Dino anuncia promoção para mais 1.442 policiais…

O governador Flávio Dino em evento da Polícia Militar

O governador Flávio Dino em evento da Polícia Militar

O governo Flavio Dino garantiu a promoção de mais 1.442 policiais. O anúncio é referente à Medida Provisória (MP) n° 223, publicada no Diário Oficial, no último dia 11, que, além de reconhecer o empenho e valorizar praças da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), também prevê a promoção de policiais a categorias de subtenente e cabo

Só no ano passado, 2.300 policiais e bombeiros militares foram promovidos pelo Governo do Maranhão. De acordo com a MP n° 223, foram disponibilizadas 333 novas vagas, que somadas às que já existiam para praças, totalizam 1.442 promoções apenas este mês. O coronel Luongo afirma que a medida é um reconhecimento e incentivo para todos os profissionais da corporação.

A relação preliminar dos Policiais Militares promovidos, a contar de 17 de junho de 2016, pode ser conferida no link:http://www.pm.ma.gov.br/downoads/cpppm/RELA%C3%87%C%83O%20DOS%20PMS%20PROMOVIDOS%20EM%20JUNHO%20-%202016.pdf

PSB e PT disputam vice de Holandinha, mas pessebistas devem faturar posto…

Pré-candidatura de Bira do Pindaré estaria com as horas contadas

Pré-candidatura de Bira do Pindaré estaria com as horas contadas

Roberto Rocha Jr caminha para ser vice de Edivaldo Júnior

Roberto Rocha Jr caminha para ser vice de Edivaldo Júnior

A pré-candidatura do deputado estadual Bira do Pindaré está com as horas contadas, se o PSB confirmar mesmo, oficialmente, o “casamento” com o prefeito Edivaldo Holanda Jr (PDT). As últimas reuniões entre a cúpula pessebista e a articulação de Holandinha caminham, fortemente, para uma aliança, onde o partido, que tem muita influência do senador Roberto Rocha, pode emplacar o candidato a vice-prefeito na chapa liderada pelos pedetistas. E o nome seria o do vereador Roberto Rocha Júnior (PSB).

Enquanto o PSB está com o pé, praticamente, na vice-prefeitura, o PT caminha acreditando que deve emplacar o companheiro de chapa de Holandinha. No partido,  o nome mais cotado é o do ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – MA (OAB), Mário Macieira.

No entanto, já está certo e sacramentado que o PT formará aliança com o PDT em São Luís, conforme decisão em reunião realizada no último final de semana. Nos bastidores, há quem diga que vale muito mais para o PT a garantia de fortes secretarias do que um posto de vice-prefeito. Só que não para Roberto Rocha Júnior que tem planos maiores, porém isso é assunto para outros posts.

Dentro da pauta da eleição, é esperada para qualquer momento o anúncio da renúncia da candidatura de Bira do Pindaré. Se não for à tribuna na sessão desta quinta-feira (14) retirar a pré-candidatura, em nome do consenso no grupo, ele deverá fazer isso mais tarde em coletiva.

Hoje, o quadro é esse. Mas em política, tudo pode acontecer. Como diria o ex-prefeito João Castelo, “em política, só ainda não se viu foi boi voar”. Mas o resto…

Humberto Coutinho impedido de assumir governo faz Flávio Dino mudar de planos

Flávio Dino muda de planos e vai aguardar o retorno do vice, Carlos Brandão

Flávio Dino muda de planos e vai aguardar o retorno do vice, CarlosBrandão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), deve adiar a pequena licença de três ou quatro dias, que tiraria na próxima semana para fazer uma viagem ao exterior. É que o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), tem um irmão pré-candidato a prefeito de Matões, o vice-prefeito Ferdinando Coutinho (PSB), que ficaria, constitucionalmente, inviabilizado caso o chefe do poder legislativo assumisse o comando do Estado.

O vice-governador Carlos Brandão está em uma missão na China e não poderá assumir, abrindo o posto para os sucessores. Na primeira linha está Humberto Coutinho, que não pode prejudicar o irmão. A outra opção seria o presidente do Tribunal de Justiça, Cleones Cunha, que também tem parente pré-candidato nessas eleições.

Segundo a lei eleitoral, parente em até segundo grau de chefe do Poder Executivo, que já não esteja exercendo mandato, não pode se candidatar a qualquer cargo eletivo e vale o mesmo se o governador ou prefeito se desincompatibilizar do cargo seis meses antes das eleições.

Na manhã desta quarta-feira (13), Humberto Coutinho disse à Imprensa que o governador mudou de planos e irá esperar o vice, Carlos Brandão, voltar do exterior para então tirar uma pequena licença.