Artigo: Pesquisas demonstram a bem-sucedida administração de Flávio Dino no Maranhão

Ambas as pesquisas mostram que o povo maranhense está propenso a continuar com um governo popular e que prioriza políticas públicas.

Qualquer pessoa que passe a andar por diferentes regiões do Maranhão vai notar que muitas coisas positivas aconteceram nos últimos três anos e meio. Caso uma pessoa queria andar por uma das novas rodovias estaduais verá a qualidade do asfalto que foi colocado nos mais de 1 mil quilômetros em que o programa Mais Asfalto executou, ou mesmo nos mais de 1.500 quilômetros de ruas asfaltadas em quase 200 cidades.

Nos últimos anos, foram sete grandes Hospitais Regionais nas cidades de Pinheiro, Caxias, Santa Inês, Imperatriz, Bacabal, Balsas e Chapadinha, além do Hospital de Traumatologia e Ortopedia, em São Luís.

Essas grandes obras são refletidas na recente pesquisa Exata/Jornal Pequeno, divulgada nesta sexta-feira (24), que aponta a liderança do governador Flávio Dino (PCdoB) com 61% dos votos válidos contra 31% da candidata Roseana Sarney (MDB).

Ao citar a ex-governadora Roseana Sarney, representante do grupo que dominou o Maranhão por longos 50 anos, as pessoas verão que as ações do Governo do Estado deixaram de beneficiar algumas poucas famílias para beneficiar milhões de maranhenses. Podemos citar os programas: Mais IDH, Força Estadual de Saúde e Mais Renda.

Na área da educação, Flávio Dino criou um dos maiores programas educacionais do país ao iniciar a troca de 300 escolas de bairro e taipa, por Escolas Dignas. Entre escolas construídas, reformadas e reconstruídas, foram mais de 800 escolas. A educação dos estudantes maranhenses foi contemplada com 50 inéditas Escolas de Tempo Integra. Podemos citar os Institutos de Educação, Ciência e Tecnologia, Cidadão do Mundo e o Bolsa Escola.

Certamente, todas essas ações sociais e educacionais tenham reflexos na pesquisa Ibope divulgada na noite desta quinta-feira (23), e que, a pesar de encomendada pela Sistema Mirante, mostra a liderança do governador Flávio Dino com 43%, podendo ser eleito no primeiro turno, quando é considerado apenas os votos válidos.

Seja na segurança com as mais de 1 mil novas viaturas ou com os 4 mil novos policiais. Ambas as pesquisas mostram a bem-sucedida administração do governo Flávio Dino. Mostram também que o povo maranhense está propenso a continuar com um governo popular e que prioriza políticas públicas.

Em sete dias, 10 pesquisas apontam vitória de Edivaldo com média superior a nove pontos

Raimundo Garrone

Todas as pesquisas indicaram vitória de Edivaldo Holanda Jr

Todas as pesquisas indicaram vitória de Edivaldo Holanda Jr

Há pelo menos uma semana, todas as pesquisas realizadas em São Luís apontam a vitória do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Algumas com diferença superior a dez pontos, outras menos. O fato é que a reeleição do pedetista é quase uma certeza segundo os institutos eleitorais.

No domingo passado (23), a Escutec, notadamente ligado a “Máfia de Anajatuba”, começou a mostrar o crescimento de Edivaldo ao admitir um empate técnico entre os dois candidatos, 45% a 45%.

Dois dias depois (25), o Jornal Pequeno mostrava os números do levantamento da Econométrica, com Edivaldo vencendo por uma diferença de 13 pontos percentuais. O resultado da pesquisa estimulada marcou 52% a 39,4%.

Na quarta-feira (26) foi à vez da pesquisa Exata contratada pela TV Guará, a porta-voz e produtora da candidatura de Braide. Os números davam ao prefeito 8% de vantagem. No cenário induzido, Edivaldo marcou 49% e Braide 41%.

Quinta-feira, dia 27, a Rádio São Luís publicou a primeira pesquisa Data Ilha em São Luís. O pedetista marcou 47,6% contra 41% do candidato do PMN, diferença de 6,6%. O jornal “O Imparcial” e seu próprio instituto (Impar) decretavam a vitória de Edivaldo por 52,6% contra 37,4%. Até o inesperado Ibope da TV Mirante se rendeu aos fatos, no mesmo dia divulgou Holandinha com quatro pontos acima de Braide (52% contra 48%).

Ontem foram três pesquisas. A Econométrica do Jornal Pequeno registrou a maior diferença desde o início do segundo turno, 17 pontos e o placar 58,9% a 41,1%. A Data M, da TV Difusora, mostrou o pedetista dez pontos à frente, 52% a 42%. A Exata, da TV Guará, marcou 51% Edivaldo e 32% para Eduardo, vantagem de 13%.

Hoje (29), a Escutec também confirmou a disparada do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. O resultado apontou 49% das intenções de voto contra 42% de Eduardo Braide.

Fazendo um cálculo para descobrir a vantagem do prefeito sobre o adversário, a média da diferença é de 9,36% em dez pesquisas nesta semana. Diferença confortável e difícil de ser alcança faltando menos de 24 horas para o início da votação.

Deputado denuncia erros históricos do Ibope e diz que dono do instituto é “vendedor de resultados”

 

 Foto-legenda - De acordo com Othelino, o Ibope não erra por incompetência, mas sim porque faz pesquisa segundo os interesses de quem o contrata

De acordo com Othelino, o Ibope não erra por incompetência, mas sim porque faz pesquisa segundo os interesses de quem o contrata

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) registrou, na sessão desta segunda-feira (17), o histórico de erros do Ibope no Maranhão. Segundo ele, há algumas eleições, a empresa, de forma despudorada e descarada, tenta enganar o eleitorado maranhense e, agora, em 2016, no segundo turno, age para iludir o eleitor de São Luís. Para o parlamentar, o dono do instituto, Carlos Montenegro, não passa de um “vendedor de resultados”.

De acordo com Othelino, o Ibope não erra por incompetência, mas sim porque faz pesquisa segundo os interesses de quem o contrata. “O senhor Montenegro não é dono de instituto, ele é um vendedor de resultados de pesquisa, de acordo com o preço de quem paga melhor e mais. Ocorre que aqui em São Luís, aqui no Maranhão, uma pesquisa do Ibope e nada é a mesma coisa. Não serve para nada, todo mundo sabe que depende de quem contratar e de quem chegar e pagar primeiro”, denunciou.

O deputado disse que o Ibope tem fama histórica de manipular resultados de pesquisas no Maranhão. “O pior é ver um instituto de renome nacional, em toda eleição, repetir o feito, da mesma forma acintosa, tentando manipular números e a vontade da população. Quem aqui esqueceu que o Ibope, em 2014, faltando poucos dias para o pleito, deu que o então candidato a governador, Flávio Dino, tinha 42% de intenções de voto contra 30% do também então candidato Lobão Filho?! Resultado da eleição: 63% para o governador Flávio Dino, 33% dos votos para o adversário”, comentou.

Para o Senado, em 2014, segundo Othelino, na véspera da eleição, o Ibope deu 51% de intenções de voto para o então candidato, ex-ministro Gastão Vieira, e 40% para o hoje senador Roberto Rocha (PSB). “Vejam como mente, descaradamente, o instituto Ibope. Errou para governador, para senador,  de novo no primeiro turno de São Luís, este ano, e agora aparece com uma pesquisa, completamente, fora da realidade para tentar induzir o eleitor de São Luís ao erro”, denunciou o deputado.

Pesquisa das ruas

Othelino disse que a campanha de Edivaldo Holanda Jr à Prefeitura de São Luís está percebendo nas ruas que o resultado é muito diferente do que determinados institutos, em particular o Ibope, tentam passar. “A população de São Luís não haverá de trocar, com todo o respeito ao candidato adversário, o certo pelo duvidoso. Não haverá de interromper este trabalho que vem sendo feito com muita competência pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior. É o que nós percebemos nas ruas. Se o povo de São Luís desejar, é o que vai acontecer na grande e inquestionável pesquisa, que é a do próximo dia 30 de outubro”, afirmou.

O deputado disse que foi à tribuna ratificar a denúncia de que o Ibope tenta, de novo, enganar a população e induzir ao erro. Ele garantiu que vai denunciar a tentativa de manobra feita pelo Ibope, quantas vezes forem necessárias, porque o instituto é useiro e vezeiro em vender pesquisas eleitorais em todo o país.

“Muitos de nós aqui conhecemos alguém que já negociou resultado de pesquisas do Ibope. Então, aqui não cola e o que vale é a vontade do povo inteligente e não os tostões a mais que pagam para o senhor Montenegro dar o resultado e os números que convêm aos seus interessados”, frisou e concluiu.

Pesquisas que passaram longe do resultado do primeiro turno em São Luís merecem alguma credibilidade?

pesquisas1310

joaquim-haickel

Mal acabaram de errar drasticamente o resultado do primeiro turno das eleições em São Luís e os mesmos institutos – achando, naturalmente, que o eleitor da capital maranhense já esqueceu a derrapada de cada um – já se apresentam com pesquisas e mais pesquisas que têm ou vão ter números totalmente discrepantes.

A Escutec, do empresário Fernando Júnior, que mantém ligações com o candidato Eduardo  Braide (PMN), saiu na frente, claro, que colocando o deputado como líder, acima do prefeito Edivaldo Holanda Jr (PDT) que disputa a reeleição. Mas o eleitor não esqueceu que esse instituto foi um dos que mais errou, perdendo apenas para o Ibope que foi o que não passou nem perto do resultado.

Vejo, estarrecida, os números da Escutec “causando” entre determinados comunicadores como se o instituto tivesse, pelo menos, passado perto do resultado do primeiro turno. Ficou muito longe da realidade, garantindo (dando como certo e definido) o candidato do PP, Wellington do Curso, no segundo turno.

O Ibope, que não acertou absolutamente nada do resultado das eleições em São Luís, no primeiro turno, já teve coragem de registrar pesquisa para o segundo turno também e deve está divulgando os números por esses dias. Inclusive, o assunto dominou várias conversas, nesta quinta-feira (13), no Twitter, e o ex-deputado Joaquim Haickel colocou em suspeição os institutos, entre eles o Ibope.

A Econométrica foi outro instituto que, praticamente, empatou com o Ibope em erros e já tem pesquisa registrada para este segundo turno. Daqui e dali, os formadores de opinião já estimam e dão como certos até os resultados a serem divulgados pelos institutos.

Data M e Exata

A Data M também deve está divulgando números do segundo turno em São Luís nos próximos dias. Agora, esse instituto errou em não ter enxergado o segundo turno, porém foi o que mais se aproximou do resultado das eleições, já que foi o único a evidenciar a tendência de crescimento de Eduardo Braide, ultrapassando a deputada e candidata do PPS, Eliziane Gama, e a própria derrocada da pepessista que, já vinha caindo muito, e terminou em quarto lugar, assim como apontado pela empresa.

Na verdade, a única empresa, que estava realizando pesquisas em São Luís, e que não errou o resultado da eleição foi a Exata, pelo simples fato de não ter divulgado o resultado da última sondagem realizada no primeiro turno. Até hoje, não se o porquê.

A Prever foi outra, que também erou feio o resultado do primeiro turno, e que não passou nem perto do que se consumou nas urnas, mas o instituto já tem sondagem encaminhada para este segundo turno.

Agora, a pergunta que não quer calar: Pesquisas que passaram bem longe do resultado das eleições merecem credibilidade para você?

Acho que o eleitor de São Luís tem um perfil diferente. Ele não se influencia por pesquisas, principalmente, em segundo turno. Ele vai e vota, segundo suas convicções, aposta  e aguarda o resultado. A cada ano, esse eleitorado se mostra mais exigente e indiferente a esses números de institutos.

E tome pesquisas e “contratantes” em São Luís…

A - PESQUISA ELEITORAL 2

A cada hora uma pesquisa diferente nos salta aos olhos em São Luís e nos aguça a análise quanto aos seus verdadeiros objetivos e contratantes. O debate da hora é justamente a discrepância dos números e resultados que vêm sendo apresentados a cada instituto,  a cada amostragem, a cada “contratante”.

Se os números não vêm batendo entre os institutos Econométrica, Prever e Data M, só para citar alguns, já têm, pelo menos, duas pesquisas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que estão em curso  e cujos os resultados serão conhecidos nos próximos dias ou nas próximas horas. São elas: Escutec, solicitada pelo jornal O Estado do Maranhão, e uma tal que foi contratada por um instituto desconhecido que se chama Coronato.

Sobre o Coronato, o que circula é que se trata de um aglomerado  publicitário goiano que não se sabe porque resolveu investir no mercado ludovicense. Mas esperamos que o rigor metodológico seja maior que o gramatical.

A julgar pela pergunta 14 do instituto, dá para perceber que o forte do Coronato não é mesmo a matemática. Ele quer saber: “e se fossem só esses três candidatos, o eleitor votaria…”No  entanto, oferece cinco alternativas.

Cenários de segundo turno

pesquisas

Mas o mais curioso são os cenários de segundo turno. Apenas dois  são considerados a cada simulação: o do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) com a deputada federal Eliziane Gama (PPS)  e o do pedetista com o vereador Fábio Câmara (PMDB). Pelo menos nesse caso, dá para perceber quem é o verdadeiro “contratante” da pesquisa.

Para entender melhor o que vem acontecendo em São Luís, o blog foi buscar a análise do marqueteiro e jornalista Daniel Mendes, que mora em Brasília. Segundo ele, os institutos de pesquisa levam anos fazendo a calibragem do seu plano amostral e não é simples chegar até um modelo ajustado às características de cada cidade.

“São Luís tem mais de 500 bairros, e a exata ponderação de cada zona demanda tempo e esforço. Esse é o preço metodológico de se fazer pesquisas por cotas. Mas não há outro jeito economicamente viável”, analisou Daniel Mendes.

Sobre Wellington do Curso

Sobre os números do pré-candidato Wellington do Curso (PP) que, no DataM, aparecem menores, Daniel disse que o instituto tem alguns anos que vem calibrando seu plano, com amostras grandes e ouvindo muitos bairros periféricos e, segundo ele,  não dá pra desconsiderar isso.

De acordo com Daniel, há de se entender que a margem de erro é metodológica, não é em relação à realidade. “Então o que temos aqui é uma aposta alta do DataM em relação aos outros institutos. Ele está dizendo que os outros não captaram a extensão das intenções do eleitorado e produziram resultados com viés mais favoráveis ao candidato Wellington. Não por má fé, mas por discrepância de métodos”, disse.
Quem está certo? Daniel diz que ainda  não dá para saber por enquanto. O tempo dirá.
Caberá aos demais institutos renovar suas apostas, se os números teimarem em se manterem divergentes.

PESQUISA EXATA: Eliziane e Edivaldo empatados; Wellington do Curso surpreende em terceiro

pesquisa aponta cenário atual da disputa pela Prefeitura de São Luís

pesquisa aponta cenário atual da disputa pela Prefeitura de São Luís

A TV Guará, em parceria com a Federal das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), contratou o instituto Exata para aferir o atual cenário das eleições municipais na disputa pela Prefeitura de São Luís, a menos de 58 dias para o início da campanha eleitoral.

Na pesquisa estimulada, onde os entrevistados recebem uma lista para que escolham uma alternativa, o atual prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), e a deputada federal Eliziane Gama (PPS) estão tecnicamente empatados com 23% dos votos. Em terceiro lugar, surge uma surpresa: o deputado estadual Wellington do Curso (PP), com 18%. Votos brancos, nulos ou nenhum dos candidatos mencionados foram a opção de 11% dos entrevistados. 6% ainda não sabe em quem votariam, caso as eleições fossem hoje.

Na simulação com apenas quatro candidatos ao cargo de prefeito (Eliziane Gama, Edivaldo Holanda Junior, Wellington do Curso e Bira do Pindaré), os candidatos Eliziane Gama e Edivaldo Holanda Junior aparecem, novamente, empatados, tecnicamente, com 25% das intenções de voto para cada; Wellington do Curso aparece em terceiro, com 21%; e Bira do Pindaré, em quarto, com 9% das intenções.

Na Espontânea

No cenário espontâneo, 13% dos eleitores afirmaram que, se as eleições fossem hoje, votariam em Edivaldo Holanda Júnior, atual prefeito e pré-candidato à reeleição; em segundo lugar aparece  Eliziane Gama (PPS), com 8% das intenções de voto, seguida por Wellington do Curso (PP), terceiro colocado, com 4% dos votos. Neste item, 57% indicaram que ainda não sabe em quem votar e, ainda, 12% afirmaram que não votariam em nenhum dos pré-candidatos.

A pesquisa foi realizada no período de 13 a 16 de junho, em São Luís, com as principais tendências políticas para prefeito e vereador nas eleições 2016.

Foram entrevistadas 800 pessoas, dos sexos masculino e feminino, com idade a partir de 16 anos, residentes dos bairros da zona urbana e rural. A margem de erro da pesquisa é de 4,0 pontos percentuais para mais ou para menos e tem um intervalo de 95% de confiabilidade. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo MA – 00024/2016.

ARRUMA A MALA AÊ! Pesquisa já mostra Aécio Neves à frente de Dilma

Dilma já aparece com oito pontos a menos que Aécio Neves na primeira pesquisa realizada

Dilma já aparece com oito pontos a menos que Aécio Neves na primeira pesquisa realizada

Nesta quarta-feira (8), foi divulgada a primeira pesquisa de intenção de votos para a Presidência da República. O levantamento, feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, mostra uma inversão de posições, com Aécio Neves (PSDB) liderando (54%) e Dilma Rousseff (PT) há oito pontos de diferença (46%).

Os números fogem do que era ventilado antes do primeiro turno. No último Ibope, em 4 de outubro, Dilma aparecia com 45% e Aécio, com 37%. O Datafolha, na mesma data que o outro instituto, também mostrava Dilma na liderança: 48% a 42%.

Os valores se referem a votos válidos, excluídos eleitores indecisos e que votam em branco. Se somadas essas opções, os números de Aécio e Dilma caem 5%. O tucano teria 49% contra 41% de Dilma. Os 10% restantes não sabem ou não responderam à pesquisa.

A pesquisa espontânea, aquela em que não são apresentados os candidatos, nova vitória de Aécio Neves, porém com diferença menor: 45% a 39%.

O levantamento do Instituto Paraná Pequisas, encomendado pela Revista Época, foi feito entre os dias 6 e 8 de outubro. Foram entrevistados 2.080 eleitores, em 152 municípios espalhados por 19 estados. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR 01065/2014.

Rejeição

A rejeição dos candidatos também foi averiguada. Dilma Rousseff é rejeitada por 41% dos entrevistados, enquanto que Aécio Neves não seria escolhido “de jeito nenhum” por 32% das pessoas. Não souberam ou não responderam alcança 8% e aqueles que não rejeitam nenhum dos candidatos somam 16% dos entrevistados.

“O Data M não tem nada a esconder”, diz diretor do instituto

Por José Machado*

Machadinho disse que não aceita intimidações

Machadinho disse que não aceita intimidações

O Instituto Data M já existia, em 2003, quando ganhou o “3” – Data M3 – novo nome de fantasia e a nova firma M. M. Machado (de Mayara Moraes Machado, minha filha) e o CNPJ 05.833.992/0001-51.

Como muitas empresas que nascem micro, sua sede foi registrada tendo como local o endereço em que morávamos, à Rua 19, Quadra 34, casa 12 – Cohatrac IV. Aos poucos, o trabalho foi ficando maior e tivemos que buscar um novo local para escritório de treinamento, entrega e recebimento de questionários, etc., à Rua C, Quadra 4, casa 12 – Parque Atenas II – Cohajap.

Empresa de pesquisa no Maranhão, com honrosas exceções, tipo aquelas que ganham contratos no setor público, trabalha muito mesmo somente em ano de eleição, o que a força terceirizar a maior parte do trabalho. Daí a dificuldade que muitas têm para se manter abertas, esperando o próximo pleito.

Tem sido assim a peleja dos profissionais que tocam o Data M: o jornalista José Machado, graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Maranhão; a fonoaudióloga Mayara Moraes Machado Soares, o comunicólogo José Machado Júnior, o matemático e engenheiro civil João Moraes Filho, além da estatística Eulina Silva Santos e a Sra. Maria Leudimar Teixeira Silva, estas duas últimas sempre dando força o ano inteiro. Recentemente, incorporou-se ao Data M o recém-graduado em Relações Internacionais, pela UNIPAMPAS-RS, Eduardo Augusto Moreira Machado.

No Brasil, salvo as gigantes do mercado, pouca gente ganha muito dinheiro com pesquisa de opinião. Mas pesquisa é a melhor forma de distribuição de renda: o dinheiro arrecadado com os contratos é distribuído com o entrevistador, o coordenador, o pessoal da conferência, a telefonista, o motorista, o estatístico. Consome-se: gasolina, hotel, papel, computador, tinta, dezenas de milhares de cópias, camisetas, crachás, lapiseiras, pranchetas. E pagam-se impostos.

Escrevo isso para mostrar que não temos o que esconder; principalmente os números que levantamos. Queremos poupar o tempo dos paparazzi.

Por isso, avisa-se a qualquer um que não esteja satisfeito com as pesquisas que o Data M vem realizando e divulgando: que procure o jornalista José Machado para tomar satisfações. Ou a Justiça Eleitoral. Da nossa parte, se for preciso, pretendemos acionar a Polícia, o Ministério Público e o Judiciário contra aqueles que, usando máscaras, tentam invadir a privacidade dos meus familiares, filmando, fotografando ou usando outros ardis condenáveis.

Querem nos intimidar. Mas, logo, logo poderemos saber de quem se trata, caso os interessados queiram usar essa bandidagem na campanha eleitoral, o que já denotaria o baixo nível que vamos presenciar durante o horário eleitoral gratuito, no rádio e na TV.

Por fim, repetimos o aviso: o nosso candidato é o acerto.

___________________________________________________________________

*Jornalista e diretor do Instituto Data M.

Edinho Lobão quer chegar aos “30” na pesquisa?

Guerra de pesquisas entre Flávio Dino e Edinho Lobão dominou sessão desta quinta (26), na Assembleia

Guerra de pesquisas entre Flávio Dino e Edinho Lobão dominou sessão desta quinta (26), na Assembleia

Uma discussão acirrada sobre recentes pesquisas divulgadas na Imprensa maranhense deu o tom da sessão desta quinta-feira (26), na Assembleia Legislativa do Maranhão. Governistas, como o hilário Magno Bacelar (PV), defendem a tese de que o pré-candidato do PMDB ao governo do Maranhão, Edinho Lobão, o “Lobinho”, já estaria próximo dos “30”, com base em uma pesquisa, que está proibida pela Justiça e que mesmo assim foi publicada pelo jornal O Imparcial.

Mas há quem diga que  Edinho Lobão nem pensa nesse patamar por causa daquela famosa “política dos 30”, editada no governo do pai, o hoje ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Ou seria muita coincidência o peemedebista aparecer com 29,1%, na pesquisa proibida da Econométrica, e não com 30%?

Durante toda a manhã, governistas e deputados da Oposição travaram discussão em torno das pesquisas. Um lado defendendo os números apresentados pelo Imparcial e o outro tendo como base o resultado da amostragem do instituto DataM, contratada pelo grupo Atos e Fatos, onde Edinho estaria com 20,7% e Flávio Dino com 58,2%.

O curioso é que, no Maranhão, determinadas pesquisas parecem que fluem de acordo com seus “contratantes” na tentativa de influenciar as intenções de voto. Estranhos também são certos tipos de abordagem feitos nessas pesquisas, nitidamente, tendenciosos. Importante que o Ministério Público esteja atento para tudo isso!