Othelino Neto faz avaliação positiva das eleições e agradece votação

O presidente da Assembleia fez também uma saudação aos novos deputados eleitos e aos reeleitos

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), fez, nesta terça-feira (9), uma avaliação positiva das eleições e aproveitou para agradecer a votação expressiva que recebeu (60.386 votos), assegurando-lhe a reeleição como o quinto mais votado.

“Quero agradecer ao povo do Maranhão pela minha reeleição. Foi o reconhecimento do trabalho que fizemos nos últimos quatro anos. Além disso, o povo deu uma maiúscula vitória ao nosso campo político, com a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB), no primeiro turno, e com a eleição dos senadores Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS). Foi uma sinalização objetiva e clara de quem está gostando desse novo modelo político que vem sendo implantado no Estado”, assegurou.

“O Maranhão está mudando para melhor e agora os maranhenses avalizaram isso”, enfatizou.

Othelino Neto fez um agradecimento especial aos seus eleitores. “Eu fico muito grato pela minha vitória. A votação foi muito boa e agradeço a cada um dos meus eleitores, dos municípios que tive mais votos aos que tive menos. Fico feliz que o povo do Maranhão tenha reconhecido o meu trabalho, me permitido continuar na Assembleia”, afirmou.

O presidente da Assembleia fez também uma saudação aos novos deputados eleitos e aos reeleitos. “Tenho certeza de que os novos deputados que vão chegar aqui vão somar muito e ajudar muito o Maranhão, como os atuais estão fazendo”, manifestou.

Sobre a bancada feminina na Assembleia Legislativa, Othelino disse que é preciso aumentar mais a representação da mulher na política. “Torço para que isto aconteça nas próximas eleições, tanto na Assembleia quanto na Câmara Federal. Esperamos que as mulheres ocupem mais espaço na vida pública maranhense. A boa notícia é a eleição da senadora Eliziane”, finalizou.

Base de apoio de Flávio Dino elege 32 deputados estaduais

O apoio da maioria absoluta na Alema garante ao governador a aprovação de projetos de leis e assuntos que são do interesse do Executivo

A apuração das urnas eleitorais do último dia 7 mostrou que o governador Flávio Dino (PCdoB) foi o maior vencedor desta eleição. O resultado para a Assembleia Legislativa reafirma o bom desempenho do grupo governista nas eleições 2018.

O governador garantiu sua reeleição para o governo do Estado, terá o apoio de Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) no Senado Federal e no Legislativo estadual, o governador terá o apoio de, no mínimo, 32 deputados estaduais que foram eleitos nos partidos que deram sustentação ao projeto governista na eleição deste ano.

Apenas 10 deputados estaduais de outras coligações foram eleitos.

O apoio da maioria absoluta na Alema garante ao governador a aprovação de projetos de leis e assuntos que são do interesse do Executivo.

Nos próximos 35 dias, candidatos terão a oportunidade de mostrar suas propostas na TV e no rádio

Neste ano, o período de campanha eleitoral gratuita, no rádio e na TV durará apenas 35 dias, terminando em 4 de outubro, última quinta-feira antes da eleição

O período de campanha eleitoral gratuita no rádio e na televisão começou hoje, sexta-feira (31), com os programas dos candidatos aos governos estaduais, ao Senado e ao mandato de deputado estadual. Eles também poderão exibir suas propagandas às segundas e quartas-feiras.

No rádio, a propaganda começa as 7h e terá duração de 25 minutos. O segundo bloco terá início ao meio-dia. Na televisão, também serão dois blocos de campanha eleitoral, diariamente, um às 13h e outro às 20h30.

Terças, quintas e sábados são os dias dos candidatos à presidência da República exibirem seus programas eleitorais no rádio e na televisão. Os 13 presidenciáveis vão dividir dois blocos de 12 minutos e 30 segundos a cada dia de veiculação. Os candidatos ao cargo de deputado federal também terão espaço de propaganda às terças, quintas e sábados, logo após os presidenciáveis.

Neste ano, o período de campanha eleitoral gratuita, no rádio e na TV durará apenas 35 dias, terminando em 4 de outubro, última quinta-feira antes da eleição.

Alckmin quer reduzir número de senadores e deputados

As declarações foram dadas na mesma semana em que Alckmin fechou um acordo com o Centrão

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, afirmou que pretende reduzir o número de ministérios, de senadores e de deputados federais. “Vou diminuir 10 ministérios, reduzir de 81 para 54 (o número de senadores), mais de 120 deputados federais a menos. Não tem sentido ter 513 (deputados)”, disse em entrevista ao programa da jornalista Mariana Godoy, da RedeTV, veiculada na noite da sexta-feira, 20. No programa, o tucano disse ainda que essas reformas devem ser feitas no primeiro semestre do mandato.

As declarações foram dadas na mesma semana em que Alckmin fechou um acordo com o Centrão, bloco de partidos formado por DEM, PP, PR, PRB e SD, que têm 164 deputados e detêm 40% do tempo de TV no horário eleitoral gratuito. O acordo foi criticado pela maior parte dos presidenciáveis. O programa da Rede TV, porém, foi gravado antes do anúncio de apoio do Centrão ao tucano.

Leia mais: Bolsonaro causa nova polêmica ao fazer criança simular uso de arma de fogo

Alckmin afirmou ainda que pretende simplificar o modelo tributário brasileiro e que o futuro governo precisará aproveitar o capital político das urnas para implementar no primeiro semestre do mandato uma grande agenda de reformas, como a política, tributária e da Previdência.

“Quem for eleito vai ter quase 60 milhões de votos. A força é muito grande. Tem que aproveitar os primeiros seis meses para fazer todas reformas”, disse Alckmin, citando entre suas prioridades as reformas política, do Estado.

Leia mais: Centrão se afasta de Ciro e fecha apoio a Alckmin nas eleições

A respeito da reforma tributária, disse que a ideia é, em um segundo momento, até reduzir os impostos. “Vamos simplificar a questão tributária. Cinco impostos – IPI, ICMS, ISS, PIS e Cofins -, nós vamos substituir por um imposto que é o IVA. No mundo inteiro esses cinco impostos são um só, que é o imposto de valor agregado”.

Operação desbarata quadrilha nacional que aplicava golpes em WhatsApp inclusive no Maranhão

Polícia Federal e Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) deflagraram, na manhã desta terça-feira (17), uma operação para desarticular quadrilha que clonava números de telefone para aplicar golpes por meio do aplicativo WhatsApp, de troca instantânea de mensagens.

A editora deste blog flagrou o momento da ação, desdobramento de um pedido de investigação que partiu de ministros do governo Michel Temer, depois de terem telefones celulares clonados.

Em março deste ano, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo) e o ex-ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social), todos do MDB, tiveram os telefones fraudados e pediram investigação policial sobre o caso.Segundo os relatos, mensagens foram enviadas aos contatos deles por meio do aplicativo WhatsApp com pedidos de depósitos bancários.

Na operação desta terça, batizada de Swindle, que significa “fraude” em inglês, policiais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva no Maranhão e em Mato Grosso do Sul. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal em Brasília.

Um dos suspeitos é Leonel Pires Júnior, considerado o líder da quadrilha. Ele foi preso, preventivamente, em um apartamento, de condomínio localizado no Parque Shalon/Olho D’água, em São Luís.

“O que motivou essa prisão foram as investigações do caso de um ministro de Estadol”, explicou o delegado Odilardo Muniz, do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos, da Seic (Superintendência Estadual de Investigação Criminal).

Em março deste ano, o deputado federal Cléber Verde (PRB/MA) também foi vítima deste crime cibernético. No mês de junho, os deputados estaduais Vinícius Louro (PR) e Valéria Macedo (PDT), além de Adriano Sarney (PV), também tiveram suas contas do aplicativo WhatsApp clonadas. O ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira, também foi uma das vítimas.

De acordo com as informações passadas pelo delegado responsável diretamente ao blog, Leonel usava sua empresa para conseguir chips e, posteriormente, trocar os  originais por clonados. Além dele, mais seis pessoas foram presas na manhã desta terça-feira.

Em 2016, Leonel já tinha sido indiciado pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais, desde então a Polícia Civil investigava o paradeiro de Leonel.

De acordo com investigadores, com os números clonados, os agentes criminosos usavam contas de WhatsApp de autoridades públicas e solicitavam transferências bancárias das pessoas da lista de contatos do telefone alvo de fraude. A polícia investiga os crimes de invasão de dispositivo informático, estelionato e associação criminosa.

STF aprova restrição do foro privilegiado para deputados e senadores

Os ministros Marco Aurélio, Gilmar Mendes e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, durante sessão para julgamento sobre a restrição ao foro privilegiado.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu restringir o foro por prorrogativa de função, conhecido como foro privilegiado, para deputados e senadores.

Por 7 votos a 4, os ministros decidiram que os parlamentares só podem responder a um processo na Corte se as infrações penais ocorreram em razão da função e cometidas durante o mandato. Caso contrário, os processos deverão ser remetidos para a primeira instância da Justiça. O placar a favor de qualquer restrição foi unânime, com 11 votos.

No julgamento, prevaleceu o voto do relator, Luís Roberto Barroso, que votou a favor da restrição ao foro e foi acompanhado pelos ministros Marco Aurélio, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Edson Fachin, Luiz Fux e Celso de Mello.

Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes também foram favoráveis à restrição, mas com um marco temporal diferente. Para os ministros, a partir da diplomação, deputados e senadores devem responder ao processo criminal no STF mesmo se a conduta não estiver relacionada com o mandato.

Durante o julgamento, os ministros chegaram a discutir se a decisão poderia ser estendida para demais cargos com foro privilegiado, como ministros do governo federal, ministros de tribunais superiores e deputados estaduais. A questão foi proposta pelo ministro Dias Toffoli, mas não teve adesão da maioria.

Mesmo com a finalização do julgamento, a situação processual dos deputados e senadores investigados na Operação Lava Jato pelo STF e de todos os demais parlamentares que são processados na Corte deve ficar indefinida e as dúvidas serão solucionadas somente com a análise de cada caso. Os ministros terão que decidir individualmente se parlamentares vão responder, na própria Corte ou na primeira instância, às acusações por terem recebido recursos ilegais de empreiteiras para financiar suas campanhas. Ainda não é possível saber quantas processos serão afetados.

Deputados constatam que UPA’S estão funcionando regularmente

Parlamentares fizeram visita in loco a pedido do secretário Carlos Lula

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), fez uma visita, nesta terça-feira (30) pela manhã, às Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) da Cidade Operária e do Vinhais, acompanhado do presidente da Comissão de Saúde da Casa, deputado Dr. Levi Pontes (PCdoB), a convite do secretário de Saúde do Estado, Carlos Lula, que participou dos eventos.

Após percorrem as dependências das duas unidades de saúde e conversarem com pacientes à espera de atendimento, o presidente Othelino Neto disse que o grupo constatou o pleno funcionamento das UPA’s. O parlamentar condenou a exploração sensacionalista feita em torno do assunto, por conta da queda de uma placa na UPA da Cidade Operária.
De acordo com Othelino, as visitas serviram para ver de perto o funcionamento, junto com a imprensa, para que a sociedade saiba o que realmente está acontecendo.

“Viemos olhar de perto o funcionamento das duas UPA’s a convite do secretário Carlos Lula. Na Cidade Operária, por exemplo, constatamos que a reforma está no final com o atendimento transcorrendo normalmente. Conversamos com as pessoas e não observamos, nem de longe, a crise que tentaram divulgar para o Maranhão. Iremos a outras Upas, para traçar o quadro real dos problemas que existem, mas distantes da exploração eleitoreira que fizeram”, avaliou o presidente da Assembleia.

O deputado Levi também condenou a exploração política. “Espalharam que a reforma iria fazer desabar o teto na Cidade Operária, mas está tudo normal. Apenas as chuvas fortes derrubaram uma calha e o pedaço de uma placa externa. O secretário aproveitou para fazer a reforma do telhado”, afirmou o parlamentar.

O secretário Carlos Lula, acompanhado de uma equipe médica das UPA’s e assessores, explicou como funcionou a reforma de uma ala e do telhado e as medidas adotadas para reduzir as filas e melhorar, ainda mais, o atendimento.

O secretário enfatizou que caiu apenas uma parte da placa externa de uma calha por conta das chuvas, sem risco qualquer para o teto, mas, mesmo assim, resolveu fazer a reforma do telhado.

Veja quem são os deputados estaduais eleitos

Renovação na Assembleia Legislativa chega a 30%

Renovação na Assembleia Legislativa chega a 30%

O resultado da eleição para a Assembleia mostrou uma renovação de 30% no Parlamento estadual. Deputados veteranos como Manoel Ribeiro (PTB), Afonso Manoel (PMDB) e Camilo Figueiredo (PR), por exemplo, concorreram e terminaram ficando sem mandato.

Confira quem está eleito:

1. Josimar de Maranhãozinho – PR

2. Glalbert Cutrim – PRB

3. Ana do Gás – PRB

4. Andréa Murad – PMDB

5. Antônio Pereira – DEM

6. Humberto Coutinho – PDT

7. Roberto Costa – PMDB

8. Edilázio – PV

9. Edson Araujo – PSL

10. Nina Melo – PMDB

11. Léo Cunha – PSC

12. Max Barros – PMDB

13. Adriano Sarney – PV

14. Sousa Neto – PTN

15. Eduardo Braide – PMN

16. Carlinhos Florêncio – PHS

17. Stênio Rezende – PRTB

18. Rigo Teles – PV

19. Bira do Pindaré – PSB

20. Zé Inácio – PT

21. Ricardo Rios – PEN

22. Rogério Cafeteira – PSC

23. Neto Evangelista – PSDB

24. César Pires – DEM

25. Alexandre Almeida – PTN

26. Fábio Macedo – PDT

27. Paulo Neto – PSDC

28. Raimundo Cutrim – PCdoB

29. Valéria Macedo – PDT

30. Vinicius Louro – PR

31. Júnior Verde – PRB

32. Edivaldo Holanda – PTC

33. Professor Marco Aurélio – PCdoB

34. Sérgio Frota – PSDB

35. Graça Paz – PSL

36. Othelino Neto – PCdoB

37. Fábio Braga – PTdoB

38. Hemetério Weba – PV

39. Francisca Primo – PT

40. Wellington do Curso – PPS

41. Dr Levi Pontes – SD

42. Cabo Campos – PP

Deputados criticam Lobinho por conta de processos contra blogueiros

Oposição disse que os profissionais da Imprensa têm o direito de noticiar os fatos

Oposição disse que os profissionais da Imprensa têm o direito de noticiar os fatos

Os deputados Bira do Pindaré (PSB), Othelino Neto (PCdoB) e Eliziane Gama (PPS) criticaram, na sessão desta segunda-feira (9), o senador Edison Lobão Filho (PMDB), acusando-o de tentar censurar a imprensa, especialmente na pessoa de jornalistas e blogueiros que fazem críticas ao governo do Estado.

O primeiro a abordar o assunto foi o deputado Bira do Pindaré, que iniciou seu discurso na tribuna dizendo que o senador Lobão Filho está levando às barras da Justiça seis profissionais de imprensa.

Segundo Bira do Pindaré, Edison Lobão Filho, pré-candidato ao governo do Maranhão, processou Gilberto Lima, Cunha Santos, Raimundo Garrone, John Cutrim, Leandro Miranda e Ivison Lima sem alegar calúnia, injúria ou difamação.

Para Bira do Pindaré, o filho do ministro de Minas Energia simplesmente quer cercear a liberdade de imprensa.

Bira entende que Lobão Filho quer que os profissionais de imprensa não comentem e não falem de informações que são de conhecimento público. O parlamentar destacou que o caso da condenação criminal sofrida pelo suplente de senador na Justiça Federal é um fato concreto.

Direito de noticiar

O deputado Othelino Neto disse na tribuna que considera infeliz e despropositada a postura do senador Lobão Filho de processar profissionais da Imprensa. “Cunha Santos, John Cutrim, Leandro Miranda, Garrone, Ivison e Gilberto Lima não caluniaram, não atentaram contra a honra do pré-candidato do grupo Sarney ao governo do Estado, apenas noticiaram fatos concretos. Apenas falaram de episódios, da decisão judicial, apenas exerceram o direito de noticiar”, argumentou.

A deputada Eliziane Gama, por sua vez, assinalou que um dos princípios do jornalismo é a transcrição dos fatos e a imparcialidade diante deles. “Isso é normal, quer dizer, a postura do jornalista é exatamente transcrever os fatos, noticiar, e isso é um direito que, na verdade, nós lutamos a duras penas para conseguir isso”, frisou a parlamentar que também é jornalista.