Fábio Macedo denuncia supostas doações irregulares em campanha; Andrea Murad nega

Fábio Macedo foi para o contra-ataque e denunciou doações de campanha que seriam irregulares

Fábio Macedo disse que sua família está sendo perseguida e foi para o contra-ataque, denunciando doações de campanha que seriam irregulares

Andrea Murad negou denúncia de doações irregulares

Andrea Murad negou denúncia de doações irregulares

Os deputados estaduais Fábio Macedo (PDT) e Andrea Murad (PMDB) travaram um forte duelo de tribuna, na sessão desta segunda-feira (27), com sérias acusações. Reagindo a uma sequência de ataques, o pedetista  denunciou supostas irregularidades na campanha da deputada Andrea Murad (PMDB) que, segundo ele, teria sido financiada por empresas que, à época, prestavam serviços para a Secretaria Estadual de Saúde (SES), que tinha como titular da pasta, Ricardo Murad, pai da parlamentar.

No rebate, Andrea Murad  negou que tenha recebido doações irregulares na campanha e disse que qualquer um pode acessar sua prestação de contas na Justiça Eleitoral. A parlamentar disse ter se sentido ofendida com as acusações de Macedo, mas, dias atrás, tentou envolvê-lo com prática de agiotagem e, por último, na contratação da BR Construções no Detran-MA (Departamento de Trânsito).

Quando tentou se passar por vítima e negou trazer para a tribuna acusações pessoais a colegas, Andrea Murad ouviu poucas e boas da deputada Ana do Gás (PRB) que lembrou das vezes em que atingiu a honra de colegas que nem se encontravam em plenário, entre eles Fábio Macedo e o próprio presidente Humberto Coutinho (PDT) que se recuperava de uma cirurgia.

Sobre as supostas doações

Numa reação aos ataques pessoas que disse estar sendo vítima, o pedetista citou cinco das dez empresas que teriam doado mais de um milhão de reais para a campanha de Andrea Murad, entre elas estariam a Litucera de propriedade Osvaldo Vieira Correia e Jaime Joaquim Gonçalves, cuja doação foi de 200 mil reais, New Agro Comercial Agrícola de Celio Antonio Weiler e Eloi Eduardo Pritzel com 350 mil, R Furlani Engenharia de Rubens Sergio Furlani, Fernanda Araújo Furlani, João Mateus Furlani com 360 mil, C.C Pavimentadora LDTA de Cristiano Lindner Ribas, João Paulo Kraemer de Araújo, Raul Alves De Andrade com 120 Mil.

“Deputada Andrea, a senhora conhece essas empresas?. Pois elas prestavam serviços na Secretaria Estadual de Saúde, na gestão do seu pai, Ricardo Murad. Tem um fato mais curioso ainda; todas elas fizeram doações generosas para sua campanha. A senhora tem algo a falar sobre isso, sobre dinheiro público usado em sua campanha. Dinheiro este que deveria ser usado para benefício do povo?”, questionou Fábio Macedo.

Fábio ainda relembrou que Andrea não teria conseguido explicar o uso de helicópteros da PMR Taxi Aéreo em sua campanha, que eram contratados em regime de exclusividade pelo governo Roseana Sarney para transporte de pacientes entre os hospitais e UPAs da rede pública estadual.

O deputado finalizou pedindo respeito à sua família que vem sendo duramente atacada. “Considero ataques pessoais a minha família algo baixo e desonesto, uma atitude desesperada daqueles que querem desestabilizar o governo. Minha esposa e filhos nunca se envolveram em questões políticas, portanto não merecem ser envolvidos em qualquer tipo de trama sórdida. Assim como alguns colegas pedem respeito a seus parentes, que inclusive tiveram mandatos políticos ou foram titulares de secretárias importantes, peço respeito à minha família”, disse.

15 pensou em “Fábio Macedo denuncia supostas doações irregulares em campanha; Andrea Murad nega

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *