Alemanha suspende financiamento de R$ 155 milhões para projetos de preservação da Amazônia

O anúncio foi feito pela ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, ao jornal “Tagesspiegel”

Em decisão que “reflete a grande preocupação com o aumento do desmatamento na Amazônia brasileira”, a Alemanha congelou R$ 155 milhões para o financiamento de projetos de proteção da floresta. O anúncio foi feito pela ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, ao jornal “Tagesspiegel”.

Em nota, a embaixada alemã no Brasil explicou que “a suspensão só concerne recursos que foram destinados a novos projetos financiados pelo Ministério Federal do Meio Ambiente. Os projetos financiados pelo Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento, incluindo o Fundo Amazônia, estão prosseguindo”.

Ao jornal alemão, Schulze afirmou que “a política do governo brasileiro na Região Amazônica deixa dúvidas se ainda se persegue uma redução consistente das taxas de desmatamento”. A ministra explicou ainda que o financiamento poderá ser retomado caso essa questão seja esclarecida.

De acordo com a reportagem,  o primeiro passo do congelamento se refere a um montante de cerca de 35 milhões de euros, o equivalente a cerca de R$ 155 milhões.

A publicação alemã ressaltou que a iniciativa internacional de mudança climática do ministério alemão forneceu historicamente fundos significativos para projetos no Brasil. De 2008 até o ano passado, de acordo com a pasta, informa o “Tagesspiegel”, cerca de 95 milhões de euros foram repassados, ou pouco mais de R$ 420 milhões.

A reportagem diz ainda que, “enquanto o governo do presidente da direita, Jair Bolsonaro, está comprometido com o objetivo do Acordo Climático de Paris de reduzir o desmatamento ilegal de florestas a zero até 2030 e o reflorestamento massivo, a realidade é diferente. Um dos maiores defensores de Bolsonaro é o lobby agrário”.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os alertas do desmatamento dispararam no mês passado. Em julho, foram atingidos 2.254,9 km². No mesmo mês em 2018, esse índice ficou em 596,6 km². Comparando ambos os lados, trata-se de um aumento de 278%.

Othelino Neto faz caminhada na Alemanha e tem recepção calorosa

Durante o trajeto, Othelino conversou com moradores e ouviu pedidos por melhorias para a região

As ruas do bairro da Alemanha se transformaram em um mar de gente, no início da noite de segunda-feira (10), durante caminhada do deputado estadual Othelino Neto (PC do B), ao lado do candidato a deputado federal, Batista Matos, em São Luís. Pessoas vindas do Caratatiua, Apeadouro, Ivar Saldanha, Formosa e Irmãos Coragem acompanharam a mobilização.

Durante o trajeto, Othelino conversou com moradores e ouviu pedidos por melhorias para a região. “Tive a oportunidade de conhecer alguns moradores e ouvir os problemas da comunidade. A caminhada foi bastante proveitosa e pude sentir que estamos no caminho certo, rumo à vitória”, afirmou.

Durante o trajeto, Othelino conversou com moradores e ouviu pedidos por melhorias para a região

Dona Eunice da Costa, uma das moradoras mais antigas do bairro, elogiou a atitude do parlamentar. “Othelino vir até a nossa casa, parar para nos ouvir e conhecer de perto os problemas de nossa região, faz com que possamos confiar no seu trabalho como deputado. Estamos confiantes de que de que vamos poder contar com ele nos próximos quatro anos”, ressaltou.

O candidato a deputado federal, Batista Matos, líder da região, também participou da caminhada ao lado do presidente da Assembleia Legislativa. “Fizemos uma bela caminhada, conversando com os moradores e levando as propostas do deputado Othelino a toda comunidade do bairro da Alemanha e adjacências. Mostramos que ele é um homem íntegro e que representa bem o povo no Legislativo”, disse.

Durante o trajeto, Othelino conversou com moradores e ouviu pedidos por melhorias para a região

O líder comunitário Julinho e o vereador Marcelo Poeta também caminharam ao lado de Othelino Neto pelo bairro da Alemanha.

Reunião discute regularização fundiária em áreas da Camboa, Liberdade, Alemanha e Fé em Deus

O vereador de São Luís, Raimundo Penha (PDT), acompanhou uma reunião entre a secretária estadual das Cidades, Flávia  Alexandrina, e o secretário de Urbanismo do Município, Leonardo Andrade, na sede da Secid, em São Luís, para tratar da regularização fundiária de áreas dos bairros da Liberdade, Camboa, Alemanha e Fé em Deus. Eles acertaram um novo encontro para o dia 26 de julho em que eles vão definir um cronograma de trabalho para uma equipe técnica que será instituída.

 

Na Câmara Municipal de São Luís, Raimundo Penha é autor de requerimentos, solicitando a regularização fundiária de áreas dos bairros da Liberdade e da Alemanha. “Considero, extramente, positiva a parceria entre governo do Estado e prefeitura de São Luís para resolver um problema como o da regularização fundiária, que pode mudar a vida das pessoas, garante cidadania e a segurança também”, disse o vereador.

A regularização fundiária consiste no conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que visam à regularização de assentamentos irregulares e à titulação de seus ocupantes, de modo a garantir o direito social à moradia, o pleno desenvolvimento das funções sociais da propriedade urbana e o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Entenda o processo

Conflitos sociais impulsionaram o Estado a intervir e a instituir políticas de regularização fundiárias nas áreas urbanas, entre elas, as áreas de domínio da União. Para tanto, o acesso à terra pública, à área da União, ocupada irregularmente, passou a ser alvo dessa política de inclusão social que se consolidou, entre outros instrumentos de regularização fundiária urbano, com a concessão de uso especial para fins de moradia no acesso democrático a essas áreas e que, em São Luís, já é uma realidade vista nos bairros da Liberdade e da Camboa.

O processo de urbanização das cidades brasileiras que aconteceu de forma acelerada a partir da segunda metade do século XX, motivada principalmente por uma mudança do modelo econômico de agro-exportador para industrial, trouxe como consequência um vertiginoso aumento do consumo por espaços urbanos.

Espaços fragmentados pelas necessidades dos agentes econômicos que, caracterizados por uma acentuada diferença na implantação de infraestrutura, transformaram o valor do solo e trouxeram para as cidades enormes problemas socioeconômicos e urbanísticos, principalmente para a população de baixa renda, que passaram a ocupar setores denominados de aglomerados subnormais.

ATENÇÃO, SEMOSP! Moradores cobram recuperação de rua na Alemanha

img-20161108-wa0003 img-20161108-wa0001

O blog presta um serviço de utilidade pública aos moradores da Rua Doutor José Murta, na Alemanha. Eles pedem à Secretaria Municipal de Obras e Serviços (Semosp) que recupere a via que está cheia de buracos. As fotos foram encaminhadas por um atento leitor.

Os moradores solicitam que a rua seja incluída no programa “Mais Asfalto”, realizado em uma parceria entre o governo do Maranhão e a Prefeitura de São Luís.

O blog agradece o contato e o envio de fotos para este espaço e pede a colaboração da Prefeitura de São Luís, via Semosp, para a devida recuperação da via.

Raimundo Penha realiza caminhada da juventude na Alemanha

caminhada-penha

O candidato a vereador pela coligação “Juntos para seguir em frente”, Raimundo Penha (PDT), levou milhares de pessoas às ruas da Alemanha neste final de semana. A concentração foi em frente ao colégio Luís Viana e depois seguiu por várias ruas e avenidas do bairro. Por onde passou a caminhada do 12012 recebeu a alegria e o carinho dos moradores.

Um dos grandes organizadores da caminhada, André Leal, coordenador do Grupo “Amigos Leais”, ressaltou a importância de ter o apoio do candidato e falou sobre as ações que já são desenvolvidas por Raimundo Penha na comunidade.

A receptividade dos moradores ao candidato Raimundo Penha foi à tônica de toda caminhada, por onde passou Raimundo recebeu o carinho e o incentivo das pessoas da comunidade. No final do percurso, Penha e os participantes da ação reuniram-se no ponto de apoio do candidato, localizado na Rua Luís de Carvalho, e Penha discursou aos presentes reforçando seu compromisso com a Alemanha.

Penha reforçou que já vem atuando na Alemanha em diversos projetos na área do esporte, cultura e lazer.

“Nós já apoiamos diversos projetos aqui na comunidade e o fazemos, por entender que, podemos sim ajudar o bairro a se desenvolver, proporcionar melhorias e criar oportunidades para quem aqui reside. A juventude da Alemanha tem nosso carinho e cuidado através de ações no esporte, cultura e incentivo ao protagonismo juvenil, mais ainda temos muito por fazer, sobretudo na qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho”.

CAMPEÃ COM JUSTIÇA – “O maraca é deles uhuuu…”

Seleção alemã fez uma bela campanha e faturou o título de campeã do mundo

Seleção alemã fez uma bela campanha e faturou o título de campeã do mundo

A Seleção da Alemanha festeja, com todo o direito, o título de campeã da Copa do Mundo. “Los germanos” tiraram o sonho de “los hermanos” argentinos e venceram a final do mundial por 1 X 0, neste domingo (13),  na prorrogação, no Maracanã, com categoria.

A Alemanha fez uma bela campanha no mundial e garantiu, com méritos, o título de campeã. Já a Seleção Brasileira teve a defesa mais vazada da Copa e conquistou outros títulos negativos que é bom nem lembrar aqui.

Bom, mas o Blog parabeniza a Alemanha, que venceu a Argentina, e reconhece que o título foi merecido. Los germanos, então, fizeram a festa no nosso “Maraca”. E nós agora cantamos: “O maraca é deles uhuuu, o maraca é deles uhuuuu…”

E AGORA, DILMA? Brasil passa vexame inédito na Copa do Mundo ao sofrer goleada histórica e humilhante

Foto Yahoo: Brasil foi humilhado, dentro de casa, com goleada histórica

Foto Yahoo: Brasil foi humilhado, dentro de casa, com goleada histórica de 7 a 1

Felipão errou e reconheceu que errou ao adotar esquema tático capenga para enfrentar a Alemanha

Felipão errou e reconheceu que errou ao adotar esquema tático capenga para enfrentar a Alemanha

Vexame inédito. Com essas duas palavras se resume a triste atuação do Brasil, na Copa do Mundo, durante o jogo humilhante contra a Alemanha, nesta terça-feira (08), quando perdeu de 7 a 1, em uma goleada histórica, jamais sofrida antes por uma Seleção Canarinho.

Bilhões e bilhões gastos com a Copa do Mundo que era um sonho para os brasileiros. Jogando mal em todas as partidas, mas, contando com a sorte e com um único homem que se pode chamar de craque, o Neymar, porém machucado e afastado, a Seleção apresentou um futebol tão pobre, ridículo e apático que surpreendeu até mesmo os jogadores e comissão técnica da Alemanha.

Após o vexame inédito, o técnico Felipão ainda pediu desculpas pelo erro bárbaro na definição do esquema tático que resultou na “surra histórica” dentro de casa. O torcedor brasileiro é quem mais sofreu com isso. Acreditou  em uma ilusão.

Muitos compraram ingressos caríssimos, deslocaram-se de suas cidades com passagens absurdas e diárias superfaturadas em hoteis para uma Copa que consumiu bilhões dos cofres públicos e que não trouxe nenhum tipo de desenvolvimento ou de melhor qualidade de vida para os brasileiros. Foram bilhões jogados fora e muito tempo perdido na torcida por uma Seleção que não representa a alegria do futebol brasileiro.

O vexame foi tão grande que, em apenas poucos minutos, a Seleção, mal armada por Felipão, já perdia por cinco a zero e assistia a um espetáculo promovido pelo talentoso time da Alemanha. E a presidente Dilma Rousseff, o que tem a ver com isso? Está fazendo o povo brasileiro pagar a conta do vexame internacional contracenado por jogadores apáticos, dependentes de Neymar e  sem habilidade.

Está explicada agora a “Neymardependência”. O Neymar fez tanta falta que a equipe deu vexame dentro de casa, provando que ele era 80% do time brasileiro com suas jogadas individuais, originárias de seu talento próprio. Que vergonha!

Lamenta-se por Neymar, mas que venha a Alemanha!

Terra

Brasil tem muitos craques, precisa superar a contusão de Neymar e partir para cima da Alemanha

Brasil tem muitos craques, precisa superar a contusão de Neymar e partir para cima da Alemanha

Ainda choramos (nós, os que gostamos do bom futebol) a perda de Neymar. Assim como Falcão Garcia, Ribery ou Ibrahímovic, tornou-se um craque fora da Copa. Pior, com ela em andamento. Mas Neymar já é passado. Está fora.

O Brasil, não. O Brasil está dentro das semifinais e vai fazer aquele que só não é o maior clássico das Copas porque o destino quis que só se encontrassem uma vez antes da próxima terça. A Alemanha é a seleção que mais chegou à finais, ao lado do Brasil. É a que mais jogou partidas, enquanto que o Brasil é o que mais disputou copas. E já venceu cinco, contra três dos rivais. Das cinco, Neymar não estava presente em nenhuma. A última foi contra a Alemanha, no único encontro entre ambos.

Sim, há – ou havia – a “Neymardependência”. E quem não depende de seu craque? Sem Messi a Argentina teria tropeçado no Irã, talvez não tivesse passado pela Suiça. Sem Robben a Holanda não teria passado pelo México. É assim em todo lugar, o craque é decisivo. Mas o futebol é feito de equipe, onze contra onze.

O Brasil tem bons jogadores. Tem a melhor defesa do Mundo, mesmo sem Thiago Silva, amarelado infantilmente. Terá possivelmente Dante (não invente, Felipão), que treina diariamente com Schweinsteiger, Muller, Gotze e outros mais no Bayern de Munique. Terá Luiz Gustavo, que levou o Wolfsburg à Liga Europa após ser preterido por Guardiola no mesmo Bayern. Terá Fernandinho, campeão inglês pelo City, Paulinho, campeão da Libertadores no Corinthians, Oscar e Hulk, destaques de Chelsea e Zenit nas últimas edições da Champions League. Está longe de ter um time fraco.

Felipão, obviamente, não está feliz com a grave lesão de Neymar. Mas em seu íntimo sabe que conseguiu o trunfo que precisava. É um técnico que precisava de um vilão desde o começo da Copa, como fez com a Espanha no ano passado. Tentou a arbitragem, não deu; tentou a imprensa, não deu. Ao perder o ídolo, poderá usar isso como trunfo. Ao contrário do que pensamos (pensamos?) os outros 22 jogadores não são ratos. Contra a Colômbia, Neymar esteve sumido e o time deu a resposta após o momento de fragilidade emocional. São homens de brio e sabem se virar sem Neymar. E vão mostrar isso.

O Brasil joga em casa. Os simpáticos alemães, que nos desculpem, passarão a condição de inimigos desde já. A ausência de Neymar colocou o Brasil contra a parede. E o povo irá reagir. Se falta uma canção, sobrarão vaias em Belo Horizonte a cada passe alemão. A cada condução de bola de Khedira, vaias. A cada passe de Ozil, vaias. Uma emoção que os europeus não estão acostumados. O clima de Libertadores, que Felipão conhece bem, é hostil demais para a civilizada Champions League. Jogar em casa é isso. Os brasileiros falam a lingua do povo, comem arroz com feijão, têm a família ao lado, gostam do clima, do ar, da bandeira e do hino. Os alemães são simpáticos convidados, agora serão convidados a se retirar.

O Brasil é maior que Neymar, não tenha dúvidas. O menino ainda terá carreira longa, poderá ser campeão sendo o protagonista futuramente. Mas essa Seleção que ai está tem outros trunfos para vencer a Alemanha e quem vier pela frente. É verdade que sem o craque este pode ser um time comum.

Mas, afinal, qual time é comum sendo Brasil?