Liminar protela processo que pode cassar mandato da prefeita de Bacabeira

O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB), e sua esposa, Fernanda Rêgo Gonçalo (PMN), atual prefeita de Bacabeira, conseguiram, na Justiça, liminar que protela processo contra a mesma que a acusa de abuso de poder político e econômico nas eleições passadas. Eles conseguiram suspender a audiência que aconteceria na última quarta-feira (26).

A  liminar, que protelou o processo de cassação, foi deferida pelo juiz Sebastião Joaquim Lima Bonfim, plantonista do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), poucas horas antes da audiência, marcada para acontecer às 9hs de quarta-feira (26).

Prevendo o resultado negativo e a perda do mandato da esposa em Bacabeira, já que as provas de abuso de poder econômico são cabais, Hilton Gonçalo segue usando de artifícios na Justiça para adiar, por mais tempo possível, o andamento do processo.

Segundo informações de bastidores, a manobra visaria às eleições de 2018 e tem por objetivo usar as três prefeituras para fortalecer o grupo politicamente. Além de Santa Rita e de Bacabeira, Gonçalo também manda e desmanda na Prefeitura de Pastos Bons, onde a irmã, Iriane Gonçalo (SD), é prefeita.

Após decisão do PDT, Hilton Gonçalo já pensa em deixar partido

Pedetista disse que sigla não cumpriu acordo de lançar candidato próprio em caso de não indicar vice-governador na chapa de Flávio Dino

Ex-prefeito de Santa Rita disse que não se envolverá na campanha para governador

Ex-prefeito de Santa Rita disse que não se envolverá na campanha para governador

O ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PDT), pretenso candidato ao governo do Maranhão, disse que ainda aguarda a convenção estadual do seu partido para que seja anunciado o rumo oficial da legenda nesta eleição. No entanto,  fez questão de lembrar do acordo celebrado com a sigla. “O partido me prometeu a legenda, caso não indicasse a vaga de vice-governador, mas isto não ocorreu. O acordo não foi cumprido”, afirmou.

Na semana passada, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, informou, formalmente, apoio do partido à candidatura do ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratu), Flávio Dino. Isso significa que a sigla não lançará candidato próprio ao governo para as eleições de outubro, o que irá ser confirmado na convenção.

Sobre seu futuro no PDT, Hilton Gonçalo anuncia que passará por um momento de reflexão e, logo após as eleições, deve definir seu futuro político. Em 2013, o ex-prefeito de Santa Rita recebeu convites de diversos partidos para se filiar, entre eles: PV, PP, PR, PRP, PSDC, PPL e outros.

O médico disse que não pretende se envolver na disputa para governador e senador do Maranhão, mas apoiará diversos candidatos a deputado estadual e federal.

Fora da majoritária

Hilton lembrou que o PDT foi protagonista nas últimas três eleições para governador e, após 12 anos, ficará de fora da disputa majoritária sem indicar sequer o candidato a vice-governador, como foi prometido pelo grupo oposicionista ainda em 2012.

“O PDT está perdendo espaço na política maranhense. Perdemos a Prefeitura de São Luís e agora não teremos mais nem representatividade majoritária. Lamento profundamente que o legado e a memória de Jackson Lago não estejam sendo respeitados”, declarou.

Hilton ainda falou sobre a preocupação ser maior com os interesses pessoais dentro do seu partido. “Percebo que preferem priorizar as eleições dos seus deputados à eleição majoritária”, completou.

Lupi demonstra interesse por candidatura própria do PDT no Maranhão

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi

Cresce a possibilidade do PDT ter uma candidatura própria ao governo no Maranhão. O presidente do diretório nacional do partido, Carlos Lupi, revelou que, nos próximos dias, estará se reunido com o ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PDT), para discutir a viabilidade de sua pré-candidatura. De acordo com o dirigente nacional, ele recebeu com muita insatisfação a decisão de Flávio Dino (PCdoB) e ainda está avaliando o caminho que irá tomar no Estado.

Lupi disse que conhece muito bem o ex-prefeito de Santa Rita, inclusive chegou a fazer visitas ao município, durante a administração do médico. “O Hilton é um grande companheiro, conheço a sua capacidade administrativa. Foi muito bem avaliado enquanto prefeito. É um excelente quadro do PDT e existe, sim, a possibilidade de ele ser o nosso candidato a governador”, declarou.

Hilton Gonçalo disse que já estava preparando uma nova viagem a Brasília para conversar com Carlos Lupi, mas preferiu não informar a data, pois antes está realizando rodadas de reuniões com dirigentes partidários locais.

Segundo Chico Leitoa, Carlos Lupi quer candidatura própria do PDT no Maranhão

Chico Leitoa com Hilton Gonçalo

Chico Leitoa com Hilton Gonçalo

O vice-presidente do PDT no Maranhão, o ex-deputado estadual Chico Leitoa, revelou, através de um artigo divulgado à Imprensa, que o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, defende com veemência o lançamento de uma pré-candidatura própria ao governo do Estado, no caso a do ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PDT).

“O presidente nacional do PDT reagiu e reage de forma veemente à não participação do partido na chapa majoritária. Por ele […], o PDT partiria com candidatura própria no primeiro turno, até porque o partido tem um pretendente (Hilton Gonçalo) com potencial ou, na última das hipóteses, tomaria outro caminho”, revelou.

A declaração de Chico Leitoa evidencia o sentimento da Executiva Nacional que busca fortalecer o partido no Maranhão. Hilton Gonçalo, que tem colocado seu nome para a disputa de governador, apresenta a tese de que o partido pode perder sua representatividade no Estado, caso acabe coligando no chapão oposicionista.

O presidente Carlos Lupi parece ter concordado com a analise do ex-prefeito de Santa Rita, tanto que tomou para si a responsabilidade de definir o futuro da sigla no Maranhão. Uma reunião que estava prevista para esta segunda-feira (26), em Brasília, foi cancelada e não há previsão de uma nova rodada de negociações.

Dessa forma, Hilton Gonçalo segue a passos largos para garantir sua pré-candidatura ao governo, que já conta com apoio de prefeitos e vereadores de várias regiões do Estado.

Em Santa Rita, Hilton reduziu déficit habitacional em mais de 80%

Ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo

Ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo

Segundo dados divulgados pelo Ministério das Cidades, após realização de uma pesquisa para identificar o Déficit Habitacional Municipal no Brasil da Fundação João Pinheiro, foi apontado que no Maranhão existe o pior déficit habitacional relativo do país (27,3%) – aquele que compara o déficit habitacional ao total de domicílios do local analisado. Porém, o ex-prefeito Hilton Gonçalo (PDT) revela que esta realidade não é a mesma do município de Santa Rita, uma vez que conseguiu reduzir em mais de 80% o déficit habitacional.

Prefeito entre 2005 e 2012 de Santa Rita, Hilton conta que implantou, desde o primeiro ano de governo, o programa “Nossa Casa”, através da secretaria municipal de Habitação. Ao ser implantado, o programa, que priorizava famílias que não dispõem de moradia, construiu cerca de 3.000 imóveis populares, a maioria em comunidades rurais e em bairros da periferia da cidade.

O “Nossa Casa” beneficiou cerca de 9 mil famílias de baixa renda e que não tinham moradia digna. Ao terminar o seu mandato em 2012, o ex-prefeito de Santa Rita, informou que o programa atingiu a meta estipulada.

PDT pode ficar sem deputado federal no Maranhão, alerta Hilton Gonçalo

Ex-prefeito de Santa Rita e pré-candidato ao governo do Maranhão, Hilton Gonçalo

Ex-prefeito de Santa Rita e pré-candidato ao governo do Maranhão, Hilton Gonçalo

O pré-candidato ao governo do Maranhão, Hilton Gonçalo (PDT), vem conversando com membros do seu partido e evidenciando que caso a legenda escolha por fazer parte do chapão oposicionista, mais uma vez o PDT ficará sem representantes na Câmara Federal. Atualmente, o único pedetista maranhense no Congresso Nacional, o Weverton Rocha, só assumiu, após a saída de Edivaldo Holanda Júnior (PTC), caso contrário ainda seria suplente.

“O PDT pode ficar sem deputado federal no Maranhão mais uma vez. Basta analisar e fazer as contas. Hoje temos cinco potenciais pré-candidatos ao cargo, mas podemos acabar sendo engolidos”, declarou.

Hilton Gonçalo lembra que em 2010, o PDT superou os 160 mil votos na disputa pra deputado federal, no entanto não elegeu nenhum candidato. Já o PTC, que teve pouco mais de 113 mil acabou emplacando um parlamentar.

“Uma candidatura própria eleva as chances de elegermos até dois deputados federais. Se o partido entrar no chapão, ficaremos sem nenhum representante”, argumenta. O pré-candidato ao governo diz que trabalha com números e vai mostrar isso ao presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

Hoje o partido tem Weverton Rocha, Deoclides Macedo, Julião Amim, Rosangela Curado e Edson Vidigal, como fortes pré-candidatos na busca por uma vaga na Câmara Federal, além de outros nomes. O PDT é o que apresenta a melhor nominada para a disputa, mas pode acabar mais uma vez sem representação.

De acordo com Hilton Gonçalo, a prioridade no momento de Carlos Lupi é eleger deputados federais, uma vez que o partido perdeu nove parlamentares para os recém-criados PROS e SDD. “Devemos nos fortalecer. O Lupi tem passado essa missão para nós e podemos fazer isso, através da nossa candidatura”, completou.

Hilton Gonçalo cobra acordo com PDT e diz que mantém pré-candidatura ao governo do Maranhão

Hilton Gonçalo quer cumprimento de acordo fechado com PDT sobre sua candidatura

Ex-prefeito de Santa Rira quer cumprimento de acordo fechado com PDT sobre sua candidatura

Ex-prefeito reafirmou que permaneceu no partido por conta da promessa de que se a legenda não indicasse o nome da vaga de vice-governador, ele teria espaço garantido na disputa majoritária

O pré-candidato ao governo do Maranhão pelo PDT, Hilton Gonçalo, ainda não desistiu da possibilidade de colocar o seu partido em um papel de protagonismo na eleição deste ano. Defensor ferrenho da tese de candidatura própria, o ex-prefeito de Santa Rita garante que os pedetistas e ele mesmo não irão desistir assim tão fácil da possibilidade de lançar um nome para a disputa do governo.

Hilton Gonçalo reafirmou que permaneceu no partido por conta da promessa de que se a legenda não indicasse o nome da vaga de vice-governador, ele teria espaço garantido na disputa majoritária e agora exige o cumprimento desse acordo. “Já que o PDT não terá candidato a vice-governador. Agora é a hora do partido mostrar sua força. Temos a maior militância do Estado no campo da oposição. Não podemos nos desvalorizar”, argumentou.

Apesar disso, o ex-prefeito de Santa Rita é otimista em acreditar que o acordo do partido com ele será cumprido à risca. “Eu não trabalho com a hipótese de descumprimento do acordo. A gente tem algumas reuniões ainda. Esse anúncio do PSDB como componente da chapa ainda foi recente. Estamos em período de negociações”, ressaltou.

De acordo com Hilton Gonçalo, o secretário-geral do PDT, Weverton Rocha, foi o responsável por conduzir o acordo. “Quero apenas o cumprimento do que foi acordado. Eu quero lançar minha pré-candidatura ao governo”, reiterou.

Negociações

O pedetista diz que a legenda possui bons nomes para a disputa e que, inclusive, a proposição partiu da própria direção nacional, uma vez que o presidente nacional fez parte da rodada de negociações em torno do acordo. “A gente reivindica que o partido tenha candidatura, inclusive outros nomes também já entraram em pauta. Nomes que têm condições de disputar, mas hoje eu sou o que melhor pontua nas pesquisas internas. O próprio presidente nacional, Carlos Lupi, reforçou as negociações”, lembrou.

Mesmo levando em consideração o desejo de ser o pré-candidato ao governo pelo PDT, Gonçalo reafirma que essa decisão está a cargo da direção nacional do partido.

A respeito da eleição proporcional, Hilton Gonçalo acredita que será prejudicial para a legenda caso permaneçam em um chapão. “O PDT hoje tem apenas dois deputados estaduais e um federal. Eu acredito que se a gente for para o ‘chapão’ a gente vai sair bastante diminuído no processo eleitoral”, afirmou.

A viabilidade

Apesar da competitividade acirrada entre os dois principais pré-candidatos ao governo do Estado, o pedetista acredita que há possibilidades e viabilidade para a propositura de uma candidatura alternativa.

Essa teoria de Gonçalo é oriunda, principalmente, de sondagens feitas por ele que demonstram um grande espaço ainda a ser trabalhado.

Com mudanças no cenário político, Hilton Gonçalo reacende pré-candidatura

Ex-prefeito de Santa Rira, Hilton Gonçalo, ressurge como pré-candidato ao governo do Maranhão

Ex-prefeito de Santa Rira, Hilton Gonçalo, ressurge como pré-candidato ao governo do Maranhão

Com as recentes mudanças no cenário político do Maranhão visando às eleições de outubro, o ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, admite estar recebendo ligações de dirigentes do PDT para discutir, com urgência, uma possível candidatura majoritária. O convite foi recebido com exaltação, já que ele ainda não havia desistido do projeto de disputar o governo do Estado.

A bandeira da candidatura própria renasce no momento em que aumenta a possibilidade do PSDB emplacar um nome para compor chapa com o pré-candidato ao governo pelo PCdoB, Flávio Dino. O PDT pleiteava o posto de postulante a vice-governador e alega que havia um acordo de 2012 com  a oposição que estaria sendo rompido.

Por outro lado, a saída da deputada estadual Eliziane Gama (PPS) da disputa pelo governo do Maranhão também abriu espaço para uma chamada candidatura de terceira via.

“Nossa candidatura é viável”, afirmava Hilton Gonçalo ao responder às ligações que se intensificaram neste final de semana. Com o ressurgimento da pré-candidatura, os debates internos dentro do PDT seguem de forma frenética para candidatura própria.

Nesse intervalo de mudanças no cenário político, Hilton já esteve reunido com o presidente do PMN, deputado estadual Eduardo Braide. Tem buscado dialogar com PR, PROS, PTC e PP sobre alianças para as eleições de outubro.

PDT apenas “joga” para tentar emplacar vice de Flávio Dino

Setores da Imprensa propagaram com euforia as inserções do PDT (veja vídeo) que trazem o ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, em destaque, figurando como “provável” pré-candidato do partido ao governo do Estado em 2014 com aparições desde a última segunda-feira (04). Mas tudo não passa de uma “jogada amadora” e estratégia de pressão contra o PCdoB, partido que comandará a oposição no pleito do ano que vem.

Na verdade, os dirigentes da sigla “jogam” e pressionam para tentar emplacar o candidato a vice na chapa do pré-candidato do PCdoB ao governo, Flávio Dino, ancorados em uma cobrança de fatura de um acordo que teria sido selado, apenas de boca, após as eleições municipais passadas. E agora usam o ex-prefeito de Santa Rita como “instrumento de pressão” para tentar valer o que foi “acertado”.

O deputado federal Weverton Rocha, um dos comandantes do partido no Estado, vem demonstrando “ciúmes” com a aproximação entre Flávio Dino e o presidente estadual do PSDB, deputado federal Carlos Brandão, cotado para vice do pré-candidato comunista em uma aliança.

Temos que considerar que o PDT, por sua história e seus quadros, é legítimo para disputar as eleições de 2014. No entanto, Hilton Gonçalo não tem densidade eleitoral suficiente para ser ele o candidato a governador e, nem muito menos, funciona bem como “instrumento de pressão” por ser apagado e apático.

Maior densidade

No partido, há nomes com maior densidade como a odontóloga Rosângela Curado, que desponta como grande liderança política na região tocantina; o ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo, o deputado estadual Carlinhos Amorim, que disputou as eleições municipais passadas em Imperatriz, e outros.

Em fatos, o que o PDT quer com essas inserções é se valorizar e ameaçar lançar candidato próprio e, com isso, pressionar a indicação para a vaga de vice na chapa de Flávio Dino.

Agora, pressionando o PCdoB com Hilton Gonçalo, dificilmente, o PDT assustará o PCdoB ou vencerá a parada. Ameaça mesmo talvez seria dizer que o partido iria lançar Rosângela Curado ao governo do Estado. Aí, sim, seria motivo de preocupação para Flávio Dino. E como seria…