Imagens fortes! Fotógrafo é vítima de negligência no Socorrão II e precisa de placa para reparar grave erro…

SEMUS DIZ QUE VAI ABRIR INQUÉRITO ADMINISTRATIVO PARA APURAR ATENDIMENTO FEITO A DANIEL SOARES E, SE COMPROVADA A NEGLIGÊNCIA, TOMARÁ AS MEDIDAS CABÍVEIS.

Parte do calcanhar teve que ser retirado, pois o ferimento, mal tratado, gangrenou

 

Material, que precisa ser adquirido, custa, em média, R$ 900

Eu não sou de mostrar, no blog, imagens fortes, mas o caso do fotógrafo Daniel Soares, que foi vítima de negligência no hospital Socorrão II, em São Luís, choca e merece ser registrado, até para que outros não aconteçam e a  Prefeitura  tome suas  providências, bem como o Ministério Público faça sua parte. Ele sofreu um acidente de moto, no final de abril, e foi levado para a emergência e lá a equipe que o atendeu fez a sutura do ferimento sem fazer a devida assepsia. A parte afetada gangrenou e tiveram que tirar parte do calcanhar do rapaz que agora vive o drama para tentar comprar uma placa de implante para amenizar a situação.

Segundo informações de amigos, Daniel foi atropelado quando descia de um mototáxi, na porta da sua casa, por um carro desgovernado. O condutor, que seria um conhecido político de São José de Ribamar, aparentemente embriagado, evadiu-se do local sem prestar nenhum tipo de socorro.

Amigos, que acompanham o caso de Daniel, também pedem ajuda financeira para comprar a placa, necessária para recompor o calcanhar de Daniel. Ele se encontra internado, no momento, no Socorrão II,  à espera de uma cirurgia plástica para fazer o enxerto. Uma nova intervenção será feita nesta terça-feira (23), mas a família ainda não conseguiu adquirir a placa Urgotil que custa, em média, R$ 900.

Os familiares disponibilizaram a seguinte conta bancária, em nome da mãe do fotógrafo, para arrecadar contribuições espontâneas:

CAIXA ECONÔMICA

AG – 1576
DV – 01200744
OPERAÇÃO – 013
BENEDITA SOARES DE OLIVEIRA

A versão da Semus e do Socorrão II

Em nota à Imprensa, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), órgão da Prefeitura de São Luís, informou que Daniel de Soares dera entrada no Hospital Clementino Moura (Socorrão II), no último dia 30 de abril, vitima de acidente automobilístico, e recebeu o atendimento recomendando. O paciente retornou à unidade de saúde no dia 8 de maio com quadro infeccioso no local do ferimento, foi submetido a novo procedimento e permanece internado aguardando o laudo do cirurgião plástico para a realização de enxerto na área afetada.

A Semus garantiu, na nota, que está prestando assistência devida à recuperação do paciente e que abrirá procedimento interno para averiguar o atendimento prestado a Daniel Soares, assegurando que, caso sejam comprovadas falhas, adotará as medidas administrativas cabíveis para punição dos culpados.

“A Semus reforça que trabalha para oferecer atendimento adequado a todos os pacientes que procuram a unidade de saúde de emergência que, somada ao Hospital Djalma Marques (Socorrão I), atende diariamente pacientes graves de todo Maranhão”, diz a nota.

Câmara acumula 14 pedidos de impeachment de Michel Temer

Nove pedidos para impedimento do presidente foram apresentados após divulgação de conversa com o empresário Joesley Batista; outros cinco foram protocolados antes de delação.

G1

Situação de Michel Temer começa a ficar insustentável

Câmara dos Deputados já havia recebido, até a tarde desta segunda-feira (22), 14 pedidos de impeachment do presidente Michel Temer.

Do total, nove foram protocolados desde a divulgação de informações da delação premiada dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista. Outros cinco já tramitavam na Casa anteriormente.

A delação dos executivos foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e, com base nas informações, a Corte autorizou a abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer por suspeitas de corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa.

Diante dos pedidos de destituição do presidente já apresentados, cabe ao presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidir se aceita ou não os argumentos e dá andamento ao processo de impeachment de Temer.

Além dos 14 pedidos já registrados na Câmara, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, informou nesta segunda-feira (22) que a entidade apresentará, ainda nesta semana, mais um pedido de impeachment de Temer.

No último fim de semana, a OAB aprovou, por 25 votos a 1, entrar com o pedido de impeachment.

Os pedidos

Autor: Mariel Márley Marra, advogado

  • Data da Apresentação: dezembro de 2015
  • O que diz: argumenta que o presidente cometeu o mesmo ato da ex-presidente Dilma Rousseff ao assinar decretos que abriram créditos suplementares sem autorização do Congresso, que seriam incompatíveis com a meta de resultado primário.
  • Situação: aguarda indicação de membros pelos partidos para instalação de comissão especial, mas o processo está judicializado. Em abril do ano passado, o ministro do STF Marco Aurélio Mello concedeu uma liminar (decisão provisória) ao advogado determinando que o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, instalasse uma comissão especial na Casa para analisar o caso, nos moldes do que ocorreu com Dilma. A Câmara, porém, não cumpriu a ordem e não instalou a comissão. Após nova cobrança de Marco Aurélio, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu, em dezembro de 2016, que o plenário do STF decida se a Casa deve ou não dar prosseguimento ao pedido. A decisão ainda não foi tomada.

Sarney Filho reclama que ministros pressionam por licenciamento ambiental…

Em reunião com Padilha, ministro do Meio-Ambiente diz que titulares de outras pastas estão forçando o Ibama a conceder a licença ambiental

Veja

Zequinha Sarney reclamou em reunião com Padilha

Em reunião com Eliseu Padilha, o ministro do Meio-Ambiente, Zequinha Sarney (PV), reclamou que alguns colegas de ministério estão pressionando o Ibama para acelerar o licenciamento ambiental de algumas obras.

O ministro se queixou também que a nova lei sobre o assunto está recebendo muita pressão no Congresso, afrouxando demais a legislação.

Padilha não deve dar sequência ao choro de Zequinha. Embora seja uma causa importante, o meio-ambiente não pode paralisar o país.

MOB realiza ação inédita para famílias do Serviço Travessia

Atividades da MOB incluíram usuários do Serviço Travessia

O governo do Maranhão, por meio da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), realizou uma ação inédita e inovadora com atividades inclusivas para famílias do Serviço Travessia, promovendo curso de culinária terapêutica com a instrutora da Oficina de Arte Culinária do Hospital Nina Rodrigues, Maria de Lourdes, conhecida popularmente como “Vovó Lourdes”.

Premiada ano passado com uma receita de bolo de arroz e goiabada, o reconhecimento de Maria de Lourdes foi destaque no arraial dos Supermercados Mateus. Durante o evento com ela, no último sábado (20), foram feitas deliciosas receitas que beneficiaram as mães de usuários do Serviço Travessia, ampliando sua capacitação e aumentando sua renda. Em contrapartida, seus filhos estiveram em atividades como aulas de pintura com telas, e diversas brincadeiras como o pula pula, e receberam toda assistência necessária com profissionais da área de saúde do Hospital Nina Rodrigues. Um momento único, marcado pelo brilho nos olhos de cada criança, por nunca haver brincado em um pula pula antes.“Um trabalho que não poderia ser melhor, estou emocionada, uma excelente ideia. É muito gratificante ouvir das mães os depoimentos sobre o curso de culinária. Um projeto valioso. Bela iniciativa feita com amor. Só o amor pode explicar”, declarou a instrutora de culinária, Vovó Lourdes.

A coordenadora do Serviço Travessia e Assistente Social, Jade Tauany, comenta sobre a iniciativa. “O serviço Travessia visa fornecer o transporte porta a porta, que reflete diretamente no dinheiro que economizam com o transporte. Nesta ação, oferece lazer aos usuários do Serviço e geração de renda com o curso de culinária”, afirmou.

Para que a criança com ou sem deficiência se desenvolva, o ato de brincar faz-se extremamente necessário, principalmente, quando há práticas inclusivas que as envolvam em experiências diferentes. Partindo deste princípio, a MOB em parceria com o Hospital Nina Rodrigues, ofereceu uma tarde de lazer e interação, sobre o brincar inclusivo, com atividades variadas como arte, brincadeiras e música, focando na capacidade das crianças.

“A ação que foi realizada hoje vem estreitar laços enquanto rede de assistência em saúde, parceria que existe em todos os serviços. E o Serviço Travessia que, além de cuidar destas crianças, deu oportunidade para que estas famílias ficassem aos nossos olhares, com atividades terapêuticas lúdicas, enquanto as mães estavam com a Vovó Lourdes preparando receitas práticas com apoio de uma nutricionista. Nossa intenção foi juntar forças através do Governo do Estado e estreitar a rede intersetorial de assistência no Estado proporcionando o que governador Flávio Dino sempre prioriza, mostrar o seu zelo com o cidadão maranhense”, declarou o diretor geral do Hospital Nina Rodrigues, Dr. Ruy Cruz.

“Esta ação foi de grande importância para mim, porque eu estava em um nível de estresse alto, e foi bom ter participado porque acabou meu estresse na hora, e aprendi bastante com a Vó. Amei ela. Sem falar na apostila que a gente ganhou. Os pães que ela fez estavam muitos gostosos. O João amou ter brincado no pupa pula!Para ele foi a primeira vez, foi a maior alegria da vida dele, subiu escada e ele até agora está eufórico contando toda hora,, não para de sorrir contando, muito bom mesmo”, relatou Rosimeire Barros Carvalho, 41 anos, mãe do João Victor, usuário do Serviço Travessia.

A iniciativa visa, também, proporcionar reflexão sobre o convívio com a diferença, respeitando a particularidade de cada um. Momento único, com mães e filhos extremamente agradecidos e emocionados por terem sido lembrados e por viverem algo inédito em suas vidas.

Anexos

  1. Ação beneficiou mães e crianças atendidas pelo Serviço Travessia
  2. Ação beneficiou mães e crianças atendidas pelo Serviço Travessia
  3. Ação beneficiou mães e crianças atendidas pelo Serviço Travessia

Em vídeo! Holandinha reagiu…

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PDT), também conhecido como Holandinha, reagiu aos comentários correntes de que havia abandonado a administração da cidade e desaparecido dos bairros. Em vídeo gravado e distribuído por seus assessores, nesta sexta-feira (19), ele diz que continua trabalhando e que as intervenções de infraestrutura estão paradas por conta das chuvas.

Segundo Holandinha, qualquer intervenção de infraestrutura ou de “tapa-buraco”, nesse período chuvoso, é desperdício de recursos públicos. Veja o vídeo acima.

Pelo menos, no vídeo, ele reagiu. O povo espera agora a reação na prática.

Leia outros posts sobre o assunto:

Apertem os cintos, Holandinha sumiu…

Para Flávio Dino, agravamento da crise política exige “saída urgente” para evitar piora na economia

Governador Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou, através de suas redes sociais, que é necessário encontrar uma “saída urgente” para evitar que o agravamento da crise política nacional fragilize, ainda mais, a situação fiscal brasileira, com reflexo nos serviços para a população. Ele disse que o país vive uma “situação institucional muito grave”.

Para evitar a ingovernabilidade do Brasil, o governador ressaltou ser “decisivo o diálogo entre lideranças e o papel do Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Flávio lembrou que os “serviços públicos em muitos Estados já estavam em colapso” antes mesmo dessa última escalada da crise política. “Urgente uma saída que dê real governabilidade e estabilidade ao país.”

“Há risco de aumento da crise fiscal de Estados e municípios, com perspectiva de queda de arrecadação federal. Graves impactos sociais”, afirmou o governador.

Flávio defendeu que “a saída depende de convergência entre poder constituinte originário (povo), constituinte derivado (Congresso) e Tribunal Constitucional (STF)”.

“Sem dúvida, a saída mais adequada ao país: eleições diretas. Só há como viabilizar com as ruas e com juízo de constitucionalidade do STF”, acrescentou o governador.

Ele ainda frisou que não há impedimento para que seja aprovada uma Proposta de Emenda Constitucional prevendo eleições diretas em caso de eventual dupla vacância nos últimos dois anos da Presidência da República.

Escândalo envolvendo Temer atinge em cheio os planos do grupo Sarney no Maranhão…

Escândalo e possível cassação ou impeachment de Temer caíram como uma bomba no grupo Sarney. Na foto, Roseana e Sarney com o presidente ameaçado de queda

Sarney foi um dos articuladores da ascensão de Michel Temer

O Brasil está à beira de uma eleição direta com os ventos que sopram para uma possível cassação do presidente da República, Michel Temer (PMDB), após bombástica delação premiada de um dirigente do frigorífico JBS, que apresentou gravação do peemedebista dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). No Maranhão, a notícia caiu como uma bomba nos planos do grupo Sarney que contava com a estrutura da presidência para tentar retomar o poder perdido no Estado, nas eleições de 2018, com a suposta candidatura de Roseana ao governo do Estado e do deputado federal Sarney Filho (PV) ao Senado.

Esperto, o grupo Sarney se articulou com Michel Temer traindo o PT, inclusive, na manobra pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff de quem também se beneficiou por vários anos. A oligarquia procurou buscar forças, sustentando-se em cargos políticos, ao exemplo do deputado federal Sarney Filho (PV) que virou ministro do Meio Ambiente no governo do peemedebista.

Após a traição a Dilma e ao PT, o grupo Sarney grudou, oportunamente, em Michel Temer igual carrapato na tentativa de conseguir fôlego político. A possível cassação ou impeachment de Michel Temer, hoje primeiro aliado da família, é vista, nos bastidores, como a pá de cal que faltava para “enterrar”, de vez, a oligarquia no Maranhão que estava se articulando para retomar o governo e assegurar vagas no Senado.

Nesta quinta-feira, o desenrolar do escândalo voltou a incomodar o grupo Sarney. O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de inquérito para investigar Michel Temer. O pedido de investigação foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).
Com a decisão de Fachin, Temer passa formalmente à condição de investigado na Operação Lava Jato. Ainda não há detalhes sobre a decisão, que foi confirmado pela TV Globo.
O pedido de abertura de inquérito foi feito após um dos donos do grupo JBS, Joesley Batista, dizer em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que, em março deste ano, gravou o presidente dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A informação foi divulgada pelo jornal “O Globo”.
A delação de Joesley e de seu irmão, Wesley Batista, foi homologada por Fachin, informou o Supremo nesta quinta-feira.
Pela Constituição, o presidente da República só pode ser investigado por atos cometidos durante o exercício do mandato e com autorização do STF.
Assim, o presidente poderá ser investigado porque os fatos narrados por Joesley Batista na delação teriam sido cometidos em março deste ano, quando Temer já ocupava a Presidência.

 

“NÃO RENUNCIAREI”, DIZ MICHEL TEMER EM PRONUNCIAMENTO

Michel Temer fez um pronunciamento na tarde desta quinta-feira

O presidente Michel Temer afirmou, na tarde desta quinta-feira (18), no Palácio do Planalto, que não teme delação e que não renunciará. Ele fez um pronunciamento motivado pela delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS. As delações já foram homologadas pelo Supremo Tribunal Federal. Nesta quinta, o ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, autorizou a abertura de inquérito para investigar o presidente.
“No Supremo, mostrarei que não tenho nenhum envolvimento com esses fatos. Não renunciarei. Repito: não renunciarei. Sei o que fiz e sei a correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para os esclarecimentos ao povo brasileiro. Essa situação de dubiedade e de dúvida não pode persistir por muito tempo”, declarou.
Reportagem publicada no site do jornal “O Globo” nesta quarta (17) informou que Joesley Batista entregou ao Ministério Público gravação de conversa na qual ele e Temer falaram sobre a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso na Operação Lava Jato.
“Não temo nenhuma delação, nada tenho a esconder”, disse Temer. “Nunca autorizei que se utilizasse meu nome”, declarou o presidente.
Ele afirmou que nunca autorizou que se pagasse a alguém para ficar calado. “Em nenhum momento autorizei que pagasse a quem quer que seja para ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém”, declarou.

Zé Inácio vai pedir que PT nacional interpele Max Barros por acusações a Dilma e Lula

O deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT) disse, nesta quinta-feira (18), por meio de sua conta pessoal no Twitter, que fará uma representação à presidência nacional do PT para que interpele, judicialmente, o parlamentar maranhense, Max Barros (PRB), para que ele prove as acusações feitas, em sessão plenária, contra os ex-presidentes Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, feitas na tentativa de defender o presidente Michel Temer (PMDB) que se envolveu em outro grande escândalo nacional, fruto de investigação da operação Lava Jato.
Segundo Zé Inácio, a imunidade parlamentar não deve ser usada de forma irresponsável, sobretudo para fazer acusações falsas e infundadas. O petista disse que Max Barros precisa ter maior responsabilidade, pois aquilo que ele fala pode, de repente,  ser usado contra si próprio (Veja vídeo do pronunciamento acima).

“O deputado Max Barros, não só fez uma fala política, mas foi irresponsável na medida em que ele diz que os ex-presidentes Dilma e Lula roubaram, quando não se tem sentença que condene nenhum dos dois. Até a presidente Dilma, que foi golpeada, ela não foi acusada de crime comum, caracterizado na Constituição Federal. Ela responde por supostas pedaladas fiscais”, disse Zé Inácio na tribuna.

Deputado repercute na Assembleia escândalos envolvendo Michel Temer e Aécio Neves

Othelino lembrou que o Brasil está na iminência de ter o segundo presidente da República cassado no intervalo de um ano

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), repercutiu, na sessão desta quinta-feira (18), o tema que choca o Brasil com os recentes escândalos envolvendo o presidente da República, Michel Temer (PMDB), e o senador Aécio Neves (PSDB).  “Nós ficamos todos espantados. E, muito embora meu partido faça dura oposição ao governo Temer, por considerá-lo ilegítimo, nós, nem de longe, comemoramos o que está acontecendo com o nosso país, uma situação triste, lamentável”, disse.

Othelino lembrou que o Brasil está na iminência de ter o segundo presidente da República cassado no intervalo de um ano. “O Brasil numa grave crise financeira, política e nós sem a perspectiva, cada vez mais, de sair dela. Vozes lúcidas anunciaram, recomendaram que a violência que se estava cometendo contra o país, quando se cassou uma presidente da República eleita e sem cometer crime, iria criar grave instabilidade e uma radicalização sem precedentes”, comentou.

O deputado lembrou o que foi dito e repetido, em rede nacional, por tantas pessoas, dentre as quais o governador Flávio Dino (PCdoB), e que está acontecendo agora. “Nós estamos num momento, onde o presidente da República, que já precisava de legitimidade pela forma como chegou à presidência, agora carece totalmente de condições políticas e morais para continuar presidindo a República”, afirmou.

Othelino destacou que o Brasil tem hoje um senador da República, o Aécio Neves, afastado pelo Supremo Tribunal Federal, que obteve quase 60 milhões de votos para presidente da República e que, por um detalhe, não se tornou presidente. “Não quero fazer nenhum pré-julgamento, mas o fato é que o país vive um momento de grande sensibilidade. E o que fazer neste momento? Não vejo outra alternativa, que não a convocação de eleições diretas, muito embora elas iriam, provavelmente, retratar o momento de radicalização que vive o país, mas, para liderar este momento de fragilidade, de efervescência, é fundamental que seja alguém referendado pelas urnas. Qualquer outra solução vai ser inviável”, comentou.

De acordo com Othelino Neto, ficou provado que o presidente Temer, que foi alçado ao cargo com a missão de tirar o Brasil da crise, piorou tudo no Brasil com uma agenda, extremamente, negativa e agora com um escândalo, dessa natureza, que expõe, mais uma vez, o país internacionalmente. “A notícia, no mundo todo hoje, nos grandes jornais, é o escândalo que está acontecendo no Brasil. Portanto, certamente, a solução não é agora esticarmos mais a corda, mas partirmos para um entendimento nacional, que não quer dizer colocar o tapete em cima de nada, e sim que os poderes constituídos, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal, podem e devem encontrar um caminho para que não se chegue a uma convulsão social”, afirmou.

Tramita na Câmara dos Deputados e está na CCJ, no ponto de ser apreciada, uma PEC que determina que, após a vacância do cargo de presidente da República e de vice, como está na iminência de acontecer no Brasil, convoque-se, imediatamente, eleições diretas. “Creio eu, sem querer ser o dono da verdade, que um começo de solução para este grave problema esteja na convocação de eleições diretas, o Congresso fazendo essa modificação na Constituição e o Supremo Tribunal Federal compreendendo que esse é o caminho mais seguro”, analisou.

Othelino disse não ter dúvida de que o presidente Temer não tenha mais condição de governar o país. “Fosse ele sensato, coisa que ele não é, renunciaria imediatamente à presidência da República. Mas o ato de renunciar ou não é personalíssimo, é algo que só ele vai decidir. Se não o fizer, certamente, espero que o Congresso Nacional o faça ou, em espaço de tempo mais curto, o Tribunal Superior Eleitoral, que já tem razões de sobra, afaste-o e, assim, nós possamos começar a nos livrar desse grande problema que entristece e preocupa todos os brasileiros, independente de cor partidária ou de corrente ideológica”, concluiu.