“Chute tendencioso do PIB do Maranhão só serve para desinformar e agredir”, diz Flávio Dino

Tudo que está sendo ventilado não passa de uma projeção de uma consultoria chamada Tendências, que pertence a um ex-ministro de Sarney

Ao contrário do que dizem os blogs alinhados ao grupo Sarney, o Produto Interno Bruto (PIB) de 2016 do Maranhão não foi sequer divulgado ainda. Tudo que está sendo ventilado não passa de uma projeção de uma consultoria chamada Tendências, que pertence a Mailson da Nóbrega, ex-ministro do ex-senador José Sarney (PMDB). Ou seja, mais uma armação.

“Chute tendencioso sobre o PIB do Maranhão só serve para desinformar e agredir. Ainda não existe número oficial do PIB de 2016. Essa é a verdade”, disse o governador Flávio Dino em sua conta no Twitter.

O PIB de 2016 somente sai em 2018. Até lá, apenas meros estudos e projeções. Tudo indica que Sarney pediu para seu ex-ministro inventar esse número absurdo de queda.

Em nota, o  Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) informou que a variação real do Produto Interno Bruto maranhense é apenas estimativa, e aponta para decréscimo de no máximo 4,8% em 2016, seguindo tendência nacional de queda. Os dados oficiais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), relativos à variação do PIB dos estados em 2016, serão divulgados somente em novembro de 2018.
Segundo o Imesc, entre os fatores que ajudam a explicar essa estimativa, está a quebra de safra de grãos no Estado em 2016, em função da forte estiagem ocasionada pelo fenômeno El Niño, e responsável isoladamente por 2,8 pontos percentuais da redução do PIB estadual naquele ano.
O governo do Estado garante ainda que a retomada do crescimento do Produto Interno Bruto maranhense deverá alcançar índice de 2,7% em 2017. Todos os estados foram afetados pela crise, nos últimos dois anos, e o Maranhão, certamente, vai crescer neste ano, pois tem uma das economias mais equilibras.

2 pensou em ““Chute tendencioso do PIB do Maranhão só serve para desinformar e agredir”, diz Flávio Dino

  1. Realmente. Na verdade a queda não foi de 6,9%, Deus nos livre. Esse tipo de desinformação é que prejudica.
    Na verdade, segundo o comunicado do governo, houve uma queda sim, mas de 4,8%:
    “Que a uma estimativa do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) “aponta para decréscimo de no máximo 4,8% em 2016”.”
    Caiu, mais não tanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *