NOVAS REGRAS – Saiba o que muda nas eleições deste ano…

Reforma reduziu o tempo da campanha eleitoral de 90 para 45 dias. Propaganda começará no dia 16 de agosto

Mudanças nas eleições deste ano atingem propaganda em rádio e TV

Mudanças nas eleições deste ano atingem propaganda em rádio e TV

Este ano, pelas novas regras em vigor, a propaganda eleitoral gratuita, no rádio e na TV, começa somente em agosto e vai durar apenas 45 dias e não mais 90 dias, como era antes. Além de mudanças nos prazos para as convenções partidárias, filiação partidária e no tempo de campanha eleitoral, que foi reduzido, está proibido o financiamento eleitoral por pessoas jurídicas.

Na prática, essa “proibição” significa que as campanhas eleitorais deste ano deverão ser financiadas, exclusivamente, por doações de pessoas físicas e pelos recursos do Fundo Partidário. Antes da aprovação da reforma, o Supremo Tribunal Federal (STF) já havia decidido pela inconstitucionalidade das doações de empresas a partidos e candidatos.

Outra mudança promovida pela Lei nº 13.165/2015 corresponde à alteração no prazo de filiação partidária. Quem quiser disputar as eleições de 2016 precisa filiar-se a um partido político até o dia 2 de abril, ou seja, seis meses antes da data do primeiro turno das eleições, que será realizado no dia 2 de outubro. Pela regra anterior, o cidadão precisava estar filiado a um partido político um ano antes do pleito.

Nas eleições deste ano, os políticos poderão se apresentar como pré-candidatos sem que isso configure propaganda eleitoral antecipada, mas desde que não haja pedido explícito de voto. A nova regra está prevista na Reforma Eleitoral 2015, que também permite que os pré-candidatos divulguem posições pessoais sobre questões políticas e possam ter suas qualidades exaltadas, inclusive em redes sociais ou em eventos com cobertura da imprensa.

Convenções serão em julho e agosto; Início da propaganda só em agosto

A data de realização das convenções para a escolha dos candidatos pelos partidos e para deliberação sobre coligações também mudou. Agora, as convenções devem acontecer de 20 de julho a 5 de agosto de 2016. O prazo antigo determinava que as mesmas deveriam ocorrer de 10 a 30 de junho do ano da eleição.

Outra alteração diz respeito ao prazo para registro de candidatos pelos partidos políticos e coligações nos cartórios, o que deve ocorrer até às 19h do dia 15 de agosto de 2016. A regra anterior estipulava que esse prazo terminava às 19h do dia 5 de julho.

A reforma também reduziu o tempo da campanha eleitoral de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto. O período de propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto, no primeiro turno. Assim, a campanha terá dois blocos no rádio e dois na televisão com 10 minutos cada. Além dos blocos, os partidos terão direito a 70 minutos diários em inserções, que serão distribuídos entre os candidatos a prefeito (60%) e vereadores (40%). Em 2016, essas inserções somente poderão ser de 30 ou 60 segundos cada uma.

Por fim, a nova redação do caput do artigo 46 da Lei nº 9.504/1997, introduzida pela reforma eleitoral deste ano, passou a assegurar a participação em debates de candidatos dos partidos com representação superior a nove deputados federais e facultada a dos demais.

Principais mudanças

Filiação partidária
Quem quiser concorrer no próximo ano, deve se filiar a um partido político até o dia 2 de abril de 2016, ou seja, seis meses antes da data das eleições. Pela regra anterior, para disputar uma eleição, o cidadão precisava estar filiado a um partido político um ano antes do pleito.
Convenções partidárias
As convenções para a escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações devem ocorrer de 20 de julho a 5 de agosto de 2016. O prazo antigo estipulava que as convenções partidárias deveriam acontecer de 10 a 30 de junho do ano da eleição.
Registro de candidatos
Os pedidos de registro de candidatos devem ser apresentados pelos partidos políticos e coligações ao respectivo cartório eleitoral até as 19h do dia 15 de agosto de 2016. Pela regra passada, esse prazo terminava às 19h do dia 5 de julho.
Propaganda eleitoral
A resolução do calendário das eleições de 2016 incorpora, ainda, outras alterações produzidas pela reforma eleitoral, como a redução da campanha eleitoral de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto. O período de propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, tendo início em 26 de agosto, em primeiro turno.
Confira aqui o Calendário Eleitoral das Eleições de 2016.

Eliziane Gama recebe apoio de sarneysistas…

Lideranças foram articuladas pelo deputado federal Aluísio Mendes

Lideranças foram articuladas pelo deputado federal Aluísio Mendes

A deputada federal Eliziane Gama (Rede) recebeu, esta semana, o apoio de lideranças do PTN e PTdoB, ligadas ao grupo Sarney, com foco na disputa pela Prefeitura de São Luís em 2016. Articulados pelo deputado federal Aluisio Mendes (PTN),  que foi secretário de Segurança Pública no governo Roseana Sarney e assessor do ex-senador José Sarney por longos anos, eles declararam apoio à pré-candidatura da parlamentar.

Os dois deputados federais selaram a união durante o encontro que contou com a participação de dirigentes dos dois partidos e dos vereadores Armando Costa (PSDC) e Marlon Garcia (PTdoB).

O presidente estadual do PTN, Laércio Costa, disse que o partido atendeu a convite feito por Aluísio Mendes e ressaltou que as propostas da pré-candidata estão em sintonia com os ideais do partido.

Eliziane Gama está cada vez mais próxima do grupo Sarney.Tome nota…

PRTB se articula para disputar vagas na Câmara de São Luís…

Reunião, com a presença de Beto Castro, discutiu adesão de novos filiados

Reunião, com a presença de Beto Castro, discutiu adesão de novos filiados

O presidente do PRTB no Maranhão, prefeito de Coelho Neto, Soliney Silva, deu mais um importante passo para fortalecimento da sigla no Estado, em reunião realizada na manhã desta quarta (23), com a participação do vereador de São Luís, Beto Castro (PRTB).

Na reunião, foi discutida a adesão dos suplentes de vereador Tiririca e Assam Caid que, junto com o grupo Renova 31, entram no partido com o compromisso de tornar a legenda mais forte na disputa por vagas no parlamento da capital.

O objetivo, segundo Soliney Silva, é tornar o partido competitivo para sair da disputa em 2016, liderando uma das maiores bancadas do parlamento com a eleição de cinco a seis vereadores.

“Estamos felizes em receber essa importante adesão ao projeto que o PRTB está construindo para São Luís. Esse grupo que chega nos torna mais fortes e a nossa expectativa é de que novas adesões sejam confirmadas nos próximos dias”, comentou Soliney Silva.

Edivaldo e Eliziane empatados na pesquisa estimulada Exata; Na espontânea, prefeito já ultrapassa deputada

Roberto Rocha aparece com 1% na espontânea. Já em cenário estimulado, pouco provável, o senador surge com 8%

exata0909 exatadois0909

exatatres0909

A TV Guará divulgou, nesta quarta-feira (9), mais uma pesquisa de intenção de votos para prefeito de São Luís. O levantamento foi feito pelo Instituto Exata entre os dias 2 e 4 de setembro com 800 pessoas.

A margem de erro é de 4 pontos percentuais – para mais ou para menos – e 95% de confiabilidade.

A Exata criou cenários representativos do palco onde se desenrola a sucessão municipal na capital maranhense. Os principais nomes foram confrontados uns com os outros para tentar obter um resultado real dentro dos cenários possíveis.

Na pesquisa espontânea, não foram apresentados nenhum nome, apenas a pergunta “em quem o eleitor votaria para prefeito de São Luís”.

Foram citados 14 nomes e o  atual prefeito, Edivaldo Holanda Jr, lidera com 15% das intenções de voto. Eliziane Gama vem na segunda colocação com 7%, seguida por João Castelo com 4%.

Na estimulada é apresentada uma lista ao eleitor com nomes de possíveis candidatos. Foram apresentados seis cenários diferentes, três deles,com seis nomes,de políticos que já demonstraram a vontade de concorrer ao cargo e outros três  com apenas dois candidatos.

No primeiro cenário da estimulada com seis candidatos, o resultado foi o seguinte:

Eliziane Gama (PPS) venceria por 3 pontos percentuais o atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), no que seria um empate técnico. João Castelo (PSDB) aparece em terceiro com 14%, seguido de Roseana Sarney (PMDB) com 10% das intenções de votos do eleitorado da capital.

Roseana tem a maior rejeição

rejeicao0909

Perguntamos ao eleitorado de São Luís em qual desses candidatos ele não votaria de jeito nenhum, lembrando que pela quantidade de nomes a rejeição precisa ser múltipla e ultrapassa os 100% normais da estimulada e espontânea, veja os números.

CRISE NO PSB – Zé Reinaldo critica postura “arrogante” de Roberto Rocha em convenção

Em artigo, Zé Reinaldo revela crise no PSB após convenção em que dois partidários se lançaram pré-candidatos a prefeito de São Luís

Em artigo, Zé Reinaldo revela crise no PSB após convenção em que dois partidários se lançaram pré-candidatos a prefeito de São Luís

O artigo semanal do deputado federal Zé Reinaldo Tavares (PSB) repercute nos bastidores políticos do Maranhão com muita força. Ele critica a postura do senador Roberto Rocha (PSB) sobre anúncio de candidatura a prefeito de São Luís, sem discutir com as bases partidárias, logo após a militância ter se manifestado favorável à pré-candidatura do secretário estadual de Tecnologia, Bira do Pindaré, na convenção realizada no último sábado (29).

Zé Reinaldo, inclusive, faz referência às vaias oferecidas pela militância a Roberto Rocha que afirmou que, como presidente do Diretório Municipal, teria o direito de escolher o nome do candidato a prefeito de São Luís, que seria ele próprio. “Não sei mesmo o que pensava, mas o resultado da falta de conhecimento da cultura partidária só lhe valeu uma sonora vaia por desafiar o desejo das bases partidárias”, disparou o deputado federal do PSB.

Leia o trecho em que Zé Reinaldo faz duras críticas a Roberto Rocha:

“Conto um fato ocorrido na última vez em que estive no programa Avesso, da TV Guará. Programa, aliás, muito bem conduzido por Américo de Azevedo Neto. Este mesmo que, na ocasião, me perguntou o que eu achava de uma afirmação do senador Roberto Rocha de que iria, sozinho, escolher o candidato a prefeito pelo PSB em São Luís. Respondi-lhe então que o senador não conhecia a cultura do partido, um partido de base em sindicatos rurais, em que ninguém mandava e tudo era resolvido coletivamente por votação das instâncias partidárias. E que dessa forma seria feito novamente na escolha do candidato do partido em São Luís. Não o agredi e nem o insultei, apenas alertei que o partido era diferente de outros por onde andou o senador.

Para minha surpresa, este reagiu com muita agressividade, tentando me insultar, como se isso fosse mudar alguma coisa dentro do partido. Pois bem, o senador que, em discurso, chama a si mesmo de “senador Roberto Rocha”, no último sábado, durante a reunião estadual, que contou com a presença do presidente nacional, sentiu de perto o efeito de desconhecer a realidade do partido.

Depois que uma entusiasmada plateia lançou o nome de Bira do Pindaré para concorrer ao cargo de prefeito da capital, e do discurso de aceitação do próprio Bira, o senador, ao fazer o uso da palavra, e sem levar em consideração o desejo dos militantes, resolve – como se fizesse uma concessão – repetir que quem escolhia o candidato, como presidente do Diretório Municipal, era ele. E que assim se lançava candidato a prefeito da capital.

Não sei o que Roberto Rocha pensou, talvez contasse com o delírio da plateia, já que ele, senador, descia das alturas para se lançar candidato. Não sei mesmo o que pensava, mas o resultado da falta de conhecimento da cultura partidária só lhe valeu uma sonora vaia por desafiar o desejo das bases partidárias. Não bastasse isso, teve que ouvir do presidente estadual e do presidente nacional que essa decisão pertencia não a uma pessoa, mas às instâncias partidárias como um todo.

Se me tivesse ouvido…”