Morre Marina Melo, filha do deputado estadual Arnaldo Melo

Marina Melo sofreu uma parada cardíaca e chegou a ser levada a um hospital da capital, mas não resistiu.

A filha do deputado estadual Arnaldo Melo (MDB) morreu, nesta quinta-feira (16), em São Luís. A informação foi confirmada pelo próprio deputado, que publicou um comunicado nas redes sociais.

Ela sofreu uma parada cardíaca e chegou a ser levada a um hospital da capital, mas não resistiu.

“É com profundo pesar que informamos o falecimento de Marina Melo, filha do deputado Arnaldo Melo e Dra. Valderês. O velório está ocorrendo na Pax União (Centro) e o enterro será às 11h, no Cemitério do Vinhais. Agradecemos a todas as manifestações de apoio e solidariedade que estamos recebendo nesse momento de tanta dor, pela partida de nossa amada e doce Marina”, publicou o perfil oficial do deputado.

Assembleia Legislativa lamenta falecimento de Zé Gentil e decreta luto de três dias

Em razão desta grande perda, o Parlamento maranhense decreta luto oficial de três dias.

A Assembleia Legislativa do Maranhão manifesta profundo pesar pelo falecimento do deputado estadual José Gentil (PRB), aos 80 anos, nesta segunda-feira (15). Em razão desta grande perda, o Parlamento maranhense decreta luto oficial de três dias.

Zé Gentil, como era conhecido, estava no seu terceiro mandato como deputado estadual, exercendo a função nas legislaturas 1987 a 1991 (deputado constituinte), 1995 a 1999 e, na atual, de 2019 a 2023. 

Pai de quatro filhos, entre eles o prefeito de Caxias, Fábio Gentil, o falecimento de Zé Gentil deixa uma imensa lacuna na política do Estado e enluta os cidadãos e cidadãs caxienses e de todo o Maranhão.

Neste momento de dor, a Assembleia Legislativa transmite irrestrita solidariedade aos familiares, amigos, admiradores, e à população de Caxias em geral, que perde um grande líder político e apaixonado por essa cidade tão querida. Deus o receba em paz!

Deputado Othelino Neto
Presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão

Deputado Zé Gentil morre aos 80 anos vítima da COVID-19

Faleceu na madrugada desta segunda-feira (15) o deputado estadual Zé Gentil (Republicanos), vítima da COVID-19.

“Meus irmãos, venho dizer a vocês que hoje perdi a minha referência, o meu grande pai, Zé Gentil. Ele foi e sempre será o meu exemplo do que significa ser um homem honrado, respeitado, trabalhador e, acima de tudo, incansável em lutar pelo bem da sociedade. Peço com muita humildade a todos que façam suas preces pela minha família neste momento, pois somente Deus é capaz de compreender e aliviar a inexplicável dor de perder um pai, aquele que foi o grande e verdadeiro apoio que tive em toda a minha vida”, escreveu Fábio Gentil, prefeito de Caxias e filho do parlamentar.

Zé Gentil estava internado em um hospital de Teresina desde o dia 7 de junho e teve seguidas pioras em seu quadro de saúde. No boletim de domingo (14), o hospital tinha informado que o parlamentar apresentou instabilidade hemodinâmica e parada cardiorrespiratória.

O parlamentar aos 80 anos, era respeitado por toda a classe política, onde já foi vereador de Caxias e deputado estadual por quatro mandatos.

A Assembleia Legislativa do Maranhão emitiu nota de pesar e decretou luto oficial por três dias.

Morre jornalista Gilberto Dimenstein, fundador do Catraca Livre

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, passou a maior parte da carreira no jornal Folha de S.Paulo. Também foi comentarista da rádio CBN e em 2009 fundou o portal Catraca Livre

Morreu na manhã de hoje (29) o jornalista e escritor Gilberto Dimenstein aos 63 anos. O portal Catraca Livre, do qual era fundador, informou que Dimenstein faleceu enquanto dormia de complicações decorrentes de câncer do pâncreas que tratava há nove meses. Ele era casado com Anna Penido e deixou dois filhos e um neto.

Nascido em São Paulo, em 28 de agosto de 1956, Dimenstein era filho de um pernambucano de origem polonesa e de uma paraense de ascendência marroquina. Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, passou a maior parte da carreira no jornal Folha de S.Paulo, onde trabalhou por 28 anos. Também foi comentarista da rádio CBN e em 2009 fundou o portal Catraca Livre com a proposta de divulgar eventos culturais gratuitos na cidade de São Paulo.

Ao longo da carreira, ganhou dois prêmios Esso de jornalismo e um Jabuti, em 1993, pelo livro Cidadão de Papel, contemplado como melhor da categoria não ficção. Recebeu ainda o Prêmio Nacional de Direitos Humanos e o Prêmio Criança e Paz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Nas últimas entrevistas, Dimenstein revelou como a luta contra o câncer tinha mudado algumas de suas percepções sobre a vida. “O câncer me fez viver uma história de amor que eu pensava que jamais poderia viver”, disse em entrevista ao portal UOL, em março, sobre nível de cumplicidade que a relação com a esposa tinha chegado nos últimos meses. A partir dessas reflexões, pretendia lançar o livro Os Melhores Dias da Minha Vida.

Apesar do drama pessoal, o jornalista vinha demonstrando pelas redes sociais grande preocupação com os efeitos da pandemia do novo coronavírus no país. Em abril, informou que havia aberto mão dos próprios rendimentos para manter os salários do Catraca Livre. “Abri mão de 100% dos meus rendimentos para evitar demissão de funcionários. Não é heroísmo. Consigo viver muito bem com minha aposentadoria. Duro é viver sem é da companhia de profissionais dedicados e competentes, socialmente comprometidos”, declarou pelo Twitter.

Ex-deputado Celso Coutinho falece em São Luís aos 89 anos

Celso Coutinho foi deputado por quatro vezes e presidiu a Alema em 1984

Faleceu, na manhã deste sábado (2), o ex-deputado estadual Celso Coutinho aos 89 anos. O ex-parlamentar sofreu um infarto no sábado passado e foi levado para o Hospital UDI, quando piorou por problemas renais, evoluindo para uma infecção generalizada.

Ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Celso Coutinho foi homenageado em 2019 com a Medalha do Mérito Legislativo Manuel Beckman, honraria proposta pelo atual presidente, Othelino Neto.

Tabelião do cartório do 2° Ofício de Notas de São Luís, Celso Coutinho nasceu na cidade de Guimarães em 8 de dezembro 1930, onde foi prefeito por duas ocasiões.

Celso Coutinho foi deputado por quatro vezes e presidiu a Alema em 1984, momento de transição da ditadura para a democracia, que culminou com a eleição do presidente Tancredo Neves. (Com informações do O Informante).

Morre Alda Cotrim, ex-secretária da Assembleia Legislativa

Alda tinha 69 anos e foi servidora da Alema por muitos anos, exercendo o cargo de secretária de vários ex-presidentes

Morreu neste sábado (18), diagnosticada com a Covid-19, novo coronavírus, a querida Alda Cotrim, ex-funcionária da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Alda tinha 69 anos e foi servidora da Alema por muitos anos, exercendo o cargo de secretária de vários ex-presidentes como Manoel Ribeiro, João Evangelista e Arnaldo Melo. Assessorou vários deputados também.

Alda começou a sentir sintomas fortes de febre, tosse e cansaço na última segunda-feira (13). Foi levada para uma UPA, onde foi diagnosticada com a Covid-19 e veio a óbito. O corpo partiu direto para o Cemitério do Gavião, onde foi enterrada.

Prestativa e querida por todos, Alda deixa muitas saudades. Neste momento de dor e sofrimento, rogo a Deus conforto e força para toda a família.

Ex-ministro de Bolsonaro, Gustavo Bebianno morre no Rio de Janeiro

Gustavo Bebianno morreu aos 56 anos em seu sítio, em Teresópolis

O ex-ministro de Jair Bolsonaro e pré-candidato a prefeito do Rio, Gustavo Bebianno, morreu na manhã deste sábado (14) em Teresópolis, Região Serrana do Rio, após um infarto.

Bebianno, de 56 anos, estava em seu sítio, com seu filho. Ele passou mal e sofreu uma queda. Morreu logo após ser levado a um hospital. A morte foi confirmada pelo amigo e presidente estadual do PSDB, Paulo Marinho.

No último dia (5), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a pré-candidatura de Gustavo Bebianno à Prefeitura do Rio de Janeiro. Segundo o partido, o lançamento oficial da candidatura seria em 4 de abril, na capital fluminense.

Além de líder do PSL, Bebianno ocupou a Secretaria-Geral da Presidência durante um mês e 18 dias. Ele foi o pivô da primeira crise política do governo Bolsonaro, gerada pela suspeita de que o PSL fez uso de candidatura “laranja” nas eleições de 2018 para desviar verbas públicas. Ele sempre negou irregularidades.

O ex-ministro afirmou na época que foi demitido do cargo pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho de Jair Bolsonaro. Ele disse ter “amor” e “afeto” pelo presidente e declarou não ter dúvida de que o governo Bolsonaro “será um sucesso”.

Bebianno era o presidente nacional do PSL durante a corrida presidencial. Foi uma das figuras mais próximas ao presidente durante a campanha e atuou como um dos conselheiros do então candidato na disputa.

Bebianno ganhou a confiança de Bolsonaro a ponto de dirigir o partido durante a eleição e de acompanhar de perto a recuperação do então candidato após o episódio da facada. Bebianno também foi um dos primeiros ministros anunciados pela gestão Bolsonaro.

Dramaturgo Zen Salles morre em São Luís

Ele residia em São Paulo há 16 anos, mas estava em São Luís para fazer tratamento de saúde

O dramaturgo e roteirista maranhense Ezeniel Sales e Silva, mais conhecido como Zen Salles, morreu de infarto, na noite de segunda-feira (24), em São Luís. Ele residia em São Paulo há 16 anos, mas estava em São Luís para fazer tratamento de saúde.

Zen Salles era graduado em Jornalismo na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Pós-graduado em Jornalismo Cultural na PUC/SP. Passou no seletivo do Núcleo de Dramaturgia do Sesi/Britsh Council e estudou dramaturgia com os maiores nomes do teatro, cinema e televisão do mundo.

No último dia (17), Zen Salles fez uma publicação no Facebook informando que estava com fibromialgia. “Queridos. Estou hospitalizado, tenho Fibromialgia, as dores são lancinantes, mas já estão sendo tratadas com rigor… Positives vibes serão bem-vindas! No mais, Chupa Lady Gaga”, brincou.

No dia seguinte, ele informou que o problema era artrite. “Queridos que me mandaram boas vibrações. Não é fibromialgia, é artrite, doença bem mais fácil de tratar. Daqui a pouco tudo fica bem. Obrigado!”, escreveu.

O velório está acontecendo na Igreja Batista Luz e Vida, no Planalto Anil II (Pingão), em São Luís. (Com informações do Blog do Gilberto Lima).

Globo, SBT, Record e celebridades prestam homenagem a Gugu Liberato

A morte do apresentador Gugu Liberato foi confirmada na noite de sexta-feira (22), após um acidente domiciliar na quarta (20).

A trágica notícia da morte de Gugu Liberato comoveu amigos e celebridades, que prestaram sua homenagem ao apresentador e relembraram momentos marcantes ao lado dele.

“Com o nosso carinhos aos amigos e à família de Gugu, um talento que vai deixar saudades nos apaixonados pela televisão”, escreveu o perfil da Rede Globo no Instagram.

Em comunicado oficial à imprensa, a Record TV, onde Gugu atuava, relembrou a trajetória dele na emissora e ressaltou: “A Record TV teve a honra de contar com o talento de Gugu Liberato na sua programação ao longo de dez anos. Na tela da emissora, ele levou ao público diversão, humor, grandes entrevistas e muita emoção. Profissional versátil, transitou em diversos gêneros com uma desenvoltura ímpar, realmente única na televisão brasileira.”

“A família SBT se solidariza com a família do nosso querido Gugu Liberato e deseja que Deus conforte seus corações”, escreveu os perfis do SBT na internet.

A RedeTV, portais de notícias e vários famosos também fizeram publicações lamentando a morte do apresentador.