Rede nacional Extrafarma admite que funcionário praticou ato ilegal em venda de medicamento

Alérgicos, cuidado com a “estratégia de venda” da Extrafarma…

A Central Nacional da Rede Extrafarma entrou em contato, nesta sexta-feira (24), com esta editora, por meio do telefone (011) 3177-6677 – após postagem intitulada “Alérgicos, cuidado com a “estratégia de venda” da Extrafarma…” – e disse que o vendedor da farmácia, que me empurrou remédio diferente do que eu procurava e que me provocou forte e grave reação alérgica me levando à emergência de um hospital, agiu de forma ilegal e fora das recomendações da empresa. Segundo a Central, a direção irá tomar as medidas internas cabíveis sobre o caso.

A funcionária da Central se identificou por Mary, perguntou detalhes sobre a localização da loja Extrafarma, onde aconteceu o episódio, na Avenida Daniel de La Touche, em São Luís, e ofereceu fornecimento gratuito dos medicamentos que foram receitados, após o atendimento de emergência do Hospital São Domingos, na última quarta-feira (22). No entanto, eu disse que já havia comprado os remédios.

Fiz questão de relatar o que aconteceu comigo para alertar  as pessoas, sobretudo, que são alérgicas. Acho que a prática de venda das farmácias, movida a interesse de ganhos de comissões em cima de produtos, deveria se pautar também nos riscos. Antes de oferecer um medicamento, que já é errado porque só os médicos estão credenciados para tal, o profissional teria que perguntar também se o cliente tem alergia a alguma substância e apresentar conhecimento químico para saber também quais as similares, familiares a outras, que também estão contraindicadas.

Por exemplo, o Strepsils, pastilha para garganta, que fui praticamente obrigada a comprar, não contém AASS no princípio ativo, mas há uma substância da mesma família, assim como a maioria dos antiinflamatórios, que faz mal aos alérgicos e hipersensíveis ao Ácido Acetilsalicílico.

O resultado dessa irresponsabilidade do vendedor é que eu dei entrada na emergência do Hospital São Domingos, com uma série de complicações, como edemas de face e de garganta, correndo risco de vida. Lá fui medicada, imediatamente, com antialérgico na veia e outras intervenções.

Leia abaixo a reprodução da postagem para que você entenda melhor o que aconteceu.

Reprodução da matéria originalAlérgicos, cuidado com a “estratégia de venda” da Extrafarma…

Alérgicos a AASS ou a outro princípio ativo, cuidado com a Extrafarma

Na noite de quarta-feira (22), comprei um remédio para a garganta, diferente do que tomo constantemente (de orientação médica), por insistência de um funcionário da Extrafarma (provavelmente pra ganhar bônus de venda), que garantiu ser melhor. No entanto, o medicamento, na verdade, era contraindicado a quem tem alergia a AASS (Ácido Acetilsalicílico), que é o meu caso.

Cuidado, você pode parar no hospital até com risco de vida. Na farmácia, compre sempre o remédio que você veio procurar ou que está na receita do médico. Não dê ouvidos a funcionários de farmácia, interessados em vender um produto para obter bônus, que te impõem medicamentos que alegam ser similares ou melhores. Fica o meu alerta.

O Strepsils, pastilha para garganta, que fui praticamente obrigada a comprar, não contém AASS no princípio ativo, mas há uma substância da mesma família, assim como a maioria dos antiinflamatórios, que faz mal aos alérgicos e hipersensíveis ao Ácido Acetilsalicílico.

Aí, tomei e deu reação forte de rinite, inchaço nos olhos, rosto, boca (edema de face), dor de cabeça, falta de ar, semelhante a sintomas de edema de glote, garganta inflamada, etc.

E eu nem tava com sintomas de gripe e rinite, só a garganta que estava irritando um pouco. Fui cair na besteira de tomar o remédio, empurrado pelo funcionário da Extrafarma, que não costumo tomar, e deu nisso. Baixei hoje (23) na emergência do Hospital São Domingos, com classificação de risco de alerta (cor amarela).

Ainda na noite de quarta (22), a reação não foi mais forte porque tomei logo um antialérgico, medicamento receitado por médico em caso de alergias. Porém, nesta quinta (23), o edema de face ainda era grande com outras complicações.

Achei por bem contar essa história até para alertar as pessoas que, como eu, têm esse tipo de alergia para que tomem cuidado, e àquelas, que chegam à farmácia para comprar um remédio e são abordadas e quase forçadas a adquirir outro tipo de medicamento que é apresentado como similar ou melhor.

Deixo aqui o meu agradecimento ao médico cirurgião geral do São Domingos, dr Rogério​ Ericeira, que me atendeu muito bem. Descobri na hora que ele é leitor assíduo do meu blog. A ele o meu muito obrigada.

Lobão quer votar projeto de abuso de autoridade no plenário do Senado em duas semanas

Extra

Lobão estaria querendo pressa na votação para deixar autoridades na impunidade

BRASÍLIA — O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senador Edison Lobão (PMDB-MA), disse nesta quarta-feira que em cerca de duas semanas estará pronto para ser votado no plenário o projeto que endurece as regras de criminalização de abuso de autoridade, de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Hoje, ele recebeu uma nova versão do relatório do senador Roberto Requião (PMDB-PR), e seu primeiro ato será a concessão, monocraticamente, de vista coletiva do texto pelo prazo de uma semana. Depois desse prazo, se houver consenso, já pode ser votado na comissão para seguir ao plenário. Se não, será concedido mais uma semana para debate antes da votação.

— Não podemos esquecer que o projeto de abuso de autoridade, apresentado pelo senador Renan, se encontra em urgência e, portanto, tem preferência. Mas vou fazer o possível para que haja um debate dos que são a favor e contra a matéria.

Lobão responde a vários inquéritos no Supremo Tribunal Federal, mas nega que a aprovação da lei de abuso, nesse momento, seja para impedir as investigações da Operação Lava-jato. Argumentou que as autoridades “que se colocarem dentro das regras”, não tem o que temer. Disse que a urgência para aprovação da criminalização de abusos de autoridades não é contra ninguém, mas contra o abuso.

— Nada tem a ver com retaliação. Se essa lei vai retaliar alguém, vai retaliar o abuso — disse Lobão, completando: — Ninguém deve temer a lei.

Relator do projeto que acaba com o foro privilegiado, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) acusou setores do Senado de estarem usando o clamor da sociedade — pelo fim do foro — como justificativa para aprovar junto o projeto que endurece as regras de criminalização de abuso de autoridades. Depois de analisar a nova versão do relatório do senador Roberto Requião, Randolfe disse que as mudanças feitas pelo relator e entregues hoje na CCJ vão inviabilizar qualquer investigação pelo Ministério Público e acabar com a Operação Lava- jato.

O artigo 1* do parecer de Requião trata do chamado crime de hermenêutica — ou crime de interpretação. Pelo texto apresentado, Requião rejeitou proposta do juiz Sérgio Moro e, no entendimento de Randolfe, o texto do relator diz que se houver divergência entre a interpretação do juiz sobre determinado crime, ou se o acusado na primeira instância for inocentado na segunda instância, o juiz da primeira instância pode ser punido.

— No chamado crime de interpretação ou hermenêutica, por exemplo, o Moro liberou as gravações da ex-presidente Dilma com o ex-presidente Lula. Se ficar comprovado que ele agiu incorretamente contra a inviolabilidade presidencial, se recorreria dessa decisão. Mas pelas regras do relatório do Requião, ele poderá ser criminalizado por isso. Ou, se pedir a condenação de um réu e este for inocentado na segunda instância, o juiz pode ser punido por isso — entende Randofe.

Já no artigo 31, o texto anterior que dizia que será penalizado o juiz que der início a persecução penal sem justa causa, foi mudado para, será penalizado o juiz que der início a persecução penal com abuso de autoridade.

— Se as mudanças feitas pelo relator forem aprovadas, acaba Lava-jato, e o Ministério Público pode ficar ferido em sua autonomia e impedido de conduzir qualquer investigação. Pode fechar essa bodega. Não terá mais sentido a existência do MP — alertou Randolfe.

O relator do fim do foro rejeita a argumentação de Requião sobre a necessidade de se aprovar o abuso de autoridade para anular eventuais abusos de promotores e juízes de primeira instância com o fim do foro.

— Isso, mais que uma justificativa, é uma desculpa. Estão usando o fim do foro, que é um clamor da sociedade, para aprovar o projeto de abuso de autoridade. É um projeto para afastar os engravatados das barras da Justiça — disse Randolfe.

Ele também rejeita a tese de que cresceu no Senado a pressa para aprovar o abuso de autoridade, por causa da polêmica operação Carne Fraca.

— É claro que a situação piorou muito do ano passado para cá. Hoje temos metade do Congresso investigado. Mesmo que tenha tido abuso nessa operação, não é justificativa. Estão procurando jogar fora a água suja com o bebê dentro da bacia — disse Randolfe.

Operação Turing estoura esquema que tentava atrapalhar investigações da PF; Suspeitos são presos e levados para depor

delegado Max Eduardo durante a coletica de imprensa, realizada na sede da PM, na Cohama

A Operação Turing, deflagrada nesta terça-feira (21) pela Polícia Federal, movimentou a capital maranhense. A PF diz ter desarticulado  uma organização criminosa composta por servidores públicos e blogueiros que estariam causando embaraço a investigações no Estado, inclusive com negociações que envolveriam troca de sigilos por dinheiro.

A Justiça Federal decretou a prisão temporária, pelo prazo de cinco dias, do agente da Polícia Federal, Danilo dos Santos Silva (ex-secretário de Inovação Penitenciária da Seap), que foi exonerado  no último dia dez de março, e dos blogueiros Luis Assis Cardoso Silva de Almeida, Luis Pablo Conceição Almeida e Hilton Ferreira Neto.
Outros cinco blogueiros foram conduzidos coercitivamente. São eles Antonio Marcelo Rodrigues da Silva, Yuri dos Santos Almeida, Marcelo Augusto Gomes Vieira, Antonio Martins Filho e Ezequiel Martins da Conceição. A Justiça também determinou busca e apreensão nos endereços utilizados por todos os representados.

A Justiça decidiu pelas prisões e conduções com base em relatório do Ministério Público Federal (MPF) sobre o caso. Houve, no início da tarde, uma entrevista coletiva, onde os investigadores apresentaram os motivos da operação e como acontecia o esquema, segundo suas versões.

As primeiras informações apressadas deram conta de decretação de prisões preventivas, o que foi descartado pelo delegado Max Eduardo durante a coletiva de imprensa, realizada na sede da PM, na Cohama.

Lembrando que todos os arrolados têm o direito do contraditório. E como bem coloca a peça do Ministério Público, esse é um processo investigatório e todos os suspeitos têm, ao seu favor, ampla defesa. A tese da PF já foi conhecida, mas é imprescindível ouvir o outro lado. Esse espaço está à disposição para as versões ainda não conhecidas sobre o caso.

Aproximadamente 80 policiais federais cumpriram 23 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, quatro de condução coercitiva e 15 de busca e apreensão, em residências e locais de trabalho dos investigados. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara da Justiça Federal de São Luís/MA.

Investigação foi iniciada em 2015

A investigação, iniciada em 2015, revelou que um policial federal revelava antecipadamente fatos sob sigilo de Justiça a blogueiros. Estes, por sua vez, ameaçavam funcionários públicos e empresários e pediam valores em troca da não divulgação na mídia local dos fatos descobertos em desfavor deles.

Os investigados aproveitavam também a oportunidade para fugirem ou destruírem provas. Em troca, o servidor público era agraciado com publicações na imprensa em seu favor, permitindo sua inserção em cargos de confiança do Estado. Ele chegou a assumir a função de Secretário Adjunto da Administração, Logística e Inovação Penitenciária.

A PF apura, ainda, possíveis frustrações do caráter competitivo de licitações do sistema prisional, bem como eventuais desvios na execução de verbas públicas.

O nome da operação é uma referência a Alan Turing, um cientista e matemático britânico responsável pelo desenvolvimento de uma máquina utilizada durante a Segunda Guerra Mundial, capaz de interceptar e decodificar dados criptografados transmitidos pela máquina Enigma.

MP 230 não retira direitos de professores da rede estadual, garante sindicato

Plenário da Assembleia aprovou MP na quarta-feira

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) enviou nota de esclarecimento à imprensa, nesta sexta-feira (17), explicandoo que a Medida Provisória 230 não retira direitos dos educadores. Segundo a entidade, a MP  concede reajuste de 8% nos vencimentos dos professores que fazem parte da classe inicial, atendendo à Lei do Piso Salarial Nacional.

Sobre a principal alegação dos que protestaram, o sindicato disse que a Gratificação de Atividade de Magistério (Gam) é  prevista no Estatuto e aplicada sobre o vencimento dos professores de todas as classes funcionais.

Portanto, segundo o Sinproesema, se o reajuste foi em cima da Gam, então considerou sim os vencimentos.

A oposição levou alguns professores a se colocarem contra o reajuste na gratificação para tumultuar o processo, alega o sindicato.

Esclarecimento do Sinproesema 
A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) esclarece aos professores da rede estadual de educação que a Medida Provisória 230, do Governo do Estado, aprovada pela Assembleia Legislativa, nesta semana, não retira direitos dos educadores, como alardeiam membros do grupo político que disputa o Poder no Sinproesemma.

A MP concede reajuste de 8% nos vencimentos dos professores que fazem parte da classe inicial, atendendo à Lei do Piso Salarial Nacional, e faz uma adequação no artigo 32 do Estatuto do Educador, aumentando em 16% o percentual da Gratificação de Atividade de Magistério (Gam).
A Gam é uma gratificação prevista no Estatuto, aplicada sobre o vencimento dos professores de todas as classes funcionais. Segundo a professora Janice Nery, secretária geral do Sinproesemma, o artigo 32 se mantem intacto. “O que houve foi uma adequação nos percentuais da Gam que resultaram em aumento de 8% nas remunerações. O que há são especulações de quem quer meramente fazer política partidária, apenas com a finalidade de disputar espaço no sindicato”, explicou Janice.
De acordo com a MP, a menor Gam passa de 75% para 89% e a maior, que é de 104%, passa a ser de 120,32%. A primeira parcela de 4% do reajuste foi paga nos salários de fevereiro. A segunda, mais 4%, será paga na folha do mês de maio.
Aprovação – Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, na última quarta-feira (15), a MP 230/2017 que concede a recomposição de 8% nas remunerações dos professores e especialistas da rede estadual, inclusive para aposentados e pensionistas, com pagamento em duas parcelas. A Medida Provisória foi aprovada com 21 votos favoráveis e apenas dez votos contra. O acordo com que resultou no reajuste aconteceu após consulta da direção do sindicato aos educadores, em assembleias realizadas em todas as regionais.
Progressão – Além do reajuste salarial, o Sinproesemma conseguiu a aprovação de mais dois itens importantes da campanha salarial de 2017. Foram acertados a concessão automática das progressões, ainda este ano, e o pagamento das titulações a partir do mês de abril.
Segundo o presidente do Sinproesemma, professor Julio Pinheiro, com a aprovação da MP foi concluída uma etapa importante da campanha salarial. “Depois de vozes dissonantes, de pessoas que sempre se posicionaram contra os avanços da categoria, os mesmos que foram contra a greve de 2013, contra a aprovação do Estatuto, demos um passo à frente com essa aprovação na Assembleia.

Mesmo enfrentando o grupo político que faz a disputa pelo Poder no sindicato, conseguimos avançar seguindo a opinião da maioria da nossa base. E vamos continuar avançando. A campanha salarial vai continuar com a luta pela aprovação de outros itens da pauta, como as gratificações e ampliação da jornada. Parabenizo a todos que fazem a luta pela educação pública de qualidade”, avaliou Julio.

Contratações irregulares levam TCE a suspender acordos de municípios com escritórios de advocacia…

Presidente do TCE, Caldas Furtado

A exemplo do que ocorreu na sessão passada, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA), atendendo a representação do Ministério Público de Contas (MPC), concedeu medida cautelar suspendendo pagamentos por parte de prefeituras maranhenses a escritórios de advocacia. Os contratos envolvem um total de 29 prefeituras e têm como objeto a recuperação de créditos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) junto à União.

O MPC questiona a legalidade dos contratos celebrados com os escritórios João Azedo e Brasileiro Sociedade de Advogados e Gomes Santos e Oliveira Advogados Associados por não terem obedecido a processo licitatório, adotando o princípio da inexigibilidade. Além disso, os contratantes deixaram de prestar informações ao TCE por meio do Sistema de Acompanhamento de Contratações Públicas – Sacop, em descumprimento a Instrução Normativa do órgão.

O Ministério Público de Contas entende que, da forma como foram celebrados, os referidos contratos são ilegais e lesivos ao patrimônio público municipal.

Com a decisão do TCE, os prefeitos dos 29 municípios ficam impedidos de realizar quaisquer pagamentos decorrentes dos contratos questionados, devendo suspender os efeitos da inexigibilidade da licitação e dos demais atos dela decorrentes até que o Tribunal decida sobre o mérito da questão.

Os gestores deverão também enviar ao TCE, por meio do sistema Sacop, cópia integral do processo administrativo que resultou na contratação por inexigibilidade. Caso queiram, também poderão apresentar defesa acerca das irregularidades descritas na representação.

A decisão determina ainda que, em caso de anulação dos contratos, a demanda judicial seja imediatamente assumida pelas respectivas Procuradorias Municipais, que, de acordo com o TCE, detém atribuição de representação dos municípios em juízo. Em caso de não anulação, os municípios devem comunicar imediatamente aos escritórios de advocacia a suspensão dos efeitos da contratação, para que estes se abstenham de praticar quaisquer atos relativos à execução da demanda até o julgamento do mérito.

O monitoramento das providências adotadas pelas prefeituras será acompanhada pela Unidade Técnica responsável do Tribunal.

Operação Tartaruga e outros movimentos protestam contra a reforma da Previdência em São Luís

Foto O Imparcial – Manifestações contra a reforma da Previdência ganharam as ruas

Rodoviários de São Luís realizaram, nesta quarta-feira (15), uma operação Tartaruga , contra a proposta de reforma da Previdência, que pode acabar de vez com direitos importantes dos trabalhadores brasileiros. O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão explicou que o protesto foi uma espécie de  contribuição ao movimento, que ocorre nesta quarta-feira (15) em todo o país.

Além da operação Tartaruga, outros protestos foram realizados em São Luís contra  a reforma da Previdência que, trocando em miúdos, acaba, de vez, com a aposentadoria no Brasil e massacra os trabalhadores.

Os ônibus não  pararam, mas rodaram com lentidão. Durante uma hora, houve uma grande ação de panfletagem, principalmente, no centro da capital, informando os rodoviários e usuários do serviço sobre as razões desse ato que teve como objetivo assegurar as conquistas de todas as categorias existentes no Brasil.

Enviada pelo governo Temer ao Congresso Nacional no início de dezembro, a reforma gerou a criação de uma comissão especial. O objetivo é que a votação seja definida, ainda, no primeiro semestre.

Imagina que o idoso já é muito massacrado no Brasil em relação à Saúde. Os planos de saúde se recusam a aceitá-los a partir dos 60 anos. E, para completar, podem morrer sem realizar o sonho da aposentadoria, já que a expectativa de vida vem se consolidando em 70 anos, idade em que o presidente Michel Temer (PMDB) quer que eles se aposentem.

Entre os pontos mais controversos da medida estão mudanças relativas à idade mínima e tempo de contribuição para que o trabalhador possa requerer o benefício e dar entrada na aposentadoria. Torna-se necessário atingir a idade mínima de 65 anos e pelo menos 25 anos de contribuição. Nesse caso, o requerente receberá 76% do valor da aposentadoria – que corresponderão a 51% da média dos salários de contribuição, acrescidos de um ponto percentual desta média para cada ano de contribuição. Para receber a aposentadoria integral (100% do valor), o trabalhador precisará contribuir por 49 anos – a soma dos 25 anos obrigatórios e 24 anos a mais.

O governo aponta que a reforma é necessária por causa do envelhecimento da população e do aumento das despesas da União com o pagamento de aposentadorias, e que as medidas fazem parte do pacote de ações previstas para o ajuste fiscal da economia.

Oitavo Encontro do “Resistência Reggae” acontece no próximo sábado…

Está tudo confirmado para VIII Encontro do Grupo de Colecionadores “Resistência Reggae” que acontece no próximo sábado, 18, no Porto da Gabi.

O Resistência Reggae completa oito anos de fundação e quem ganha a festa é você. Sempre  mantendo a tradição desde a primeira edição que aconteceu na cidade de Raposa-MA, a festa é caracterizada pelo uso de camisas padronizadas com a marca do grupo e já se tornou um dos maiores eventos de Reggae Roots da Ilha, com um público diferenciado, na grande maioria formada de amigos e amigas dos integrantes do grupo.

O valor da camisa é R$ 30,00 e ela pode ser adquirida na Zelluz, no João Paulo, próximo à farmácia Big Bem, e no Bar Bequimão, localizado na Praça da Saudade, no bairro da Madre Deus.

E para garantir o sucesso do ano passado, a festa acontece mais uma vez no porto mais roots da ilha – NOVO PORTO DA GABI, no Aterro do Bacanga. Tudo está sendo pensando para atender com qualidade, segurança e conforto nosso público (cerveja gelada, caldos grátis, petiscos, seguranças, banheiros higienizados, iluminação e decoração personalizada), diz Sidney Nogueira Magal, um dos diretores do Resistência Reggae.

Você que participou das edições anteriores não pode ficar de fora – reserve logo sua camisa. Este é um momento de reencontrar os amigos, fazer novas amizades e, sobretudo ouvir o melhor reggae roots que marcou gerações.

Lembramos que as camisas são limitadas e estão à venda nas lojas ZELLUS João Paulo ao lado da BigBem, no Bar Bequimão na Madre Deus e com os integrantes do grupo (ALEMÃO, DOCINHO, FÁBIO, JARLEN, LUCAS, MAGAL, MARCELO, MARQUINHO, MOURA, OBERDAN, REINALDO E RENATO).

A sonorização fica por conta da Primavera do Som e teremos 6 Equipes de Reggae Vinil para animar a festa: RADILOA REGGAE e RÁDIO ZION (Dj´s Marcos Vinícius e Joaquim Zion), LION VIBES (Dj Lourinho), SOM DO VINIL (Dj´s Ronald Correia), IRIE DISCOS (Dj´s Belo Roots e Evandro), VINIL MEMORY (Dj´s Geovane Memory, Stefan Bezerra e Balboa), NA PONTA DA AGULHA (Dj´s Henrique Chaves) e os Dj´s convidados Junior Black, Daniel Ferraro e Jorge Black, além dos Dj´s RR.

Este é um evento com a marca RR que busca resgatar o verdadeiro reggae raiz nos muitos estilos como Dance Hall, Lovers Rock, Roots, Smooth Reggae, New Reggae Jamaicano, Reggae Gospel, etc.

O quê ? VIII Encontro do Grupo de Colecionadores “Resistência Reggae”

Quando ?  18 de março de 2017, sábado.

Onde ?  Porto da GABI, Aterro do Bacanga, São Luís-MA.

Que hora? A partir das 17 horas.

Atrações ? Equipes Reggae Vinil Radio Zion e Radiola Reggae, Lion Vibes, Som do Vinil, Irie discos, Vinil Memory, Na Ponta da Agulha e os Dj´s convidados Júnior Black e Jorge Black.

Animação: Radiola Primavera do Som.

Como ? Somente com a CAMISA 2017.

Novo aplicativo permite saber tempo de chegada dos ônibus nas paradas de São Luís…

Aplicativo “Meu ônibus” foi lançado nesta quinta-feira

O prefeito de São Luís, Edivaldo Jr (PDT), lançou, na manhã desta quinta-feira (9), o aplicativo de celular ‘Meu Ônibus’. A partir de agora,  o passageiro de transporte público pode acompanhar, na palma das suas mãos, o tempo de chegada dos ônibus nos pontos da cidade.

A nova ferramenta, que é mais um serviço implantado dentro do processo de modernização e melhoria do transporte público da cidade, foi apresentada em solenidade realizada no auditório Reis Perdigão, situado no Palácio La Ravardière.

Segundo o prefeito Edivaldo, tecnologia, inovação e planejamento têm sido as palavras de ordem do trabalho executado pela Prefeitura de São Luís, para promover as melhorias já implementadas no transporte da capital.

O aplicativo ‘Meu Ônibus’ repassa dados em tempo real por meio dos GPS instalados nos cerca de 936 ônibus da capital. A ferramenta, gratuita, pode ser acessada pelo usuário que possuir celular do tipo smartphone, com acesso à Internet e sistema Android. A expectativa é que, nas próximas semanas, o serviço seja disponibilizado também para a plataforma iOS.

O dispositivo permite ainda ao passageiro pesquisar a linha mais apropriada para o seu destino final, pontos mais próximos, horário exato de chegada do ônibus no ponto e itinerário das linhas através de mapas.

“Ponto e Vírgula” especial das mulheres…

No Dia Internacional da Mulher, eu e a também jornalista Mônica Moreira Lima substituímos os apresentadores Marcello Minard e Leandro Miranda no comando do programa Ponto e Vírgula, em São Luís, na rádio Difusora FM, um dos que têm maior audiência na cidade.

Após o programa,  recebemos mimos (presentes) da Difusora FM pelas mãos do apresentador e colega, Danilo Quixaba.

O programa foi feito, como sempre, em conjunto com a Difusora FM de Imperatriz, que tem como âncora o radialista Paulo Negrão. Contamos ainda com a participação da jornalista Juliana Eugênio, direto da “Princesa Tocantina”.

Nós entrevistamos, no programa, a líder da Oposição na Assembleia Legislativa do Maranhão, deputada estadual Andrea Murad (PMDB), que falou sobre a mulher na política, entre outros assuntos quentes dos bastidores da notícia.

Nós agradecemos a homenagem, no Dia Internacional da Mulher, e a oportunidade aos colegas Leandro Miranda e Marcello Minard. A experiência foi muito boa.