Michel Temer diz que governo acionou Forças Federais para desbloquear estradas

Os militares poderão entrar em caminhões, se for o caso, para retirá-los da via. Os caminhões poderão ser apreendidos e os motoristas, presos

O presidente Michel Temer disse nesta sexta-feira (25), em pronunciamento no Palácio do Planalto, que acionou forças federais para desbloquear estradas, ocupadas por caminhoneiros em greve.

Temer optou por acionar as forças federais depois de se reunir com ministros para uma avaliação de segurança no país, já que a greve dos caminhoneiros continuou, apesar do acordo firmado entre governo e representantes da categoria na noite de quinta (24).

Em razão da paralisação, faltam alimentos em supermercados e combustível em postos de gasolina. O transporte coletivo em diversas cidades foi afetado, indústrias pararam atividades e voos começaram a ser cancelados por falta de combustível nos aeroportos.

Segundo a assessoria do Ministério da Segurança Pública, as forças federais incluem Exército, Marinha, Aeronáutica, Força Nacional de Segurança e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Temer disse que tomou a decisão para evitar que a população fique sem produtos de primeira necessidade. “Não vamos permitir que a população fique sem gêneros de primeira necessidade. Não vamos permitir que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas. Não vamos permitir que crianças sejam prejudicadas pelo fechamento de escolas. Como não vamos permitir que produtores tenham seu trabalho mais afetado”, afirmou Temer.

Ainda de acordo com a assessoria, as rodovias devem ser totalmente liberadas. Com isso, caminhoneiros manifestantes não poderão ficar nem no acostamento. Os militares vão poder entrar em caminhões, se for o caso, para retirá-los da via. Os caminhões poderão ser apreendidos e os motoristas, presos.

O governo informou que já entrou em contato com governadores, para que as polícias militares também sejam utilizadas na operação para desbloquear rodovias estaduais.

Motoristas fazem filas para estocar combustível

Os motoristas se apressaram para estocar combustível logo após os primeiros sinais do aumento repentino e da falta do produto na capital

Em São Luís, durante toda a noite de quinta-feira (24), e no começo desta manhã, motoristas fizeram filas para abastecer seus carros nos postos que mantêm estoques de gasolina e diesel.

A falta de gasolina e diesel é uma consequência direta do bloqueio no transporte do combustível pela BR-135, que dá acesso ao Porto do Itaqui. Em outras cidades do interior também há registros de escassez de combustíveis em alguns postos.

Há registro da falta de combustíveis nos postos dos bairros do Calhau, Ponta D’areia e São Francisco. Os motoristas se apressaram para estocar combustível logo após os primeiros sinais do aumento repentino e da falta do produto na capital.

O que está se vendo em vários postos de São Luís, são filas quilométricas, ocasionando engarrafamentos e um caos maior no trânsito.

Caminhoneiros mantêm bloqueios em rodovias no Maranhão

14 trechos de rodovias federais no Maranhão permanecem bloqueadas. (Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal)

Mesmo após acordo com o Governo Federal, fechado na noite desta quinta-feira (24), caminhoneiros mantêm protestos pelo Brasil. Na manhã dessa sexta-feira-feira (25), protestos seguem em vários estados.

De acordo com a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), cresceu o número de interdições em rodovias pelo movimento de paralisação dos caminhoneiros no dia seguinte ao acordo comemorado pelo governo. Balanço divulgado Abcam – entidade que deixou a reunião no Palácio do Planalto e não concordou com o acordo fechado nessa quinta-feira – diz que há 521 pontos interditados nesta manhã em 25 unidades da Federação. No fim da manhã de quinta, eram 402 pontos interditados em 23 Estados. Apenas Amazonas e Amapá não têm interdições.

Grandes Estados produtores agrícolas são os que têm mais trechos rodoviários interrompidos nesta manhã. O Rio Grande do Sul lidera o ranking com 74 pontos interditados. Em seguida, aparecem Paraná (73 pontos), Minas Gerais (51 pontos), Santa Cataria (54), Mato Grosso do Sul (36), Goiás (28) e Mato Grosso (28). São Paulo tem 15 pontos interditados, Rio de Janeiro conta com 14 pontos e o Distrito Federal, sete, informa a Abcam.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores Autônomos (CNTA), principal entidade que assinou o acordo na quinta, não divulgou balanço na manhã desta sexta.

No Maranhão, 14 trechos de rodovias federais permanecem bloqueadas. Os caminhoneiros no estado decidiram continuar em greve e não aceitaram a proposta.

Em São Luís, vários postos já não possuem combustível. A falta de gasolina e diesel na cidade é uma consequência direta do bloqueio no transporte do combustível pela BR-135 e pela Vila Maranhão, que dá acesso ao Porto do Itaqui. Em outras cidades do Maranhão também há registros de escassez do produto em alguns postos.

Veja os pontos de protestos de caminhoneiros rodovias do Maranhão:

  • Açailândia: Acontece na localidade Pequiá na BR-222
  • Bacabeira: Km 46 da BR-135
  • Balsas: Paralisação ocorre nos Kms 396 e 406 da BR-230
  • Caxias: Km 544 da BR-316
  • Cidelândia: Km 299,5 da BR-010
  • Estreito: Km 131 da BR-010
  • Grajaú: Km 413 da BR-226
  • Imperatriz: Km 246 da BR-010
  • São Domingos do Azeitão: Km 216 da BR-230
  • São Luís: Kms 2, 5 e 6 e 16,2 da BR-135

Roseana Sarney é acionada pelo Tribunal Regional Eleitoral

O juiz baseia sua decisão afirmando que Roseana tenta atingir Flávio Dino de maneira pessoal, em vez de apresentar propostas

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, decidiu, na quinta-feira (24),  retirar do ar um vídeo que faz propaganda negativa contra o governador Flávio Dino (PCdoB) e em que a ex-governadora, Roseana Sarney (MDB), aparece pedindo votos.

Na decisão, o juiz Júlio César Lima Praseres decide que Roseana não poderá repercutir, por qualquer meio, a matéria produzida. O vídeo em questão foi publicado no dia 21 de maio, após um evento da pré-campanha de Roseana.

O juiz baseia sua decisão afirmando que Roseana tenta atingir Flávio Dino de maneira pessoal, em vez de apresentar propostas. A postura seria negativa para a democracia.

O juiz também afirma que o vídeo é o pedido explícito de votos, o que é vedado pela Lei Eleitoral. Em uma das partes, Roseana pede para que as pessoas “votem nos deputados estaduais que estejam nos apoiando, votem nos deputados federais que vocês estão vendo que trabalham pelo Maranhão. “

“Há, ainda, no corpo da mencionada postagem expressões que apontam para ocorrência de pedido expresso de votos para terceiros, o que é vedado pelas normas eleitorais nesse momento do processo eleitoral”, escreve o juiz.

Para ele, Roseana “se mostra dissociada da salutar discussão travada no campo das ideias, postura da representada que não se mostra compatível com o interesse coletivo. A decisão afirma que a postagem “poderá causar mais prejuízo na medida em que continua a influenciar o eleitorado de maneira indevida, podendo ocasionar desequilíbrio entre os concorrentes ao pleito eleitoral. ”

A Justiça, determinou que Roseana e o jornalista cumpram a ordem em no máximo 24h, retirando o vídeo do ar, sob pena de multa de R$ 1 mil por dia.

Suspenso, Instituto Gerir vinha sendo notificado desde 2017 para esclarecer prestação de contas

Secretário de Saúde, Carlos Lula, emitiu nota sobre a questão

O Instituto Gerir, que administrava três unidades hospitalares no Maranhão, vinha sendo notificado, desde o início do ano passado, sobre imprecisões em sua prestação de contas. Na segunda-feira (21/mai), a Secretaria de Saúde veio suspender o contrato da instituição.

Em novembro de 2017, a secretaria comunicou que o instituto tinha até dezembro do ano passado para responder dúvidas no relatório de prestação de contas referente a agosto de 2017. Segundo a Secretaria, faltavam comprovantes na prestação de contas.

O Gerir administrava três unidades hospitalares, entre elas o Hospital Carlos Macieira. A administração das unidades já foi trocada por outras instituição cadastradas.

Secretaria de Estado da Saúde esclarece sobre o fim do contrato com o Instituto Gerir

A Secretaria de Saúde lamentou que alguns representantes do Instituto Gerir resolveram reagir com ameaças e chantagens, envolvendo indevidamente uma emissora de TV

A Secretaria de Estado da Saúde informou que resolveu suspender o contrato com o Instituto Gerir, que administrava três hospitais no Maranhão, tendo em vista o descumprimento do contrato por parte da empresa. A medida foi antecedida de sucessivas notificações ao Instituto Gerir, que não estava cumprindo suas obrigações.

Chama atenção que o Instituto Gerir foi a única OS a apresentar incompreensível resistência em submeter-se às melhorias do sistema de prestação de contas de recursos públicos, o que é inaceitável nesta gestão. A suspensão do contrato visou possibilitar a melhoria dos serviços prestados à população, já que o Instituto Gerir falhou nesse objetivo.

A Secretaria de Saúde lamentou que alguns representantes do Instituto Gerir resolveram reagir com ameaças e chantagens, inclusive envolvendo indevidamente uma emissora de TV. Contudo, o governo do Maranhão afirma que não cede a chantagistas nem a qualquer tipo de pressão ilegal, venha de onde vier.

As medidas que foram adotadas pelo Estado visam garantir o melhor atendimento à população e melhores condições de trabalho para os servidores da saúde.

Flávio Dino e governadores do PT avaliam apoio a Ciro Gomes

Governadores do campo de esquerda avaliam apoiar a candidatura de Ciro Gomes à Presidente da República

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), avaliou apoiar nas eleições presidenciais o pré-candidato do PDT, Ciro Gomes.

O PT tem como postulante oficial, o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, preso há 40 dias após ser condenado na segunda instância da Justiça. Mesmo com a sentença e a potencial inelegibilidade pela lei eleitoral, o PT mantém a candidatura de Lula, ao mesmo tempo em que tenta interditar articulações por um plano B.

Segundo integrantes do PT, Pimentel admite a hipótese de aliança em favor da candidatura presidencial de Ciro, com quem mantém conversas. Outros governadores do campo de esquerda, como Flávio Dino (PCdoB-MA) e Rui Costa (PT-BA), manifestaram publicamente simpatia por uma aliança com o ex-ministro cearense.

O governador Flávio Dino já assumiu a postura de convocar a esquerda para a união em torno da candidatura de Ciro Gomes. A união fortalece o campo democrático e visa garantir um nome no segundo turno das eleições.

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, o governador do Ceará, Camilo Santana, também do PT, afirma que o partido não pode apostar no isolamento suicida. Santana se disse convicto de que Lula não terá condições de concorrer e defendeu o apoio do partido a Ciro, com a indicação de Fernando Haddad (PT) para a chapa, como vice.

Greve de caminhoneiros causa reflexos em todo o país

Entre as consequências estão a redução nas frotas de ônibus em várias cidades e o desabastecimento de supermercados

Pelo 4º dia seguido, caminhoneiros fazem manifestações em 22 estados mais o Distrito Federal, causando reflexos por todo o país. As mobilizações são contra o aumento do preço do diesel que faz parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho.

Entre as consequências estão a redução nas frotas de ônibus em várias cidades, inclusive, capitais; a disparidade de preços nos postos de combustíveis, fazendo com que postos cheguem a comercializar o litro da gasolina a R$ 10, alguns estabelecimentos já registram falta de combustível, além de grandes filas; o desabastecimento em supermercados, principalmente de hortifrutigranjeiros; hospitais suspenderam procedimentos por conta de falta de medicamentos; fábricas de diversos segmentos pararam suas produções; e há possibilidade de racionamento de energia em Rondônia.

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto que elimina a cobrança de PIS-Cofins sobre o diesel até o fim de 2018. A medida foi aprovada para tentar conter a paralisação dos caminhoneiros.

A Petrobras já informou que não mudará a política de reajustes. Mas na noite desta quarta anunciou uma redução de 10% por 15 dias no preço do diesel vendido pelas refinarias como um “gesto de boa vontade” para dar solução à crise motivada pelo movimento dos caminhoneiros.

Nesta quinta-feira (23), os caminhoneiros bloquearam o Km 5 da BR-135 situado no bairro Maracanã na zona rural de São Luís. No local, eles ocuparam as duas pistas e apenas veículos de carga não estão podendo trafegar.

Acidente entre carro de passeio e ônibus deixa cinco morto no Campos de Perizes

O acidente deixou um saldo de cinco mortos, no quilômetro 46 da BR-135, município de Bacabeira

Foi registrado, na madrugada desta quinta-feira (24), um grave acidente, envolvendo um ônibus da empresa Guanabara e um carro de passeio. O acidente deixou um saldo de cinco mortos, no quilômetro 46 da BR-135, município de Bacabeira.

No veículo de passeio, que foi atingido pelo ônibus da empresa Guanabara, estavam quatro homens e uma mulher, incluindo o motorista do veículo, que também não resistiu e morreu.

De acordo com as informações da Polícia Rodoviária Federal no Maranhão (PRF-MA), o acidente aconteceu já no trecho duplicado da BR-135, quando o carro de passeio, modelo Gol, vindo da cidade de Arari (MA), reduziu a velocidade para passar em um quebra-mola.

O ônibus da Guanabara, que vinha de Fortaleza (CE), não conseguiu frear e bateu violentamente na traseira do carro. O Gol foi jogado para o canteiro central, completamente destruído.

Ainda de acordo com a PRF, os cinco ocupantes do veículo de passeio morreram na hora.

Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), do Instituto Médico Legal (IML), da PRF, Corpo de Bombeiros, Perícia Criminal e da empresa Guanabara deslocaram-se para o local do acidente logo em seguida.

As vítimas eram pacientes do Hospital Universitário de Presidente Dutra, que faziam tratamento de hemodiálise. Além do motorista do carro, que pertencia à prefeitura de Arari.