Othelino reforça apoio a Marinaldo do Gesso em Grajaú

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), participou, nesta sexta-feira (11), da Convenção Municipal do PDT, PCdoB e Solidariedade, que homologou a candidatura do empresário Marinaldo do Gesso (PDT) a prefeito de Grajaú nas eleições deste ano. O ato político contou com a presença do senador Weverton Rocha (PDT), de pré-candidatos a vereadores, lideranças políticas, além da participação expressiva da população grajauense.

Othelino destacou que a escolha do nome do empresário foi fruto de uma decisão tomada após muito diálogo e maturidade política, levando em consideração que, no atual momento, Marinaldo do Gesso reúne melhores condições de representar o grupo de oposição nas eleições municipais.

O chefe do Legislativo Estadual disse, também, que Marinaldo do Gesso conta com o apoio necessário para garantir o desenvolvimento da cidade e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida da população.

Marinaldo do Gesso agradeceu o apoio recebido e pontuou que o seu objetivo é apresentar ao povo de Grajaú um verdadeiro plano de governo, e não um projeto de poder.

“Jamais viria me comprometer com vocês se não tivesse o apoio da classe política em nível estadual e federal para conseguir os recursos necessários para Grajaú. Só precisamos de uma oportunidade para mudar essa cidade. Com o apoio do presidente da Assembleia, deputado Othelino, do senador Weverton Rocha e do governador Flávio Dino traremos o desenvolvimento para Grajaú”, disse Marinaldo.

O senador Weverton Rocha, presidente do Diretório Estadual do PDT, reforçou a importância da união das legendas e de todo o grupo político de oposição para oferecer à população grajauense um nome que, segundo ele, será a melhor escolha para o município.

A presidente do Diretório Municipal do PCdoB em Grajaú, Simone Limeira, afirmou que, a partir de agora, a cidade vira a sua página para uma política que vai desenvolver verdadeiramente o município.

Novo Ensino Médio será implementado no próximo ano

O Ministério da Educação (MEC) prevê a implantação do novo Ensino Médio a partir do próximo ano. O novo currículo foi aprovado em 2017 e será implementado de forma progressiva aos alunos do primeiro ano. Na sequência, em 2022, para os estudantes do segundo ano e, por fim, em 2023 para os estudantes do terceiro ano do ensino médio.

O novo formato prevê que os estudantes passem a ter mais aulas de Português e Matemática e se aprofundem em um dos cinco itinerários formativos propostos na lei: Matemática, Linguagens, Ciências da natureza, Ciências humanas e ensino técnico, ao invés de um currículo “enciclopédico”.

Além disso, a carga horária oferecida nas escolas deverá aumentar de 800 para mil horas-aula anual até 2022, somando três mil horas de aulas nos três anos do ensino médio. Do total, 1.200 horas devem ser destinadas à oferta dos chamados “itinerários formativos”.

Em nota, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), órgão que coordena a Frente Nacional do Novo Ensino Médio, afirma que os novos currículos estão alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Após decisão coletiva, aulas presenciais da rede pública continuarão suspensas no Maranhão

Em entrevista ao programa Ponto Final, da Mirante AM, o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, confirmou que não haverá mais volta as aulas presenciais na rede pública estadual. A expectativa é de que as aulas no sistema híbrido sejam implementadas em 2021.

Sobre a decisão, Felipe Camarão afirmou que o governador Flávio Dino determinou a realização de uma consulta à comunidade escolar, envolvendo professores, alunos e pais de aluno. Como resultado, a maioria optou pela manutenção das aulas remotas.

Dentro da nossa autonomia da rede estadual, mesmo podendo voltar presencialmente, o governador Flávio Dino determinou que a gente fizesse uma escuta democrática. Nós fizemos duas. Na primeira, o “não voltar” ganhou amplamente, foi disparado. E nessa nós já tivemos um resultado mais equilibrado de 55% a 45%. E se a gente for pelas faixas, os estudantes querem voltar, quase 60% querem voltar. As mães já um pouco mais receosas, mais ou menos 55% a 60% não querem voltar. E os professores 80% não querem voltar que ai resulta nesse percentual que eu falei de 55% a 45%”, disse o secretário.

Com o resultado da pesquisa, o secretário de Educação confirmou que por orientação do governador, será respeitada a vontade da maioria.

Financiamento a candidatos negros para eleições 2020 será antecipado por liminar

Lewandowski, ministro do STF.

O ministro do STF, Ricardo Lewandowski, concedeu liminar para revisar a decisão colegiada do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e antecipar para as eleições de 2020 a destinação proporcional de recursos dos Fundos Partidário e Eleitoral às campanhas de candidatos negros. Como se sabe, o TSE referendou a obrigação aos partidos políticos, mas considerou que a nova regra terá validade somente para as eleições de 2022.

Lewandowski, por sua vez, avaliou uma ação do PSOL com questionamentos ao posicionamento do TSE. O partido argumentou ser “plenamente possível admitir que os incentivos às candidaturas de pessoas negras, nos termos delimitados pelo Tribunal Superior Eleitoral, sejam aplicados desde já, visando à alteração do cenário de subrepresentatividade o quanto antes.”

O ministro argumentou que “a obrigação dos partidos políticos de tratar igualmente os candidatos decorre da incontornável obrigação que têm de resguardar o regime democrático e os direitos fundamentais e do inarredável dever de dar concreção aos objetivos fundamentais da República, dentre os quais se destaca o de “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade”