EXONERAÇÃO DE ALLAN KARDEC – Holanda Jr começa a mudar relação com aliados políticos

Prefeito teria batido na mesa e dito que “quem manda na Prefeitura” é ele

Prefeito exonerou secretário indicado pelo PCdoB
A exoneração do agora ex-secretário municipal de Educação, Allan Kardec, abre precedentes para profundas mudanças na administração municipal e reviravolta nas relações da gestão com os partidos aliados que compõem a atual estrutura. Segundo fonte com bom trânsito no Palácio La Ravardière, o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, “bateu na mesa” e disse que ele é “quem manda na Prefeitura de São Luís”, em um claro recado a quem tentar “meter o bedelho” em suas decisões.

Não é novidade para ninguém que o ex-secretário de Educação foi indicado pelo PCdoB, partido da base aliada ao governo municipal e que compôs com Edivaldo Holanda Jr nas eleições passadas. Fato é que Allan Kardec conduzia a pasta em meio a muitas críticas e denúncias, o que levou o prefeito a exonerá-lo do cargo.

E, segundo a fonte, há mais demissões a caminho. Uma auditoria interna será o “termômetro” para decidir sobre determinadas permanências ou não em secretarias comandadas ou não por aliados políticos.

Quem conhece o prefeito de perto sabe que ele é do tipo calmo, tranquilo, que não costuma dar murro em cima de mesa ou tomar medidas radicais sem pensar, até quando isso lhe for suportável. No entanto, para dar um outro ritmo à administração municipal, ele começa a tomar decisões mais independentes, pensando, com certeza, no futuro político.

Faltando menos de um ano para a eleição, Luís Fernando entrega até ambulância…


Grupo Sarney tenta empurrar Luís Fernando “goela abaixo”

Uma cena que já virou constante é ver o secretário de Infraestrutura do Estado, Luís Fernando Silva, o pré-candidato ao governo do Maranhão pelo grupo Sarney, “representando” a governadora Roseana Sarney, principalmente, no interior do Estado em eventos que nada têm a ver com a sua pasta. Como se diz no ditado popular, o clã tenta empurrá-lo “goela abaixo” mesmo. 

No final de semana, jornais do Maranhão exibiram fotos de Luís Fernando entregando um microônibus escolar e uma ambulância no município de Lago do Junco, quando, na verdade, isso caberia ao vice-governador Washington Oliveira, ao secretário de Saúde, Ricardo Murad, ao secretário de Educação, Pedro Fernandes, ou ao chefe da Casa Civil, João Abreu. Mas a estratégia é nitidamente forçar a barra para mostrar o “escolhido” todo o tempo na mídia, há menos de um ano para as eleições de 2014.

Por onde anda pelo Maranhão, Roseana carrega consigo Luís Fernando como uma carga sobre os ombros.  E quando “decide” não ir às inaugurações, ela o designa para sair bem na foto. As investidas do grupo Sarney levaram a oposição, na Assembleia Legislativa, a aditar  na semana passada uma ação que move no Ministério Público para coibir abusos, visando às eleições do ano que vem.

Além da ambulância e do microônibus, Luís Fernando participou também da entrega de 50 contratos de concessão de uso para moradores do Povoado Abelha.



Dr. Pêta garante que Washington já decidiu ir para o TCE; Arnaldo Melo assumiria governo
Washington teria aceitado vaga no TCE

Arnaldo Mello assumiria governo
Enquanto o grupo Sarney tenta empurrar o secretário de Infraestrutura e pré-candidato do clã ao governo, Luís Fernando, “goela abaixo” no eleitorado maranhense,  o “núcleo duro” do governo Roseana parece que já começou a encaixar as peças do “quebra-cabeça” da sucessão estadual.

Segundo a coluna do Dr. Pêta de domingo (27), uma das mais lidas e de maior credibilidade no Maranhão, o vice-governador Washington Oliveira já “decidiu” ficar com a vaga aberta pelo ex-conselheiro Yedo Lobão no Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que a governadora Roseana Sarney possa sair do governo, acreditam eles, despreocupada para a disputa pelo Senado e com a condução do processo eleitoral garantida e favorável ao clã.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), assumiria o governo e comandaria uma eleição direta, onde um dos candidatos seria o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando Silva.

Segundo os planos do grupo Sarney, o deputado e vice-presidente Max Barros (PMDB) assumiria a presidência da Assembleia Legislativa  com a tarefa de garantir a eleição direta de Luís Fernando a governador do Estado. 

Depois disso, seria só empurrar o secretário de Infraestruutura “goela abaixo” também no eleitorado maranhense para completar o mirabolante plano do grupo Sarney. Assim, espera o clã…