É inaceitável que os nossos índios estejam sendo dizimados, afirma Eliziane Gama

Também será feito um relatório sobre a diligência para subsidiar as ações na Câmara dos Deputados e Senado Federal

A líder do Cidadania no Senado, Eliziane Gama (MA), integrou nesta sexta-feira(10) a comitiva composta pelos deputados federais Jôenia Wapichana (Rede), Nilto Tatto (PT) e Bira do Pindaré (PSB) que realizou uma diligência nas terras indígenas Arariboia, em Amarante do Maranhão, para averiguar a situação de conflitos na região, principalmente após os recentes assassinatos de índios.

“Nosso objetivo é combater a impunidade. É inaceitável e inadmissível que os nossos índios estejam sendo dizimados. Tão grave quanto isso é deixar os autores dessas barbaridades fiquem sem nenhuma punição. Nós iremos encaminhar esse relatório. Podem contar conosco”, afirmou Eliziane Gama durante a diligência no território Arariboia.

Os parlamentares foram acompanhados pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-MA, o advogado Rafael Silva; presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Mari Silva Maia; Tenente Coronel Araújo, comandante do 34º Batalhão de Polícia Militar da cidade de Amarante, e também pela representante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Andréa Barbosa.

Entre os encaminhamentos está a solicitação da cópia do inquérito sobre a morte do Guardião da Floresta, Paulo Paulino Guajajara. Também será feito um relatório sobre a diligência para subsidiar as ações na Câmara dos Deputados e Senado Federal. Os parlamentares se comprometeram a contribuir com a regularização das associações indígenas.

Indígenas pedem investimentos em segurança durante diligência realizada por Eliziane e parlamentares

Entre os encaminhamentos da audiência está a solicitação da cópia do inquérito sobre a morte do Guardião da Floresta, Paulo Paulino Guajajara

As lideranças indígenas presentes na audiência realizada sexta-feira (10), por comitiva de parlamentares em território Arariboia, pediram mais investimentos em equipamentos de segurança para ajudar na proteção das reservas. O pedido dos indígenas é decorrente a situação de conflito na região e aos recentes assassinatos de índios ocorridos na localidade.

O objetivo da diligência da comitiva de parlamentares foi verificar in loco a situação de conflitos na região, principalmente após os recentes assassinatos de índios. Entre as autoridades que integraram a comitiva está a senadora Eliziane Gama(Cidadania) e os deputados federais Bira do Pindaré (PSB), Jôenia Wapichana (REDE) e Nilto Tatto (PT).

Os parlamentares foram acompanhados pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/MA, o advogado Rafael Silva; presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Mari Silva Maia; comandante 34º BPM de Amarante (MA), Tenente Coronel Araújo e também pela representante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Andréa Barbosa.

Entre as lideranças indígenas presentes na audiência está o Cacique Zezé da Aldeia Juçaral, o atual coordenador Geral da Comissão dos Caciques e Lideranças da Terra Indígena Araribóia (CCOCALITIA-MA), Elias Sousa Guajajara, o representante dos Guardiões da Florestas, Silvio Guajajara que é da Coordenação das Organizações e Articulações dos Povos Indígenas do Maranhão (COAPIMA).

Entre os encaminhamentos da audiência está a solicitação da cópia do inquérito sobre a morte do Guardião da Floresta, Paulo Paulino Guajajara, também será feito um relatório sobre a diligência para subsidiar as ações na Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Eliziane integra comitiva de parlamentares em diligência na terra indígena Arariboia

A Comissão de Parlamentares do Congresso Nacional foi até as terras indígenas Araribóia para averiguar in loco a situação de conflitos na região.

Está sendo realizada nesta sexta-feira, dia 10 de janeiro de 2020, uma Diligência de Comissão de Parlamentares do Congresso Nacional nas terras indígenas Araribóia para averiguar in loco a situação de conflitos na região.

A comitiva é composta pela senadora Eliziane Gama e os deputados federais Joênia Wapichana e Nilton Tatto. Os parlamentares estão na Aldeia Juçaral, localizada no município de Amarante, interior do Maranhão.

A comitiva de parlamentares está acompanhada pela Comissão de Direitos Humanos da OAB-MA, Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, Secretaria de Estado dos Direitos Humanos, Conselho Estadual dos Direitos Humanos, Policia Federal e Funai.

Zé Inácio chama atenção para incêndio em terra indígena que já devastou quase 35% da área

 presidente da Comissão dos Direitos Humanos e das Minorias, deputado Zé Inácio

Presidente da Comissão dos Direitos Humanos e das Minorias, deputado Zé Inácio

O presidente da Comissão dos Direitos Humanos e das Minorias, deputado Zé Inácio (PT),  denunciou e, ao mesmo tempo, chamou atenção das autoridades sobre o incêndio, iniciado no dia 21 de setembro, que consome parte da Floresta Amazônica, na Terra Indígena Arariboia, situada entre os municípios de Arame, Grajaú, Santa Luzia, Bom Jesus das Selvas, Amarante e Buriticupu, a 150 km de Imperatriz, no sudoeste do Maranhão.

“Apesar dos esforços de 200 brigadistas do Ibama, as chamas já devastaram cerca de 35% da área de 413 mil hectares, onde vivem 12 mil indígenas da etnia Guajajara e aproximadamente 80 Awá Guajás”, denunciou o parlamentar.

Zé Inácio (PT) destacou ainda a importância da denuncia feita pelos indígenas. “Não podemos deixar de ouvir os indígenas, quando responsabilizam os madeireiros pelo incêndio nas suas terras, que têm trazido, além de prejuízo ambiental, risco de morte às crianças e adultos indígenas, devido à fumaça e ás altas temperaturas”.

Agilidade

Zé Inácio, como presidente da Comissão dos Direitos Humanos e das Minorias, fez contato pessoalmente com o secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável, do Ministério do Meio Ambiente Carlos Guedes, para que o Governo Federal, principalmente, através do Ibama, dê uma atenção maior ao Maranhão no que diz respeito a esse incêndio.

Carlos Guedes garantiu reforço para o combate ao incêndio. Está previsto o lançamento aéreo de dois mil litros de água com retardante, por duas aeronaves cedidas pela Aeronáutica, além da chegada de mais 30 brigadistas.