Alckmin tenta impedir debandada do Centrão

Apesar de ter o maior tempo no horário eleitoral no rádio e na TV, Alckmin continua estagnado nas pesquisas

A campanha do ex-governador Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB nas eleições 2018, tenta evitar uma debandada de aliados e quer reforçar a visibilidade do tucano em São Paulo nas três semanas que restam antes do primeiro turno. Ainda sem contar com o engajamento dos partidos do Centrão, Alckmin pretende investir no próprio quintal para evitar o triunfo do voto casado no candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e no nome tucano para o Palácio dos Bandeirantes, João Doria. A ideia é impedir a consolidação do chamado voto “bolsodoria” no maior colégio eleitoral do País.

Apesar de ter o maior tempo no horário eleitoral no rádio e na TV, Alckmin continua estagnado nas pesquisas. Oficialmente, integrantes do bloco formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade pedem mudanças no tom da campanha, mas, nos bastidores, já procuram candidatos que consideram mais viáveis para o segundo turno.

Os líderes do Centrão foram convocados pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), coordenador político da campanha, para uma reunião de emergência hoje na capital paulista. Porém, já há sinais de abandono na aliança tucana. O coordenador da campanha de Bolsonaro em São Paulo, deputado Major Olímpio (PSL-SP), disse nesta segunda-feira, 17, que líderes do Centrão estão se aproximando do presidenciável do PSL.

No Solidariedade, partido ligado à Força Sindical, a preferência é pelo candidato do PDT, Ciro Gomes. Já o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), que concorre à reeleição, não esconde o apoio ao PT. Sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no páreo por causa da Lei da Ficha Limpa, o senador pretende se juntar à campanha do petista Fernando Haddad. Alega, para tanto, questões regionais.

Um dos integrantes do bloco disse ao Estado que, na prática, não há como desfazer a coligação com Alckmin. Mas observou que, mesmo nas fileiras do PSDB, o tucano está sendo “cristianizado”, termo usado na política para se referir a candidato abandonado por seus pares.

Embora considere “dificílima” a hipótese de o tucano deslanchar, a maior parte do Centrão acha que é preciso concentrar o ataque em Bolsonaro e pregar o voto útil com mais vigor, deixando a artilharia pesada contra Haddad para o final. Há, no entanto, quem defenda críticas já ao petista.

Na avaliação de integrantes do bloco ouvidos pelo Estado, além de desconstruir Bolsonaro, o ex-governador de São Paulo precisa destacar os riscos da volta do PT ao poder e se descolar do presidente Michel Temer, bastante impopular.

Distanciamento

Até o momento, as campanhas de França e Doria têm ignorado Alckmin na propaganda de rádio e TV. O ex-prefeito tem feito agendas pontuais com o ex-governador, mas sua campanha adotou um discurso com forte enfoque na segurança pública para atrair o eleitorado de Bolsonaro. Doria também tem poupado Bolsonaro em entrevistas e sabatinas.

Em Pernambuco, o PSDB compõe a aliança do senador e candidato ao governo Armando Monteiro (PTB), principal chapa de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), mas o petebista declarou voto em Lula, quando o ex-presidente, preso e condenado na Lava Jato, ainda figurava como presidenciável do PT. Monteiro reúne em sua chapa os deputados Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM), ambos de partidos que compõem o Centrão.

No Rio Grande do Sul, a candidatura do presidenciável tucano enfrenta um racha no PP, partido de Ana Amélia, que integra a chapa como candidata a vice-presidente. O candidato ao Senado pela sigla, deputado federal Luis Carlos Heinze, anunciou que irá apoiar o presidenciável Jair Bolsonaro. Heinze também afirmou que não subirá em palanques com Alckmin e que usará seu tempo de TV para apresentar seu voto e fazer campanha para Bolsonaro.

“É muito importante para o Maranhão que Márcio Jerry seja eleito”, diz Flávio Dino

De acordo com Flávio, “para enfrentar as três famílias que se acham donas do Maranhão, é preciso coragem. E Márcio Jerry tem”.

O candidato a deputado federal Márcio Jerry demonstrou grande força política ao reunir um grande número de apoiadores na noite desta segunda-feira (17) num plenária em São Luís. Entre eles, estava o governador Flávio Dino, que declarou apoio enfático à candidatura do amigo.

“É muito importante para o Maranhão que Márcio Jerry seja eleito e seja um dos nossos federais”, disse Flávio.

O governador lembrou a trajetória de ambos: “Nós temos a solidez da amizade de quem já chorou e já sorriu muito juntos”.

De acordo com Flávio, “para enfrentar as três famílias que se acham donas do Maranhão, é preciso coragem. E Márcio Jerry tem”.

O candidato a deputado destacou a importância de manter as mudanças no Maranhão que vêm sendo feitas desde 2015. “O que eu ofereço é uma trajetória de lutas de quem tem tranquilidade de olhar para sua história e ver que foi coerente”, disse.

“Eu sou um militante da vida inteira, de todos os dias e todos os momentos, por tudo o que é bom, é belo e é justo”, acrescentou.

A guerra declarada de “aliados” contra Edison Lobão…

Após cada crítica contra Lobão, os meios de comunicação do grupo Sarney ficam encarregados de noticiar, propagar e evidenciar mais ainda a guerra contra Lobão

O senador Edison Lobão (MDB), candidato à reeleição, bem colocado em todas as pesquisas, está sofrendo uma artilharia pesada do seu próprio grupo político. O que antes era uma guerra silenciosa, hoje está bem claro para todos. O grupo Sarney passou a adotar uma estratégia para garantir ao caçula dos irmãos, Sarney Filho (PV), a vaga de senador pelo Maranhão de qualquer jeito. É o chamado “salve-se quem puder”.

Sabendo das dificuldades em eleger os dois senadores em 2018, o ex-presidente José Sarney (MDB) e sua filha, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), articulam apoios individuais a Sarney Filho, desprestigiando o senador Lobão.

O apoio do PP e do PR para Sarney Filho foi costurado por José Sarney, via executivas nacionais, evidenciando que o foco do grupo é o filho caçula do patriarca.

Agora, a estratégia passou a ter novos atores. As artilharias pesadas contra Lobão passaram a contar com bombardeio de candidato ao Senado de outros grupos.

Após cada crítica contra Lobão, os meios de comunicação do grupo Sarney ficam encarregados de noticiar, propagar e evidenciar mais ainda a guerra contra Lobão.

Com isso, o grupo Sarney mostra que amizades de longos anos não têm peso quando a sobrevivência do sobrenome Sarney está em jogo. Passa a funcionar o tal do “mais antes eu do que tu”.

Othelino faz campanha em Grajaú, Alcântara, Jenipapo dos Vieiras e Magalhães de Almeida

“Estivemos em quatro cidades onde testemunhamos a alegria da população e a certeza de que estamos no caminho certo”, afirmou Othelino

O deputado Othelino Neto (PCdoB), candidato à reeleição, visitou quatro cidades nos últimos três dias e arrastou uma multidão de apoiadores, durante intenso final de semana de campanha no interior do estado. O parlamentar intensificou o ritmo das atividades, passando pelo municípios de Grajaú, Alcântara, Jenipapo dos Vieiras e Magalhães de Almeida na sexta-feira (14), sábado (15) e domingo (16).

Na sexta-feira (14), o presidente da Assembleia Legislativa participou de uma carreata pelas ruas de Grajaú. “Nessa belíssima carreata, pude perceber a alegria manifestada em todas as ruas e senti que estamos no caminho certo. Vamos fortalecer, ainda mais, esse grupo para continuar trabalhando pela cidade, destinando emendas em benefício da população”, disse Othelino.

“Estivemos em quatro cidades onde testemunhamos a alegria da população e a certeza de que estamos no caminho certo”, afirmou Othelino

A visita a Grajaú aconteceu no dia do Nosso Senhor do Bonfim, padroeiro da cidade. O evento foi organizado por Simone Limeira, forte liderança da região. “Othelino Neto veio abrilhantar a festa em nossa cidade. Ele tem respeito e compromisso com o povo. Graças ao apoio dele, Grajaú foi beneficiada com programas governamentais, como o Mais Asfalto e o Mais Poços Artesianos, por isso ele merece o nosso apoio, como agradecimento”, ressaltou ela.

Jenipapo dos Vieiras

“Estivemos em quatro cidades onde testemunhamos a alegria da população e a certeza de que estamos no caminho certo”, afirmou Othelino

No sábado (15), Othelino cumpriu agenda em mais duas cidades: Jenipapo dos Vieiras e Alcântara. Na primeira, o parlamentar participou de uma grande caminhada ao lado do governador Flávio Dino, do prefeito Moisés Oliveira e dos candidatos ao Senado, Weverton Rocha e Eliziane Gama.

No evento de Jenipapo dos Vieiras, Flávio Dino ressaltou o trabalho de Othelino em prol dos jenipapenses. “Garantimos pra cá, graças à solicitação do deputado, patrol, ambulâncias, viaturas e muitos outros equipamentos importantes”, enfatizou.

Alcântara

Já na cidade histórica de Alcântara, as ruas e ladeiras de pedra foram tomadas pela onda da campanha do candidato, atraindo centenas de eleitores que reconhecem o trabalho do deputado Othelino Neto.
“Agradeço a confiança de todos os alcantarenses. Nesta cidade, fui o mais votado na última eleição, o que me deu mais forças para me dedicar a emendas, visando à melhoria da qualidade de vida no município”, agradeceu Othelino.

O prefeito de Alcântara, Anderson Wilker, destacou diversos benefícios adquiridos para a população. “Com o apoio do deputado, o nosso município já conta com melhorias na infraestrutura e na saúde, graças à aquisição de motoniveladora e viatura de polícia, além de tantos outros benefícios. É inegável que estamos vivendo o nosso melhor momento, graças ao apoio de Othelino”, ressaltou.

Magalhães de Almeida

“Estivemos em quatro cidades onde testemunhamos a alegria da população e a certeza de que estamos no caminho certo”, afirmou Othelino

Encerrando a agenda do fim de semana, uma caminhada movimentou o domingo dos moradores de Magalhães de Almeida. O ato foi organizado pelo líder regional, Costa Jr. “Nós precisamos desse elo da democracia formado por Othelino e o governador Flávio Dino. Eles, realmente, trabalham para esse povo que tanto precisa”, lembrou a liderança.

Ao final das agendas de campanha, o deputado Othelino Neto fez um balanço do fim de semana. “Estivemos em quatro cidades onde testemunhamos a alegria da população e a certeza de que estamos no caminho certo. Tenho o apoio de pessoas que reconhecem as benfeitorias adquiridas através de emendas parlamentares, de nossa autoria, e tenho convicção de que posso contar com o apoio de todos para continuar o nosso trabalho”, afirmou.

Contagem regressiva: Faltam 20 dias para o primeiro turno das eleições 2018

Agora na reta final, a movimentação dos candidatos deve se intensificar mais ainda. Mostrando a cara das eleições de 2018

A eleição de 2018 é a primeira, após muitos anos, com várias regras que se diferenciam das demais. A exclusão dos carros de som, a diminuição do tempo de campanha e da propaganda na TV e no Rádio estão fazendo que muita pessoas ainda não tenham sentido o clima intenso da campanha. A propaganda paga nas redes sociais também não parece ter empolgado os internautas de plantão.

Mesmo com esse clima mais ameno, a campanha já entra na reta final e pode, agora, cair no gosto da população, fazendo com que mais pessoas passem a participar dos eventos políticos.

No Maranhão, a campanha do governador Flávio Dino (PCdoB) é o que tem mais corpo e vem aglutinando mais pessoas e apoiadores. Nos últimos quatro dias, ele passou com sua caravana por 18 cidades.

Roseana Sarney (MDB) ainda tem dificuldades de reunir apoiadores em suas passagens por cidades do interior e tem dedicado boa parte de seu tempo para as gravações de propaganda. Maura Jorge (PSL) e Roberto Rocha (PSDB) intensificaram suas agendas em algumas cidades onde ambos têm apoiadores.

Na corrida ao Senado Federal, a disputa ainda está muito acirrada. Quatro candidatos travam uma verdadeira batalha pelas duas vagas em disputa.

As eleições proporcionais para a Câmara dos Deputados e para a Assembleia Legislativa ainda estão muito indefinidas. Alguns candidatos já são dados como eleitos, mas a maioria deve disputar voto a voto o eleitorado para conquistar êxito no dia 7 de outubro.

Agora na reta final, a movimentação dos candidatos deve se intensificar mais ainda. Mostrando a cara das eleições de 2018.

Bolsonaro sobe para 33% e Haddad vai a 16% em nova pesquisa BTG/FSB

Fernando Haddad (PT) dobrou suas intenções de voto de 8% para 16% após ter sido confirmado oficialmente como candidato no lugar de Luiz Inácio Lula da Silva

Uma pesquisa de intenção de votos divulgada na madrugada desta segunda-feira (17), feita pelo banco BTG Pactual em parceria com o Instituto FSB, traz Jair Bolsonaro (PSL) na liderança com 33% das intenções de voto.

Ele subiu três pontos percentuais em relação ao levantamento de uma semana atrás, fora da margem de erro.

A pesquisa do BTG é a que tem dado maior pontuação a Bolsonaro na comparação aos outros levantamentos como o Datafolha e o Ibope.

Fernando Haddad (PT) dobrou suas intenções de voto de 8% para 16% após ter sido confirmado oficialmente como candidato no lugar de Luiz Inácio Lula da Silva.

Ciro Gomes (PDT), subiu dentro da margem de erro e chegou a 14%, ante 12% da semana anterior. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 6% e Marina Silva (Rede) tem 5%.

9% disseram não votar em ninguém, 2% votariam nulo ou em branco e 4% não souberam responder. 1% dos entrevistados não responderam à pesquisa.

Segundo Turno

As simulações de segundo turno dão empate para Bolsonaro na disputa com Ciro Gomes, cada um com 42% dos votos.

Os números mostram que Bolsonaro venceria todos os outros concorrentes: Haddad (46% dos votos contra 38%), Alckmin (43% contra 36%) e Marina Silva (48% contra 33%).

Rejeição

Segundo a pesquisa, Marina Silva tem a maior rejeição entre os eleitores com 58%. Alckmin fica em segundo lugar com 53%.

Haddad e Meirelles estão com 48%. Ciro aparece com 46% e, Bolsonaro, com 45%.

Metodologia

Por telefone, o Instituto FSB Pesquisa entrevistou 2 mil eleitores a partir de 16 anos, nos 27 estados.

A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. As entrevistas telefônicas foram realizadas entre 15 e 16 de setembro.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como BR-06478/2018.

Saiba qual é o ministro de Temer de quem Sarney não gosta

Época

Se tem um ministro de Michel Temer que não cai nas graças do ex-presidente José Sarney, esse alguém é Eliseu Padilha, da Casa Civil. Sarney acha que, além de dar conselhos errados para Temer, Padilha trabalha para dificultar projetos no Maranhão que renderiam prestígio – e votos, por tabela – a sua família.

Mais um instituto de pesquisa aponta o crescimento de Flávio Dino e queda de Roseana Sarney

A Pesquisa Interpreta ouviu 1.524 pessoas em 53 municípios

A nova pesquisa Interpreta, divulgada nesta segunda-feira (17), pelo jornal Correio, mostra o aumento da vantagem do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre a candidata Roseana Sarney (MDB).

A pesquisa realizada em todas as regiões do Maranhão apontou o crescimento de Flávio Dino, que subiu de 60,2% para 61,82% dos votos válidos, confirmando a vitória no primeiro turno.

Já Roseana Sarney, que aparecia em segundo lugar, caiu quase quatro pontos percentuais, saindo de 33% das intenções de voto para 29,57%.

Maura Jorge (PSL) aparece no terceiro lugar com 4,18%, seguida de Roberto Rocha (PSDB) com 4,01%; Ramon Zapata (PSTU), com 0,25% e Odívio Neto (PSOL), com 0,17%.

Rejeição

Segundo a Interpreta, Roseana Sarney é a mais rejeitada entre os eleitores. Exatos 29,4% dos entrevistados afirmaram não votar na candidata do MDB de jeito nenhum. Flávio Dino aparece com 14%; Roberto Rocha aparece com 10,1%; Maura Jorge, com 7,8%; Ramon Zapata, com 5,4%; Odívio Neto, com 5,3%. Para 21,3% dos eleitores, todos os candidatos merecem votos e 6,7% disseram não votar em nenhum deles.

A Pesquisa Interpreta ouviu 1.524 pessoas em 53 municípios do Maranhão entre os dias 8 e 10 de setembro. Registrada no TSE sob o nº MA-01920/2018, a margem de erro do levantamento é de 3 pontos para mais ou para menos.

‘Haddad eleito daria indulto a Lula’, diz Bolsonaro

Do hospital, Bolsonaro faz tramissão ao vivo em rede social Foto: Reprodução/Facebook

O candidato Jair Bolsonaro (PSL), internado desde o dia 7 de setembro no Hospital Israelita Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, afirmou neste domingo, 16, em uma live, ao vivo direto de seu quarto, em sua página no Facebook, que caso o candidato do PT à presidência, Fernando Haddad, vença as eleições 2018, terá como primeiro ato de governo dar indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, para depois nomeá-lo Chefe da Casa Civil.

Emocionado, com a voz embargada e com a aparência debilitada, Bolsonaro estava deitado em sua cama e a transmissão foi feita por um dos seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). “O Haddad eleito presidente, ele já falou isso, e se não falou vocês sabem, assina no mesmo minuto da posse o indulto de Lula, e no minuto seguinte nomeia chefe da Casa Civil”, afirmou Bolsonaro. “O que está em jogo não é o meu futuro, mas o dos brasileiros e até de quem vota no PT”, diz Bolsonaro em uma live de hospital

Bolsonaro disse que o que está em jogo não é o seu futuro, mas o dos brasileiros e “até de quem vota no PT”. Com lágrimas nos olhos e acamado, Bolsonaro disse que dá graças a Deus por ter chegado até onde chegou e citou o partido de Haddad. “Eu vejo petista mudando de lado”, disse. “Isso é o jogo do poder, é o domínio de uma nação”, afirmou.

Bolsonaro insinuou que se Lula não tentou uma fuga do presídio “é porque tem um plano B”. “Eu não consigo pensar em outra coisa, senão um plano B”, afirmou, mas não entrando em detalhes de qual seria esse plano.

O candidato disse também que há “risco de fraude nas eleições”, e levantou suspeitas de que isso aconteceria para beneficiar o PT. Bolsonaro levantou suspeitas sobre o voto eletrônico e afirmou que “a possibilidade de fraude é concreta”. “A preocupação não é perder no voto. É perder na fraude”, afirmou.

Sobre o ataque, ele afirmou que pensava que tinha recebido um soco, antes de entender o que havia acontecido em Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais, quando foi atingido por uma facada do pedreiro Adélio Bispo de Oliveira. “No primeiro momento achava que tinha sido um soco e o tempo foi passando e vimos que tinha sido mais grave”, afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro também agradeceu o carinho e a confiança de seus eleitores de Juiz de Fora. “Um abraço especial a minha querida Juiz de Fora, onde fui muito bem atendido na Santa Casa, sabemos do trabalho maravilhoso que estas santas casas fazem pelo Brasil. Vocês salvaram a minha vida”, disse. O candidato também agradeceu a equipe da Polícia Federal que faz a sua segurança pela “presteza” que o conduziram até o hospital no dia do crime.

No início da tarde, o Hospital Albert Einstein enviou nova nota à imprensa sobre o quadro de saúde do candidato à presidência. De acordo com o hospital, ele “permanece internado na Unidade SemiIntensiva. O quadro clínico do paciente segue estável e sem intercorrências. Continua em jejum oral, recebendo por via endovenosa todos os nutrientes necessários para sua recuperação. Permanece sem febre ou outros sinais de infecção e sem disfunções orgânicas”.

O candidato afirmou que foi autorizado pela equipe médica do hospital a fazer a gravação ao vivo. “Apesar de ainda bastante debilitado, reúno forças que vem de vocês. Creio que esse breve pronunciamento pode trazer notícias e apreensões que tenho para o futuro do nosso Brasil.- Grato pelo apoio, consideração, orações e confiança! Brasil Acima de Tudo! Deus Acima de Todos!”, escreveu, em sua página do Facebook.