“Se for para participar, estou à disposição”, afirma Flávio Dino sobre candidatura à Presidência para IstoÉ

Flávio Dino vem se consolidando como uma liderança federalista no Nordeste e potencial candidato da esquerda nas eleições de 2022

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), tem se mostrado um político consistente, conciliador e também bastante crítico em relação aos movimentos do governo de Jair Bolsonaro. Ele está em seu segundo mandato (foi eleito nas últimas eleições no primeiro turno com 60% dos votos) e planeja novos voos em escala nacional. No mês passado, numa reunião com Bolsonaro, seus ministros e os nove governadores dos estados amazônicos para discutir soluções para a crise ambiental, ele foi voz discordante em relação ao discurso governista, que tentava minimizar os incêndios na floresta.

Também vem se consolidando como uma liderança federalista no Nordeste e potencial candidato da esquerda nas eleições de 2022. Para Dino, o federalismo será um grande limitador natural do poder do presidente Jair Bolsonaro. “Essa articulação institucional dos governadores é uma tendência positiva do federalismo brasileiro”, disse em entrevista à ISTOÉ. “É a diferenciação de pontos de vista que ajuda o Brasil. Quanto mais discussão houver, de modo livre e democrático, melhor para o País.”

“Nós temos uma situação política no Brasil bastante difícil, marcada por retrocessos econômicos e sociais e precisamos ter uma responsabilidade elevada, já que o tamanho do problema é elevado. A responsabilidade das forças políticas do campo nacional popular é buscar a máxima unidade possível, já nas eleições municipais, para que possamos oferecer alternativas à população. O desgaste do governo Bolsonaro aumenta, mas isso não basta. É preciso que a população enxergue alternativas concretas de melhoria das condições de vida. Temos a eleição de 2020, que pode funcionar como a eleição de 1974 funcionou no regime militar. Naquela ocasião houve uma ampla unidade em torno de candidaturas ao Senado do MDB e isso resultou numa forte derrota do partido que sustentava a ditadura militar (Arena)”, afirmou Flávio.

Questionado sobre uma possível candidatura à Presidência em 2022, encabeçando uma frente de esquerda, Flávio Dino afirmou que está disposto.

“Nós temos um conjunto de lideranças no campo progressista bastante bom. Lideranças de altíssima importância, de grande envergadura e experiência, que podem nos representar. O que eu tenho insistido é que é preciso construir pontes, alianças e diálogo entre essas lideranças para permitir um ambiente de unidade ampla em 2020, sobretudo em 2022. Essa tem sido minha participação. Posso participar diretamente ou não. Na verdade, outros me colocam como potencial candidato. Digo que concordo. Minha atitude é essa, se for para participar, estou à disposição.

Parlamento ludovicense presta homenagem aos jornais O Imparcial, O Estado e Pequeno

O presidente da Casa, vereador Osmar Filho (PDT), presidiu a solenidade. Jornalistas dos três periódicos também acompanharam a solenidade.

A Câmara Municipal de São Luís prestou uma homenagem, nesta sexta-feira (20), aos jornais O Imparcial, O Estado do Maranhão e Pequeno, que são três dos principais veículos impressos de comunicação, com mais 60 anos de atuação na capital maranhense.

O presidente da Casa, vereador Osmar Filho (PDT), presidiu a solenidade, que contou com a presença de Hilda Marques Bogéa, diretora presidente do Jornal Pequeno; do presidente do Grupo O Imparcial, Pedro Freire; e Clóvis Cabalau, atual diretor de redação de O Estado. Jornalistas dos três periódicos também acompanharam a solenidade.

Antes da sessão solene, o vereador Pavão Filho (PDT), autor da homenagem aos matutinos com mais de meio século de atuação, destacou a independência como um pilar fundamental para o jornalismo de qualidade e ressaltou o compromisso dos três veículos com uma informação de qualidade para com a sociedade. Já o vereador Osmar Filho reforçou a importância da imprensa para o fortalecimento da democracia.

“É uma das atribuições da Câmara prestar homenagem a pessoas e categorias e qualquer tipo de segmento que contribuem com o avanço da nossa cidade. O exemplo disso é essa homenagem a esses três jornais que são grandes fontes de informação, que de fato, dão uma grande contribuição levando uma boa informação em todo o estado do Maranhão e fortalece a democracia”, completou o chefe do legislativo.

Com voz embargada, Hilda Bogéa enfatizou que, mais do que nunca, o Jornal Pequeno manterá acesa a chama da permanente luta pela imprensa livre e pela liberdade de expressão no Maranhão. Clóvis Cabalau, diretor de redação de O Estado, destacou o papel da imprensa livre para a democracia. “Não há democracia sem uma imprensa livre e imparcial, que permita aos cidadãos conhecer os fatos e livremente opinar sobre eles”, afirmou.

A cerimônia, que foi realizada no Plenário Simão Estácio da Silveira, também contou com a presença do secretário de Articulação Política e Comunicação do Governo do Maranhão, Rodrigo Lago, que no ato representou o governador Flávio Dino; do secretário municipal extraordinário de Assuntos Políticos, Nonato Chocolate, que esteve representando o prefeito Edivaldo Júnior; do presidente do Sindicato dos Jornalistas do Maranhão, Douglas Cunha; além de familiares e profissionais que atuam nos veículos homenageados.

Márcio Jerry é eleito melhor deputado do Maranhão pelo Prêmio Congresso em Foco

Em seu primeiro ano de mandato na Câmara dos Deputados, o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) foi o deputado mais bem avaliado na votação popular do Prêmio Congresso em Foco 2019. Os nomes dos vencedores foram anunciados na noite desta quinta-feira (19), em uma cerimônia em Brasília (DF).

Aluisio Mendes (Podemos), Bira do Pindaré (PSB), Zé Carlos (PT) e Eduardo Braide (PMN) ficaram na segunda, terceira, quarta e quinta colocação, respectivamente.

A votação foi realizada entre os dias 1º e 31 de agosto deste ano, pela internet. Só puderam ser votados aqueles congressistas que não respondem a inquérito ou ação penal no Supremo Tribunal Federal ou que exerceram o mandato por pelo menos 60 dias no atual ano legislativo. Cada votante teve a chance de escolher até cinco senadores e até dez deputados federais que mais se destacaram.