COBRANÇA DO ITBI: Bira do Pindaré faz duras críticas a Gil Cutrim

Imposto deixou de ser cobrado por todas as prefeituras do país, exceto por Ribamar
Gil Cutrim não dispensa a fatia do ITBI
O deputado Bira do Pindaré (PT) cobrou, da tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira (07), providências urgentes do prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, quanto à cobrança absurda do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) para as pessoas beneficiadas pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal. Os “sorteados” são obrigados a pagar uma taxa (facada) no valor de R$ 1.230, que dói no bolso.
Para se ter uma ideia da intransigência de Gil Cutrim, o imposto deixou de ser cobrado por todas as prefeituras municipais do Maranhão, excedo pela cidade de São José de Ribamar. 
Como se sabe, o ITBI também não é exigido mais por nenhuma prefeitura do país para contemplados do “Minha Casa, Minha Vida”.  Mas em Ribamar, a taxa é absurdamente é cobrada…
São mais de 10 mil unidades habitacionais nos conjuntos: Nova Terra, Pitangueiras e São José. E todos esses “sorteados” estão tendo de desembolsar todo esse dinheiro
Pindaré lamentou a falta de sensibilidade e de vontade política do prefeito em revogar a lei. “Eu não consigo entender o que passa na cabeça de um gestor municipal que cria um embaraço dessa envergadura para impedir o exercício de um direito tão importante quanto o direito à moradia”, criticou.
A cobrança da taxa está revoltando a população do município. Os sorteados já realizaram diversas manifestações e entraram com uma representação junto ao Ministério Público. Também estão ingressando com uma Ação Judicial para assegurar os seus direitos.
Com a palavra, agora, o intransigente Gil Cutrim!

BABAÇÃO: Deputados "rasgam seda" para Sarney na Assembleia

Vice-líder do Governo avisa que Sarney ainda não vai “pendurar as chuteiras”

Magno Bacelar: protagonista da sessão “rasga seda”
O fim do período de José Sarney à frente da Presidência do Senado provocou uma enfadonha sessão de “rasga seda”, na manhã desta quinta-feira (07), na Assembleia Legislativa. Os deputados Roberto Costa (PMDB), Magno Bacelar (PV) e Edilázio Júnior (PV) foram os protagonistas da cena para ressaltar os 56 anos de vida pública de um dos maiores ícones da política maranhense.

Sem poupar adjetivos e elogios, o trio parecia estar harmônico e sincronizado, quando a oposição, leia-se o deputado Marcelo Tavares (PSB), tentou frear a “rasgação de seda”. 
“Sarney foi tudo isso, mas não resolveu o problema de saneamento do Maranhão; não resolveu o problema da educação no Maranhão, que é a pior educação do Brasil; não resolveu o problema da renda do maranhense, que é a pior renda per capta; não resolveu o problema da infraestrutura do Maranhão, que até hoje tem que fazer empréstimo para fazer estrada”, alfinetou Tavares.

O pessebista tentou questionar os feitos dos 56 anos de vida pública de  Sarney, mas foi metralhado, logo de primeira, por Magno Bacelar, vice-líder do governo, que deu a resposta criticando a administração do ex-governador José Reinaldo, tio de Marcelo.


E fechando a “sessão rasga seda”, Bacelar tratou de vir com a melhor do dia. Avisou que, apesar de estar deixando a Presidência do Senado, “Sarney ainda não irá pendurar as chuteiras”. Então sinal de que vem coisa por aí!


Presa quadrilha especializada em saidinhas bancárias

Saidinhas bancárias são perigosas
Quatro suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em saidinhas bancárias,na Região Metropolitana de São Luís, foram presos pelo Serviço de Inteligência da Polícia Militar  do Maranhão.

Igor Maicon Martins, conhecido como “Lourinho”, 32 anos; João Miguel Mello, 44; Américo José de Passo Junior, 48; e Charlysson Faleles, o “Cara de Bruxo”, 26, foram presos após investigações apontarem o grupo como sendo o responsável por vários assaltos em São Luís.

As prisões ocorreram em dois locais distintos. “Lourinho” foi detido na Rua Santa Eulália, no Bairro São Cristóvão. Já Charlysson foi localizado no Porto de Mocajituba, em Paço do Lumiar. Durante as ações foram presos, ainda, Américo José e João Miguel.

Com os suspeitos foram apreendidos três motocicletas, sendo uma Honda CB 300, de cor branca, placas NXQ – 3867; uma Honda Titan de cor amarela, NPX – 6377; e uma Honda XRE 300 de cor preta de placa NXI – 7449 e um corsa Classic, de cor preta, com placas NHG – 6067, além de uma arma de fogo.

Durante as investigações, o Serviço de Inteligência descobriu que no dia 22 de janeiro, os integrantes teriam subtraído uma quantia de R$ 52 mil reais do proprietário do Clube Nova Geração, localizado na Rua Alto, no Bom Jesus. Ainda segundo os levantamentos da Polícia, no dia 5, o bando realizou um assalto e levaram cinco mil reais. A Polícia investiga a participação de outros envolvidos no assalto

Com informações da Secretaria de Segurança

AUMENTO ABUSIVO DOS COMBUSTÍVEIS: Movimento denunciará cartel ao Ministério Público

Uma nova manifestação está marcada para

acontecer no dia 24 de fevereiro em São Luís

Advogado Diego Moraes
O advogado e coordenador do Movimento “Na Mesma Moeda”, Diego Moraes, disse, nesta quinta-feira (07), em contato com o Blog da Sílvia Tereza, que formalizará denúncia junto ao Ministério Público do Maranhão contra o que chamou de cartel no aumento absurdo dos preços dos combustíveis nos postos de São Luís.
E para quem pensava que o movimento havia acabado, o  advogado afirma que tudo só está começando. Ele disse ainda que já tem outro manifesto marcado para o dia 24 de fevereiro.
Ele garante que não  se trata de um manifesto isolado, mas interestadual. “Essa causa precisa continuar sendo abraçada. Precisamos estar juntos, não só por esta causa, mas por muitas outras dentro e fora de São Luís”, disse o advogado.

No dia 31 de janeiro último, motoristas de São Luís aderiram ao Movimento “Na Mesma Moeda” para protestar contra o aumento no preço dos combustíveis. Eles escolheram um posto para abastecer o carro somente com R$ 0,50. Todos pediram nota fiscal. 

O protesto foi organizado por consumidores que estão insatisfeitos com o reajuste no preço do litro da gasolina, que em janeiro subiu de R$ 2,45 para R$ 2,86, em média. No posto, filas de carros para abastecer em forma de protesto.