Veja as ordens de veiculação da propaganda eleitoral no Rádio e na TV

Na TV, os horários serão das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55. No rádio, os horários serão das 7h às 7h25 e 12 h as 12h25

Faltam exatos 10 dias para o início da propaganda eleitoral no Rádio e na TV. Às Terças, quintas e sábados as campanhas apresentadas serão para Presidente da República e para o cargo de deputado federal. Segundas, quartas e sextas serão os cargos de governador, senador e deputado estadual.

Na TV, os horários serão das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55. No rádio, os horários serão das 7h às 7h25 e 12 h as 12h25.

Veja a ordem de veiculação da propaganda para o cargo de governador do Maranhão definida por meio de sorteio:

1º – Odívio Neto (PSOL) com a coligação Vamos Sem Medo Mudar o Maranhão (PSOL e PCB)
2º – Flávio Dino (PCdoB) com a coligação Todos Pelo Maranhão (PCdoB, PDT, PRB, PPS, PTB, DEM, PP, PR, PTC, PPL, PROS, AVANTE, PEN, PT, PSB e Solidariedade)
3º – Maura Jorge (PSL) com a coligação Renovação de Verdade (PSL e PRTB)
4º – Ramon Zapata (PSTU)
5º – Roberto Rocha (PSDB) com a coligação União e Coragem Para Fazer um Maranhão Melhor (PSDB, REDE, PSDC, PODEMOS, PHS e PMN)
6º – Roseana Sarney (MDB) com a coligação O Maranhão Quer Mais (MDB, PSD, PMB, PV, PRP, PSC)

Para o Senado Federal, a sequência das coligações ficou da seguinte forma:
1º – Todos Pelo Maranhão (Weverton Rocha, do PDT, e Eliziane Gama, do PPS)
2º – Vamos Sem Medo Mudar o Maranhão (Saulo Pinto, do PSOL, e Iêgo Brunno, do PCB)
3º – O Maranhão Quer Mais (Edison Lobão, do MDB, e Sarney Filho, do PV)
4º – Renovação de Verdade (Samuel Campelo, do PRTB)
5º – União e Coragem Para Fazer um Maranhão Melhor (Alexandre Almeida, do PSDB, e José Reinaldo Tavares, do PSDB)
6º – PSTU (Saulo Arcangeli e Preta Lú)

Para o cargo de deputado federal, a ordem definida por sorteio foi:
1º – Juntos Pelo Maranhão I (PSL e PRTB)
2º – Coragem e União Para Fazer um Maranhão Melhor (PSDB, REDE, PODEMOS e DC)
3º – O Maranhão Quer Mais (MDB, PV, PSD, PSC, PMB e PRP)
4º – Vamos Sem Medo Mudar o Maranhão (PSOL e PCB)
5º – Juntos Pelo Maranhão II (PMN e PHS)
6º – PT
7º – Todos Pelo Maranhão I (PCdoB, PRB, PPS SOLIDARIEDADE, PROS, PTC, PTB, PSB, DEM, AVANTE e PPL)
8º – PSTU
9º – Todos Pelo Maranhão II (PDT, PP, PR e Patriotas)

Para deputado estadual, as coligações e partidos ficaram na seguinte ordem:
1º – Para Fazer um Maranhão Melhor (REDE, PODEMOS e DC)
2º – Vamos Sem Medo de mudar o Maranhão (PSOL E PCB)
3º – Juntos Pelo Maranhão II (PMN e PHS)
4º – Maranhão Quer Mais II (MDB, PV, PSD, PSC, PMB e PRP)
5º – Todos Pelo Maranhão IV (PTB, PROS, PPS e PPL)
6º – PT
7º – PSOL
8º – PCO
9º – PSTU
10º – Todos Pelo Maranhão III (PDT, PCdoB, PSB, PRB, PR, DEM, PP, PTC e AVANTE)
11º – PRTB
12º – PSDB
13º – Todos Pelo Maranhão V (SOLIDARIEDADE e Patriotas)

Márcio Jerry lança pré-candidatura a deputado federal em Colinas

O ex-secretário de Comunicação e Articulação Política e presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, vai lançar oficialmente sua pré-candidatura, na próxima sexta-feira, dia 16, em sua terra natal, a cidade de Colinas.

O pré-candidato vai realizar o ato político e reunir apoiadores, pré-candidatos a deputado estadual e lideranças políticas da região.

O evento da pré-candidatura de Márcio Jerry acontecerá no Centro de Ensino Rosa Câmara, a partir das 19h.

Divulgado limite de gastos para as eleições 2018

O limite fixado às campanhas para deputado federal ficou em R$ 2,5 milhões. Para os cargos de deputados estadual ou distrital, o teto ficou fixado em R$ 1 milhão

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o limite de gastos das campanhas eleitorais deste ano, bem como o limite quantitativo para contratação de pessoal. Para o cargo de presidente da República o teto será de R$ 70 milhões para o primeiro turno, valor que pode ser acrescido em R$ 35 milhões caso haja segundo turno.

O limite fixado às campanhas para deputado federal ficou em R$ 2,5 milhões. Para os cargos de deputados estadual ou distrital, o teto ficou fixado em R$ 1 milhão. No caso das campanhas para governadores e senadores, o limite de gastos variam de acordo com o eleitorado de cada unidade da Federação.

São Paulo, por exemplo, é a unidade federativa com maior teto de gastos para a campanha a governador (R$ 21 milhões, no primeiro turno e outros R$ 10,5 milhões em caso de segundo turno), seguido do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e da Bahia (14 milhões mais R$ 7 milhões em caso de segundo turno); Ceará, Goiás, Maranhão, Pará, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina (R$9,1 milhões mais R$ 4,55 milhões para o segundo turno).

Estados com população de até 1 milhão de eleitores terão seus gastos limitados a um teto de R$ 2,8 milhões, para a campanha ao governo estadual. Em caso de segundo turno, essas campanhas terão seu teto acrescido em R$ 1,4 milhão. Informações sobre o limite de gastos para o governo das demais unidades podem ser obtidas no site do TSE.

O TSE também disponibilizou em seu portal o limite de contratações diretas ou terceirizadas de pessoal, para serviços de militância e de mobilização nas ruas, tanto para a campanha presidencial como para as de senador, deputados e governadores.

Com uma população de 9 milhões de eleitores, São Paulo é o estado que terá direito a fazer o maior número de contratações: 9.324 para as campanhas à presidência e ao Senado; 18.648 para a campanha ao governo do estado; e 6.527 para a campanha à Câmara dos Deputados.

O dilema do deputado Alberto Filho…

Deputado Alberto Filho

A eleição de 2018 traz uma nova realidade para alguns políticos maranhenses. No histórico estadual, prefeitos de grandes cidades têm a tradição de tentar eleger filhos e outros parentes para cargos estaduais. Foi o que aconteceu com a eleição de Alberto Filho para o mandato de deputado federal.

Filho do ex-prefeito de Bacabal, José Alberto Veloso, Alberto Filho saiu das urnas com 67.885 mil votos. Mas, após um mandato bastante criticado à frente da prefeitura de Bacabal, José Alberto decidiu não disputar a reeleição, tirando do filho uma estrutura fundamental para sua reeleição ao Congresso Federal.

Hoje, o parlamentar ensaia uma candidatura para a Assembleia Legislativa.

A única certeza no momento é que a eleição deste ano será difícil para o herdeiro do ex-prefeito.

Weverton Rocha é absolvido pelo STF em ação por suposto desvio de colchões

Ministros do Supremo julgaram improcedente a ação movida contra o parlamentar

Weverton Rocha

Weverton Rocha

Com unanimidade, o deputado federal Weverton Rocha (PDT) foi absolvido, na tarde desta terça-feira (18), da ação penal nº 678, que tratava sobre suposto desvio de colchões que deveriam ser destinados a vítimas de enchentes no Estado.

 A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou improcedente a ação, concluindo que não havia quaisquer provas do suposto desvio de colchões cedidos à secretaria de esporte enquanto Weverton Rocha era titular da pasta, durante o Governo Jackson Lago.

Para Weverton, a decisão demonstra a competência da Justiça brasileira em julgar baseada nos fatos e não em se deixar levar pela parcialidade de setores da mídia. “Sempre afirmei e defendi minha inocência e tive fé na Justiça, tanto do homem quanto de Deus. Hoje, tiro este peso, que carreguei injustamente, de meus ombros”, declarou.

Participaram da votação os ministros Dias Toffoli, Luiz Fux, Roberto Barroso e Rosa Weber.

Exata/TV Guará divulga pesquisa para deputado federal

TV Guará

As eleições  ocorrem no próximo domingo (05) e, neste ano, a expectativa é que tanto na Assembleia Legislativa quanto na Câmara Federal mais da metade dos nomes, que hoje ocupam as cadeiras de deputado estadual quanto de federal, sejam renovados.

Depois do primeiro levantamento para as vagas proporcionais realizado em agosto, a TV Guará divulga nova pesquisa.

A pesquisa foi espontânea, ou seja, foi perguntado aos eleitores em quem eles votariam para deputado estadual e federal se as eleições fossem hoje. Para o cargo de deputado federal, em agosto o candidato Sétimo Waquim foi o mais lembrado pelos eleitores, desta vez o ex-secretário Hildo Rocha foi o mais citado.

O que mais chama a atenção é número de indecisos, das 1.400 pessoas entrevistadas, 538 disseram não saber em qual candidato a deputado federal irão votar e outros 150 disseram votar em ninguém.

Já para deputado estadual, 508 entrevistados ainda não escolheram o seu candidato e 104 optaram por votar em nenhum candidato, ou seja, branco ou nulo.

federal2909