Cai o comandante da PM; Coronel Frederico Pereira assume cargo

O coronel Marco Antônio Alves não é mais o comandante da Polícia Militar do Maranhão

O coronel Marco Antônio Alves não é mais o comandante da Polícia Militar do Maranhão

O coronel Marco Antônio Alves não é mais o comandante da Polícia Militar do Maranhão. Ele foi exonerado pelo governo nesta terça-feira (13).

Alves será  substituído pelo coronel José Frederico Gomes Pereira, que assume, a partir de agora, o Comando Geral da Polícia Militar.

O subcomando geral será ocupado pelo coronel Jorge Luongo, substituindo coronel Raimundo Nonato Santos Sá.

Em nota oficial, o governo do Estado  agradeceu, publicamente, o trabalho, dedicação e empenho do coronel Alves durante o período em que comandou a Polícia Militar do Maranhão.

NOTA DO GOVERNO

O Governo do Maranhão informa a substituição no Comando Geral da Polícia Militar do Estado do Maranhão.

O Governo do Estado agradece publicamente o trabalho, dedicação e empenho do coronel Alves durante o período em que comandou a Polícia Militar do Maranhão.

O coronel Marco Antônio Alves será substituído pelo coronel José Frederico Gomes Pereira, que assume o Comando Geral da Polícia Militar.

São Luís, 13 de janeiro de 2016.
Governo do Estado do Maranhão

Menina de 9 anos volta para casa após ter desaparecido

TV Guará

Familiares comemoraram

Familiares comemoraram

A menina Juliana, de 9 anos, voltou para casa depois de ter desaparecido na manhã dessa quarta-feira (13), segundo informações da equipe de reportagem da TV Guará.

De acordo com familiares, ela teria desaparecido por volta das 11 horas quando saiu para comprar um galeto nas proximidades da sua residência, no Jardim Araçagy II. O caso causou grande comoção nas redes sociais.

Ainda não há informações sobre o que teria acontecido com ela.

Saiba mais sobre o caso no Maranhão Acontece, às 19hrs, no canal 23.

Ex-deputado cita Sarney e reeleição de FHC em termos de delação premiada

Informoney

Em matéria do último final de semana, a Folha de S. Paulo informou que Corrêa disse ter informações que podem comprometer cerca de cem políticos

Em matéria do último final de semana, a Folha de S. Paulo informou que Corrêa disse ter informações que podem comprometer cerca de cem políticos

Os termos da delação premiada do ex-deputado Pedro Corrêa no âmbito da Lava Jato já estão prontos. E, segundo aponta o colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, o ex-parlamentar pernambuco diz ter contado “tudo de podre que sabe desde que foi eleito deputado pela primeira vez, em 1978, pela Arena”.

Segundo o colunista, as histórias passam pela distribuição de rádios na época de José Sarney (PMDB-AP) – presidente entre 1985 e 1990 – e pela reeleição de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que foi presidente entre 1995 e 2002.

Em matéria do último final de semana, a Folha de S. Paulo informou que Corrêa disse ter informações que podem comprometer cerca de cem políticos. Dentre eles, dois ministros do governo da presidente Dilma Rousseff: o chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, e o titular da Defesa, Aldo Rebelo, além do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Ontem, foi noticiado que o ex-diretor internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, delatou uma propina ao Governo FHC de US$ 100 milhões através da operação de compra envolvendo a empresa petrolífera Pérez Companc. Pelo Facebook, FHC rebateu: “afirmações vagas como essa, que se referem genericamente a um período no qual eu era presidente e a um ex-presidente da Petrobras já falecido (Francisco Gros), sem especificar pessoas envolvidas, servem apenas para confundir e não trazem elementos que permitam verificação”.

Cemar é obrigada a pagar multa de R$ 5 mil a cada consumidor de Alto Parnaíba

cemar

A Justiça determinou que a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) pague multa, no valor de R$ 5 mil, a cada consumidor do município de Alto Parnaíba por descumprimento de sentença judicial.

A sentença, transitada em julgado em outubro de 2013, exigiu a regularização do fornecimento de energia elétrica no município, acolhendo pedido de Ação Civil Pública de obrigação de fazer ajuizada pelo Ministério Público do Maranhão contra a Cemar.

A determinação para o pagamento de multa foi provocada por requerimento do titular da Promotoria de Justiça da Comarca de Alto Parnaíba, Tiago Quintanilha Nogueira. Assinou a decisão a juíza Vanessa Machado Lordão. O Ministério Público solicitou a conversão da obrigação de fazer em perdas e danos, fixando multa de R$ 5 mil.

ENTENDA O CASO

A Promotoria de Justiça da Comarca de Alto Parnaíba ajuizou Ação Civil Pública de obrigação de fazer contra a Cemar, em virtude das constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica no município. A Justiça acolheu o pedido e condenou, em 22 de maio de 2013, a empresa a proceder a adequação técnica de suas instalações, para fornecer ao município de Alto Parnaíba energia de forma constante, geral, adequada, eficiente e segura.

Foi determinado na sentença que, após o trânsito em julgado, a empresa condenada comprovasse, no prazo de três meses, a adoção das providências. Foi estabelecido, ainda, que o não cumprimento da determinação implicaria na conversão de perdas e danos, fixando multa de R$ 5 mil a ser paga a cada consumidor que se habilitar na ação.

A sentença do Processo nº 14-62.2002.8.10.0065 transitou em julgado em outubro de 2013. A Cemar havia informado que tinha cumprido as medidas determinadas na sentença. No entanto, o Ministério Público comprovou que as providências não haviam sido tomadas e os problemas no fornecimento de energia elétrica no município persistiam. Diante da questão, o promotor de justiça requereu o pagamento da multa.