Água do mar inunda estacionamento da Praia Grande e chama atenção de populares

A água do mar teria subido pelas galerias fluviais e inundado parte do estacionamento da Praia Grande.

A água do mar invadiu, na noite de quarta-feira (21), o estacionamento da Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís e chamou bastante atenção da população.

O fenômeno aconteceu em virtude da superlua que é quando a lua e o sol estão alinhados no mesmo plano exercendo uma força gravitacional maior, que provoca a super maré, também conhecida como maré de sizígia.

A água do mar teria subido pelas galerias fluviais e inundado parte do estacionamento da Praia Grande.

A maré também invadiu praças e ruas da cidade de Raposa, na região metropolitana de São Luís. O município é um dos mais afetados quando ocorre a maré de sizígia.

A maré de sizígia ocorre várias vezes no ano e ele se intensifica quando há o fenômeno da superlua.

Prefeito Edivaldo acompanha ação de limpeza e manutenção de galerias na região do Centro Histórico

O prefeito Edivaldo acompanhou os serviços, ao lado da primeira-dama Camila Holanda, do superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Maranhão, Maurício Itapary, e de secretários municipais

Capina, varrição, recolhimento de resíduos, lavagem, manutenção de galerias e outras atividades foram executadas durante a macro ação de limpeza no Centro Histórico, neste sábado (16). O trabalho realizado pela Prefeitura de São Luís é regular na área e foi intensificado para melhoria do aspecto urbano deste que é um cartão-postal da cidade. O trabalho, que vem sendo reforçado na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, consiste em ações diárias de limpeza, que garantem maior bem-estar para moradores, comerciantes e frequentadores do Centro Histórico. O prefeito Edivaldo acompanhou os serviços, ao lado da primeira-dama Camila Holanda, do superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Maranhão, Maurício Itapary, e de secretários municipais.

O prefeito reforçou a importância das atividades realizadas pelas equipes da Prefeitura. “É uma ação que tem sido intensificada em toda a área da cidade e neste espaço do Centro Histórico é reforçada com novas frentes de trabalho. Estas ações, somadas a um conjunto de medidas de revitalização e requalificação, têm como finalidade tornar este espaço e a cidade um lugar mais agradável, limpo e seguro para a população que mora, trabalha ou visita o Centro Histórico da cidade”, enfatizou.

Na realização do trabalho é utilizado equipamento de lavagem hidrotérmica que proporciona mais qualidade, ganho de produtividade e economia de água na limpeza das praças, escadarias e ruas.

O prefeito Edivaldo acompanhou os serviços, ao lado da primeira-dama Camila Holanda, do superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Maranhão, Maurício Itapary, e de secretários municipais

O presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-MA), Maurício Itapary, também acompanhou a ação. “O esforço da gestão neste trabalho de preservação, manutenção e limpeza desta área que é muito significativo e referencial para a cidade”.  

Trata-se de uma grande ação de limpeza na área, intensificada em um dois locais mais frequentados da cidade, avalia a presidente do Comitê de Limpeza Urbana, Carolina Estrela. “Aqui é um centro de recebimento de vários passantes e turistas e tem sido uma determinação do nosso prefeito um atenção especial e redobrada para este espaço de vivência social e cultura de São Luís. Estamos sempre reforçando estas ações de limpeza, lavagem, coleta e recolhimento de resíduos para manter esta área limpa e bem cuidada”, pontuou.

Na limpeza de todo o Centro da cidade, em geral, é retirada a média de uma tonelada de resíduos, diariamente; no Centro Histórico, aos fins de semana, devido eventos e maior número de pessoas, a média é de 300 quilos por coleta diária – quando há capina e varrição, pode chegar a 500 quilos. Em dias de movimento normal, a limpeza recolhe aproximadamente 200 quilos de resíduos.

O trabalho é regular e intensificado aos fins de semana com uma série de ações como a capina, limpeza de paralelepípedos, lavagem de bancos e a coleta de lixo. A limpeza do Centro Histórico é mais uma das ações da Prefeitura para manter este cartão-postal da cidade mais belo e mais limpo.

Prefeitura de São Luís oferece redução de IPTU de imóveis preservados no Centro Histórico

A ação é uma das estratégias da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior para estimular a revitalização da região.

Investir na conservação do bom estado físico de imóveis localizados no Centro Histórico tem vantagens que vão além do conforto pessoal. A Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), ratificou o procedimento (PR – 001 – CPC – Fumph), que norteia as vistorias quanto aos critérios técnicos de preservação e conservação de imóvel localizado na Zona do Patrimônio Histórico, cujo proprietário solicita redução ou isenção de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) garantidas pela Lei Municipal nº 3.836 de junho de 1999. A ação é uma das estratégias da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior para estimular a revitalização da região.

Para o presidente da Fumph, Aquiles Andrade, “a participação da iniciativa privada na preservação do Patrimônio Histórico de São Luís é imprescindível para que alcancemos resultados positivos na revitalização do Centro. Sendo assim, a Prefeitura incentiva esta participação por meio destes instrumentos legais. Além disso, estão sendo articuladas com outros entes públicos novas oportunidades de incentivos fiscais que possam tornar mais viáveis as ações de reabilitação do patrimônio edificado”.

Lei Municipal nº 3.836 isenta de pagamento integral ou parcial do IPTU os imóveis dessa área, tombados pela União, Estado ou Município, desde que preservadas suas características arquitetônicas originais e mantidas em bom estado de conservação. O procedimento orienta a descrever as principais características arquitetônicas originais, estado de conservação e preservação e usos do imóvel a ser vistoriado.

O procedimento implantou também a notificação de vistoria técnica. “É uma forma de agilizar e facilitar o processo das visitas aos moradores que requereram a redução do imposto via Secretaria da Fazenda, ou seja, se o morador não for encontrado na nossa primeira tentativa de contato, ele pode agendar a visita mediante notificação de risco”, explica o coordenador de Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), Rodrigo Amorim Soares.

A vistoria técnica no imóvel deverá ser realizada no período vespertino em horário comercial, no entanto, de forma espontânea, será feita apenas uma tentativa. Caso não seja encontrado ninguém no imóvel que autorize a realização da vistoria, que irá determinar o estado de preservação e conservação do bem, será deixada no local uma notificação ao requerente do processo de isenção, que terá um prazo de até oito dias corridos contados a partir da data da notificação para fazer contato com a Fumph, caso o requerente não entre em contato neste prazo, o relatório de vistoria técnica será emitido, porém sem nenhuma isenção no IPTU.

Os pedidos dos proprietários são enviados a Fumph pela Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz) e uma equipe de técnicos da Fundação faz vistorias nos imóveis analisando elementos arquitetônicos originais e o estado de conservação e preservação do imóvel. Os relatórios da equipe da Fumph são enviados para a Secretaria Municipal de Fazenda que é quem define o valor do IPTU a partir do percentual baseado nos dados das vistorias.

Os percentuais de redução do IPTU segundo a lei, imóveis classificados como de reconstituição ficarão isentos de 50%; imóveis classificados como de preservação parcial ficarão isentos de 75%; imóveis classificados como de preservação integral ficarão isentos de 100% e imóveis de uso comercial, institucional ou misto ficarão isentos de 50%.

O QUE DIZ A LEI

A Lei Municipal nº 3.836 de junho de 1999 isenta de pagamento integral ou imparcial do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) os imóveis do Centro Histórico de São Luís, tombados pela União, Estado ou Município, desde que preservadas suas características arquitetônicas originais e mantidas em bom estado de conservação.

Centro de São Luís volta a ser reocupado após anos de esquecimento

Natal de Todos 2018 atrai milhares de pessoas ao Centro Histórico de São Luís

Centenas de pessoas lotaram a região em frente ao Palácio dos Leões no último sábado (1º) para acompanhar a abertura da programação de Natal 2018. Mas a bela decoração natalina e as estonteantes projeções em vídeo mapping não são os únicos fatores por trás da crescente reocupação do Centro de São Luís. Antes relegada ao esquecimento, a região central da cidade vem sendo repaginada graças a uma série de obras de revitalização de espaços públicos, que tem mudado o visual da capital maranhense.

Uma dessas intervenções foi a requalificação da Praça Dom Pedro II. Executada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Prefeitura de São Luís, a obra foi entregue no mês do aniversário de São Luís e desde então não para de atrair ludovicenses e turistas.

O que também tem ajudado a resgatar o interesse das pessoas pelo Centro Histórico são as atividades culturais, como o passeio Serenata Histórica, o Festival BR-135 e a Feirinha São Luís, que desde junho de 2017 anima os domingos na Praça Benedito Leite, com direito a comercialização de artesanato, produtos agroecológicos e de uma grande variedade da gastronomia local.

Complexo Deodoro e Rua Grande

O Centro da cidade começa aos poucos a ser resgatado, depois de um longo período de abandono pelo poder público

Outra obra que promete aumentar ainda mais o fluxo de pessoas no Centro de São Luís é a do Complexo Deodoro, que vai ser entregue pela Prefeitura no próximo dia 18 de dezembro. O complexo engloba as praças do Pantheon e Deodoro e as alamedas Gomes de Castro e Silva Maia.

Mas as novidades não param por aí. No segundo semestre de 2019 a Prefeitura promete inaugurar umas das intervenções urbanísticas mais significativas: a requalificação da Rua Grande. Há tempos a população reclama dos problemas estruturais de uma das ruas mais tradicionais de São Luís.

O Centro da cidade começa aos poucos a ser resgatado, depois de um longo período de abandono pelo poder público. É certo que ainda há muito por fazer, mas já é possível perceber que a região vem ganhando gradativamente o brilho de tempos gloriosos.

Prefeitura prossegue com as atividades do Programa Férias Culturais com “Passeio Serenata”

O Passeio Serenata integra as atividades do Programa Férias Culturais, desenvolvido pela Prefeitura de São Luís

Daniel de La Touche, Marquês de Pombal, Ana Jansen e Dom Sebastião. Esses são alguns personagens importantes da história da capital maranhense que se apresentarão ao público do Passeio Serenata, que acontece nesta quarta-feira (18), a partir das 19h. A atividade faz parte do Programa Férias Culturais, uma iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo coordenado pela Secretaria Municipal de Turismo (Setur), com o objetivo de promover a cultura e valorizar a história da cidade.

O Passeio Serenata apresenta aos turistas e ludovicenses a história da capital maranhense, por meio de música, interpretações teatrais e informações de um guia de turismo. A concentração acontece na Praça Benedito Leite e um guia de turismo acompanha o público, que segue pelo Centro Histórico ao som de músicas regionais e que fazem parte do cancioneiro popular nacional.

Leia mais: Centro de São Luís recebe maior volume de obras de requalificação dos últimos 30 anos

O Passeio Serenata contribui de forma significativa para que os turistas conheçam a cidade. A secretária municipal de turismo, Socorro Araújo, explica que a programação do Férias Culturais inclui, além do Passeio Serenata, o Conheça São Luís nas Férias e o Roteiro Reggae. “Todas as atividades mostram ao participantes detalhes importantes de São Luís e da sua história. O nosso objetivo é educar e, ao mesmo tempo, entreter o público”, afirma.

A rota Passeio Serenata tem início na Praça Benedito Leite, seguindo pela Avenida Dom Pedro II, Rua de Nazaré, Rua da Estrela, Rua da Alfândega, mostrando também os detalhes do Beco Catarina Mina e da Rua Portugal, finalizando o passeio na Praça da Praia Grande. Todo o caminho será acompanhado por um guia de turismo, além do músico João Soeiro e dos personagens dos atores da companhia teatral Tramando Teatro, que vão surgindo ao longo do passeio.

Leia mais: Prefeitura de São Luís antecipa primeira parcela do 13º salário para dia 20

O Programa Férias Culturais conta também com as edições do Conheça São Luís nas Férias na próxima quinta-feira (19) e no dia 26 deste mês, ambos às 16h, e com o Roteiro Reggae, no dia 25 de julho, às 19h. A concentração de público antes de iniciarem os passeios, será na Praça Benedito Leite.

Com o Roteiro Reggae, o público é levado a conhecer o estilo musical que deu a São Luís o título de capital brasileira do reggae e Jamaica Brasileira. Pontos turísticos ou históricos que fazem referência ao reggae são apresentados ao público. Durante o passeio, grupos de dança do ritmo acompanham os visitantes dando um clima diferenciado ao evento cultural.

Leia mais: TJ-MA promove mais uma edição do Balcão de Renegociação de Dívidas

Foi com o Conheça São Luís nas Férias que teve início as atividades do Programa Férias Culturais, no dia 12 deste mês. Com o projeto, a proposta é contar a história e a cultura da capital maranhense durante um passeio tendo, que tem como cenário belos casarões de rica arquitetura secular. Todo o trajeto é acompanhado por guia que ao longo do passeio relata as instigantes histórias sobre prédios históricos, a exemplo da Igreja da Sé, o Palácio de La Ravardière, o Palácio dos Leões e a sede da Capitania dos Portos.

Centro de São Luís recebe maior volume de obras de requalificação dos últimos 30 anos

Os serviços, executados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Prefeitura de São Luís, contemplam as Praças Pantheon, Deodoro, as alamedas Silva Maia e Gomes de Castro, além da reforma da Rua Grande e da Praça Dom Pedro II e o seu entorno

O prefeito Edivaldo, a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, e o superintendente do instituto no Maranhão, Maurício Itapary, acompanharam de perto neste sábado (14) o andamento dos serviços de requalificação do Centro de São Luís. Considerado um dos maiores investimentos de revitalização realizados na região nos últimos 30 anos, o trabalho na área segue avançando dentro do cronograma previsto. A obra tem como reflexo a preservação de importantes espaços que referenciam a capital como Patrimônio da Humanidade.

Os serviços, executados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Prefeitura de São Luís, contemplam as Praças Pantheon, Deodoro, as alamedas Silva Maia e Gomes de Castro, além da reforma da Rua Grande e da Praça Dom Pedro II e o seu entorno. São mais de R$ 50 milhões em investimentos somando o conjunto de serviços em andamento e as obras já entregues.

Leia mais: Sites e redes sociais do Governo do Maranhão ficam suspensos até o final do período eleitoral

Durante a vistoria, o prefeito Edivaldo destacou a grandiosidade do trabalho que está sendo feito na região. “O Centro Histórico de São Luís tem recebido atenção especial da nossa gestão, e essa obra de requalificação urbanística do Iphan, realizada com apoio da Prefeitura de São Luís, é um exemplo. Aqui estão sendo reformados símbolos da cidade, a exemplo das praças Deodoro, Pantheon, as alamedas Gomes de Castro e Silva Maia, a Rua Grande e a Praça Pedro II. Em breve, vamos iniciar também a reforma do Largo do Carmo, em mais uma parceria com o Iphan. Em trinta anos, esse é o maior investimento feito na recuperação do patrimônio histórico de São Luís. É uma obra muito importante para impulsionar a economia no maior centro de comércio da capital e para impulsionar o turismo na cidade. Grande legado do Iphan e da Prefeitura para São Luís”, enfatizou, o prefeito Edivaldo que esteve acompanhado da primeira-dama Camila Holanda e do vice-prefeito, Júlio Pinheiro e de secretários municipais.

“São Luís é reconhecida como patrimônio mundial pela Unesco, e nossa responsabilidade como órgão de preservação é muito grande e não medimos esforços para que esse patrimônio público fosse revitalizado”, reiterou a presidente do Iphan nacional, Kátia Bogéa. A intenção da obra é restituir o espaço urbanístico à cidade, em conjunto com o maior complexo comercial, que é a Rua Grande. “São obras estruturantes para melhorar as condições do Centro Histórico”, reafirma Kátia Bogéa.

Leia mais: Prefeitura de São Luís antecipa primeira parcela do 13º salário para dia 20

O superintendente do Iphan-MA, Maurício Itapary, aponta o simbolismo da parceria na obra de requalificação do Centro e entorno. “Essa parceria Iphan e Prefeitura é extremamente proveitosa para a cidade e para a população. As obras seguem o cronograma esperado e, sem dúvidas, são de grande importância para a preservação do patrimônio histórico de São Luís. É um projeto extremamente importante para a recuperação do Centro Histórico e externo meu agradecimento à parceria da Prefeitura de São Luís”, destaca.

A obra de requalificação urbanística da Rua Grande vai promover a recuperação das redes subterrâneas de eletricidade; drenagem profunda e esgotamento sanitário

A região do Centro é importante pelo que representa para a história da cidade e por compreender o maior centro comercial de São Luís. As áreas estão ganhando novo reordenamento do espaço urbano, contemplando pedestres e possibilitando maior interação social. São diversas ações de urbanismo e arquitetura com fins a revitalizar e recuperar todo o trecho.

A obra de Requalificação Urbanística no Complexo Deodoro contempla a realização de ações de drenagem e de tratamento sanitário, colocação de novos calçamentos, mobiliários e iluminação, fiação subterrânea, dutos de passagem de fibra ótica, banheiros públicos, sinalização, acessibilidade total, entre outros serviços. A área já conta com um conjunto de caramanchões – espaço de vivência que vai contar ainda com bancos e servirá para sombreamento – obra segue com a construção de muro de arrimo no entorno, polimento e lapidação do piso, instalação de mobiliário urbano e pavimentação da pista de rolagem com piso intertravado.

Leia mais: TJ-MA promove mais uma edição do Balcão de Renegociação de Dívidas

A obra de requalificação urbanística da Rua Grande vai promover a recuperação das redes subterrâneas de eletricidade; drenagem profunda e esgotamento sanitário; novo conjunto de postes metálicos com iluminação de led; fiação elétrica subterrânea retirando das fachadas dos imóveis; pavimentação de toda a rua com piso de granito nas laterais, blocos intertravado no piso central e marcação de calçada, mantendo nivelamento e contemplando acessibilidade.

No projeto de reforma e restauração da Praça Dom Pedro II e seu entorno, incluindo a Avenida Pedro II e a Praça da Mãe d’Água, estão contemplados serviços como a recomposição de toda a pavimentação em pedra portuguesa; iluminação substituída e ampliada com novas instalações; mobiliário urbano e lixeiras; além de projeto paisagístico com preservação das espécies existentes e complementação com outras novas.

A fonte luminosa da Praça da Mãe d’ Água e a escultura, de autoria do maranhense Newton Sá, serão recuperadas com limpeza mecânica e química, desobstrução dos drenos de água, camada de proteção e polimento para preservar o bronze, troca de tubulações, colocação de bancos, iluminação reformulada com tom artístico e projeto paisagístico. A obra está na fase de conclusão do pavimento do perímetro da Avenida Pedro II e parte central da praça onde fica a escultura da Mãe d’Agua.