Discutir Plano B agora ajuda elite a impedir candidatura de Lula, diz governador

Flávio Dino contestou os que desejam fazer julgamento político do ex-presidente Lula

Debater uma candidatura presidencial alternativa ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, neste momento, é tudo o que a elite deseja para impedir de vez o petista na disputa. A avaliação é do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), durante entrevista a jornalistas de mídias alternativas na sede do Barão de Itararé, em São Paulo. Para ele, a esquerda está caindo em uma armadilha ao aceitar tal debate.

“Falar em Plano B ajuda a inviabilizar a candidatura de Lula neste momento. A imensa maioria da elite quer ganhar a eleição por W.O, sem fazer força, sem adversário. E a gente não pode facilitar a vida desse segmento. Se começar com esse negócio de Plano B, Plano C, criamos um cenário de facilitação desse jogo”, disse.

Parte da esquerda já tem especulado quem pode ser o candidato mais competitivo no lugar do petista. Para Dino, “quem está falando em Plano B é porque na verdade já escolheu seu Plano A, que não é o ex-presidente Lula”.

Juiz por formação, o maranhense vem sendo uma das principais vozes de contestação jurídica ao julgamento do recurso de Lula pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Ele tem apontado uma série de distorções, fragilidades e contradições na decisão.

Além de Lula

Segundo o governador, não está havendo apenas uma violação contra uma pessoa, e sim algo muito mais complexo. “Os direitos de um personagem políticos estão sendo violados como um caminho para a consecução de um programa antipopular. Essas forças todas estão mobilizadas não apenas para tirar Lula do jogo. É apenas um meio para a consecução desse programa que representa um retrocesso para o povo e para o Brasil”.

Dino afirmou ter ficado “impressionado como o nível de ódio dos julgadores”, como se dissessem “nós somos a Casa Grande e vamos enquadrar todo mundo”. Para ele, “o defeito do Lula é este, não ser da Casa Grande”.

O governador do Maranhão disse que, com o julgamento no TRF-4, houve um “retrocesso de 300, 400 anos do direito penal”, já que o processo tomou “feições inquisitoriais, primeiro incriminando para depois procurar as provas; e houve condenação por alguma coisa que não se sabe bem o que é”.

Conexão

Dino contou que, logo em seguida ao julgamento, esteve no interior do Maranhão, onde presenciou um “sentimento de orfandade” entre aposentadores, trabalhadores rurais e moradores em geral.

“Não podemos perder essa corrente do lulismo, é o que nos conecta com o povo mais humilde e simples do Brasil.”

O governador acrescentou que não há sinais visíveis de que as ruas se manifestem neste momento. “É muito difícil imaginarmos que segmentos mais amplos vão para as ruas, nada sugere isso. Por isso o jogo institucional é importante”.

Uma ideia sobre “Discutir Plano B agora ajuda elite a impedir candidatura de Lula, diz governador

  1. Quando o Flávio Dino fala em elite, parece que ele faz parte da plebe. Flávio sempre foi integrante da ELITE: O pai foi Prefeito, Secretário de Estado várias vezes, Flávio sempre estudou nas melhores escolas, sempre teve as melhores oportunidades. Como pode, agora, querer reclamar da elite? É querer fazer média com o povo. Em tempo: sou eleitor do Flávio, mas o mesmo mudou muito em pouco tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *