Aliança do PSC com Roseana Sarney aposentou todos seus representantes

O partido encerrou as eleições de 2018 não garantindo representação na Assembleia Legislativa, muito menos no Congresso Federal

A derrota da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e do deputado federal Sarney Filho (PV) fez um grande estrago em todo o grupo, inclusive em partidos que ousaram fazer uma aliança na eleição de 2018, como o PSC.

O resultado das urnas mostrou que foi uma péssima escolha a aliança do PSC com o grupo Sarney.

Além da derrota de Ribinha Cunha (PSC), candidato a vice-governador na chapa de Roseana Sarney, outros nomes do PSC saíram derrotados nesta eleição.

O partido encerrou as eleições de 2018 não garantindo representação na Assembleia Legislativa, muito menos no Congresso Federal

Foi o caso do presidente da legenda no Estado, o deputado estadual Léo Cunha, que concorreu à reeleição, mas não obteve êxito.

Além de Léo Cunha, a deputado federal Luana Costa (PSC) também não garantiu sua reeleição para a Câmara dos Deputados.

O partido encerrou as eleições de 2018 não garantindo representação na Assembleia Legislativa, muito menos no Congresso Federal.

Paulo Rabello desiste e será vice na chapa de Álvaro Dias ao Planalto

Foto Fernando Chaves – O anúncio foi feito em entrevista coletiva na sede do PSC após cerca de uma hora de reunião, com a presença dos pré-candidatos e dos presidentes de ambas as siglas, Renata Abreu (Podemos) e Pastor Everaldo (PSC)

Pré-candidato do PSC à Presidência da República, o economista Paulo Rabello de Castro anunciou nesta quarta-feira (1º) que desistiu de concorrer e passará a integrar como candidato a vice-presidente a chapa do senador Alvaro Dias (Podemos).

O anúncio foi feito em entrevista coletiva na sede do PSC após cerca de uma hora de reunião, com a presença dos pré-candidatos e dos presidentes de ambas as siglas, Renata Abreu (Podemos) e Pastor Everaldo (PSC).

No dia 20 de julho, o PSC havia oficializado Rabello como candidato à Presidência.

Dias afirmou que a presença de Rabello, ex-presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), agrega “qualificação técnica indispensável para a promoção das mudanças que o Brasil está exigindo”.

Assim, o senador se torna o terceiro entre os principais candidatos a conseguir oficializar um vice. Com duas semanas para o prazo de registro de candidatura, a maior parte das alianças segue indefinida.

O PSOL e o Novo já possuíam chapa fechada, com o coordenador do MTST Guilherme Boulos e Sônia Guajajara, no primeiro partido, e com o banqueiro João Amoêdo e Christian Lohbauer, no segundo.

O Podemos também anunciou ter fechado aliança com o PRP, partido do general Augusto Heleno, que chegou a ser cotado para vice de Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

Maura Jorge sobe o tom e desce o verbo em entrevista

A pré-candidata mostrou sua desestabilidade ao chorar ao viva na entrevista após uma bateria de críticas aos partidos e o programa teve que ser interrompido

A ex-prefeita de Lago da Pedra e pré-candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), deu entrevista, hoje (30), a uma rádio local e se mostrou revoltada com as últimas tratativas que fizeram com que ela perdesse o apoio do PSC, PMN, PSDC, Avante e Podemos.

Maura Jorge não poupou críticas à deputada federal Luana Costa (PSC) e ao seu marido, o ex-prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves. Na entrevista, ela afirmou que para Luana não importava um projeto de estado, mas sim a reeleição para a Câmara dos Deputados e deu a entender que a ida do PSC para a coligação da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) foi “uma troca de benéfices”.

O presidente do Podemos, Aluísio Mendes, também não foi poupado por Maura Jorge. A candidata do PSL afirmou que o Podemos era hipócrita por não pensar na construção de uma terceira via. Maura também afirmou que hoje o Podemos é grande graças ao trabalho que ela desempenhou nesses dois anos com o deputado Aluísio e que não faz sentindo o partido apoiar o nome de Roberto Rocha só por pensar na reeleição de seu presidente.

A crise dentro do PSL foi evidenciada por Maura na entrevista. Em suas palavras, a perda do apoio do Podemos e do PMN do deputado estadual Eduardo Braide se deu “pelo pensamento ainda de velha política” do atual presidente estadual da sigla, o vereador Chico Carvalho.

Maura ainda afirmou que Chico Carvalho foi o principal causador do rompimento com o PSC de Luana Costa e Léo Cunha. O vereador chegou a discutir e quase foi às vias de fato com Ribamar Alves. Sobre Chico Carvalho, Maura ainda falou que o presidente da legenda ainda não entendeu o projeto nacional do PSL e que isso iria prejudicar gravemente sua candidatura.

A pré-candidata mostrou sua desestabilidade ao chorar ao viva na entrevista após uma bateria de críticas aos partidos e o programa teve que ser interrompido.

Sem a força de antes, Roseana oficializa candidatura para a corrida ao Governo do Maranhão

Sem apoios políticos de peso, Roseana teve dificuldades para lotar o Espaço Renascença, local da convenção

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) teve seu nome homologado para a disputa ao Governo do Estado, na manhã de domingo (29), no Espaço Renascença, em São Luís.

Sem a mesma força de antes, Roseana chega às eleições com o apoio de apenas seis partidos: MDB, PSD, PV, PSC, PRP, e PMB.

A convenção oficializou o nome do empresário Ribinha Cunha (PSC) como candidato a vice na chapa de Roseana. Além de Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV) para o Senado Federal.

Sem apoios políticos de peso, Roseana teve dificuldades para lotar o Espaço Renascença, local da convenção.

Nos discursos, todos os oradores tiveram um tom agressivo com críticas ácidas ao atual governador Flávio Dino. Muitos dos discursos evidenciaram o tom desta campanha que se avizinha.

Oito partidos políticos seguem indefinidos nas eleições no Maranhão

Apesar de serem considerados pequenos, os partidos em questão, juntos, ainda detêm quase um minuto do horário gratuito eleitoral

Faltando poucos dias para o fim das convenções partidárias, oito partidos seguem indefinidos sobre com quem estarão na corrida estadual.

Apesar de serem considerados pequenos, os partidos em questão, juntos, ainda detêm quase um minuto do horário gratuito eleitoral, por isso a disputa dos grupos políticos pela confirmação do apoio.

O PSC, presidido pelo deputado estadual Léo Cunha, segue conversando com o grupo liderado pelo senador Roberto Rocha (PSDB) e com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). Mas uma possível aliança com o governador Flávio Dino (PCdoB) não é descartada.

Presidido pelo deputado estadual Eduardo Braide, o PMN é tido como certo na coligação de Maura Jorge (PSL), mas pela aproximação com o pré-candidato ao Senado, o deputado federal José Reinaldo, uma aliança com Roberto Rocha pode ser concretizada até o final das convenções.

O Avante, legenda comandada pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, ainda não fechou questão sobre quem irá apoiar nas eleições de 2018.

A Rede Sustentabilidade no Maranhão, também é outro partido que ainda não definiu seu caminho nas eleições estaduais. Uma aliança com o deputado estadual Eduardo Braide foi ventilada, mas com a não confirmação de seu nome na disputa, o caminho mais viável é o apoio ao governador Flávio Dino.

Os partidos PHS, PRTB, Democracia Cristã (antigo PSDC) e o Podemos, ainda seguem indefinidos se apoiarão a candidatura de Maura Jorge ou Roseana Sarney.

PSC pode indicar vice de Roberto Rocha

A articulação envolveria o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), e o candidato derrotado nas eleições de 2016 em Imperatriz, Ribinha Cunha, irmão de Léo Cunha

O Partido Social Cristão (PSC), presidido no Maranhão pelo deputado estadual Léo Cunha, pode indicar o vice na chapa do pré-candidato ao Governo do Estado Roberto Rocha (PSDB).

A articulação envolveria o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), e o candidato derrotado nas eleições de 2016 em Imperatriz, Ribinha Cunha, irmão de Léo Cunha.

Leia mais: Vídeo de Geraldo Alckmin promete terminar briga interna no PSDB

As articulações, que também envolvem a deputada federal Luana Alves, avançaram após a indefinição da pré-candidatura do deputado estadual Eduardo Braide ao Governo do Estado.

Com o PSC, Roberto Rocha pode somar 19 segundos ao tempo de TV, adicionados um minuto e 13 segundos do PSDB. Roberto Rocha pode chegar às eleições com 1 minuto e 32 segundos.

 

Leia mais: TRE classifica como propaganda antecipada “Gabinete Móvel” de Roberto Rocha e manda retirar veículo de circulação

PCdoB assina Termo de Compromisso Ético com o TSE para evitar fake news, MDB de Roseana não assina

Conforme o documento, os partidos políticos que subscreveram o documento se comprometem a manter o ambiente de higidez informacional e reprovar qualquer prática referente à utilização de conteúdo falso

Dez dos 35 partidos políticos em atividade no País assinaram na noite desta terça-feira (5) com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um acordo de colaboração para “a manutenção de um ambiente eleitoral imune de disseminação de notícias falsas”, as fake news. Assinaram o acordo representantes do Democratas, PC do B, PSDB, PDT, PRB, PSC, PSD, PSL, PSOL e Rede.

“Nós entendemos que, além de todas as providencias até então adotadas, nós deveríamos também ter como colaboradores não só a imprensa, mas também os partidos políticos. Que se juntem a nós para que mantenhamos a nossa democracia imune de qualquer dúvida. Os termos são simbólicos, são termos que encerram compromissos éticos”, disse o presidente do TSE, ministro Luiz Fux.

Conforme o documento, os partidos políticos que subscreveram o documento se comprometem a manter o ambiente de “higidez informacional, de sorte a reprovar qualquer prática ou expediente referente à utilização de conteúdo falso no próximo pleito, atuando como agentes colaboradores contra a disseminação de fake news nas eleições 2018”.

“Flávio Dino tem coragem e defende o que acredita”, diz Cafeteira em relação ao pedido de impeachment de Dilma

Rogério Cafeteira: " Se ele fosse oportunista, lavaria as mãos"

Rogério Cafeteira: ” Se ele fosse oportunista, lavaria as mãos”

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSC), disse, na sessão desta terça-feira (29), ao rebater críticas da oposição, que, em relação à opinião do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre a celeuma do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), é desrespeitoso não levar em consideração a trajetória percorrida por ele no Maranhão, como juiz de carreira e que já ocupou cargos importantes antes de ser eleito.

Rogério Cafeteira disse que é preciso respeitar a opinião política de um governador que é jurista e um conhecedor das leis. Afirmou também que Flávio Dino tem coragem de dizer o que pensa em meio a essa celeuma política,  onde tantos estão se afastando do PT e da presidente Dilma por conveniências. O governador vem se manifestando contra o impeachment.

Para o líder do governo, Flávio é autêntico e não esconde as suas posições,  apesar de não ter tido o devido apoio político do PT no Maranhão quando foi candidato.
Uma abordagem e análise coerente.

Homem de posição

Flávio Dino é um homem de posição.  Ele vai até o fim. Isso serve também para que o ex-presidente Lula e Dilma reflitam, realmente, sobre o que é companheirismo político. Hoje ele é um dos poucos governadores que ainda vai para o “tudo ou nada” em defesa da Dilma. Isso deveria ser mais valorizado, afinal é uma atitude  corajosa e perigosa neste momento. Cadê Sarney e sua filha Roseana que tanto usufruíram do PT? Onde é que eles defendem?

“O governador poderia ser criticado se não tivesse coragem para defender suas convicções. Se ele fosse oportunista, lavaria as mãos. Colocaria-se numa posição neutra e deixaria o barco correr. Mas ele tem coragem e defende o que acredita”, destacou.

BR-135 e prefeituras

Rogério disse também que os problemas pelos quais passam a BR-135 são muito antigos e que, se dependesse de prestígio político, já estaria duplicada até a capital piauiense, pois a relação política entre o governo federal e os governos anteriores garantiria o repasse dos recursos necessários para garantir as obras

Após ouvir o discurso do deputado Edilázio Junior (PV), o parlamentar fez ponderações sobre a acusação de protecionismo do governador aos prefeitos aliados e lembrou que é insensato falar isso, pois o que se tem visto são várias ações espalhadas por todas as regiões do Estado, e citou como exemplo o Programa Mais Asfalto que tem beneficiado mais de 100 municípios maranhenses.

Cafeteira falou ainda que ao tratar dos números do turismo e do desemprego no Estado, a oposição esquece que o cenário de retração atinge todo o país, visto que a crise é nacional e o repasse de verbas federais que alimentam esses e outros setores da economia estão reduzidos em função do atual momento.

PSC formaliza apoio ao governo Flávio Dino

Presidente nacional do PSC, pastor Everaldo, foi recebido por Flávio Dino

Presidente nacional do PSC, pastor Everaldo, foi recebido por Flávio Dino

O governador Flávio Dino recebeu, na tarde desta quarta-feira (8), no Palácio dos Leões, a visita do presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo. Acompanhado dos deputados estaduais que integram a bancada da legenda, ele veio oficializar a participação na base de apoio do governo do Maranhão.

Flávio Dino destacou a importância da aliança com o partido, lembrando que o líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Rogério Cafeteira, é do PSC. O governador agradeceu a presença do presidente nacional do partido e ressaltou que o Maranhão ganha muito com mais um aliado para ajudar no desenvolvimento social do estado e na superação dos indicadores encontrados.

Durante o encontro, o pastor Everaldo colocou a sigla à disposição do Maranhão. “Viemos para consolidar a aliança que já havia através da Assembleia Legislativa, com o apoio dos deputados da bancada estadual. Agora estamos aqui para institucionalizar a nossa aliança, para caminharmos juntos para o bem do estado”, apontou o líder do PSC.

Também participaram da reunião os deputados estaduais do PSC no Maranhão, Rogério Cafeteira e Léo Cunha, e o presidente estadual da sigla, o ex-deputado federal Costa Ferreira, que discutiram as contribuições que o partido pode apresentar para o desenvolvimento social do Maranhão.

Costa Ferreira destacou que a vinda de Everaldo revela que todo o partido está alinhado em torno do apoio à gestão do governador. “A visita é fundamental porque o partido, com a orientação do presidente nacional, passa a fazer parte da base de apoio do governo Flávio Dino e estamos aqui para cooperar e trabalhar em prol do bem estar do povo”, declarou.