolo, Caetano Veloso e Maria Gadú são alguns dos artistas que apoiam a mudança.

Bolsonaro se perde sobre dívida
Reinaldo Azevedo, colunista da Rede TV!, consegue provocar o pior momento de Jair Bolsonaro nos dois debates até aqui. O jornalista questiona o deputado do PSL sobre a dívida pública. Para evitar a tergiversação sobre o “posto Ipiranga”, já incluiu o antídoto na pergunta: “Ou isso não é papel do presidente da República?”. Bolsonaro se retraiu. Disse que sim, é prerrogativa do presidente. E se pôs a desfilar uma série de generalidades que nada tinham a ver com a dívida, como a dificuldade para se abrir uma empresa no Brasil. Mostrou total despreparo para uma questão crucial de macroeconomia.

Marina é a primeira a peitar Bolsonaro
Marina ignorou as estratégias de marketing e, olhando nos olhos do deputado, o contrapôs sobre salários menores para mulheres e depois sobre sua política de armar a população. Ele ficou desconcertado e ensaiou uma resposta agressiva a ela, da qual recuou no meio.

Marina em 2º lugar nos TT’s do Twitter
Marina Silva terminou o debate da Rede TV em segundo lugar nos tópicos mais comentados do Twitter mundial, atrás justamente da hashtag oficial do evento. A candidata da Rede protagonizou o primeiro momento de embate direto com o líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL), nos dois debates até aqui.

Bolsonaro ‘cola’, mas não funciona
Jair Bolsonaro até tentou se prevenir ao ir encarar Marina Silva durante o debate da Rede TV. O candidato do PSL foi flagrado com uma “cola” na mão, onde se viu escrito “pesquisa, armas, Lula”, provavelmente indicando o caminho que queria seguir nas perguntas para a candidata do Rede. Não deu muito certo. Acabou tomando uma “invertida” de Marina, que aproveitou para dar uma bronca no deputado sobre sua posição sobre igualdade salarial e armamento da população.

PSL e DEM têm menos mulheres
A representatividade das mulheres nas chapas ainda patina, e PSL e DEM são as legendas que mais deixam a desejar nesse quesito. Apenas 28,3% dos candidatos dos partidos de Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia são mulheres. Os números ainda podem sofrer pequenas alterações até o fim das atualizações nos dados da Justiça Eleitoral, mas não deve chegar aos 30% exigidos por lei. PMB (39,4%) e PSTU (38%) são os melhores colocados nesse sentido.

Marina ‘sem medo dos bolsominions’
Marina Silva estava exultante após o debate da Rede TV. O duelo com Jair Bolsonaro colocou a candidata do Rede em evidência e ela não quer perder a chance de antagonizar com o líder das pesquisas (em cenário sem Lula). Na saída do encontro, novamente falou sobre o assunto, batendo ainda mais no candidato do PSL. “Não temos medo desses ‘bolsominions, não”, brincou. “Existem aqueles que gostam de subestimar as mulheres”, disse.

Ana Amélia elogia Marina
Destaque no debate da RedeTV, Marina Silva foi elogiada até mesmo por Ana Amélia, candidata a vice na chapa de Geraldo Alckmin. O confronto da candidata da Rede com Jair Bolsonaro foi, para Ana Amélia, “o ponto alto do debate”. “Ela foi muito corajosa e fez na hora certa. Soube aproveitar, não buscou um subterfúgio e foi em cima do ponto, na questão de a mulher ter hoje uma inferioridade salarial em relação ao homem. Ela foi feliz na forma como fez e de maneira respeitosa”, disse.

Veja as notas rápidas desta quinta-feira (16)

Jair Bolsonaro (PSL) lançou o ‘Caminho da Prosperidade’, seu plano de governo, algo que mais parece uma “apresentação escolar feita no PowerPoint”

Meirelles declara patrimônio de R$ 377,4 milhões
O candidato do MDB ao Planalto, Henrique Meirelles, declarou um patrimônio de R$ 377,4 milhões ao TSE. A maior parte dos bens declarados pelo ex-ministro da Fazenda e ex-presidente do Banco Central se concentra em ações.

Doria declara R$ 189 milhões em bens
O ex-prefeito de São Paulo João Doria declarou ao TSE um total de bens avaliados em R$189.859.904,76. Entre os itens listados pelo tucano, que disputa o governo de São Paulo, está uma casa no valor de R$ 11,2 milhões.

O ‘PowerPoint’ de Bolsonaro
Jair Bolsonaro (PSL) lançou o ‘Caminho da Prosperidade’, seu plano de governo, algo que mais parece uma “apresentação escolar feita no PowerPoint”. O candidato usa números errados e “berra” com o eleitor ao usar maiúsculas e exclamações em excesso, Bolsonaro demonstra obsessão por temas como as Forças Armadas e a esquerda.

Janaína candidata a estadual em SP
Depois de anunciar que não disputaria nenhum cargo nestas eleições, a advogada Janaína Paschoal, que foi cotada para vice de Bolsonaro, anunciou nesta terça-feira, 14, que será candidata a uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo, pelo PSL.

Marina reacende polêmicas de 2014
Marina Silva retomou dois pontos polêmicos de sua última campanha eleitoral nas diretrizes de plano de governo para as eleições de outubro: o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a independência do Banco Central. Em 2014, a hoje candidata do Rede foi atacada por antigos aliados por conta das propostas. Evangélicos, como o pastor Silas Malafaia, a criticaram por conta da defesa da união homoafetiva. Já o PT aproveitou a deixa para a acusar de “tirar o prato de comida de brasileiros” em uma propaganda.

PSL se arma para guerra da TV
O advogado Gustavo Bebianno já está mobilizado para responder à esperada artilharia contra Bolsonaro nas inserções dos adversários na propaganda eleitoral. Aliados do candidato do PSL avaliam que, graças aos direitos de resposta, poderá ser possível a Bolsonaro ter uma vitrine da qual está alijado pelas regras de distribuição de tempo da lei eleitoral. A ordem é questionar qualquer menção negativa ao nome do deputado. A avaliação no QG de Geraldo Alckmin é que vale a pena destinar parte do latifúndio de propaganda para “desconstruir” o rival, mesmo com o risco de ceder uma resposta.

Os mais temidos por Bolsonaro no 2º turno
Entre os presidenciáveis, os que Jair Bolsonaro, do PSL, mais teme enfrentar no segundo turno são os candidatos de centro. Bolsonaro acha dificílimo vencer Geraldo Alckmin, do PSDB, ou Henrique Meirelles, do MDB, se ele tivesse chance de chegar lá. Bolsonaro acredita que ganharia de Ciro ou Fernando Haddad, herdeiros do lulismo.

Anúncio dos candidatos a deputado estadual e federal de Maura Jorge causa ruídos na coligação do PSL

Candidatos a deputado estadual e federal da coligação reclamam da falta de apoio que a candidata vem dando aos correligionários

Causou estranheza, nos bastidores da política, inclusive dentro do próprio PSL, o evento em que a candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), apresentou seus candidatos a deputado estadual e federal.

Em uma carreata realizada na cidade de Lago da Pedra, no último domingo (12), Maura Jorge apresentou os nomes de seus candidatos as eleições proporcionais. Para a Assembleia Legislativa, Maura Jorge vai apoiar Fábio Macedo (PDT), que é da base de sustentação do governador Flávio Dino (PCdoB), para a Câmara dos Deputados, Maura Jorge vai apoiar Aluísio Mendes (Podemos), que está na coligação de Roberto Rocha (PSDB).

Vale lembrar que, há menos de duas semanas, Maura Jorge teceu duras críticas a Aluísio Mendes. O deputado levou o Podemos para a coligação de Roberto Rocha, o que inviabilizou sua candidatura de Maura Jorge, em relação ao tempo de TV.

O apoio aos dois deputados que não são da sua base de sustentação causou um ruído dentro do próprio PSL e do PRTB. Candidatos a deputado estadual e federal da coligação reclamam da falta de apoio que a candidata vem dando aos correligionários.

Bolsonaro demite assessora fantasma

Em janeiro, a Folha revelou a existência da funcionária fantasma. De acordo com pessoas da cidade, Wal, como é conhecida, também presta serviços particulares na casa de Bolsonaro, mas tem como principal atividade o comércio de açaí

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ) demitiu nesta segunda-feira (13) a assessora fantasma Walderice Santos da Conceição. A demissão, a pedido da assessora, foi divulgada por ele depois de a Folha publicar reportagem nesta segunda que flagrou Walderice trabalhando em sua loja de açaí na região de Angra dos Reis na hora do expediente da Câmara dos Deputados.

Em janeiro, a Folha revelou a existência da funcionária fantasma. De acordo com pessoas da cidade, Wal, como é conhecida, também presta serviços particulares na casa de Bolsonaro, mas tem como principal atividade o comércio de açaí. Nesta segunda, a Folha voltou ao local e constatou que a funcionária continuava na venda de açaí em horário de expediente.

A reportagem comprou com Walderice um açaí e um cupuaçu. Ela afirmou que trabalha na loja, que leva seu nome, Açaí da Wal, todas as tardes, na pequena Vila Histórica de Mambucaba, a 50 km de Angra dos Reis. Walderice figura desde 2003 como um dos 14 funcionários do gabinete parlamentar de Bolsonaro, em Brasília, recebendo atualmente salário bruto de R$ 1.416,33. Bolsonaro afirmou nesta segunda que a funcionária ligou pedindo demissão, mas que seria “muito complicado”, então ele a exonerou. “Eu fico chateado até, porque ela precisa, é uma pessoa pobre”, afirmou o deputado.

A princípio, o candidato havia dito que Walderice se demitiu na manhã de segunda por causa do desgaste. O nome de Wal foi citado no debate entre os presidenciáveis realizado pela TV Bandeirantes na última quinta (9). O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, perguntou a Bolsonaro “quem é Wal?”.

A afirmação do deputado de que Walderice pediu demissão pela manhã é discrepante com as falas da própria funcionária à Folha. Nas duas conversas que teve com a reportagem, não mencionou pedido de demissão. Apenas após a identificação dos jornalistas, no final da tarde, a funcionária ligou para o jornal para afirmar que pedira demissão.

Antes de se identificar como repórteres, a Folha conversou com Walderice na pequena loja de açaí onde ela trabalha. Ela chegou a comentar o debate da TV Band. “Ele [Boulos] disse que o Jair tinha uma funcionária fantasma.” Em resposta à pergunta da Folha sobre quem era, Walderice afirmou: “Sou eu.”

Depois da reportagem da Folha de janeiro, o parlamentar passou a dar diferentes versões sobre a assessora. Primeiro, disse que buscou o endereço do local e viu que a “casinha” de açaí era da irmã de Walderice. Em outra tentativa de explicar, disse que sua secretária de gabinete estava em período de férias na ocasião em que a Folha visitou o local na primeira vez. Essa foi a versão dada, por exemplo, na resposta a Boulos no debate da Band.

Segundo moradores da região, o marido dela, Edenilson, presta serviços de caseiro ao deputado.