Governo federal oferece auxílio para conter violência no Maranhão

Globo.com

Após novos ataques a ônibus, empresas estão recolhendo veículos a partir das 18h
Após novos ataques a ônibus, empresas estão recolhendo veículos a partir das 18h em São Luís

O Ministério da Justiça informou que ofereceu ajuda ao governo do Maranhão para tentar conter a onda de violência no estado. Segundo o governo federal, foram oferecidas vagas em presídios federais para os líderes das facções criminosas que estão no complexo penitenciário de Pedrinhas. Ônibus foram incendiados e ataques a delegacias registrados nos últimos dias no estado.

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, ainda não respondeu à oferta do Executivo, o que deverá acontecer nos próximos dias. Se aceitar o auxílio do governo federal, ela será responsável por apontar quais os presos que serão transferidos para outros locais.

Segundo o Ministério da Justiça, a estratégia que pode ser adotada no Maranhão já foi utilizada de forma eficaz anteriormente em Santa Catarina, quando foram transferidos vários presos, no início de 2012, justamente para tentar frear uma onda de violência que tomava conta do estado.

A onda de ataques teve início após uma operação da Tropa de Choque no Complexo Penitenciário de Pedrinhas na sexta-feira (3), que buscou diminuir as mortes nas unidades prisionais do Maranhão. Até agora, quatro ônibus foram incendiados e duas delegacias foram alvo de tiros em São Luís.

“O Serviço de Inteligência confirmou que esses ataques foram ordenados de dentro dos presídios, inclusive sabemos quem mandou e quem recebeu as ordens. Essa é, na verdade, uma resposta à moralização que estamos fazendo na segurança do Sistema Penitenciário”, afirmou o secretário da Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes.

Ação criminosa

Dos quatro ônibus alvos da ação dos criminosos, dois foram totalmente destruídos pelo fogo (João Paulo e Ferreira Gullar). Um foi parcialmente incendiado, na Vila Sarney Filho. No Jardim América, houve princípio de incêndio, mas o fogo foi contido. Cinco pessoas sofreram queimaduras e permanecem internadas.

Em entrevista coletiva realizada na manhã deste domingo (5), a cúpula da Segurança do Maranhão apresentou dez suspeitos de participarem dos ataques a quatro ônibus e à 9ª Delegacia de Polícia ocorridos na última sexta-feira (3). Neste sábado (4), uma delegacia no bairro da Liberdade também foi atacada. No total, 11 pessoas foram detidas. O secretário Aluísio Mendes disse que o objetivo dos criminosos era queimar pelo menos 20 ônibus na região metropolitana de São Luís.

Um relatório de inspeção sobre estabelecimentos prisionais do Maranhão, assinado pelo juiz Douglas de Melo Martins e enviado no fim do ano passado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), confirma a “precariedade do sistema prisional maranhense”. O governo do Maranhão, segundo o juiz, já recebeu várias indicações da necessidade de estruturar o sistema. O governo do Maranhão contestou parte do relatório.

Delegacia da Liberdade leva tiros 

Até a Polícia Militar vem sendo alvo constante dos ataques em São Luís
Até a Polícia Militar vem sendo alvo constante dos ataques em São Luís

A delegacia do bairro da Liberdade, em São Luís, foi atingida por tiros na noite do sábado (04). Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), os homens estavam em um veículo Celta e atiraram contra a fachada do posto policial. Não há informações sobre feridos ou sobre quantos tiros foram disparados.

Um carro da polícia que estava em frente à delegacia também foi alvejado, na mesa ação criminosa.

Este foi o segundo posto policial atingido por tiros em dois dias. Na sexta-feira (3), durante a onda de ataques que deixou quatro ônibus queimados e cinco pessoas feridas, bandidos também alvejaram a fachada do 9º Distrito, no bairro de São Francisco, onde um carro da corporação também foi atingido.

Os ataques começaram a se intensificar na sexta-feira (3), após o início da operação ‘Pedrinhas em Paz’, coordenada pela Polícia Militar, que tem como objetivo de diminuir as mortes nas unidades prisionais do Maranhão.

O secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, confirmou, ele próprio, que os ataques foram ordenados por detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Postagens relacionadas

5 thoughts on “Governo federal oferece auxílio para conter violência no Maranhão

  1. quem diria São Luís hoje ser uma das capitais mais violentas do país. Estamos comedo de sair de casa. São necessárias medidas urgentes, para que não nos tornemos um RIO DE JANEIRO da vida. Com a palavra Aluísio Mendes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.