Carro do comboio presidencial se envolve em acidente na frente do Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que estava em outro veículo e vinha mais atrás, desceu do carro para verificar a situação.

Um carro do comboio presidencial se envolveu em um acidente, na manhã desta quarta-feira (1º), em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. O veículo bateu contra o meio-fio, e o impacto acionou o airbag. Um segurança ficou ferido e foi levado ao Hospital das Forças Armadas.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que estava em outro veículo e vinha mais atrás, desceu do carro para verificar a situação. Os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente) e o general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) também acompanharam o resgate.

Imagens feita no local mostram o automóvel com o vidro trincado. Segundo o general Luiz Fernando Baganha, secretário de Segurança e Coordenação Presidencial do GSI, o carro envolvido na batida é responsável pelo “avançado da comitiva” e, portanto, segue antes do comboio presidencial para verificar as condições das vias.

O general informou ainda que havia duas pessoas no veículo. O agente de segurança que se feriu estava no banco do passageiro e, segundo Baganha, sofreu “aparentemente um problema no braço”.

Bolsonaro pede que apoiadores não saiam às ruas no próximo domingo

Nas últimas semanas, aos domingos, grupos que apoiam o presidente têm se manifestado pela continuidade das ações do Executivo e com críticas à atuação do Congresso e do Supremo Tribunal Federal

O presidente Jair Bolsonaro pediu a seus apoiadores que não compareçam às ruas no próximo domingo (7), quando estão previstas manifestações contrárias ao governo. Ontem (31), houve tumulto na Avenida Paulista, em São Paulo, quando a polícia militar tentou dispersar atos contrários e favoráveis ao governo.

Nas últimas semanas, aos domingos, grupos que apoiam o presidente têm se manifestado pela continuidade das ações do Executivo e com críticas à atuação do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). Em Brasília, eles se reúnem na Esplanada dos Ministérios e Praça dos Três Poderes, onde o presidente também comparece para cumprimentá-los.

“Estão marcando domingo um movimento, né? Deixa sozinho domingo. Eu não coordeno nada, não sou dono de grupo, não participo de nada, eu só vou prestigiar vocês que estão me apoiando, fazem um movimento limpo, decente, pela democracia, pela lei e pela ordem. Eu apenas compareço. Não conheço praticamente ninguém desses grupos. Eu acho que, já que marcaram para domingo, deixa eles domingo lá”, disse, ao deixar o Palácio da Alvorada, em Brasília.

Na manhã desta segunda-feira, os seguranças da Presidência encaminharam os apoiadores para uma área interna do Alvorada, longe da imprensa, onde Bolsonaro parou para cumprimentá-los. Normalmente, eles ficam em um espaço reservado aos visitantes na área externa da residência oficial. A conversa foi transmitida ao vivo na página pessoal do presidente no Facebook.

Bolsonaro participa de manifestação contra isolamento em Brasília

Na manifestação, centenas de pessoas estavam aglomeradas, prática desaconselhada diariamente pela Organização Mundial da Saúde (

O presidente Jair Bolsonaro voltou a desafiar as recomendações de autoridades sanitárias e compareceu no início da tarde deste domingo (19), a uma manifestação em frente ao QG do Exército, em Brasília. O protesto organizado por bolsonaristas no Dia do Exército tinha como motes ataques ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e pedidos como o de intervenção militar e de volta do AI-5, o mais brutal ato do governo militar durante a ditadura, responsável pelo fechamento do Congresso e por limitações aos direitos individuais. No início da tarde, Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada. O destino era desconhecido, mas pouco depois as redes sociais do presidente exibiram transmissão ao vivo em que o mostra chegando à manifestação e cumprimentando populares.

Na manifestação, centenas de pessoas estavam aglomeradas, prática desaconselhada diariamente pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em tempos de pandemia, e manifestantes, em sua maioria, sem máscara. Um cordão de isolamento de forças de segurança, sem equipamentos contra o contágio, teve de ser montado de última hora com a chegada do presidente. Aos gritos de “mito”, “queremos intervenção” e “a nossa bandeira jamais será vermelha”, manifestantes portavam bandeiras do Brasil e faixas com dizeres como “Intervenção militar com Bolsonaro”, “fora Maia”, em referência ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e “A voz do povo é soberana”. No protesto, ouviam-se apelos pelo fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em um discurso entrecortado por acessos de tosse, o presidente não falou diretamente sobre a pandemia nem sobre sua intenção de flexibilizar o isolamento social. Em vez disso, insinuou que personificava o fim da “velha política”, defendeu a obediência à “vontade do povo” e disse que fará “o que for possível para mudar o destino do Brasil”. “Eu estou aqui porque acredito em vocês. Vocês estão aqui porque acreditam no Brasil. Nós não queremos negociar nada. Nós queremos é ação pelo Brasil. O que tinha de velho ficou para trás. Nós temos um novo Brasil pela frente. Todos, sem exceção no Brasil, tem de ser patriotas e acreditar e fazer a sua parte para que nós possamos colocar o Brasil no lugar de destaque que ele merece. Acabou, acabou a época da patifaria. É agora o povo no poder. Mais do que o direito, vocês têm obrigação de lutar pelo país de vocês. Contem com seu presidente para fazer tudo aquilo que for necessário para que nós possamos manter a nossa democracia e garantir aquilo que há de mais sagrado entre nós, que é a nossa liberdade. Todos no Brasil têm que entender que estão submissos à vontade do povo brasileiro. Tenho certeza: todos nós juramos um dia dar a vida pela Pátria e vamos fazer o que for possível para mudar o destino do Brasil. Chega da velha política. Agora é Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, discursou ele.

Ao contrário de outras vezes em que desobedeceu as orientações por isolamento vertical, Bolsonaro não chegou próximo aos manifestantes e tampouco apertou a mão de apoiadores, como recentemente ocorreu na visita ao local que abrigará um hospital de campanha nos arredores de Brasília. Ele optou por subir na carroceria de um veículo policial e acenou, à distância, para a população.

Famem orienta gestores sobre agenda em Brasília

Casa dos Prefeitos em Brasília. inaugurada pela atual gestão da Famem

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão orienta os prefeitos associados para que, neste momento de enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus, sejam parcimoniosos na utilização da Casa dos Prefeitos em Brasília.

Outrossim, recomendamos que os gestores reconsiderem as incursões ao Distrito Federal para o cumprimento de agendas junto aos ministérios e Congresso Nacional. Por parte da bancada maranhense houve manifestação para que as pautas sejam debatidas em território maranhense, evitando deslocamentos neste momento em que a o bem-estar e saúde de todos ocupam absoluta prioridade.

Em conseqüência da declaração de pandemia mundial pela Organização Mundial da Saúde, as entidades muncipalistas adotaram medidas drásticas e restritivas, como, por exemplo, o cancelamento da XII Cúpula Hemisférica de Prefeitos e Governos Locais, marcada para acontecer entre 17 e 23 de março em Recife (PE).

As medidas restritivas adotadas pelo Governo do Distrito Federal evidenciam a gravidade da situação. Diante do exposto, contamos com a colaboração de nossos associados para reforçar o combate que é de interesse comum.

Presidente Jair Bolsonaro tem alta e deixa Hospital

Bolsonaro realizou uma cirurgia no domingo (08) para correção de uma hérnia incisional

O presidente Jair Bolsonaro deixou o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (16) às 14h58, depois de receber alta. A movimentação para a saída da comitiva presidencial do hospital começou por volta das 14h.

Bolsonaro realizou uma cirurgia no domingo (08) para correção de uma hérnia incisional. O presidente seguiu de carro até o Aeroporto de Congonhas, onde embarcou para Brasília. Segundo boletim médico, divulgado também nesta segunda-feira, Bolsonaro continuará sua recuperação em domicílio.

O procedimento cirúrgico a que o presidente foi submetido foi o quarto após ele ter sido esfaqueado há um ano, durante a campanha eleitoral, em Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais. A cirurgia, realizada para corrigir uma hérnia que surgiu na região do abdômen, durou cerca de cinco horas e foi considerada bem-sucedida pela equipe médica.

Durante a internação, o presidente chegou a usar uma sonda nasogástrica para retirada de ar e líquidos do estômago e do intestino, após uma distensão abdominal. Na noite de sábado (14), Bolsonaro passou de uma dieta líquida para uma dieta cremosa e a alimentação endovenosa, (diretamente na veia), que havia sido introduzida após a distensão abdominal, foi suspensa.

O médico responsável pela cirurgia, Antônio Macedo, afirmou que manteve a dieta cremosa do presidente porque ainda havia um pouco de gás no intestino delgado. “Combinamos com ele: se você quiser ter alta, tem que manter a dieta cremosa”, contou Macedo.

O médico irá a Brasília na sexta-feira, 20, para realizar exames em Bolsonaro, no Hospital DF Star. “Dependendo do resultado dos exames na sexta, eu libero a dieta pastosa”, disse o médico. Seguindo este cronograma, de acordo com Macedo, Bolsonaro poderá voltar a ter alimentação normal na segunda ou na terça-feira da próxima semana.

Governadores da Amazônia reúnem-se com embaixadores europeus

O encontro teve a participação do vice-governador, Carlos Brandão e foi realizado na Embaixada da Noruega, em Brasília

Governadores e vice-governadores dos estados da Amazônia Legal reuniram-se na manhã desta sexta-feira (13) com os embaixadores da Alemanha, da Noruega e do Reino Unido para discutir financiamentos para programas de desenvolvimento sustentável na região. O encontro foi na Embaixada da Noruega, em Brasília.

Após a reunião, o governador do Pará, Helder Barbalho, disse que os repasses ao Fundo Amazônia, projeto de cooperação internacional para preservação da floresta, devem ser retomados em breve. Os principais países doadores do fundo, Alemanha e Noruega, anunciaram a suspensão de seus repasses em agosto após a divulgação das taxas de desmatamento na região.

“Eles estão em conclusão de diálogo junto com o Ministério de Meio Ambiente para que seja anunciado nos próximos dias a retomada do Fundo Amazônia”, informou o governador.

Segundo Barbalho, os executivos estaduais também estão dialogando com os países para construir alternativas de financiamento a projetos sustentáveis como a possibilidade de repasse de verbas para cada unidade da federação da Amazônia ou por meio do Consórcio da Amazônia Legal. “Sinalizaram que estão dispostos a colaborar diretamente com os governos estaduais  e também a possibilidade de criação de um fundo do Consórcio de Governos da Amazônia Legal como instrumento de parceria internacional”, afirmou Barbalho.

O governador do Amapá, Waldez Góes, que preside o consórcio, disse que a entidade tem personalidade jurídica, o que permite estabelecer “uma relação de parceria com os financiadores de boas práticas na Amazônia, sejam elas de combate a atividades ilegais, de mitigação ou de alternativas de desenvolvimento”.

Helder Barbalho acrescentou que uma nova reunião foi marcada para daqui a um mês com os três embaixadores, que deverão apresentar respostas às demandas apresentadas pelos governos estaduais.

Também participaram da reunião os governadores de Mato Grosso, Mauro Mendes, de Roraima, Antônio Denarium, e do Amazonas, Wilson Lima, os vice-governadores de Rondônia, José Jordan, do Acre, Major Wherles Rocha, do Tocantins, Wanderlei Barbosa, e do Maranhão, Carlos Brandão.

Em Brasília, Othelino reforça posicionamento das Assembleias do Nordeste sobre Reforma da Previdência

Othelino Neto e os presidente das Assembleias do Nordeste não assinaram o documento em apoio à PEC paralela da Previdência

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), acompanhado do deputado Adelmo Soares (PCdoB) e presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste, participou de reunião, quarta-feira (11), no Senado Federal, em Brasília (DF), para discutir itens da Reforma da Previdência, que tramita na Câmara Alta do Congresso Nacional. 

Othelino Neto e os presidente das Assembleias do Nordeste não assinaram o documento em apoio à PEC paralela da Previdência, proposto pela senadora Simone Tebet (MDS-MS), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

“Nós, representantes do Nordeste, fizemos algumas ressalvas e não assinamos o ofício em apoio à PEC paralela, pois entendemos que esse é um tema muito sensível e mantemos nossas ponderações sobre alguns pontos que consideramos prejudiciais para a população mais necessitada do Brasil e, em particular, do Nordeste”, enfatizou Othelino Neto, também presidente do Colegiado do ParlaNordeste. 

“Nosso desejo, respeitando a prerrogativa do Congresso Nacional de decidir e legislar sobre a Previdência, é fazer com que entendam nossas posições e que , ao final, quando o Congresso deliberar de forma definitiva, que reconsidere alguns aspectos aprovados na Câmara, que nós consideramos que retira o caráter solidário da Previdência Pública do Brasil”, reafirmou Othelino, em seguida, durante reunião com o presidente do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O deputado estadual Adelmo Soares elogiou o posicionamento do presidente Othelino à frente das Assembleias do Nordeste. “Nosso presidente sempre muito bem articulado mostrou a liderança diante dos demais presidentes, fazendo importantes colocações. Mostrou que é a favor da Reforma, porém , ainda vai discutir com nossos pares o teor da PEC paralela. Tenho certeza de que esse é o caminho de participação efetiva do Nordeste, acima de tudo mostrando posição firme para o sul do Maranhão . É isso que nós queremos de um presidente, alguém que seja integrado politicamente e discernimento do papel que desempenha na AL”, disse. 

O senador Weverton Rocha (PDT) falou sobre a importância dos presidentes estarem integrados à temática da Previdência. “Essa PEC reduz muitos direitos e diminui o valor agregado de trabalhadores que terão, no futuro, direito à aposentadoria. Menos dinheiro significa menos circulação e, consequentemente, menos renda no nosso país. Os presidentes das Assembleias se anteciparem e poderem vir aqui no Senado conversar conosco os envolvido é de grande valia para estarem sintonizados e também para se alertarem da gravidade que é o tema da Reforma da Previdenciária“, ressaltou.

No STF, vereadores solicitam retorno da Lei dos 30 Minutos em São Luís

De autoria do próprio Pavão, a Lei foi suspensa em junho deste ano por decisão monocrática do ministro Ricardo Lewandowski, que atendeu pedido feito pela Associação Brasileira de Shopping Centers

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho, e o vereador Pavão Filho, ambos do PDT, estiveram, na sede do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, pleiteando o retorno da Lei Municipal nº 6.113/2016, que garante gratuidade de até 30 minutos nos estacionamentos privados da capital maranhense.

De autoria do próprio Pavão, a Lei foi suspensa em junho deste ano por decisão monocrática do ministro Ricardo Lewandowski, que atendeu pedido feito pela Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE).

“Trata-se de um dispositivo importante, que beneficia o cidadão e garante seu direito. Solicitamos um novo entendimento e estamos confiantes que o Pleno do STF mudará esta decisão monocrática e atenderá o recurso que já foi interposto pelo Município”, disse o presidente da Câmara, que estava acompanhado dos deputados federais Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Gil Cutrim (PDT).

Pavão Filho também classificou a visita como muito proveitosa. “Esta Lei foi uma grande conquista do povo de São Luís. Repudiamos a decisão liminar que a suspendeu e estamos esperançosos no sentido de revertermos o entendimento do ministro Lewandowski”.

Os vereadores participaram do lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Patrimônio Histórico Nacional. Na oportunidade, Osmar e Pavão dialogaram com a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa; elogiaram a sua gestão; e pleitearam novos investimentos para capital e o estado.

Osmar e Pavão também foram recebidos pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM- RJ), e pelo senador Weverton Rocha (PDT). Maia e o presidente da Câmara de São Luís iniciaram tratativas que resultarão, em breve, em um parceria institucional que modernizará, ainda mais, o Parlamento Ludovicense através de ações no setor de comunicação.

Os parlamentares acompanharam Weverton em uma reunião com policiais rodoviários federais, que apresentaram vários pleitos feitos pela categoria. Os pedetistas, juntamente com o deputado federal Juscelino Filho e o deputado estadual Neto Evangelista, ambos do DEM, reuniram-se com o vice-presidente da Fiberhome Brasil (empresa que fabrica componentes tecnológicos), Chris Li, que estuda a possibilidade de instalar uma unidade no Maranhão e desenvolver o projeto de Cidade Inteligente – que usa tecnologia para otimizar serviços como wifi, socorro de saúde, policiamento e educação, por exemplo.

Erlânio Xavier prestigia entrega do Prêmio CNMP em Brasília

O evento gera visibilidade aos programas e projetos do Ministério Público brasileiro que tiveram destaque ao concretizar o Planejamento Estratégico Nacional

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Erlanio Xavier, prestigiou nesta quinta-feira (22), em Brasília, a cerimônia de entrega do Prêmio CNMP, junto com o procurador-Geral de Justiça do Maranhão, Luiz Gonzaga Martins, e demais autoridades. O evento gera visibilidade aos programas e projetos do Ministério Público brasileiro que tiveram destaque ao concretizar o Planejamento Estratégico Nacional.

O Ministério Público do Maranhão foi destaque no evento por receber, pela terceira vez, o prêmio pelo combate à corrupção no Estado com o projeto “A cidade não pode parar – pela transparência na transição municipal”. Na área da Administração Pública Legal, recebeu o prêmio pelo projeto “Cidadão Consciente – Gestão Transparente” e, na área da Comunicação e Relacionamento, pelo projeto “Nas redes sociais, diga o que pensa…sem ofensas”.

“No Maranhão, o Ministério Público e a Federação dos Municípios realizaram inúmeros projetos em parceria, percorremos todas as regiões, levando a mensagem pela transparência na gestão municipal. Estamos orgulhosos pela conquista. Parabéns ao procurador-Geral de Justiça do Maranhão, Luiz Gonzaga Martins e equipe”, disse o presidente da Famem, Erlanio Xavier.

Concorreram ao Prêmio CNMP 1.077 projetos. A honraria é concedida anualmente e tem por objetivo identificar, premiar e difundir projetos já executados ou em atividade, em âmbitos local, regional ou nacional, que traduzem a missão, visão e objetivos estratégicos do MP.