Caema fará parada programada no Sistema Italuís para interligar nova adutora

Caema orienta que moradores dos 159 bairros abastecidos pelo Italuís armazenem água para usar durante o período de parada do sistema. Foto: Divulgação

O Sistema Italuís vai fazer uma parada programada entre a 0h da próxima quarta-feira (16) até as 13h do sábado (19) para fazer a interligação da nova adutora, o que vai provocar interrupção no abastecimento de água em 159 bairros de São Luís. Nesse período, será feita também a recuperação da subestação elétrica da captação de água bruta.

A previsão é que a partir das 13 h do sábado (19) o abastecimento de água seja retomado gradualmente. A interligação com a nova adutora será feita para melhorar e reforçar o abastecimento de água para 600 mil pessoas em São Luís. Um aumento de 30% de vazão, o que corresponde a cerca de um terço a mais da capacidade do Sistema Italuís.

A orientação da Caema é que os moradores dos 159 bairros abastecidos pelo Italuís armazenem água para usar durante o período de parada do sistema. A interrupção do abastecimento está sendo amplamente informada à população para reduzir os impactos.

Durante a parada, haverá um esquema especial para garantir o abastecimento de água em prédios onde o uso da água é essencial e não pode parar. É o caso dos hospitais. Esse esquema envolve, entre outras coisas, o uso de caminhão-pipa.

Governo abre oportunidades para estágio no museu do Palácio dos Leões

Os alunos devem enviar os documentos para o e-mail [email protected], no período de 12 a 19 de março.

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Sectur) abre oportunidade de estágio para trabalhos na ala de visitação no Palácio dos Leões, sede do Governo do Estado, no Centro.

Os interessados precisam estar regularmente matriculados, cursando entre o 3° e o 6° período dos cursos e dominar um segundo idioma, preferencialmente inglês e/ou libras, além de apresentar o Currículo Vitae (CV) e o histórico parcial do curso.

São três vagas imediatas e cadastro de reserva para alunos dos cursos de Ciências Sociais, Filosofia, História, Letras, Pedagogia e Turismo. Os alunos devem enviar os documentos para o e-mail [email protected], no período de 12 a 19 de março.

São funções dos estagiários acompanhar o público nas visitas guiadas, prestar informações sobre o acervo e história do museu, além de realizar pesquisas e outras atribuições relacionadas à gestão da casa de cultura.

Inciando pré-campanha, Roseana sente clima hostil nas redes sociais…

A ex-governadora e pré-candidata, pela quinta vez ao governo do Estado, Roseana Sarney (MDB), sentiu os primeiros sinais do clima nas redes sociais com o lançamento da sua caravana itinerante. Intitulada de “Caravana da Guerreira”, ela pretende percorrer 30 municípios maranhenses a partir do próximo dia 08.

Ao perguntar em sua página oficial no Facebook sobre quais municípios as pessoas gostariam que a caravana passasse, os internautas não pouparam a ex-governadora e deram sugestões bem inusitadas. Algumas respostas foram ríspidas e desagradáveis, até mesmo, desnecessárias.

O grupo Sarney se prepara para tentar voltar ao governo depois do ciclo de mais de 50 anos encerrado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) em 2014.

Ao que se vê, pelo clima hostil nas redes sociais ao anunciar a caravana, a tarefa não vai ser das mais fáceis.

Governo do Estado investe em tecnologia e inovação com a abertura do Casarão Tech

O local conta com 17 espaços de inovação e é mais uma ação do Programa Inova Maranhão, lançado pelo governo do Estado.

Localizado no Centro Histórico de São Luís, o Casarão Tech vem dando oportunidade a jovens maranhenses e seus projetos de inovação. O local conta com 17 espaços de inovação e é mais uma ação do Programa Inova Maranhão, lançado pelo governador Flávio Dino. Além de incentivo à inserção de startups maranhenses no mercado, há espaços para a inovação em diversos setores.

O local dispõe de espaço compartilhado de trabalho para que equipes escolares, de universidades e de empresas possam se reunir para realização de reuniões, palestras e outros eventos, além de um laboratório dedicado a cursos, treinamentos e oficinas de robótica, construção de games e outras tecnologias de aprendizado.

Além da parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), o Casarão Tech conta com o apoio da Rede Maranhense de Inovação e Tecnologia (Remit) e do Lab Participa, que tem como objetivo integrar pesquisadores, estudantes e instituições de ensino para desenvolver projetos de base tecnológica que estimulem a participação popular.

Advogado maranhense reforça pré-candidatura ao Governo do Tocantins

Em entrevista ao jornalista Cleber Toledo, do Tocantins, Marlon falou das articulações da sua pré-candidatura.

Pré-candidato a governador pelo Rede Sustentabilidade, o advogado e ex-juiz Marlon Reis, de 48 anos, nasceu em Pedro Afonso, no Tocantins, mas se estabeleceu no Maranhão.

Marlon tornou-se personalidade de reconhecimento nacional e uma referência quando o tema é ética na política. Liderou a grande mobilização dos brasileiros para construir uma lei de iniciativa popular (Lei da Ficha Limpa) que colocasse a biografia do político em debate.

Em entrevista ao jornalista Cleber Toledo, do Tocantins, Marlon falou das articulações da sua pré-candidatura. “Estamos conseguindo montar grupos de voluntários em todos os lugares por onde passamos, de profissionais liberais, estudantes, juventude, mulheres, e pessoas que estão abraçando efetivamente a causa. Esse é o nosso primeiro trabalho: formar uma aliança com o povo diretamente”.

Com o projeto ‘Diálogos pelo Tocantins’, Marlon Reis tem percorrido o estado e dialogado com várias lideranças.

Abertas inscrições para o programa Cartão Transporte Universitário

O pagamento do crédito de R$ 800,00 será feito por meio do Cartão Transporte Universitário, a cada semestre letivo, para o custeio do deslocamento.

Estão abertas as inscrições para o programa Cartão Transporte Universitário, que auxilia jovens que precisam percorrer distâncias de mais de 100 km entre suas residências e as instituições de ensino onde estão matriculados. Para o semestre 2018.1, o programa vai beneficiar mil universitários com o auxílio de R$ 800, em parcela única, que amenizará o impacto econômico na sua vida acadêmica e incentivará a permanência e a continuidade dos estudos.

O Cartão Transporte Universitário é uma iniciativa do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado Extraordinária da Juventude (Seejuv) e Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), e vai atender estudantes matriculados em cursos presenciais e com regime diário de aulas em Instituições de Ensino Superior públicas ou privadas no Maranhão.

As inscrições para o edital do semestre 2018.1 começaram na última sexta-feira (9) e seguem até o próximo dia 3 de março (sábado), exclusivamente pelo site:  www.transporteuniversitario.juventude.ma.gov.br. Na primeira edição do Programa, foram beneficiados mais de 1170 universitários de 150 municípios.

Como participar

Os estudantes interessados deverão:

  • Acessar o site do programa, preencher ficha de inscrição e anexar documento de identidade e CPF;
  • Foto 3×4;
  • Comprovante de residência dos últimos seis meses, fornecido por concessionárias dos serviços de água ou energia elétrica;
  • Apresentar contrato ou recibo mensal de pagamento, caso o estudante resida em imóvel alugado;
  • Comprovante de matrícula no curso declarado, para o período vigente;
  • Histórico escolar disponibilizado pelo estabelecimento de ensino;
  • Declaração firmada pelo estudante acerca da veracidade das informações prestadas, com sua ciência sobre as penalidades criminais em caso de falsidade, além da exclusão definitiva do Programa e comprovação de inclusão no Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal.

Cartão Transporte Universitário

O pagamento do crédito de R$ 800,00 será feito por meio do Cartão Transporte Universitário, a cada semestre letivo, para o custeio do deslocamento, com contratação do transporte sendo de exclusiva responsabilidade do estudante, que escolherá a forma que melhor lhe convier, de acordo com suas necessidades e com as realidades locais.

Governo inicia reforma para instalar Casa de Apoio do Hospital de Câncer do Maranhão

O Governo do Estado iniciou a reforma de imóvel para instalar a Casa de Apoio do Hospital de Câncer do Maranhão (HCM), em São Luís. Localizada a poucos metros do hospital, na Rua São Pantaleão, área do Centro da Cidade, a Casa de Apoio vai estender a assistência humanizada, também, aos acompanhantes dos pacientes internados na unidade de referência estadual, na maioria dos casos, residentes do interior do estado.

O imóvel, com área total de 1.630m², terá 21 leitos, refeitório, área de vivência, cozinha, banheiros, sala de TV, sala de leitura e área administrativa. De acordo com a secretária adjunta de Engenharia e Manutenção da SES, Thais Farias, a previsão de finalização da obra é para início de setembro. Anteriormente, no local, funcionava a Fundação da Criança e do Adolescente do Maranhão (Funac).

Atendimento 

O diretor clínico do Hospital de Câncer do Maranhão, Arthur Jucá, ressalta que a Casa de Apoio reflete o novo perfil da unidade e da saúde no Maranhão. No caso de quem vem do interior, Arthur Jucá lembrou que eles ainda enfrentam a dificuldade de não ter onde ficar ou ter que gastar com abrigo e alimentação.

Fujam todos! Roseana Sarney ameaça governar o Maranhão outra vez

JM Cunha Santos 

A sede do governo provavelmente seria o Hotel Luzeiros; o secretário de Fazenda não seria mais o Cláudio Trinchão, mas o próprio Alberto Youssef.

As primeiras medidas de impacto social seriam a criação do Imposto Sobre Circulação do Jornal O Estado do Maranhão, que já foi cobrado aqui com outro nome e o envio de uma Proposta de Emenda Constitucional garantindo ao Sistema Mirante o direito de engabelar seus funcionários. Em seguida, seria criada a Secretaria da Agiotagem Pública e Notória, os índices de criminalidade seriam reajustados acima da inflação, as degolas e esquartejamentos no Complexo Penitenciário também, voltariam os concursos de fachada nos quais os aprovados nunca são convocados, a Secretaria de Educação voltaria a construir escolas de taipa e haveria no governo um esforço concentrado para o retorno aos velhos índices de mortalidade infantil e mortalidade materna.

Ainda bem que a ideia da candidatura de Roseana Sarney, antes da inevitável condenação na Justiça, não passa de delírio. E quem é capaz de jogar tamanha praga no povo do Maranhão mereceria ser condenado por crime contra a humanidade.

ARTIGO DE FLÁVIO DINO: Fazendo justiça social

Fazendo justiça social

Por Flávio Dino

Governador Flávio Dino

Governador Flávio Dino

Sou dos que acreditam que o exercício da boa política tem uma prioridade máxima: a construção de uma sociedade melhor. Para que a alcancemos, devemos enfrentar especialmente as absurdas desigualdades provocadas por décadas de desgoverno em nosso Maranhão. Por isso, criei, em meu primeiro dia de governo, o Plano Mais IDH, um conjunto de programas que está mudando a vida de quem mora nas 30 cidades mais pobres do nosso estado.

Com ações estratégicas de saúde, educação, abastecimento d’água, produção e renda, vamos diminuir desigualdades sociais nessas cidades que têm os mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado e do país. As pessoas que foram submetidas a situações tão precárias por descaso do Estado, não podem esperar pelo efeito “automático” de soluções gerais. Por isso, nosso foco nelas por meio de ações emergenciais.

É o caso da Força Estadual de Saúde, composta por 120 profissionais de saúde. Sem atendimento digno há décadas, a população desses municípios não pode esperar e precisa de um atendimento emergencial, que alcance o mais importante quando se fala de saúde: a prevenção. O princípio é o mesmo usado para criação da Força Nacional de Segurança, que atua em situações críticas pontuais. Os profissionais de saúde da Força já realizaram mais de 115 mil atendimentos nos 30 municípios do Mais IDH.

Outro ponto importante a ser trabalhado é a educação. Para mudar essa situação, criamos o Programa Escola Digna, que está construindo escolas de alvenaria substituindo as inadequadas escolas de taipa, pois sem boas condições infraestruturais não é possível que os alunos possam aprender com qualidade.

Em paralelo, criamos a Jornada de Mobilização pela Alfabetização que concentra ações voltadas para a população a partir de 15 anos de idade. Estamos aplicando o Plano Brasil Alfabetizado, em 71 cidades, em parceria com o Governo Federal. E com o Programa “Sim, Eu Posso”, há 702 alfabetizadores atuando em 8 dos 30 municípios mais pobres, ensinando 14 mil pessoas a ler e escrever. Não posso descrever a emoção que senti em São Raimundo do Doca Bezerra, na semana passada, ao receber uma carta escrita por um grupo de idosos, pedindo a continuidade do programa de alfabetização, para que eles possam aprender mais.

Para garantir uma melhor alimentação, também estamos investindo cerca de R$ 22 milhões na construção de 30 cozinhas comunitárias que, quando prontas, terão capacidade de fornecer 15 mil refeições diárias, a partir de ingredientes produzidos por pequenos agricultores, o que ajudará a ativar a economia local. Já o Programa “Minha Casa, Meu Maranhão” visa a garantia de moradia digna à população. Estamos com obras em 15 municípios, mirando sobretudo a zona rural.

Por fim, menciono que 26 dessas 30 cidades nunca contaram com sistema de abastecimento de água tratada. Para superar esse drama, o Programa Água para Todos está investindo R$ 75 milhões nesses municípios. E poderia falar de muito mais ações, como os Sisteminhas da Agricultura Familiar, os curso de formação que estamos começando, entre outras iniciativas que têm a marca maior do nosso governo: lutar por direitos para todos, com coragem e dedicação.

Nesses momentos de crise que o Brasil e o mundo vivem, há governantes que defendem que é hora de o Estado poupar. Eu defendo que é justamente nesses momentos que é preciso investir para reduzir os impactos da crise, principalmente entre os que mais sofrem com ela, que são os cidadãos tradicionalmente invisíveis. A política pública mais eficiente é investir nas pessoas. Isso está fazendo a diferença nesse nosso imenso esforço patriótico para virar a página da injustiça no Maranhão, recuperando o tempo perdido.