Osmar Filho garante apoio a projeto de combate à depressão

O evento Dialogando Sobre a Depressão, que será realizado no Espaço Renascença, na sexta-feira (13), a partir das 19h

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), garantiu apoio ao projeto “Cuidando de Vidas”, idealizado pelo deputado estadual Fábio Macedo (PDT).

Os pedetistas reuniram-se nesta quarta-feira (11), oportunidade na qual Macedo entregou a Osmar material referente à iniciativa e o convidou para participar do evento Dialogando Sobre a Depressão, que será realizado no Espaço Renascença, na sexta-feira (13), a partir das 19h.

Fábio Macedo é autor das leis estaduais pioneiras que instituíram o Programa de Auxílio Psicológico à Depressão; a Política de Atenção, Acompanhamento e Tratamento do Alcoolismo entre Homens e Mulheres; e que cria o Dia Estadual de Combate à Depressão (13 de Setembro).

“Trata-se de uma causa nobre que tem o meu apoio, dos demais vereadores e do Poder Legislativo de São Luís. A Depressão ainda é encarada por muita gente como uma situação que não merece atenção, respeito. É uma doença grave que, se não for tratada, pode trazer consequências irreversíveis. Parabenizo o amigo Fábio pela iniciativa de criar estas leis e de estar disseminando as informações corretas e necessárias acerca do tema”, disse Osmar.

O presidente aproveitou a oportunidade para entregar ao deputado material sobre o projeto Generocidade – Um Movimento de Amor e Atitude por São Luís – lançado recentemente pela Mesa Diretora da Câmara e que visa promover o desenvolvimento sustentável da capital maranhense através do incentivo e publicização de ações executadas por cidadãos comuns, que fazem a diferença em suas comunidades realizando trabalhos sociais e educacionais e que podem servir de exemplo para outras pessoas.

“Agradeço o apoio e a parceria do vereador Osmar. Somente assim, unindo forças, será possível atingirmos o maior número de pessoas possível. Levar a elas as informações necessárias sobre a doença e desenvolver políticas públicas eficientes para trata-la”, explicou Macedo.

Também participaram do encontro o vereador Paulo Victor (PTC) e o secretário municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Ivaldo Rodrigues.

O Dialogando Sobre a Depressão marcará o Dia Estadual de Combate à Doença. O evento contará com a participação do jornalista e ex-apresentador do programa Bem Estar (Rede Globo), Fernando Rocha, da ex-BBB Fani Pacheco, do cantor Tony Guerra e dos influenciadores digitais Thaynara OG e David Brazil. Além deles, participarão a psicóloga Sandra Ory e o psiquiatra Gilberto Sousa Alves, renomados profissionais da área de saúde mental. Os ingressos que garantirão acesso ao evento podem ser trocados por um pacote de leite em pó na Bilheteria Digital (Rio Anil Shopping, Shopping da Ilha e Golden Shopping). As doações serão destinadas a instituições que cuidam da saúde mental da população.

MDB segue indefinido entre três nomes

Juiz José Carlos Madeira, ex-deputado Victor Mendes e a presidente nacional do Iphan, Kátia Bogéa são nomes debatidos pelo MDB

O partido que outrora comandava a política maranhense e tinha dezenas de cargos espalhados pelas mais diversas esferas do poder chega a 2020 sem nenhuma certeza de seu futuro. O MDB tenta se erguer, mas sem militância e sem bons nomes, deve enfrentar dificuldades nas próximas eleições municipais, sobretudo, na capital.

Na eleição de São Luís, o MDB ainda não tem um nome competitivo e por isso mesmo, tenta sondar alguns nomes para a disputa.

O nome da presidente nacional do Iphan, Kátia Bogéa, já foi sondado por algumas figuras do partido. Outro nome que tenta melhorar nas pesquisas, mas sem sucesso, é o do ex-deputado federal, Victor Mendes. Até mesmo o nome do vereador Astro de Ogum entrou no radar do partido, mas ao que tudo indica, não tem chances de prosperar.

A bola da vez é o do juiz federal José Carlos Madeira. O nome é tido por alguns membros do partido como uma boa possibilidade de o MDB entrar bem competitivo na disputa. Além disso, José Carlos Madeira tem a simpatia da ex-governadora Roseana Sarney.

Certo de que ainda enfrenta um grande rejeição do eleitorado. O MDB vai entrar na disputa colocando todas suas cartas em jogo para não acabar ainda menor.

Bolsonaro tem dieta oral suspensa e vai para alimentação endovenosa

Bolsonaro só voltará a ingerir alimentos oralmente após novas avaliações médicas

O presidente Jair Bolsonaro passou, nas últimas horas, a ser alimentado de forma endovenosa (pela veia), segundo o boletim médico divulgado hoje (11) pelo pelo Hospital Vila Nova Star. Desde a segunda-feira (9), os médicos tinham introduzido uma dieta líquida para o presidente. No entanto, diante da evolução do quadro, Bolsonaro só voltará a ingerir alimentos oralmente após novas avaliações médicas.

De acordo com o comunicado divulgado nesta manhã, o presidente apresentou nas últimas 12 horas uma “lentificação dos movimentos intestinais e distensão abdominal”, que levaram não só a suspensão da alimentação oral como a “passagem de sonda nasogástrica”. Ele segue sem dores ou febre.

Essa é a quarta cirurgia a qual Bolsonaro é submetido desde que foi esfaqueado em um ato de campanha eleitoral em setembro de 2018. Bolsonaro deu entrada no hospital, localizado na zona sul da capital paulista, na noite do último sábado (7) para ser submetido a uma cirurgia para tratamento de hérnia incisional na região do abdome.

Ontem (10), o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que está mantida a previsão para que Bolsonaro reassuma o cargo depois do fim do prazo de cinco dias licenciado. O vice-presidente Hamilton Mourão exerce interinamente a Presidência desde o último domingo e deve continuar na função até quinta-feira (12). Foi disponibilizada uma ala do hospital para a equipe da Presidência e para a família de Bolsonaro.

Governador Flávio Dino comemora com o Sampaio Corrêa acesso maranhense à Série B

Os jogadores e comissão técnica agradeceram o apoio do executivo estadual, especialmente através da Lei de Incentivo ao Esporte.

A campanha vitoriosa, que garantiu ao Sampaio Corrêa o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro de 2020, foi um dos destaques da visita do time de futebol maranhense ao governador Flávio Dino, nesta terça-feira (10), no Palácio dos Leões. Na ocasião, os jogadores e comissão técnica agradeceram o apoio do executivo estadual, especialmente através da Lei de Incentivo ao Esporte.

“É uma preocupação do chefe do executivo estadual com o esporte. O apoio que nós já tivemos, que os clubes do futebol maranhense tiveram, veio através da lei de incentivo ao esporte, que é um instrumento, claro, que tem que partir do executivo”, afirmou o presidente do clube Sérgio Frota.

O acesso à série B foi alcançado após a vitória contra o São José (RS), na segunda-feira (09), em jogo no Castelão. Com o placar de 3 a 2, o time maranhense se classificou para as semifinais da série C e vai enfrentar o Confiança (SE).

O governador Flávio Dino comemorou o resultado com os jogadores e ressaltou o papel social do esporte. “É um grande êxito o acesso à Série B. Nós ficamos felizes com o futebol maranhense alcançando grandes resultados. Apoiamos todos os anos o campeonato maranhense e, ao mesmo tempo, acompanhamos os nossos atletas em competições nacionais e internacionais, como as medalhas nos jogos Pan-Americanos, recentemente o título do Basquete Feminino do Sampaio Corrêa e agora o acesso à série B do futebol”, afirmou o governador.

Os jogos do Sampaio, na próxima fase, serão realizados nos dias 14 e 21 deste mês.

Governo quer nova CPMF de 0,4% para saques e depósitos em dinheiro

Ambas as taxas tendem a crescer após serem criadas, já que ideia do governo é usar o novo imposto para substituir gradualmente a tributação sobre os salários

O governo planeja em sua proposta de reforma tributária que saques e depósitos em dinheiro sejam taxados com uma alíquota inicial de 0,4%. A cobrança integra a ideia do imposto sobre pagamentos, que vem sendo comparado à antiga CPMF. Já para pagamentos no débito e no crédito, a alíquota inicial estudada é de 0,2% (para cada lado da operação, pagador e recebedor). 

Ambas as taxas tendem a crescer após serem criadas, já que ideia do governo é usar o novo imposto para substituir gradualmente a tributação sobre os salários, considerada pela equipe econômica como nociva para a geração de empregos no país.

Marcelo de Sousa Silva, secretário especial adjunto da Receita Federal, defendeu a contribuição no Fórum Nacional Tributário (promovido pelo sindicato dos auditores fiscais, em Brasília), ao ressaltar que o instrumento substituiria tanto a tributação sobre a folha como o IOF.

“Estamos ano a ano com uma regressão percentual de pessoas empregadas formalmente. E isso não pode ficar de fora da reforma tributária, porque o impacto mais significativo [para o emprego] talvez seja a desoneração sobre folha. Dentre todos os tributos no nosso ordenamento jurídico a tributação sobre folha é o mais perverso para a geração de empregos”, afirmou.

Apesar de o governo rechaçar a semelhança com a antiga CPMF, ele próprio acabou fazendo a comparação ao mostrar um gráfico com o histórico relativamente estável das alíquotas de CPMF ao longo dos anos em que vigorou, o que representaria uma previsibilidade para a contribuição.

O presidente Jair Bolsonaro já havia afirmado neste mês que a recriação de um imposto nos moldes da antiga CPMF deve ser condicionada a uma compensação para a população. “Já falei para o Guedes: para ter nova CPMF, tem que ter uma compensação para as pessoas. Se não, ele vai tomar porrada até de mim”, disse o presidente.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o tema tem muita dificuldade de andar na Câmara e que estava esperando a formalização da proposta. “A CPMF tem pouco apoio entre aqueles que conhecem a questão tributária, não sei se esse é o melhor caminho para você resolver os custos com mão de obra”, afirmou. “Nós entendemos a preocupação do governo. Acho que a intenção está correta, mas não sei se a fórmula é a melhor.”