Lula fala de viagem ao Nordeste e diz que condenação dele é parte de “golpe”

Bahia 247

Lula virá ao Nordeste de ônibus

O ex-presidente Luiz Inácio da Silva deu entrevista nesta sexta-feira, 18, ao jornalista Mario Kertész, da rádio Metrópole de Salvador, e voltou a defender sua inocência nas ações penais da Lava Jato. Lula disse que o objetivo de sua eventual condenação em segunda instância é concluir o golpe, iniciado em 2016 com a derrubada da presidente Dilma Rousseff.

“Deram um golpe, colocaram o Temer e o Brasil afundou”, disse Lula. “Eles vão ter que se explicar para a sociedade. Eu quero estar vivo para ver qual é a explicação deles. A Lava Jato está virando um partido político e tem espaço garantido na televisão. Se eu voltar em 2018, vou voltar mais forte. Eles sabem que sou capaz de envolver toda a sociedade brasileira e resolver o problema do país”, disse o ex-presidente.

Lula prometeu retomar investimentos para a roda econômica voltar a girar; na entrevista, ele também criticou a força-tarefa curitibana e disse que eles se tornaram escravos da Rede Globo.

Assista à entrevista de Lula:

 

Lula manda recado a golpistas

Em noite em que reviveu seus melhores discursos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a estrela do lançamento de nova fase do Memorial da Democracia, lançado no final de 2015. A nova etapa do Memorial – construído em parceria com o Projeto República, da Universidade Federal de Minas Gerais – foi lançada na Arena Fonte Nova, em Salvador, com a participação de todas as mais importantes lideranças do partido e representantes de diversas entidades e legendas, como PCdoB, UNE, MST e CUT.

O ex-presidente chegou a Salvador no início da tarde e participou de uma maratona em que uma multidão o cercou por onde passou, desde sua chegada, passando pelo metrô, até chegar à Fonte Nova. Sobre a caravana por nove estados do Nordeste, que iniciou hoje na capital baiana, no projeto “Lula pelo Brasil”, afirmou: “Quero andar pelo país para contar ao povo o que está acontecendo neste país”.

No discurso, Lula usou como mote a memória e a história para falar, entre outros temas, do golpe que levou Michel Temer ao poder, de cidadania, liberdade e, sem citar nomes, do juiz que proibiu o ato de entrega do título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB).

Ele se mostrou consciente de ser a liderança capaz de neutralizar as informações mal-intencionadas da mídia tradicional, capitaneada pela família Marinho desde o início do processo do “mensalão” em 2005. “Não é possível que esse povo se informe pela Rede Globo de Televisão”, disse. “Não sou nenhum revolucionário, sou um despertador de consciência.”

Mencionou 2018 mas não foi conclusivo sobre sua própria candidatura. “Este país tem que se preparar porque em 2018 tem que colocar uma pessoa democrata para governar, e a gente tem que começar a se organizar já. Vocês sabem que ainda falta muito tempo. Não existe candidato, mas nós saberemos quem é o candidato na hora certa”, afirmou. E mostrou disposição incomum para quem é diuturnamente perseguido pelo Judiciário e pela mídia. “Tô com 71 anos, mas com vontade de lutar como se tivesse 30.”

Usou de ironia para comentar a suspensão da cerimônia de entrega do título honoris causa, cancelada por pedido do vereador Alexandre Aleluia (DEM). “Queria falar ao vereador que ele tem o direito de não gostar de mim, porque ele é do DEM e não precisa gostar de mim, porque eu também não gosto dele”, afirmou, enfatizando não ser por motivos pessoais, mas ideológicos. “Todo mundo sabe o que eu fiz na Bahia. Eles têm medo pelo que nós vamos fazer daqui pra frente.”

Segundo Lula, os governos do PT e a democracia têm raízes no país. “A ideia da liberdade, da democracia, da participação social é muito forte. Não adianta achar que acabando com Lula acaba com isso.”

Acusou os golpistas de “truncarem a democracia” ao derrubar Dilma e prometeu: “Vocês vão pagar com a mesma moeda o que fizeram com a democracia brasileira. E em 2018 a gente vai eleger uma pessoa democraticamente.”

Em noite em que o tema era a memória, assinalou: “É importante reconstituir a história, porque a história é contada pelos dominadores, a gente aprende a história que os dominadores quiseram”, disse. “Os que deram o golpe de 64 nunca aceitaram a palavra golpe, diziam que vieram pra consertar o Brasil que estava sendo entregue aos comunistas.” Lembrou que a dominação no Brasil começou na Bahia, em cujo litoral, segundo os livros de história, a frota de Pedro Álvares Cabral chegou em 22 de abril de 1500.

Doria e Temer

Lula convidou o presidente Temer a se retirar da presidência da República. “Tem mais gente na rua hoje do que quando eu cheguei na presidência’, disse. “Se um governante não tem competência pra resolver a crise e começa a vender o patrimônio deste país, esse governo tem que pedir desculpas e ir embora, porque não serve para governar.”

E ironizou o prefeito João Doria: “Se o prefeito de São Paulo já invadiu a Cracolândia, imagina se fizermos um Museu da Democracia na Cracolância”. Foi uma referência à interdição, por ação do Ministério Público, que moveu ação contra a cessão de um terreno municipal no centro de São Paulo para a construção de um museu que o MP afirmou que serviria para “divulgação da imagem” de Lula.

As dificuldades práticas para criação de um museu físico, com documentos, imagens e objetos que comporiam um espaço de reflexão sobre a construção do país a partir da República levaram à criação do museu virtual. O Memorial da Democracia, que teve hoje a apresentação de mais um fragmento dessa história. (Da RBA)

MPF pede condenação de ex-prefeito de Pinheiro…

Ex-prefeito de Pinheiro, Zé Arlindo

De acordo com MPF, José Arlindo Silva Sousa recebeu quase R$ 1,5 milhão do Incra para realização de obras no município, mas não prestou contas sobre a aplicação dos recursos

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) propôs ação civil por ato de improbidade administrativa contra José Arlindo Silva Sou, ex-prefeito do município de Pinheiro (MA). Ele não prestou contas da aplicação de recursos repassados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para recuperação de estradas vicinais nos Projetos de Assentamento do município e implantação de quatro sistemas de abastecimento de água.

De acordo com a ação, em 2010, sob a gestão de José Arlindo, o município de Pinheiro firmou convênio com o Incra no valor de R$ 2.274.992,41, para realização das obras. Desse total, foram efetivamente repassados R$ 1.403.432,09 ao município, mas, mesmo após ser notificado, à época o prefeito deixou de encaminhar a devida prestação de contas no prazo legal, sem apresentar justificativa aceitável. A omissão do gestor ocasionou a abertura de processo de Tomada de Contas Especial.

“Sem a justificação posterior dos atos a seu cargo, estará de todo frustrada a exposição do administrador público ao controle da legalidade, da impessoalidade, da moralidade e eficiência que devem permear o seu proceder, fugindo à devida publicidade de suas ações”, afirmou o procurador da República Juraci Guimarães Júnior. Segundo ele, conforme previsto em lei, a omissão na prestação de contas configura-se ato de improbidade administrativa.

Assim, o MPF/MA pediu à Justiça Federal que José Arlindo Silva Sousa, ex-prefeito de Pinheiro, seja condenado a ressarcir integralmente os valores repassados pelo Incra – cuja aplicação não foi devidamente declarada –, a pagar multa civil de até cem vezes o valor de sua remuneração e seja proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos. Além disso, quer a aplicação das sanções de perda da função pública que porventura exerça e suspensão de seus direitos políticos pelo período de três a cinco anos.

Negado habeas corpus a acusado de manter ex-namorada em cárcere privado…

Negado habeas corpus a acusado de manter ex-namorada em cárcere privado

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão negou, por unanimidade, habeas corpus a Cássio de Oliveira Silva, acusado de tentativa de homicídio e carcere privado da ex-namorada. Consta nos autos que o acusado, inconformado com o fim do namoro de sete anos, dirigiu-se à residência da vítima, no dia 28 de junho deste ano, a fim de manter uma conversa sobre o relacionamento amoroso de ambos.

Ao perceber que ela estava acompanhada do novo namorado, o acusado ameaçou o mesmo, utilizando uma arma de fogo, adquirida em um ponto de droga por R$ 1.300,00. Ato contínuo, conduziu a ex-namorada até um motel localizado na capital, mantendo a vítima em cárcere privado.

No pedido de habeas corpus, a defesa alegou ausência de concreta fundamentação na decisão, afirmando que Cássio Oliveira não ostenta periculosidade. Sustentou que o acusado está submetido a constrangimento ilegal e que a sua liberdade foi cerceada com base apenas em abstrações e ilações. Argumentou que o réu possui bons antecedentes criminais, residência fixa e que, embora armado, em momento algum teria ameaçado ou agredido a ex-namorada, pois ela, de forma espontânea, o companhou ao motel.

O desembargador Raimundo Melo (relator) negou o pedido de habeas corpus. De acordo com o magistrado, existem fundamentos legais para prisão de Cássio de Oliveira, tendo em vista a periculosidade do acusado, revelada pelo “modus operandi” do crime praticado mediante grave ameaça contra a pessoa com emprego de arma de fogo, inclusive, constando do depoimento da vítima Carlos Eduardo Silva, que o acusado chegou a apertar o gatilho da arma apontando a mesma na direção da vítima, o que justifica a custódia como garantia.

Melo ressaltou ainda que o ato praticado pelo paciente foi movido por paixão, pelo inconformismo com fim do relacionamento com a vítima Ilza Cristina. De acordo com o relator, em casos com essas características deve-se garantir a integridade da vítima, pois as estatísticas comprovam que delitos com a mesma gravidade culminam com o agravamento da violência, inclusive com o óbito. O voto do relator foi seguido pelos desembargadores João Santana e Vicente de Paula, conforme parecer da Procuradoria Geral de Justiça.

Maranhão obtém segundo melhor saldo de empregos do Nordeste em julho…

Maranhão se destacou no crescimento de empregos no Nordeste e está em sétimo lugar no país

A Nota Mensal de Mercado de Trabalho no Maranhão referente ao mês de julho deste ano, elaborada pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), foi divulgada.  Demonstra que o Estado obteve o segundo melhor saldo de empregos formais do Nordeste e o sétimo do país com a geração de 1,6 mil postos de trabalho. A versão completa da nota pode ser acessada no link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/21/175

Segundo os dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o emprego formal maranhense registrou uma abertura de 1.567 postos de trabalho em julho de 2017, configurando o terceiro mês consecutivo de resultado positivo, levando o acumulado do ano a 2,2 mil demissões líquidas, contra 12,6 mil no mesmo no mesmo intervalo de 2016.

O destaque no mercado formal em julho de 2017 foi para o setor da Construção Civil, que registrou 1.020 admissões líquidas, com contribuição expressiva da atividade Construção de Edifícios, a qual registrou 846 novas vagas em São Luís. Destaque também para a Indústria de Alimentos e Bebidas, que registrou 1,1 mil aberturas de vagas na atividade Fabricação de açúcar em Coelho Neto.

Segundo o economista do Imesc, Geilson Pestana, os dados do Caged indicam que o Maranhão está seguindo a tendência nacional de recuperação do emprego formal. “Considerando o resultado dos últimos quatro meses, a Construção Civil foi o setor que mais empregou. Foram gerados 2,5 mil postos de trabalho. Tendo em vista a posição de destaque do setor em julho, especialmente em São Luís, podemos ressaltar, que os investimentos do Governo Federal e do Governo do Maranhão de cerca de R$ 100 milhões na construção de casas e apartamentos pelo programa de moradias dignas, exerceu contribuição expressiva para o resultado do setor”, explica o economista.

No mercado de trabalho formal brasileiro observou-se a criação de 35,9 mil postos de trabalho em julho de 2017. Trata-se do melhor resultado para o mês desde 2013, quando foram registradas 41,5 mil admissões líquidas. Em termos setoriais, o saldo de empregos foi alavancado pela Indústria de Transformação, Comércio, Serviços e Agropecuária. Por outro lado, os setores dos Serviços Industriais de Utilidade Pública, Administração Pública perfizeram o maior número de desligamentos líquidos.

No recorte geográfico, os dados do Caged apontam que o Centro-Oeste liderou a criação de vagas com 12,2 mil novos postos de trabalho em julho de 2017, enquanto a região Sul obteve o pior resultado, com o fechamento de 62 vagas. No que se refere às Unidades da Federação que compõem a Região Nordeste, observa-se que o Maranhão obteve o segundo melhor saldo da região e o sétimo do país no mês.

Irmã de Mariana Costa diz que família de Lucas Porto ofendeu honra da vítima…

A irmã da publicitária Mariana Costa, assassinada barbaramente em novembro do ano passado, Juliana Costa, manifestou-se, em sua conta no Facebook, sobre o ocorrido, nesta quinta-feira (17), durante a ida do assassino confesso, Lucas Porto, ex-cunhado da vítima, ao Hospital Nina Rodrigues, em São Luís, onde foi prestar exame de sanidade mental. Ela disse que foi provocada, várias vezes, com ofensas proferidas pela família do acusado contra a honra da jovem que foi morta por estupro, caso que abalou a sociedade maranhense.

Mariana confirmou que, ao tentar fotografar o assassino confesso, foi impedida e agredida pelo irmão dele, Mateus Porto. As imagens do vídeo mostram a irmã da vítima correndo com a câmara, momento em que é tocada pelo familiar de Lucas.

O vídeo tomou grande repercussão nas redes sociais. A família de Mariana pede justiça ao caso e a continuidade do julgamento.

O clima é tenso entre as duas famílias. O lado de Mariana pede justiça ao caso, enquanto que os parentes de Lucas tentam livra-lo da prisão.

Manifestação de Juliana Costa no Facebook

Como todos sabem hoje foi mais um dia de luta, pois o acusado se apresentou no Hospital Nina Rodrigues para uma avaliação de insanidade mental. Onde foi realizado com êxito a primeira etapa.

Enquanto ocorria a avaliação do acusado fui provocada verbalmente por diversas vezes pela família do assassino com ofensas a honra de Mariana. Nenhum momento revidei, estava lá acompanhando o procedimento assim como a família do acusado.

Na saída, quis registrar com uma foto o assassino confesso e fui impedida pela sua mãe e depois pelo seu irmão Mateus Porto que ficou me coagindo conforme vídeo vinculado na mídia.

Sabemos que a verdade foi esclarecida pelos laudos, imagens das câmeras do prédio de Mariana e pela própria confissão do acusado que comprovam claramente a brutalidade de como ele matou Mariana.

Esse crime interessa a sociedade em geral, pois perder uma Irmã que nunca mais voltará para casa de fato é uma dor inimaginável.

A morte de Mariana tem causado sofrimentos existenciais irreparáveis as suas filhas, sobrinhas e todos que conviveram com ela.

Já não basta ter matado a minha irmã Mariana, agora eles agem com mentiras, encenações, violências verbais, físicas e emocionais.

Mais aguardamos pacientemente na justiça dos homens e na de Deus que nunca falhou e nunca falhará.

Oposição estrebucha porque alugar e reformar é o caminho mais rápido e barato para HTO…

Governador disse que a reforma do hospital está entrando em fase de conclusão

Perto de inaugurar mais uma obra que mudará o patamar da saúde no Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) tem sido alvo de constantes ataques da oposição sarneysista por conta da reforma da Clínica Eldorado, que vai abrigar o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO). São várias as justificativas do governo que levam a crer que esse foi o melhor caminho para oferecer, com agilidade e qualidade, essa importante especialidade.

Atualmente, São Luís possui apenas 16 leitos de ortopedia, que funcionam em um puxadinho do Hospital do Câncer. Com o HTO, São Luís passará a ter 44 leitos, sendo 10 para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e o Maranhão será o primeiro estado do Nordeste com uma unidade de alta complexidade destinada ao exclusivo atendimento traumaortopédico, ambulatorial e cirúrgico, no sistema público de saúde.

Se fosse construir um hospital nos mesmos moldes, o governo do Estado gastaria em torno de R$ 20 milhões, ou seja, valor correspondente ao que vai gastar em 20 anos de aluguel. O tempo de construção também pesou, já que uma unidade deste porte demoraria cerca de três anos para ser finalizada. Com o aluguel, o Governo atenderá 9.600 pacientes a mais nos dois anos que ganhou com a agilidade de reformar um prédio já existente.

Após essa análise, só não enxerga que alugar e reformar um prédio como o da Clínica Eldorado é o caminho mais rápido e barato para o HTO. A oposição esperneia porque não conseguiu, em décadas no poder, fazer o que Flávio Dino está fazendo em apenas dois anos e meio. A clínica sempre esteve lá, inclusive alugada para esses que estrebucham quando estavam no poder, mas parece que faltou vontade de melhorar a qualidade de vida do povo.

Flávio Dino está fazendo. E isso está incomodando muito a oposição sarneysista.

Deputado discute aplicação de Lei que obriga segurança 24 horas nas agências…

Zé Inácio cobra cumprimento de Lei que obriga vigilância 24 horas nas agências bancárias

O deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT) recebeu, nesta quarta-feira (16), representantes dos sindicatos dos Vigilantes e dos Bancários do Estado. Durante a reunião, foi discutida a aplicação da Lei nº 10.605/2017, de autoria do parlamentar, que garante vigilância 24 horas nas agências bancárias do Maranhão.

Eles trataram da necessidade de iniciar as fiscalizações da aplicação da Lei. Foi encaminhado também um acordo entre os sindicatos para, de forma conjunta, realizar um levantamento nas 334 agências e postos de atendimento do Estado, visando ao cumprimento da legislação.

A nova Lei determina que, nas agências, deve haver também um meio pelo qual os vigilantes possam bipar ou fazer contato direto com a sala de operações da Polícia Militar do Maranhão, além da existência de uma sirene para alertar os transeuntes.

Participaram da reunião o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Raimundo Raposo, o vice-presidente, Daniel Rocha, o presidente do Sindicato dos Bancários, Eloy Natan, e membros da diretoria, Edna Vasconcelos, Gerlane e Dielson.

Humberto recebe abaixo-assinado que pede reabertura da agência do BB de Parnarama

Presidente da Assembleia recebeu comissão de moradores de Parnarama

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Humberto Coutinho (PDT), recebeu de uma comissão de moradores do município de Parnarama um abaixo-assinado com mais de 1.500 assinaturas pedindo a reabertura da agência do Banco do Brasil naquela cidade. “Transformaram nossa agência num posto de atendimento que não está atendendo às necessidades da população de Parnarama e do entorno e, por conta disso, estamos tendo prejuízos”, denunciou o advogado Lucas Veloso.

Vereadores, empresários, líderes comunitários, comerciantes, servidores públicos, aposentados, trabalhadores e produtores rurais do município de Parnarama disseram ao deputado Humberto Coutinho que o fechamento da agência do Banco do Brasil deixou insatisfeita a população de Parnarama e seu entorno, formado pelos municípios de Passagem Franca, Lagoa do Mato e Buriti Bravo.

“Parnarama, hoje, é uma cidade polo na região e tem uma economia local e do entorno crescente e dinâmica, geradora de uma demanda de serviços que um posto de atendimento do BB não dar conta de atender. Estamos muito insatisfeitos e viemos pedir ao presidente Humberto que interceda junto à Superintendência do Banco do Brasil no Maranhão, para fazer voltar a funcionar a agência do BB de Parnarama”, esclareceu a assistente social, Rafaela Marinho Bandeira.

COMPROMISSO DE HUMBERTO COUTINHO

Na oportunidade, Humberto Coutinho comprometeu-se em conversar com o superintendente do BB no Maranhão e discutir a possibilidade de funcionamento da agência do BB de Parnarama. “Vamos envidar todos os esforços junto à Superintendência do BB para que a essa agência volte a funcionar de maneira a atender o clamor da população daquela região, uma vez que o posto de atendimento não estar dando conta”, assinalou.

O presidente da Assembleia lembrou que, em abril deste ano, tratou de um caso semelhante a pedido de uma comissão de moradores do município de São Domingos do Maranhão.  “Conversamos com a direção do BB e conseguimos melhorar o atendimento e o banco permanecer na cidade”, frisou.

Presos em Goiás membros de organização criminosa que agia no Maranhão…

Uma ação conjunta do Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) e Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) resultou, nesta quarta-feira, 16, na prisão de três dos líderes da organização criminosa, alvo da Operação Paraíso Fiscal que agia no Maranhão.

Paulo Henrique Costa Carrijo, Missias Francelino da Silva e Wemerson Miguel da Silva foram presos, na manhã desta quarta-feira, em Goiânia-GO. Eles estão sendo trazidos para São Luís pelos delegados Roberto Wagner Leite Fortes (superintendente da Seccor), Ricardo Luiz de Moura e Silva e Luiz Augusto Aloise de Macedo Mendes (2° Departamento de Combate à Corrupção – 2° Deccor).

Outros três mandados de prisão de líderes da organização criminosa continuam em aberto. Todas as prisões preventivas foram determinadas pelo juiz Ronaldo Maciel, titular da 1ª Vara Criminal Privativa para Processamento e Julgamento dos Crimes de Organização Criminosa da Comarca da Ilha de São Luís, com base em pedido conjunto do Ministério Público e Polícia Civil do Estado do Maranhão.

Assinaram a representação os promotores de justiça Marco Aurélio Cordeiro Rodrigues, Marcos Valentim Pinheiro Paixão e Klycia Luiza Castro de Menezes; além dos delegados da Seccor e 2º Deccor.

Em 25 de maio, uma primeira etapa da Operação Paraíso Fiscal havia efetuado as prisões de Nelton Carrijo Gomes e Thaisa Vieira de Moura, além da apreensão de documentos, dois computadores, uma arma e telefones celulares.

FRAUDES

Segundo o Ministério Público do Maranhão e o 2º Deccor, empresas de fachada foram registradas no Maranhão, Pará, Piauí e Bahia e, mediante a emissão de notas fiscais eletrônicas falsas, simulavam a venda de grandes quantidades de soja para a Agropecuária MCD LTDA, registrada no Maranhão e supostamente localizada em São João do Paraíso.

A organização criminosa inseria declarações dos valores devidos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nas notas fiscais frias com o objetivo de gerar créditos tributários falsos em favor da Agropecuária MCD LTDA.

Em seguida, a empresa vendia grãos de milho a empresas de outros estados e com os créditos tributários sonegava o pagamento dos impostos.

A Receita Estadual do Maranhão detectou, entre março de 2014 e novembro de 2016, 828 operações de simulação de compra de soja com as firmas de fachada, totalizando R$ 176.711.498,00. A Agropecuária MCD realizou 11.561 operações interestaduais de venda de milho, no valor de R$ 212.935.854,00.

O Gaeco aponta que o esquema fraudulento causou um prejuízo de R$ 23.235.361,00 ao Estado do Maranhão.