Carnaval movimentou 100 mil pessoas nos terminais de ferryboat

No Cujupe, conforme esperado, o pico foi a quarta-feira de cinzas (6), quando passaram pelo terminal: 14.121 pessoas e 1.916 veículos

De acordo com estimativa da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), cerca de 100 mil pessoas e 14 mil veículos terão passado pelos terminais da Ponta da Espera e do Cujupe em todo o período da operação de Carnaval, que compreende do dia 28 de fevereiro até 10 deste mês.

O número oficial será divulgado na próxima semana, com a movimentação dos 10 dias da operação que foi iniciada na quinta-feira que antecede o Carnaval, quando as pessoas começam a deixar a cidade, e será encerrada no domingo (8), que marca a volta daqueles que emendam a quarta-feira de cinzas com o fim de semana.

Até esta sexta-feira (8), foram contabilizados mais de 90 mil pessoas e 12,5 mil veículos nos dois terminais. Na Ponta da Espera, o sábado foi o dia de maior movimentação, com 14.852 pessoas e 1.634 veículos. No Cujupe, conforme esperado, o pico foi a quarta-feira de cinzas (6), quando passaram pelo terminal: 14.121 pessoas e 1.916 veículos.

A estimativa é de que o número total fique pouco abaixo do volume registrado no mesmo período do ano passado. “Houve movimentação intensa nos terminais em todo o período, porém sem nenhuma intercorrência. A operação foi tranquila, mesmo quando chegamos a ter um número expressivo de veículos em espera (dos que foram ao terminal sem passagem). Mas como a movimentação de ferries foi intensa a fila se movimentava rapidamente”, avalia o gerente de Terminais Externos da EMAP, Glauco Vaz.

O fluxo de passageiros e veículos transcorreu de forma segura e organizada, conforme o plano de ação, que incluiu disponibilização de viagens adicionais, reforço policial, orientação de tráfego, van para transporte de pessoas com mobilidade reduzida, redirecionamento de fluxo dentro dos terminais, além de maior oferta de ferries (ao todo sete embarcações foram colocadas na operação).

“Pudemos contar com a compreensão de parte dos usuários, que atendeu as orientações da EMAP e comprou antecipadamente sua passagem, garantindo passe livre mesmo nos dias de maior fluxo. Só ficou em fila de espera quem não garantiu a passagem com antecedência”, explica Glauco Vaz.

A EMAP organizou uma força-tarefa para as operações nesse período, que contou com a participação da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), Detran, Corpo de Bombeiros, Agência Estadual de Transporte Aquaviário e Mobilidade Urbana (MOB), Polícia Militar, além das operadoras de ferryboat.

Clayton Noleto e Carlos Lula vistoriam área do novo Socorrão de Imperatriz

A área fica na Avenida Pedro Neiva de Santana, ao lado do Hospital Macrorregional, e foi declarada de utilidade pública na última quarta-feira pelo governador Flávio Dino

Na tarde da última sexta-feira (8), o secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto, e o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, visitaram a área de 130 mil m² onde serão construídos o novo Socorrão de Imperatriz, já chamado pela população de Socorrão

II, e o Centro de Ciências da Saúde da UemaSul.

A área fica na Avenida Pedro Neiva de Santana, ao lado do Hospital Macrorregional, e foi declarada de utilidade pública na última quarta-feira pelo governador Flávio Dino, quando assinou o decreto de desapropriação. A visita dos dois secretários e da equipe técnica, que vai fazer a adequação do projeto às condições do solo, foi acompanhada de lideranças políticas de Imperatriz e cidades vizinhas, que também serão beneficiadas com a nova estrutura.

“Eles vão verificar topografia e logo após licitar a construção do hospital. Essa parte de adequação do projeto acreditamos que vamos fazer em 90 dias e depois vem o período de licitação. Mas nosso objetivo é iniciar essa obra ainda este ano para Imperatriz e Região Tocantina receber este equipamento necessário para melhorar a qualidade de vida da população”, declarou o secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto.

Para o Socorrão, que será administrado pelo governo do estado, será destacada uma área de 62 mil m², sendo 35 mil m² para a construção do prédio que vai abrigar 100 leitos de UTI e 300 enfermarias. “Com essa totalidade vamos conseguir suprir a demanda da região.

O investimento aproximado é de 150 milhões de reais”, disse o secretário sobre o custo da execução da obra.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, afirmou que com o novo Socorrão a cidade vai passar a ter a maior estrutura em termos de saúde. “Imperatriz passará a ter o maior hospital de interior do Nordeste com o custeio mensal de R$ 15 milhões a R$ 20 milhões, se falando em custo para funcionamento. Já iniciamos o de São Luís e vamos iniciar aqui em Imperatriz. Além da Saúde, melhora a economia, pois teremos cerca de 1000 empregos diretos neste hospital 24 horas”, afirmou.

Clayton Noleto também destacou a construção do Centro de Ciências da Saúde da UemaSul, área ao lado do novo Socorrão. A reitora da universidade, Elizabeth Nunes, considera o projeto arrojado. “É uma inovação, pois a UemaSul não tem curso na área da saúde e vendo que o curso de Medicina é o primeiro a ser montado, vai trazer mão de obra, pois teremos formação de recursos humanos para a região. E precisamos melhorar as estatísticas da saúde em nosso estado”, destacou. Os dois secretários encerraram a agenda com visita ao Hospital Macrorregional.

Eliziane destaca importância da participação feminina na política

Para a parlamentar, a participação feminina na política é fundamental

Reconhecida pelo trabalho de defesa da infância, da juventude, das mulheres e dos direitos humanos, a senadora Eliziane é uma legítima representante das mulheres batalhadoras do Maranhão e uma das mulheres mais influentes da política maranhense.

Para a parlamentar, a participação feminina na política é fundamental. Ela assumiu um compromisso de não permitir retrocesso das conquistas das mulheres e lutar contra a revogação da cota para mulheres.

“Reafirmo meu compromisso com o dispositivo da Lei das Eleições que reserva o mínimo de 30% das vagas destinadas pelos partidos políticos, nas eleições proporcionais, a candidatos de um dos dois sexos; o que, na prática, tem o efeito de reservar uma participação mínima de mulheres na qualidade de candidatas às eleições proporcionais. Essa reserva de 30% vem sofrendo forte ataque no Congresso Nacional, inclusive com o projeto de lei já tramitando propondo a revogação desse direito, que é fundamental na construção de uma sociedade mais equilibrada, mais igualitária entre homens e mulheres, sociedade na qual a voz feminina se faça ouvir na tomada de decisões importantes que conduzem o nosso destino como povo”, afirmou.

Eliziane tem 42 anos e 13 anos de vida pública. Foi deputada estadual (2007-2014), deputada federal (2015-2018) e eleita senadora com mais de um milhão e meio de votos.

Atualmente é a líder do PPS no Senado Federal e membro da Bancada Independente. Eliziane é autora do projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados que institui o Dia Nacional de Combate ao Feminicídio e também uma defensora de maior participação feminina na política e na ocupação de espaços na sociedade.

Lavo-Pratos de São José de Ribamar marca o encerramento da programação carnavalesca

A festa é promovida pela Prefeitura de São José de Ribamar com apoio do Governo do Estado

A animação do Carnaval prossegue para mais este fim de semana com o tradicional Lava-Pratos, em São José de Ribamar. O evento, em sua 73ª edição, será realizado no Parque Municipal do Folclore Therezinha Jansen, orla marítima da cidade, neste sábado (9) e domingo (10).

A festa é promovida pela Prefeitura de São José de Ribamar com apoio do Governo do Estado.

Para este ano, a estimativa dos organizadores é que mais de 150 mil pessoas passem no local, nos dois dias de festa. Na agenda, dez bandas para animar o público, entre elas, a voz marcante da maranhense Flávia Bittencourt e a alegria contagiante do grupo Bicho Terra.

No primeiro dia de festejo, o sábado (9), o Lava-Pratos inicia a programação a partir das 20h, com show da Banda Scorpions, seguida de Rayanne Passos e Banda e fechando com Banda Energia, que sobe ao palco por volta da meia noite.

No domingo (10), o encerramento com apresentações será a partir das 13h. Dudu N’Gandaya abre a programação, que segue com os shows dos grupos Samba de Boa, Banda Regional Fênix, Gargamel, Flávia Bittencourt, Bicho Terra e Banda Reprise, que se apresenta às 21h30.

A diversão é garantida e com segurança, a partir do esquema montado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), com o aparato da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. O planejamento foi organizado pelo Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPAM II). Policiais a pé, moto, de quadriciclo e lancha estarão a postos para atendimentos das demandas dos foliões.

O policiamento preventivo na festa de São José de Ribamar terá participação, também, da Patrulha Maria da Penha, que conta com policiamento especializado no combate ao assédio e a violência contra a mulher.

O Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv) também estará a postos com barreiras de redução de velocidade, nos principais pontos da MA-201, que liga São Luís a São José de Ribamar. O objetivo é garantir um trânsito seguro, com o trabalho de fiscalização e orientação, evitando acidentes e desrespeito às normas de trânsito.

O Carnaval Lava-Pratos é considerado por historiadores da cidade como o primeiro Carnaval fora de época do Brasil. Teve sua origem em 1946, chamado de ‘Carnaval da Vitória’, batizado após a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Começou quando a Escola de Samba Batuqueiro Naval resolveu, na terça-feira de Carnaval, visitar agremiações em São Luís, dentre elas a Turma da Mangueira, Turma do Quinto e Águia do Samba.

As escolas resolveram retribuir a gentileza no primeiro domingo da Quaresma, e deram início à peregrinação até São José de Ribamar sempre que consideradas campeãs do Carnaval da capital maranhense. Outra corrente sustenta que o nome tem relação com o dia em que os garçons, que trabalharam nos dias de Carnaval, faziam sua folia, que era sempre no fim de semana seguido do período oficial.