Procon notifica Aneel sobre aumento de 13,21% nas contas de energia no Maranhão

Reajuste pegou consumidores do Maranhão de surpresa

O Instituto de Promoção e Defesa do Consumidor do Maranhão (Procon/MA) notificou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a prestar esclarecimentos a respeito do aumento de 13,21% nas contas de energia no Estado, após reajuste concedido pela reguladora a Companhia Energética do Maranhão (Cemar).

A notificada deve apresentar justificativas, de modo claro e objetivo, para o aumento proposto; além da realização de novas audiências públicas em diferentes regiões do Estado, de forma a garantir ampla participação popular. Também deve propor uma nova sugestão de Revisão Tarifária, juntamente com suas respectivas justificativas.

Durante investigação, realizada pelo Procon, para apurar possível abusividade no reajuste das contas de energia, que antes seria de 19,05%, a Aneel afirmou que haveria dois fatores preponderantes para o aumento: os custos de transmissão e os custos com a remuneração do capital.

De acordo com a Agência, houve custos quando as concessionárias de transmissão disponibilizaram instalações para a Rede Básica, nos anos de 2013 a 2017, e não receberam pagamento pela prestação do serviço. O Procon rebateu a Aneel afirmando que consumidores que passarão a consumir agora os serviços da Cemar não podem pagar eventuais custos de consumo que outros consumidores tiveram no passado, onerando-os indevidamente por algo que não consumiram, ferindo de forma clara e patente o artigo 39, incisos V e X da lei federal n° 8.078/1990. Portanto, trata-se de ônus que deve ser arcado pela companhia de distribuição, que o aceitou no momento que assumiu a concessão pública.

Já o segundo fator, quanto aos custos com a remuneração do capital, tanto a Aneel quanto a Cemar não esclareceram como a remuneração está impactando no cálculo preliminar, deixando os consumidores condicionados a um aumento que não se demonstra de forma clara no processo. Outro ponto de desvantagem ao consumidor é a utilização da possibilidade da Revisão Tarifária, prevista no contrato de concessão, para aumentar os lucros, em detrimento da prestação de um serviço com qualidade.

Ex-prefeito de Esperantonópolis condenado em processo trabalhista…

Ex-prefeito de Esperantinópolis, Mário Jorge

O ex-prefeito de Esperantinópolis, Mário Jorge Silva Carneiro, foi condenado a ressarcir o dano causado aos cofres públicos, decorrente de condenação do município em reclamação trabalhista feita por servidor contratado e mantido irregularmente, por mais de três anos, por sua gestão.

A decisão da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), entretanto, excluiu as sanções de pagamento de multa civil, suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público, fixadas em primeira instância. O órgão colegiado entendeu que houve excesso na sentença de 1º Grau, considerando que houve a efetiva prestação de serviço por parte do servidor e que a conduta ímproba não resultou em enriquecimento ilícito do gestor responsável.

Ao apelar ao TJMA contra a sentença da Vara Única da Comarca de Esperantinópolis, o ex-prefeito alegou, preliminarmente, ilegitimidade do Ministério Público do Maranhão (MPMA) para ajuizar a ação. No mérito, defendeu a inexistência de conduta de improbidade, por ser necessária a demonstração de dolo genérico e que não houve dano ao erário ou seu enriquecimento ilícito. Sustentou que havia Lei Municipal que autorizava a contratação.

O desembargador Ricardo Duailibe (relator) não acolheu a preliminar apresentada e reconheceu a legitimidade do MPMA. No mérito, disse que o então prefeito iniciou sua gestão em 1º de janeiro de 2005, tendo sido reeleito e iniciado seu segundo mandato em 1º de janeiro de 2009. Do mesmo modo, a contratação considerada ilegal ocorreu de 1º de março de 2007 a 31 de dezembro de 2010.

Duailibe frisou que a contratação do funcionário ocorreu sem prévia realização de concurso público e nem sequer foi precedida de processo seletivo, além de que o ex-gestor não comprovou a alegação de que havia legislação municipal disciplinando as contratações temporárias.

Para o relator, ficou demonstrada a má-fé ao manter o servidor no quadro de pessoal do Município por mais de três anos, caracterizando-se a presença de dolo genérico. Lembrou que o Município foi condenado ao pagamento de verba fundiária e recolhimento da contribuição previdenciária, em reclamação trabalhista movida pelo servidor, considerando indiscutível a lesão aos cofres públicos.

O relator concluiu pela exclusão das demais sanções, consideradas excessivas, e deu provimento parcial ao apelo do ex-prefeito, mantendo o ressarcimento do dano aos cofres públicos, entendimento este acompanhado pelo desembargador José de Ribamar Castro e pelo juiz Gilmar Everton Vale, convocado para compor quórum.

Operadores entregam planilhas com repasses a ‘representante’ de Lobão

Estadão

Lobão é um dos políticos mais citados na operação Lava Jato

Em depoimento à Polícia Federal no âmbito da Operação Abate, 44.ª fase da Lava Jato, os operadores de propinas Jorge Luz e Bruno Luz, pai e filho, revelaram pagamentos a um representante do senador Edison Lobão (PMDB-MA) no âmbito de contrato entre a Petrobrás e a empresa americana Sargeant Marine. Os Luz entregaram uma planilha em que a soma dos valores que envolveram o ministro e seu representante na estatal chega aos US$ 450 mil. Segundo eles, os repasses eram feitos a Murilo Barbosa Sobrinho, ligado ao peemedebista.

As declarações foram feitas no âmbito de investigações sobre termo firmado para o fornecimento de asfalto à estatal que teria rendido supostas propinas de US$ 500 mil ao ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara, Cândido Vaccarezza (ex-PT/SP). Os lobistas confessaram ter intermediado o negócio, além de operacionalizar repasses a um representante de Lobão e ao ex-deputado.

O negócio da Sargeant Marine com a Petrobrás culminou na celebração de doze contratos, entre 2010 e 2013, no valor de aproximadamente US$ 180 milhões. A empresa fornecia asfalto para a estatal e foi citada na delação do ex-diretor de Abastecimento da companhia Paulo Roberto Costa.

Em depoimento, Jorge Luz afirmou ter sido procurado pelo executivo Luiz Eduardo Loureiro Andrade, o Ledu, da Sargeant Marine, que teria relatado dificuldades para obter contratos junto à Petrobrás. Segundo Luz, o executivo teria dito a ele que a  empresa fornecia até mesmo asfalto para a Asphaltos, que era a então contratada pela Petrobrás.

De acordo com o operador, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás  Paulo Roberto Costa disse que, no âmbito do fornecimento de asfalto, tinha um pendência com o Partido Progressista, mas que Luz poderia ‘apadrinhar politicamente o assunto’.

Segundo pai e filho, que confessaram operar propinas em esquemas da Petrobrás, o ministro era padrinho político do ex-gerente da BR distribuidora Raimundo Brandão Pereira. Já Murilo Barbosa Sobrinho, ligado a Edson Lobão recebeu propinas oriundas dos contratos, de acordo com os operadores.

Jorge Luz ainda relata que a ascensão do ex-gerente Marcio Aché na Petrobrás se deve ao suposto representante do peemedebista.

Além de Vaccarezza, Jorge afirmou que o negócio contava contou com o apoio político de Edison Lobão.

O operador afirmou ‘que em relação aos executivos da Sargeant Marine, recorda-se de jantar ocorrido em sua residência com a presença de Harry e Dan Sargeant, no qual restou claro que os executivos ficaram a par de que Paulo Roberto Costa, então Diretor da Petrobras, seria remunerado e que o negócio contava com o apoio político de Cândido Vaccarezza; que apesar de desconhecer o cenário político do Brasil, os executivos tinham conhecimento de que esta era a regra do jogo’.

Já Bruno Luz relatou que na medida em que Edison Lobão passou a ter representação nos assuntos’ entre a estatal e a Sargeant Marine, ‘houve reclamação das demais pessoas do grupo’ envolvido na intervenção no âmbito do fornecimento de cimento, ‘uma vez que a operação já contava com apoio de Paulo Roberto Costa; que, nada obstante, a entrada de Lobão foi imposição de Márcio Aché como uma espécie de “seguro” para que não houvesse futuros problemas nos contratos; que Murilo efetivamente participou de algumas reuniões e até recebeu dinheiro da operação; que Luiz Eduardo Loureiro ANdrade e Márcio Aché atuavam nos repasses de recursos a Murilo; que acreditava que eles indicavam contas no exterior para esse fim’.

COM A PALAVRA, O CRIMINALISTA ANTÔNIO CARLOS DE ALMEIDA CASTRO KAKAY, QUE DEFENDE LOBÃO

“O senador não conhece nem pai nem filho, nunca ouviu falar nesta empresa que eles citam e não tem nenhum tipo de relação e nunca esteve pessoalmente com eles – salvo se participaram de alguma audiência pública.  E, sobre a outra pessoa [Murilo], ele conhece, tem um relacionamento pessoal, mas nunca participou de campanha de arrecadação para ele.”

MP protocola ADI contra Lei que proibiu Uber em São Luís…

Uber alega que já enfrentou situações parecidas, mas que elas não proibiram as atividades em outras cidades do mundo

Polêmica Uber X taxista aumenta, a cada dia, em São Luís

Foi protocolada na manhã desta terça-feira, 22, junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a lei municipal n° 429/2016, que proibiu o funcionamento de serviços de transporte individual em veículos particulares cadastrados por aplicativos, como o Uber, em São Luís.

Sob o número 0803397-88.2017.8.10.0000, o processo foi distribuído ao desembargador Marcelo Carvalho Silva.

Proposta pelo procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, a ADI defende que a lei, de autoria da vereadora Luciana Mendes e aprovada pela Câmara Municipal em 5 de julho de 2016, fere os artigos 147 (inciso I, 2° e inciso IV) e 174 (caput e § 1°) da Constituição do Estado do Maranhão.

Na Ação, o procurador-geral de justiça afirma que a lei municipal “se constitui em norma puramente proibitiva e proibir não é regulamentar – o que fere uma série de princípios constitucionais, notadamente o da livre concorrência, do livre exercício da atividade econômica e o direito de escolha do consumidor”.

O texto também chama a atenção para a diferenciação entre “transporte público individual” e “transporte privado individual”. O primeiro é um tipo de serviço privativo dos taxistas, já o segundo, no qual se enquadra o Uber, não depende de concessão pública.

“Na explicitação do texto constitucional, a lei assevera que o transporte de pessoas, em caráter privado, independe de concessão ou permissão. Vale dizer: o transporte de pessoas em caráter privado, por não ser serviço público, não está submetido à concessão ou à permissão oriunda do Poder Público”, ressalta Luiz Gonzaga Coelho.

O chefe do Ministério Público do Maranhão observa, ainda, que ao legislar sobre o assunto, o Município de São Luís “usurpou a competência privativa da União, extrapolando o seu poder meramente supletivo e regulamentar em se tratando de transporte”.

LIMINAR

Diante da flagrante inconstitucionalidade da norma, a ADI requer, em medida liminar, a imediata suspensão da lei municipal n° 429/2016. “Deve a norma ser imediatamente afastada do sistema jurídico ou ter, ao menos, seus efeitos suspensos, sob pena de ser mantida em vigor legislação cujo conteúdo implica em prejuízos diretos para os consumidores e para aqueles que exercem a atividade de transporte individual privado”, observa, na ação, Luiz Gonzaga Coelho.

Vargem Grande abre Festejos de São Raimundo Nonato dos Mulundus com apoio de Othelino  

Festejos foram abertos neste terça-feira e seguem até o dia 31 de agosto

O primeiro vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) – ao lado do prefeito Carlinhos Barros, do secretário estadual de Articulação Política, Márcio Jerry, e do titular da Agência Metropolitana, Pedro Lucas Fernandes – acompanhou a abertura dos Festejos de São Raimundo Nonato dos Mulundus em Vargem Grande, a 178 Km de São Luís. Este ano, o evento religioso conta também com o apoio do parlamentar por meio de emenda, além de uma parceria conjunta que envolve governo do Estado, prefeitura e entidades engajadas pelas homenagens ao conhecido santo dos vaqueiros.

Segundo o deputado Othelino Neto, é importante que o parlamentar possa usar suas emendas também para estimular eventos religiosos como esses, com a participação de milhares de pessoas. “É um momento muito marcante, onde milhares de pessoas manifestam fé e devoção. Quero destacar a organização dos festejos. Todos estão de parabéns”, disse o vice-presidente da Assembleia.

O prefeito lembrou que as homenagens a São Raimundo Nonato dos Mulundus se tratam de um dos maiores festejos religiosos do Nordeste e do Brasil, de caráter acolhedor e de identificação forte. Vargem Grande é conhecida, no país, pela grandiosidade desse evento.

Carlinhos Barros (PCdoB) destacou ainda que os festejos desse ano acontecem em ruas e avenidas pavimentadas, graças a uma parceria com o governo do Estado por meio do programa Mais Asfalto. “Vamos asfaltar todas as ruas com a ajuda do governador Flávio Dino. A cidade vai ganhar, nos próximos dias, o restaurante popular, uma escola técnica, o Iema, e vamos intensificar os esforços para resolvermos o problema da água no município”, garantiu.

Márcio Jerry também prestigiou a abertura dos Festejos de São Raimundo Nonato dos Mulundus, representando o governador Flávio Dino (PCdoB). “Vim trazer o abraço do governador que estará presente no encerramento do evento no próximo dia 31 de agosto”, disse.

Márcio Jerry também destacou a execução do programa Mais Asfalto em Vargem Grande que deixou ruas e avenidas pavimentadas também para os Festejos de São Raimundo. “Podemos notar a presença muito forte do governo, em Vargem Grande, também nesta área da infraestrutura em parceria com a prefeitura”, frisou o secretário estadual de Articulação Política.

A tradicional romaria partiu às 06h da Igreja Matriz, em Vargem Grande, até o povoado de Paulica, onde foi realizada uma missa campal, nesta terça-feira (22). Os festejos seguem até o próximo dia 31 de agosto e reúnem milhares de fiéis, entre pecuaristas e vaqueiros, que percorreram, nesta terça-feira (22), o percurso de cinco km em cavalos, mantendo uma histórica tradição.

A tradicional romaria

A romaria, que é um momento de oração e de reflexão de toda a comunidade católica e de fiéis de todos os cantos do país, reúne, anualmente, pagadores de promessa, políticos e curiosos que acompanham o movimento.

Nesses dias, o vaqueiro deixa a lida no campo mais cedo. Se veste com todo o capricho e vence as distâncias do sertão para rezar ao padroeiro. Na abertura dos festejos, eles se juntam a milhares de romeiros ainda na madrugada, unidos pela devoção a São Raimundo Nonato dos Mulundus. Um vaqueiro que morreu há 200 anos, durante a lida com o gado, ganhou fama de milagreiro e se tornou santo na região.

A missa campal e o canto emocionado diante da cruz são gestos de adoração ao santo vaqueiro. São Raimundo Nonato dos Mulundus não é reconhecido pela Igreja Católica. Por isso, a imagem atrelada a outro Raimundo Nonato, o santo espanhol. Mas, isso não faz diferença na vida dos romeiros. Ele viveu nas redondezas, há mais de 200 anos, e foi santificado pela fé popular.

Conta a história local que Raimundo Nonato era um vaqueiro do povoado de Mulundus e teria morrido na lida para pegar o gado na caatinga. Com o passar dos tempos, levou fama de milagreiro na região.

A romaria marca a abertura dos Festejos de São Raimundo. Depois de três horas de caminhada, os romeiros, movidos pela fé, chegaram ao destino.

História do santo de Vargem Grande

Um jovem vaqueiro da fazenda Santa Maria, onde se localiza o povoado de Mulundus, a 30 km da sede do município de Vargem Grande, quebrou o pescoço quando campeava o gado e o cavalo chocou-se com uma palmeira de babaçu. Três dias depois, o corpo de Raimundo Nonato foi encontrado intacto e um inexplicável perfume recendia no ar.

O vaqueiro foi transformado em santo e venerado pelos escravos e moradores, após o milagre que salvou a vida do dono da fazenda. Mas o corpo desapareceu, surgindo hipóteses apontadas pelo escritor vargem-grandense Jether Joran Martins: “a Igreja o teria levado para Roma; subiu ao céu; o povo o carregou etc.” (Histórias & Estórias da Minha Cidade, 2002).

A imagem do vaqueiro doada pela sinhazinha para a capela erguida no local “também desapareceu”, diz o escritor. Porém, dona Luíza Nina Rodrigues (mãe do etnólogo maranhense Nina Rodrigues) mandou vir outra de Portugal. Mas, “para a surpresa dela e do povo, veio a de São Raimundo Nonato da Espanha, libertador dos escravos da Ordem dos Mercedários”.

Pedida a indisponibilidade dos bens de ex-prefeito de São João Batista…

Se condenado, ex-prefeito terá que ressarcir os cofres públicos em R$ 11.758.504,75

O Ministério Público do Maranhão ajuizou, em 15 de agosto, duas Ações Civis Públicas em desfavor do ex-prefeito de São João Batista, Eduardo Dominici, solicitando o ressarcimento do valor atualizado de R$ 11.758.504,75 e a indisponibilidade de bens do ex-gestor. Também foram oferecidas duas denúncias contra o ex-administrador do município.

As manifestações, formuladas pelo promotor de justiça Felipe Rotondo, foram motivadas por irregularidades verificadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão nas contas do município, referentes aos exercícios financeiros de 2005 e 2006.

EXERCÍCIO DE 2005

No processo nº 3766/2006-TCE-MA, relativo às contas do ano de 2005, o TCE detectou irregularidades como contratações no valor total de R$ 497.551,61 sem licitação, admissão de servidores sem concurso público, despesas indevidas e a não apresentação de documentos contábeis sobre despesas realizadas, no valor de R$ R$ 7.433.904,23.

Eduardo Dominici foi denunciado por cinco crimes do artigo 89 da Lei 8.666/93, cuja pena, para cada crime, prevê detenção, de três a cinco anos, e multa, além de fixação do valor da reparação dos danos causados aos cofres públicos e da perda dos ganhos obtidos com o crime. O ex-prefeito efetuou mais de 35 pagamentos sem realização de licitação.

O MPMA pede que o ex-gestor seja obrigado a devolver o valor atualizado total de R$ 8.822.797,54

EXERCÍCIO 2006

Em outro processo (nº 3351/2007), que julgou a prestação de contas no exercício financeiro de 2006, o TCE identificou irregularidades como contratações de serviços e aquisição de produtos sem procedimento licitatório ou a dispensa ou inexigibilidade de licitação. Os contratos atingiram o valor total de R$ 2.935.707,21.

DENÚNCIAS

O ex-prefeito foi denunciado por 25 crimes, previstos no art. 89 da Lei de Licitações (Lei 8.666/93). Para cada crime, a pena é de detenção, de três a cinco anos, e multa, além de fixação do valor da reparação dos danos causados aos cofres públicos e da perda dos ganhos obtidos com crime, um vez que foram realizados mais de 300 pagamentos sem licitação.

Devido ao mesmo processo, foi ajuizada ação civil pública de ressarcimento ao erário de R$ 2.935.707,21 atualizados

As contas do ex-gestor estão na Câmara Municipal de São João Batista, que deverá decidir até o fim de setembro pela manutenção da desaprovação de contas e a inelegibilidade do ex-prefeito.

Governo cortou para menos da metade gastos com transporte aéreo…

Heringer Táxi Aéreo apresentou os melhores preços, segundo o governo

O governo do Maranhão já economizou R$ 13,5 milhões com o fretamento de aeronaves desde 2015. O valor representa uma redução de 64% em relação ao contrato do governo anterior. Conforme dados publicados no Portal Transparência, em apenas 23 meses, entre início de 2013 e final de 2014, a gestão passada pagou R$ 25,2 milhões à PMR Táxi Aéreo. Já a gestão atual pagou menos e em um período maior pelo mesmo serviço. Ao longo de 31 meses, a contar de fevereiro de 2015, o governo atual desembolsou R$ 13.519.574,30.

“Diferente das gestões anteriores, o governo do Estado tem apenas um contrato com a empresa de táxi aéreo, cujas aeronaves devem atender à Casa Civil e demais secretarias. Estamos trabalhando de forma transparente para gerar economia aos cofres públicos”, afirma o secretário de Governo, Antonio Nunes.

Histórico

Em 2013, o governo do Estado firmou contrato com a PMR, com pagamento mínimo, segundo a licitação, de R$ 680 mil mensais. Ou seja, mesmo que não usasse a aeronave para nenhum voo naquele mês, o Governo do Estado pagava por seu uso.

Se esse mesmo valor fosse pago hoje, com a correção do Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM), esse montante subiria para R$ 855 mil e o valor total do contrato, R$ 7,4 milhões, com a correção do mesmo índice, subiria para R$ 9,4 milhões.

A mesma empresa mantinha ainda outros dois contratos: um com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), no valor mensal de R$ 385 mil, e outro com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), de R$ 495 mil (sem correção). Se for atualizado pelo IGPM, o valor global anual que foi pago pelos serviços prestados à SES subiria para R$ 6,2 milhões por mês.

O governo realizou uma nova licitação em julho de 2017 e a Heringer Táxi Aéreo apresentou mais uma vez os menores preços. Nesta última contratação, os valores ficaram ainda mais baixos e o estado irá economizar 5% em relação ao contrato que terminou em junho deste ano. O valor do contrato anual, que tem vigência de 12 meses, para oferecer os mesmos serviços passou de R$ 11, 7 milhões para R$ 9,9 milhões.

Flávio Dino entrega mais nove ônibus escolares e ambulâncias a municípios maranhenses…

Equipamentos foram entregues em solenidade no Palácio dos Leões

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), entregou mais nove ônibus escolares e mais duas ambulâncias para cidades de diversas regiões do Estado. A intenção é, em regime colaborativo, poder assegurar mais dignidade à população.

Os ônibus escolares foram adquiridos com recursos do Tesouro Estadual e doados às prefeituras para atendimento de estudantes da rede pública residentes na zona rural. Com esta entrega, o governo do  Estado alcança o total de 80 veículos e duas lanchas já repassadas aos municípios. A solenidade contou com a presença do primeiro vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB).

Além de Bom Jardim, foram beneficiados os municípios de Carutapera, Nova Iorque, Porto Rico, Mirinzal, Governador Eugênio Barros, Igarapé do Meio, Passagem Franca e Vitorino Freire.

Ambulância
O governador ainda entregou mais duas ambulâncias, beneficiando o Hospital Estadual em Lago dos Rodrigues e os pacientes de Jenipapo dos Vieiras, totalizando 106 ambulâncias já repassadas nesta gestão. O secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, relembrou a intenção do Governo do Estado de alcançar os 217 municípios.

Com investimento de R$ 160 mil em cada unidade entregue, o equipamento pode ser utilizado como unidade básica ou Unidade de Suporte Avançado (USA). E dispõem de estrutura adequada para o transporte de pacientes e contam com duas macas, duas pranchas, um umidificador, cadeira de rodas, cilindro e bala de transporte para oxigênio.

LISTA DOS 80 MUNICÍPIOS QUE RECEBERAM ÔNIBUS 
#Primeira entrega (Recurso FNDE):
1. Afonso Cunha
2. Água doce do Maranhão
3. Alcântara
4. Aldeias Altas
5. Amapá do Maranhão
6. Anajatuba
7. Apicum Açu
8. Araioses
9. Arame
10. Arari
11. Bacurituba
12. Balsas
13. Barão de Grajaú
14. Bela Vista do Maranhão
15. Belágua
16. Bom Jesus das Selvas
17. Brejo de Areia
18. Buriti
19. Cajapió
20. Cajari
21. Capinzal do Norte
22. Cedral
23. Centro Novo do Maranhão
24. Colinas
25. Conceição do Lago-Açu
26. Cururupu
27. Esperantinopolis
28. Fernando Falcão
29. Fortuna
30. Governador Nilton Belo
31. Itaipava do Grajaú
32. Jenipapo dos Vieiras
33. Junco do Maranhão
34. Logo do Junco
35. Lagoa do Mato
36. Lagoa Grande do Maranhão
37. Marajá do Sena
38. Milagres do Maranhão
39. Morros
40. Olinda Nova do Maranhão
41. Pedro do Rosário
42. Pio XII
43. Poção de Pedra
44. Presidente Sarney
45. Primeira Cruz
46. Santa Filomena do Maranhão
47. Santana do Maranhão
48. Santo Amaro do Maranhão
49. São Domingos do Azeitão
50. São Francisco do Maranhão
51. São João do Caru
52. São João do Paraíso
53. São João do Sóter
54. São José de Ribamar
55. São José dos Basilios
56. São Luís Gonzaga
57. São Raimundo do Doca Bezerra
58. São Roberto
59. Satubinha
60. Serrano do Maranhão
61. Turiaçu
62. Turilandia
63. Tutoia
64. Vila Nova dos Martírios 

#Segunda Entrega (Recurso do Tesouro):
1. Amarante do Maranhão
2. São Bento
3. São Benedito do Rio Preto
4. Vargem Grande
5. Santa Luzia
6. Ze Doca
7. Pirapemas
8. Bom Jardim
9. Carutapera
10. Gov. Eugenio Barros
11. Igarapé do Meio
12. Mirinzal
13. Nova Iorque
14. Passagem Franca
15. Porto Rico do Maranhão
16. Vitorino Freire

TOTAL = 80 Municípios

Roberto Rocha admite que encostou em Flávio Dino apenas por interesse em 2014

Repercute nas redes sociais a confissão  do senador Roberto Rocha (PSB) de ter se aproveitado do governador Flávio Dino (PCdoB), líder de todas as pesquisas, para se eleger senador da República na campanha eleitoral de 2014. Ele admite, em um debate no Twitter, que encostou no comunista por “interesse” apenas para se dar bem nas urnas.

“Flávio Dino não é e nunca foi meu amigo. Disse a ele em 2012 e em 2014 que três coisas unem os homens: o sangue, a amizade e o interesse”, disse Roberto Rocha.

Asa de Avião, como também é conhecido, Roberto Rocha corre sério risco de ser expulso do PSB por ter votado a favor da Reforma Trabalhista do presidente Michel Temer que acabou com direitos consagrados dos brasileiros, por consequência dos maranhenses também, contrariando orientação do partido, movido por interesses agora atrelados ao PMDB governista de quem obteve vários cargos e benesses.