Partidos do grupo Sarney seguem cada vez mais separados

Partidos do grupo Sarney como MDB, PV, PSD e PSC poderão seguir palanques opostos

Antes tido como um grande grupo político, tanto no volume de vitórias, votos e cargos, quanto no número de partidos políticos, o grupo Sarney passou por todo um processo de desidratação e a cada dia fica ainda mais separado.

Para as eleições de 2020 em São Luís, o grupo, possivelmente, não estará no mesmo palanque.

Pelo menos dois integrantes do grupo Sarney já são colocados como pré-candidatos, que são o deputado estadual Adriano Sarney (PV) e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). No caso de confirmação da candidatura de Roseana após a convenção, PV e MDB seguirão em lados opostos, já que o deputado Adriano afirma não desistir da pré-candidatura em nenhuma hipótese.

Na outra ponta, o PSD do deputado federal Edilázio Júnior e o PSC do também deputado federal Aluísio Mendes podem seguir palanques opostos. O PSD e o PSC já têm conversas avançadas com o pré-candidato Eduardo Braide (Podemos). O que mostra que em 2020 o grupo Sarney caminha para perder ainda mais o status de grupo.

Eleições de 2020 podem mudar composição da Alema

Parlamentares estaduais já se colocam como pré-candidatos para as eleições em 2020

As eleições municipais de 2020 podem alterar a composição das bancadas na Assembleia Legislativa do Maranhão. Pelo menos, dez parlamentares devem disputar as eleições municipais em 2020.

Em São Luís, os deputados estaduais Duarte Júnior, Neto Evangelista, Wellington do Curso, Adriano Sarney e Dr. Yglésio já se colocam como pré-candidatos.

O deputado Professor Marco Aurélio já é um dos pré-candidatos a prefeito em Imperatriz e já aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenções de voto.

Outro que pode disputar a eleição na cidade de Tuntum é o deputado estadual Fernando Pessoa. Rigo Teles já é um dos pré-candidatos em Barra do Corda. Já o deputado estadual Leonardo Sá pode disputar a eleição na cidade de Pinheiro.

O nome do deputado estadual Rafael Leitoa vem sendo dado como uma das opções na cidade de Timon e Zito Rolim como pré-candidato na cidade de Codó, mas ambos ainda não confirmaram.

Econométrica publica resultados para a Prefeitura de São Luís

O instituto Econométrica ouviu 938 eleitores nos dias 17 e 18 de dezembro. A margem de erro é de 3,4% para mais ou para menos

O Instituto Econométrica mediu como andam as intenções de voto na corrida eleitoral para a Prefeitura de São Luís, em 2020. Os números servem como base para as estratégias de campanha e para uma melhor clareza dos cenários.

Na pesquisa, Eduardo Braide aparece na frente com 44,9%; seguido de Duarte Jr com 9,9%; Wellington do Curso tem 7,9%; Neto Evangelista 7,2%; Tadeu Palácio tem 6,1%; Bira do Pindaré 3,5%; Adriano Sarney tem 3,0%; Osmar Filho 2,5%; Jeisael Marx aparece 2,0%; Dr.Yglésio 1,4%; Rubens Jr. tem 0,7% e Madeira 0,1%.

Em outro cenário, quando é colocado o nome da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), Eduardo Braide lidera com 40,4%, Roseana vem em seguida com 11,4%; Duarte fica em terceiro lugar com 9,6%; Wellington do Curso vai a 7,4%; Neto Evangelista, 7,1%; Tadeu Palácio 5,5%; Bira do Pindaré 3,3%; Osmar Filho 2,1%; Jeisael Marx 2,0%; Dr.Yglésio 1,4%; Rubens Jr pontua com 0,7% e Madeira crava 0,2%.

No item rejeição, Roseana Sarney lidera com 35,5%. O instituto Econométrica ouviu 938 eleitores nos dias 17 e 18 de dezembro. A margem de erro é de 3,4% para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95%. (Com informações do Blog John Cutrim).

Adriano Sarney reafirma pré-candidatura mesmo com Roseana na disputa

Mesmo com a garantia da pré-candidatura pelo PV, o MDB, outro partido que o grupo Sarney dirige, não deve declarar apoio ao parlamentar.

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) está decidido a oferecer seu nome para disputar a eleição pela Prefeitura de São Luís, em 2020, na convenção do partido. Um dos grandes debates das últimas semanas foi se, em caso da presença da ex-governadora Roseana Sarney na disputa, seu nome permaneceria. O parlamentar reafirmou que continua firme como pré-candidato.

“No que diz respeito a minha pré-candidatura a prefeito de nossa capital após recentes movimentos envolvendo a ex-governadora Roseana Sarney, da qual sou aliado e sobrinho, nada muda. Reafirmo minha pré-candidatura escolhida pela unanimidade de meus correligionários e agora chancelada pelo presidente nacional do partido como uma das prioridades do PV em nível de Brasil”, afirmou Adriano.

Mesmo com a garantia da pré-candidatura pelo PV, o MDB, outro partido que o grupo Sarney dirige, não deve declarar apoio ao parlamentar.

Ao que tudo indica, Roseana Sarney não deve encarar mais uma disputa eleitoral, mas caso isso venha a acontecer, seria a primeira vez que dois nomes do grupo Sarney estariam disputando uma mesma eleição para o mesmo cargo.

PV oficializa pré-candidatura de Adriano Sarney

O anúncio aconteceu após votação no encontro do Partido Verde (PV) na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

O deputado estadual foi oficializado, na noite de ontem (21), como pré-candidato ao cargo de prefeito de São Luís nas eleições do ano que vem. O anúncio aconteceu após votação no encontro do Partido Verde (PV) na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

O encontro contou com a participação de políticos, lideranças comunitárias, militantes e simpatizantes do PV em todo o estado. A cerimônia também serviu para nomear o ex-deputado federal Sarney Filho como presidente de honra no estado.

No encontro também foram lançadas as bases para as eleições de 2020 no Maranhão. A intenção do partido é lançar candidaturas fortes no máximo de municípios possíveis.

O membro do Diretório Nacional, Ivanilson Gomes, realizou uma consulta prévia entre os presentes e colocou à disposição dos participantes a decisão sobre as eleições da capital maranhense. O nome do deputado estadual Adriano Sarney foi aclamado por todos os presentes que optaram por oficializar sua pré-candidatura. Com a decisão dos presentes, o parlamentar é o primeiro pré-candidato oficializado na disputa eleitoral de São Luís em 2020.

Adriano Sarney e Roseana Sarney em palanques separados nas eleições de São Luís?

O comentário desta quinta-feira (7), é sobre a possível candidatura da ex-governadora Roseana Sarney para prefeitura de São Luís, Adriano Sarney afirma que também será candidato

Um tanto quantos improvável que nas próximas eleições municipais em São Luís, dois nomes do grupo Sarney estejam na disputa e ainda mais, encabeçando candidaturas diferentes.

O comentário desta quinta-feira (7), é sobre a possível candidatura da ex-governadora Roseana Sarney na eleição para a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Pelos últimos resultados, como a derrota para o governador Flávio Dino (PCdoB), em 2018. A ex-governadora não entraria em uma nova disputa para perder. No máximo um cargo no legislativo federal ou estadual seria o que Roseana, nos seus 66 anos de idade toparia.

Um outro detalhe é que o deputado estadual Adriano Sarney (PV) afirma para todos que não retira seu nome em nenhuma hipótese.

O que reforça que a eleição na capital não terá dois nomes do grupo Sarney. Se unidos já não garantem vitórias majoritárias, imagine separados.

Veja os números da pesquisa Escutec/O Estado

O Instituto Escutec ouviu 1002 eleitores em São Luís entre os dias 12 e 17 de outubro. A margem de erro é de 3,1 para mais ou para menos

O Instituto Escutec divulgou sua pesquisa de intenções de votos para a disputa pela prefeitura de São Luís, para 2020. A pesquisa foi encomendada pelo jornal O Estado do Maranhão.

De acordo com os números, o deputado federal Eduardo Braide (PMN) segue na liderança, não muito distante, alguns nomes apoiados pelo governador Flávio Dino (PCdoB) aparecem com números bastante significativos.

No cenário espontâneo, quando não são apresentados os nomes dos postulantes, Eduardo Braide aparece com 25,2%. Em seguida surgem os nomes dos deputados estaduais Neto Evangelista (DEM) e Duarte Júnior (PCdoB) com 3%, logo depois estão Wellington do Curso 2% e Adriano Sarney 1,5%.

No cenário estimulado com 15 nomes, Braide aparece em primeiro lugar com 42,6%, em seguida Duarte Jr. 10%, Neto Evangelista com 8,8% e Wellington do Curso com 8,2%.

Os outros nomes são: Tadeu Palácio (PSL) 4,8%; Adriano Sarney (PV) 4,5%; Bira do Pindaré (PSB) 4,0%; Osmar Filho (PDT) 3,1%; Dr. Yglésio (PDT) 1,8%; Coronel Monteiro (PSL) 1,7%; Jeisael Marx (Rede) 1,1%. Rubens Júnior (PCdoB), Sílvio Antônio (PSL), Allan Garcês (PSL), Carlos Madeira (Sem partido) aparecem com 1%.

Nenhum deles 1,4%. Não sabem ou não opinaram somam 4,0%.

O Instituto Escutec ouviu 1002 eleitores em São Luís entre os dias 12 e 17 de outubro. A margem de erro é de 3,1 para mais ou para menos.

Após anos de união, MDB e PV estarão em palanques separados

Roberto Costa já afirmou que o MDB não vai apoiar um nome do PV de Adriano Sarney, confirmando os planos do presidente da legenda, João Alberto

Ao que tudo indica, duas legendas com históricos no grupo Sarney, MDB e PV, estarão em palanques separados nas eleições pela prefeitura de São Luís, em 2020.

O PV, presidido no Maranhão pelo deputado estadual Adriano Sarney, já bateu o martelo e deve lançar um nome para a prefeitura da capital e este, deve ser o próprio Adriano, que para aliados, já declarou que vai entrar na disputa em qualquer das circunstâncias.

Já o MDB, presidido pelo ex-senador João Alberto, trabalha pela escolha de um outro nome que represente o esforço de reerguer o MDB no estado. Resume-se que este não seja um nome do PV.

Até mesmo o deputado estadual Roberto Costa, aliado de primeira hora de João Alberto, já afirmou que as únicas opções debatidas dentro do MDB são, lançar um nome próprio ou apoiar a candidatura do deputado estadual Neto Evangelista (DEM), afastando de vez o apoio ao nome de Adriano Sarney.

Sem a união das duas legendas, o grupo Sarney pode ter nas eleições de 2020, uma outra derrota, complicando seus planos de voltar ao poder em 2022.

Alema promulga leis de autoria dos deputados Zé Inácio, Adriano e Neto Evangelista

Uma das leis dispõe sobre a presença de intérprete de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) nas exibições de eventos públicos e privados culturais e sociais

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa promulgou, na sessão de quinta-feira (5), três leis derivadas de projetos de autoria dos deputados Zé Inácio (PT), Adriano (PV) e Neto Evangelista (DEM). De autoria do deputado Zé Inácio, a Lei 11.096 obriga os estabelecimentos comerciais situados no Estado do Maranhão a disponibilizarem, para consulta, o Código de Defesa do Consumidor.

Logo no seu primeiro artigo, primeiro parágrafo, a referida lei destaca a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais também serem obrigados a disporem de exemplares do Código de Defesa do Consumidor em linguagem Braille, objetivando atender às necessidades das pessoas com deficiência visual.

Em sua justificativa, o parlamentar destaca que as regras contidas na lei visam alcançar a política estadual das relações de consumo, com base no que dispõe o Art. 24 da Constituição Federal. Ele também ressalta que existem no Brasil, atualmente, algo em torno de 6,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual e que um de seus principais objetivos ao elaborar essas regras foi exatamente o de propiciar às pessoas com deficiência visual o acesso ao Código do Consumidor.

Libras em eventos públicos

Oriunda de um projeto de autoria do deputado Neto Evangelista, a Lei 11.097 dispõe sobre a presença de intérprete de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) nas exibições de eventos públicos e privados culturais e sociais.

Ela destaca, em seu artigo 1º, que  os organizadores de eventos públicos e privados culturais e sociais no Estado do Maranhão ficam responsáveis por oferecer interpretação do texto correspondente em Linguagem Brasileira de Sinais – LIBRAS.

Ele acrescenta ainda que a Lei Estadual 8.708 de 16 de novembro de 2007, já reconhece oficialmente, no Estado do Maranhão, como meio de comunicação objetiva e de uso corrente, a linguagem gestual codificada na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), como meio de comunicação objetiva e de uso corrente.

Bancos terão de receber contas de outras instituições

Oriunda de um projeto de autoria do deputado Adriano (PV), a Lei 11.095 estabelece, no artigo 1º, a obrigatoriedade das agências bancárias em receber contas de água, luz, gás, telefone e taxas diversas, de todas as esferas de poder de outras instituições financeiras, tanto públicas como privadas, mesmo que o cliente não seja correntista do banco recebedor. 

Destaca a referida Lei, em seu artigo 2º, que os bancos ficarão obrigados a fixar avisos em locais de fácil visibilidade a todos os clientes que estejam na instituição, acerca do recebimento de pagamento das contas mencionadas no artigo 1º, por meio do atendimento presencial nos caixas da agência, com clara alusão à Lei X.XXX/2027

O descumprimento da lei sujeitará o infrator ao pagamento de multas, nos termos do Código de Defesa do Consumidor. Para justificar sua iniciativa, o deputado Adriano ressalta que a referida lei é benéfica tanto para a classe bancária como para a população.