Há quem torça para que a carnificina do Espírito Santo chegue ao Maranhão…

JM Cunha Santos

Número de policiais aumentou nas ruas no governo Flávio Dino

Os policiais militares se recolheram aos quarteis e a carnificina se espalha incontrolável no estado do Espírito Santo. O que também serve para alertar que forças federais não estão preparadas para lidar com a bandidagem. Estão preparadas para a guerra entre nações armadas e é provável que os tanques nas ruas apavorem mais a população que a criminosos homiziados em guetos inacessíveis do país.

A miséria é má conselheira e esse é mais um grito de agonia do Brasil confinado pela crise econômica e impaciente com a morosidade da Justiça quando se trata de punir réus de galochas brancas como Renan Calheiros, Romero Jucá, Lobão, Sarney, Sérgio Machado e outros que, promovendo uma roubalheira inominável, afundaram o Brasil nesse atoleiro de miséria e corrupção.

Em meio a tanto horror, como se 100 vidas nada fossem, tive que ouvir, sentir, da boca de apátridas desvairados, o desejo maldito de que a situação do Espírito Santo se espalhe pelo Brasil e chegue ao Maranhão. Não vai chegar. Deus não deixa e não existem mais motivos nem razões. Toda a ganância de poder, todo o ódio e canalhice política que puderem respirar, não bastarão para afastar o Maranhão desse caminho que o sustenta firme e forte rumo ao desenvolvimento e à supressão das desigualdades sociais. E isto, registre-se, apesar da crise econômica, desde o histórico 1 de janeiro de 2015, quando o governador Flávio Dino assumiu e pôs fim a um modelo político corrupto que corroía e desalentava o Maranhão.

E essa não é uma história apenas escrita por um governo ou um governador que a lidera. São forças humanas sociais unidas no propósito de soerguer o estado, sua população como um todo, acima dos interesses mercenários que quase apagam o Maranhão do mapa do Brasil. Por isso são eficientes a Força Estadual de Saúde, o Programa Escola Digna, os 5 hospitais regionais recém inaugurados, a segurança pública, o combate à mortalidade infantil e à mortalidade materna, a agricultura familiar, apenas para citar alguns exemplos.

Não há mais espaço para aqueles acostumados a comer e beber nos cofres públicos ou estes que, com seus criminosos interesses contrariados, sonham com a volta dos privilégios de castas e da corrupção. Há um povo nesse estado e ele passará por cima de todo o mal que lhe possa ser desejado para escrever essa história nova; uma história de progresso, confiança, paz e honestidade que está devolvendo a dignidade que um dia também foi roubada ao povo do Maranhão.

E para que não triunfem nunca mais nesse estado as forças do mal, Espírito Santo ora pro nobis.

Polícia desengaveta investigações sobre caso de agiotagem na Câmara de São Luís

Do Marrapa

    Investigações sobre agiotagem na Câmara de São Luís têm desdobramentos

A Polícia Civil do Maranhão desengavetou, à força, as investigações do caso Bradesco.  Os vereadores Isaías Pereirinha (PSL) e Astro de Ogum (PR) são acusados de comandar um esquema de agiotagem envolvendo o Bradesco e a Câmara Municipal de São Luís.

O caso estava engavetado misteriosamente na 7ª Vara Criminal, sob a responsabilidade do juiz Fernando Luiz Mendes Cruz.

Segundo fontes do blog na Polícia, o caso foi retomado na quarta-feira, 8,  e será entregue até hoje à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIS) e ao Grupo de Atuação Especial no Combate a Organizações Criminosas (Gaeco).

Em entrevista, Flávio Dino garante que houve redução de crimes de estupro no Maranhão

O governador falou da política de segurança implementada no Estado e dos resultados alcançados até então

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse, em entrevista nesta sexta-feira (20), que se compararmos 2014, no governo passado, com 2016, no atual governo, observa-se que, só na quantidade de crimes de estupro, o Maranhão teve uma diminuição  de 37%”. Na ocasião, o governador falou da política de segurança implementada no Estado e dos resultados alcançados até então.

“Esses números mostram que é preciso ter firmeza, ter seriedade como nós temos, mas, ao mesmo tempo, enxergar os êxitos que tranquilizam a sociedade no sentido de que a gente vai conseguir caminhar na direção correta e buscando resultados cada vez melhores”, complementou.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, em 2014, foram 414 registros de crimes desse tipo. Dois anos depois, com as ações de reforço da segurança realizadas pelo governo do Maranhão, houve uma redução de 37% desses crimes. Em 2016 foram 261 casos. No comparativo entre 2015 e 2016 a redução foi de 21%.

Entre as ações que asseguraram a redução, além do aumento do efetivo policial, de viaturas, o governo do Maranhão executa outras medidas que têm sido decisivas para a diminuição dos casos, como a punição de agressores e eficiência no cumprimento das leis vigentes.

O resultado desse conjunto de ações é a implantação do Grupo de Trabalho Interinstitucional – GTI do Feminicídio. A organização reúne membros da Segurança, Justiça e de entidades ligadas à proteção da mulher para criar estratégias de prevenção e repressão dos casos.

O GTI pode intervir em investigações, processos e julgamentos de mortes violentas de mulheres com fins a punir adequadamente os responsáveis e garantir reparações às vítimas e familiares. O Maranhão está entre os cinco estados escolhidos para organizar o grupo por apresentar um ambiente favorável.

Em dois anos, Polícia retirou de circulação 14 toneladas de drogas no Maranhão

Apreensão de drogas

Com o trabalho realizado pelas Polícia Civil e Militar, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) apreendeu aproximadamente 14 toneladas de drogas entre os anos de 2015 e 2016, sendo que mais de 90% das apreensões são de maconha. Os dados demonstram o esforço da gestão estadual em combater a criminalidade. Com o combate ao tráfico de drogas no estado, a polícia impediu que mais de R$ 32 milhões fossem gerados ao tráfico com a venda das substâncias ilegais.

Em 2016, foram mais de 11 toneladas de drogas apreendidas, sendo que cinco toneladas correspondem à destruição de 136 mil pés de maconha. Os dados são parciais e quase quatro vezes maiores que o alcançado em 2015, quando foram tiradas de circulação 3 toneladas de entorpecentes. Os dados de 2016 superam expressivamente, também, os de 2014, quando 2,8 toneladas de drogas foram apreendidas ou destruídas.

O aumento nas apreensões é resultado dos investimentos do Governo do Estado em estrutura e equipamentos na área da segurança pública. “Os esforços da gestão para qualificar as ações da Segurança influíram diretamente na resolutividade do trabalho policial e a cada operação os resultados são ainda mais relevantes”, enfatizou o delegado-geral de Polícia Civil, Lawrence Melo.

A maconha é a droga mais apreendida e, em 2016, foi responsável por aproximadamente 90% do total das apreensões – 10,2 toneladas. As demais drogas – cocaína, crack e outros – somaram aproximadamente 850 quilos. Em 2015, do total apreendido a maconha foi responsável por 2,3 toneladas, sendo 177 quilos das demais.

Já em 2014, apesar do baixo volume das apreensões, a maconha também liderou as apreensões, foram apreendidas 2,7 toneladas, contra 158 quilos das demais drogas. “Por ser de fácil cultivo e baixo preço, a maconha é a mais consumida”, explicou o titular da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), delegado Carlos Alessandro.

As melhorias estruturais no sistema de segurança contribuíram também para o aumento das prisões e das armas apreendidas. Em 2014, foram 118 pessoas detidas e 17 armas apreendidas por este crime. Em 2015, os registros aumentaram para 159 prisões e 25 armas ilegais tiradas de circulação. Os dados cresceram em 2016 com 231 presos e 43 armas apreendidas. O total de detidos inclui os mandados de prisão cumpridos.

A implantação da Senarc, em agosto de 2015, qualificou o processo de investigação culminando com o aumento das apreensões. A criação do canal de denúncias via WhatsApp – (98) 9.9163-4899 – que funciona todos os dias, 24 horas, se soma às medidas na área da segurança para potencializar as operações contra as drogas.

Apreensão recorde

Outra ação relevante no combate ao tráfico de drogas e que representa a maior apreensão da história do Maranhão, ocorreu em 11 de janeiro deste ano, quando mais de 2,3 toneladas de maconha foram apreendidas em operação conjunta das Polícias Civil e Militar. O montante é resultado da desarticulação de organização criminosa chefiada por Darlan Guajajara de Sousa, 36 anos. De acordo com a polícia, a droga foi encontrada na Aldeia Felipe Boner, município de Jenipapo dos Vieiras. Outras seis pessoas foram presas, todas da aldeia e apreendidos três veículos e cinco armas de fogo.

A investigação, coordenada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Regional de Barra do Corda, durou quatro meses e teve como foco o combate ao tráfico de drogas, receptação de veículos roubados, organização criminosa e corrupção de menores. Os suspeitos podem responder por tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse ilegal de arma de fogo.

Reforço contra as drogas

A Senarc iniciou há três meses as atividades com o apoio de cães treinados e já alcançou a marca de quase 300 quilos de maconha apreendidos. O setor de cinofilia conta com cães treinados especificamente para farejar e encontrar drogas diversas e também, suspeitos.

O setor de cinofilia da Senarc trabalha com a raça Pastor Alemão Belga cujas qualidades originais os tornam essencialmente aptos para serem ‘cães de polícia’. Essa funcionalidade se dá pelo poder olfativo dos cães. Enquanto o homem possui cerca de 5 milhões de células sensórias, um Pastor Alemão, por exemplo, possui 220 milhões. Para determinadas substâncias, a sensibilidade olfativa dos cães pode ser de 100 mil a 100 milhões de vezes superior à do homem.

Além do combate ao tráfico, as atividades com os cães serão ampliadas com ações sociais no auxílio a tratamento de pessoas com deficiência; e de cunho educativo voltado para estudantes da rede pública de ensino. O projeto está em fase finalística e a proposta é iniciar ainda este semestre com palestras e debates nas escolas.

FOTO DO DIA – Operação “Malha Metropolitana” apreende armas brancas na Praia Grande…

Operação teve início nesta quarta-feira

Armas aprrendidas

A Companhia de Polícia Militar de Turismo Independente (CPTur Ind) deu início à Operação Malha Metropolitana 2017, na manhã desta quarta-feira (11), nas proximidades do Terminal da Integração da Praia Grande. Na ocasião, foram apreendidas várias armas brancas em posse de usuários de coletivos.

A  operação, que possui o objetivo de ampliar as ações de ostensividade e coibir possíveis delitos a ônibus que circulam na área de atuação da CPTur, passará a ser realizada constantemente pelos comandantes do Policiamento da Unidade (CPUs), que são oficiais responsáveis pelo planejamento e fiscalização dos programas de patrulhamento dos batalhões operacionais, os cadetes (alunos do Curso de Formação de Oficiais da PMMA) que estão estagiando na unidade e a Equipe do Grupo Tático de Motos Bravo (GTTur).

Redução de mortes violentas em São Luís foi de 25% em relação a 2014, aponta Dino

 

A coluna “Informe JP” do Jornal Pequeno desta quarta-feira (04) destacou que o Índice de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) sofreu redução de 25% entre 2014 e 2016. Os dados foram explorados pelo próprio governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em seu perfil no Twitter.

Segundo Flávio Dino, o percentual representa 245 vidas salvas. Os CVLIs incluem homicídios dolosos, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte.

Nesses dois anos de governo Flávio Dino, foram incorporados mais de 1.500 novos policiais civis e militares à corporação; adquiridas 423 novas viaturas e 100 novas motocicletas; implantado o sistema de radiocomunicação nas viaturas militares; construído o Centro Tático Aéreo (CTA) de Imperatriz; e feita a concessão de promoções e progressões aos policiais. Em janeiro, serão incorporados mais 1.000 novos policiais.

Polícia do Maranhão frustrou ação de assaltantes em Bacabal…

Polícia do Maranhão evitou o que seria um grande assalto em Bacabal

Diferente do que propagaram afoitos blogueiros “barrigudeiros”, na ânsia de “furar” sabe-se lá quem, a ação da Polícia Militar do Maranhão fez foi evitar o que poderia ter sido um grande assalto à Proseguir, uma empresa espanhola de transporte de valores que se instalou há pouco tempo no município, na noite de terça-feira (03).

As equipes de serviço frustraram o que poderia ser o maior assalto a banco do Estado, uma vez que os bandidos tinham plano de roubar a Prosseguir. Os policiais, que estavam de folga se voluntariaram para dar apoio à equipe que trabalhava,  em desvantagem numérica. Um exemplo de companheirismo que tanto se prega e não vive.

A cidade de Bacabal estava em pânico, mas esses homens e mulheres destemidos protegeram a população. Que sirva de exemplo às outras unidades..

A Polícia Militar do Maranhão confirmou, às primeiras horas da madrugada de hoje (04), que as explosões ocorridas à noite passada na BR-316, em Bacabal, não foram contra uma viatura policial e sim contra duas caminhonetes Hilux da própria quadrilha que iria realizar um grande assalto naquela cidade contra a Prosegur, uma empresa espanhola de transporte de valores que se instalou há pouco tempo no município.

“Provavelmente eles destruíram os próprios veículos para não deixar vestígios”, disse o comandante da PMMA, coronel Pereira, em contato com o Jornal Pequeno.

Com a chegada da Prosegur em Bacabal e ciente de assaltos de grandes proporções praticados recentemente contra a empresa internacional em Marabá e Redenção, no Pará, o comandante da PMMA instalou em Bacabal uma base do COSAR (Comando de Operações e Sobrevivência em Área Rural), que, além de proporcionar mais segurança na região, estaria apta a enfrentar esse tipo de situação.

Abordagem e troca de tiros – Passava das 20h00, quando, nas imediações do Motel Confidence, na BR-316, policiais bacabalenses fizeram uma abordagem a uma caminhonete Hilux suspeita. Os integrantes do veículo reagiram e houve troca de tiros. Em instantes, chegaram mais três Hilux com mais homens fortemente armados, o que obrigou os policiais, em desvantagem e praticamente sitiados, a abandonarem a viatura e a se protegerem no matagal.

Na troca de tiros, a viatura da polícia ficou crivada de balas. Com a chegada de reforço, os policiais que haviam deixado a viatura foram resgatados e os bandidos, antes de fugir em duas das caminhonetes, explodiram as duas outras, utilizando granadas ou dinamite

Segundo o comandante da PM, mais de 30 homens da polícia estavam na área, ontem, à noite, sob o comando do tenente Coronel Jurandir, comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar de Bacabal, tentando capturar o bando, que abandonou a área em duas caminhonetes. Ainda ontem à noite, o coronel Pereira deslocou para Bacabal integrantes do CTA (Centro Tático Aéreo), por terra, e da COI (Companhia de Operações Especiais), para reforçar o policiamento nas buscas aos bandidos.

No último contato com o JP, já à madrugada desta quarta-feira (04), o coronel Pereira informou que a explosão das duas caminhonetes dos bandidos abriu uma verdadeira cratera no local.

PRESENTE DE NATAL! Justiça manda soltar temporariamente 510 presos em São Luís

Presos vão passar o Natal em casa. Será que retornam?

A Justiça do Maranhão mandou soltar, temporariamente, já nesta quarta-feira (21),  a partir das 8h, 510 presos que deixam os estabelecimentos penais, onde cumprem pena, na chamada “saída temporária de Natal”. Problema é o retorno. A maioria não volta mais e a Polícia é que precisa se virar para prendê-los novamente. Coisas do nosso sistema judiciário, difíceis de se entender.

A medida consta da Portaria 040/2016, expedida pela juíza Ana Maria Almeida Vieira, titular da 1ª Vara de Execuções Penais. De acordo com a portaria, o retorno dos beneficiados deve se dar até às 18h da próxima terça-feira (27).

Ainda de acordo com a portaria, os dirigentes de estabelecimentos prisionais têm até às 12h do dia 29 de dezembro para informar ao Juízo sobre o retorno dos internos e/ou eventuais alterações.

Entre as condições exigidas para os beneficiados pela saída, a de não portar armas, não ingerir bebidas alcóolicas, não frequentar bares, festas e/ou similares e recolher-se às suas (deles) residências até às 20h.

Lei de Execuções Penais – O benefício da saída temporária é previsto na Lei 7210/84 – Lei de Execuções Penais (art.66,IV). De acordo com a LEP, “a autorização será concedida por ato motivado do juiz da execução, ouvidos o Ministério Público e a Administração Penitenciária e cumpridos os requisitos de comportamento adequado; cumprimento mínimo de um sexto da pena (se o condenado for primário); e um quarto, (se reincidente); além de compatibilidade do benefício com os objetivos da pena”.

Cintra é desocupado em São Luís; Manifestantes portavam armas brancas e faziam ameaças

Manifestantes portavam armas brancas

Manifestantes portavam armas brancas

A unidade educacional estadual Cintra, no Anil, em São Luís,  foi desocupada na noite/madrugada de terça-feira ( 22) por policiais militares. Um pequeno grupo de 16 pessoas, que não contava com apoio de organização estudantil e da comunidade escolar, segundo nota da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), foi retirado do local após constatado que estavam armados e oferecendo perigo de graves ocorrências.
Segundo a nota da Seduc, as demais pessoas,  que ocuparam a unidade no dia 14 de outubro, decidiram pela desocupação e se retiraram após atendimento de reivindicações apresentadas.
A nota da Seduc explica ainda que a retirada dos ocupantes ocorreu após a constatação de depredação do prédio da escola, de ameaças e de denúncias de que os manifestantes portavam armas, com risco iminente de graves ocorrências. Na noite de terça-feira, a polícia confirmou a existência de armas com o pequeno grupo.
Nota da Seduc
Sobre a ocupação do Centro Integrado Rio Anil (Cintra), a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) esclarece que:
1.      Na noite desta terça-feira (22) foi efetuada a desocupação do Cintra, em cujas dependências se manifestava um pequeno grupo de 16 pessoas, que não contam com apoio de organização estudantil e comunidade escolar. Os demais que ocuparam a unidade no dia 14 de outubro decidiram pela desocupação e se retiraram após atendimento de reivindicações apresentadas;
2.      A retirada dos ocupantes ocorreu após a constatação de depredação do prédio da escola, de ameaças e de denúncias de que os manifestantes portavam armas, com risco iminente de graves ocorrências. Na noite desta terça-feira, a polícia confirmou a existência de armas com o pequeno grupo;
3.      Todas as reivindicações específicas dos manifestantes foram atendidas. Também todas as mediações possíveis foram realizadas pela Seduc, inclusive com participação de instituições públicas independentes e externas, que deixaram as negociações após descumprimento de acordo feito pelos estudantes para a desocupação nesta terça;
4.      Reconhecemos e respeitamos o legítimo direito às manifestações pacíficas e continuamos à disposição para o diálogo, mas ressaltamos que é necessário resguardar o direito de todos, bem como assegurar que não haja violência de nenhum tipo.
São Luís, 22 de novembro de 2016.