Sete cidades da Região Metropolitana já utilizam Aterro de Titara para despejo de resíduos sólidos

O aterro recebe, atualmente, os descartes de sete municípios: Rosário, São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa, Axixá e Morros

Localizado a 60 quilômetros de São Luís, no município de Rosário, o Aterro Sanitário de Titara é, hoje, uma solução para um problema histórico de toda a Região Metropolitana da Grande São Luís: o descarte de resíduos sólidos. Com uma área total de 190 hectares, tem capacidade total de recebimento de 25.788.635,00 m³ e vida útil estimada em 60 anos.

O aterro recebe, atualmente, os descartes de sete municípios: Rosário, São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa, Axixá e Morros. Icatu, Bacabeira, Santa Rita, Presidente Juscelino e Cachoeira Grande, que também fazem parte da Região Metropolitana da Grande São Luís, estão finalizando alguns trâmites, para que também façam uso do Aterro para o descarte de resíduos sólidos. Alcântara é uma situação à parte, por conta de sua localização. Para esta cidade está sendo elaborado um plano específico.

O Titara tem capacidade para receber diariamente 2.200 toneladas. Mas tem recebido em média apenas 1.200 toneladas por dia atendendo, portanto, algo em torno de 1.500.000 de habitantes. O Titara tem capacidade para atender toda a Região Metropolitana de São Luís tranquilamente, por mais de 60 anos.

O Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS) é um projeto do Governo do Estado, promovido por meio da AGEM. Tem como objetivo nortear o processo de planejamento aplicado à gestão de resíduos sólidos, que inclui os 13 municípios que integram a Região Metropolitana da Grande São Luís e tem previsão de entrega no dia 28 de maio.

Othelino Neto recebe apoio de comunidades do município de Rosário

Reconhecido pela população rosariense como um dos vereadores mais atuantes da região, Carlos do Remédio ressaltou a satisfação em apoiar o deputado Othelino Neto

Ao lado do vereador Carlos do Remédio (PCdoB), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), reafirmou o seu compromisso com a população de Rosário, em reunião, neste domingo (5), com lideranças e comunidades do município. O vereador de São Luís, Pedro Lucas Fernandes (PTB), pré-candidato a deputado federal, também participou do encontro que serviu para fortalecer parcerias e ouvir as demandas dos rosarienses.

“É um prazer estar aqui de novo, reunido com tantos amigos. Agradeço muito pela acolhida e pelas manifestações de apoio. Rosário é um município muito querido que tem tido a nossa atenção”, disse o deputado Othelino Neto.

Reconhecido pela população rosariense como um dos vereadores mais atuantes da região, Carlos do Remédio ressaltou a satisfação em apoiar o deputado Othelino Neto em mais um pleito, destacando o compromisso e a atenção dada pelo parlamentar ao município.

“Othelino tem sido um amigo e companheiro, que tem feito muito pelo Maranhão, ajudando o Governo do Estado a gerir e administrar. É importante essa parceria com Rosário, em relação às emendas, que a gente precisa, e a presença dele no município”, ressaltou.

O vereador Pedro Lucas Fernandes também frisou a importância da parceria com o deputado Othelino Neto e o vereador Carlos do Remédio

O vereador Pedro Lucas Fernandes também frisou a importância da parceria com o deputado Othelino Neto e o vereador Carlos do Remédio para levar melhorias e ajudar no desenvolvimento de Rosário. “Estou muito feliz em participar desse momento político da cidade, juntamente com o deputado e o vereador Carlos do Remédio. Othelino, além de ser jovem, tem muita experiência, e tem nos ajudado, nos guiado e nos orientado a fazer uma política correta e transparente com o povo do Maranhão”, completou.

Expectativa – A reunião contou com a participação de diversas lideranças da região, além de centenas de pessoas oriundas de várias comunidades de Rosário. A expectativa da população, que recepcionou calorosamente o deputado Othelino Neto, é que o parlamentar continue olhando pelo município e propondo projetos em benefício do município.

“É um prazer estar aqui de novo, reunido com tantos amigos. Agradeço muito pela acolhida e pelas manifestações de apoio. Rosário é um município muito querido que tem tido a nossa atenção”, disse o deputado Othelino Neto

“O deputado Othelino é importante para a nossa cidade por seus projetos. Desejamos que ele continue olhando para as pessoas de Rosário, que precisam dessa atenção. Nosso município ainda precisa de muitas coisas e contamos com a atuação do deputado Othelino Neto nessa caminhada”, afirmou Bruna Nascimento, liderança do bairro Jardim Recreio.

“Queremos que ele siga em frente e não desista do trabalho que está fazendo, contando com o apoio do vereador Carlos do Remédio. Nossos povoados ainda carecem de muitas coisas e pedimos que ele olhe por nós”, finalizou Josimar Oliveira, líder comunitário do Povoado Providência.

Médicos e policial morrem após queda de helicóptero no Maranhão

Os médicos José Cleber Luz Araújo, Jonas Eloi da Luz, Rodrigo Capobiango Braga, e o piloto, o policial civil Alfredo Oliveira Barbosa Neto, morreram no acidente.

Na tarde de domingo (1°), um helicóptero – modelo Robson 44, prefixo PP- WRV- caiu em uma fazenda localizada entre os povoados Miritil e Lentel, próximo ao município de Rosário.

Os médicos José Cleber Luz Araújo, Jonas Eloi da Luz, Rodrigo Capobiango Braga, e o piloto, o policial civil Alfredo Oliveira Barbosa Neto, morreram no acidente.

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, uma ambulância e um caminhão de combate a incêndio foram mobilizados para a operação de resgate das quatro vítimas que estavam presas nas ferragens da aeronave.

As investigações ficarão sob a responsabilidade do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica.

Os corpos dos médicos e do piloto foram encaminhados ao Instituo Médico Legal (IML) de São Luís. Na manhã desta segunda-feira (2), os corpos dos médicos foram levados à sede do Conselho Regional de Medicina (CRM), onde serão velados. O policial civil será velado na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no bairro Cohab-Anil, em São Luís.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) lamentou a morte dos médicos e prestou solidariedade a familiares e amigos. Veja abaixo, na íntegra:

“A Secretaria de Estado da Saúde lamenta profundamente a morte dos quatro integrantes do helicóptero que caiu neste domingo próximo ao município de Rosário. Dentre as vítimas, três médicos – o cirurgião vascular Rodrigo Braga, o anestesiologista Jonas Eloi da Luz e o cirurgião Kleber Luz.

A Secretaria expressa seu pesar e profunda solidariedade aos familiares, amigos e pacientes que partilham a dor pela precoce partida dos três médicos, que dedicaram parte de suas vidas aos cuidados com o próximo.”

TCE desaprova contas de ex-prefeitos de Rosário e de São Luís

Pleno do TCE

Pleno do TCE

O Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA) desaprovou a prestação de contas de Marconi Bimba Carvalho de Aquino, ex-prefeito de Rosário, relativa ao exercício financeiro de 2011, e determinou que o ex-gestor devolva aos cofres públicos R$ 20.462.420,12 e pague multas que totalizam R$ 2.180.842,01. Na mesma sessão plenária, foram rejeitadas também as contas de João Castelo Ribeiro Gonçalves (São Luís/2010).

Entre as principais irregularidades identificadas pelos auditores do TCE na prestação de contas de Marconi Aquino estão: ausência de portaria criando a Comissão Permanente de Licitação – CPL; falhas em processos licitatórios; despesas com ausência de licitação ou sem a utilização da modalidade de licitação adequada; ausência de comprovação de recolhimento de contribuições previdenciárias e ausência de apresentação da tabela remuneratória e da relação dos servidores nos casos de contratação temporária. Ainda cabe recurso da decisão.

Maria do Socorro Almeida Waquim (Timon/2011) teve suas contas aprovadas com ressalvas.

Entre as Câmaras Municipais, foram julgadas irregulares as contas apresentadas por: Antônio Henrique Silva Muniz (Cachoeira Grande/2012), com débito de R$ 19.200,00 e multas no total de R$ 20.812,00; Antônio Luís de Oliveira Assunção (Caxias/2010), com débito de R$ 140.400,00 e multas no total de R$ 33.800,00; Erivaldo Costa Sandes (Benedito Leite/2009), com multa de R$ 7.000,00; Francisco Cândido da Silva (Tasso Fragoso/2010), com débito de R$ 133.905,52 e multas no total de R$ 42.410,00 e João Pereira Netto (Cândido Mendes/2009), com débito de R$ 8.500,07 e multas no total de R$ 7.850,00.

Eleitores de cidades maranhenses, que deram mais de 80% dos votos a Dilma, dizem estar arrependidos

Manoel, que recebe R$ 15 por saco produzido em fábrica de farinha, desabafa: “Quem trabalha não tem valor”

Manoel, que recebe R$ 15 por saco produzido em fábrica de farinha, desabafa: “Quem trabalha não tem valor”

O Globo

PINDARÉ-MIRIM, IGARAPÉ DO MEIO, OLHO D’ÁGUA DAS CUNHÃS, ROSÁRIO E ALTO ALEGRE DO MARANHÃO — A popularidade da presidente Dilma Rousseff despencou em povoados pobres do Maranhão, onde, há apenas oito meses, ela obteve mais de 80% dos votos válidos no segundo turno da eleição. A crise econômica, o descumprimento de promessas de campanha e a corrupção na Petrobras revelada pela Operação Lava-Jato são criticados por moradores em conversas em frente a casebres de barro e telhados de palha.

Reações de decepção e revolta foram registradas em cinco municípios: Igarapé do Meio, Pindaré-Mirim, Alto Alegre do Maranhão, Rosário e Olho D’Agua das Cunhãs. Em todos, Dilma obteve votação avassaladora no segundo turno: 89,06%, 87,22%, 85,44%, 87,58% e 88,23%, respectivamente.

Basta abordar os moradores para ouvir as críticas. Jerônimo Nogueira, de 53 anos, pequeno produtor rural de Alto Alegre do Maranhão, a 250 quilômetros de São Luís, diz-se “arrasado” com a situação do país. Em sua propriedade de 50 hectares, ele produz mandioca, milho, feijão e arroz e tem um pequeno rebanho de 15 vacas.

— A situação está muito difícil. A gente produz e não consegue vender. A presidente poderia cuidar da população, mas fica brigando por poder — afirmou Jerônimo

PUBLICIDADE

O GLOBO localizou dois empregados diaristas na casa de farinha do agricultor Luiz Pinto, de 68 anos. Todos os elos da cadeia produtiva reclamavam da situação do país. Um dos empregados, Manoel Rodrigo do Nascimento, de 32, que recebe R$ 15 por saco produzido, queixou-se da conta de luz. Disse que tem uma geladeira pequena, uma TV “que só pega na pancada” e ventilador, e que pagou R$ 88 este mês:

— Quem trabalha não tem valor — deduziu.

O dono da casa de farinha, que fica com 10% da produção, afirmou ter mais de 20 sacos estocados sem comprador.

Raimundo Alves, de 64, tem uma casa de farinha em Igarapé do Meio (a 162 quilômetros de São Luís) também usada por pequenos produtores locais. Ao mostrar seu estoque de farinha sem comprador, disse que começou a vender fiado. Em relação à presidente avalia que ela “se perdeu” e que a corrupção é a principal causa dos problemas.

No pequeno povoado de Telêmaco, no município de Olho Dágua das Cunhãs, a 287 quilômetros de São Luís, o vaqueiro Raimundo Nonato Rodrigues, de 42 anos, acompanha as notícias pela TV. Ele disse que não entende por que tudo desandou de repente:

— Eu me sinto traído. Dilma apontou um rumo durante a campanha e mudou tudo depois que ganhou a eleição. (…) Se a presidente se candidatar outra vez vai sofrer uma derrota muito grande no Maranhão.

Segundo o vaqueiro, Dilma é vista no povoado como corresponsável pelo desvio de dinheiro da Petrobras, por não ter impedido o desvio.

— O roubo na Petrobras foi uma falta de vergonha dos políticos. Sou pai de família e meus filhos ficariam envergonhados se eu fizesse algo errado. O país está envergonhado — disse o lavrador Antônio Ferreira Cruz, de 37 anos, do povoado de Telêmaco.

PUBLICIDADE

“PERGUNTA QUEM TEM R$ 100?”

Trabalhador braçal, sem vínculo empregatício, Antônio recebe diária de R$ 35 para roçar pastos em fazendas da região, contratado por intermediários de mão de obra, chamados pelos trabalhadores de “empeleiteiros” (empreiteiros). Com a crise, o trabalho escasseou. Ele teme passar fome .

— Pergunta no povoado quem tem R$ 100? Não vai achar. Falam em bilhões roubados da Petrobras, e a gente sobrevivendo na marra.

Para o carpinteiro José Francisco da Conceição, de 32 anos, do povoado de Taboca, em Olho DÁgua das Cunhãs, o povo está pagando pelo escândalo da Petrobras.

Deputados denunciam hospital fantasma em Rosário

De acordo com o deputado Levi Pontes, a auditoria constata que no contrato existem comprovadamente crimes como atos de improbidade administrativa

De acordo com o deputado Levi Pontes, a auditoria constata que no contrato existem comprovadamente crimes como atos de improbidade administrativa

Irregularidades no processo licitatório de um hospital que deveria ter sido construído em Rosário, na gestão do ex-secretário Ricardo Murad, no Governo Roseana Sarney, dominaram a pauta da Assembleia na sessão desta terça-feira (30). Deputados governistas cobraram explicações acerca da construção do hospital de 50 leitos, onde foram pagos R$ 4,8 milhões de reais, no entanto, efetivamente, só foram medidos R$ 591.074,15 em terraplanagem.

De acordo com o deputado Levi Pontes, a auditoria constata que no contrato existem comprovadamente crimes como atos de improbidade administrativa, licitações dirigidas, pagamentos irregulares e superfaturamento. “Foram pagos R$4,8 milhões para a construção deste hospital, o que corresponde a 26% do total. E pela medida do trabalho realizado, já que passaram apenas um trator, corresponde a 3,2%”, explicou.

Levi Pontes ressaltou, em seu discurso, que o projeto foi autorizado pela Proenge, empresa criada pelo governo passado por R$ 70 milhões para fazer os projetos dos hospitais e fiscalizar as obras, e que no edital de licitação do caso de Rosário constavam exigências descabidas que restringiam a concorrência e teriam contribuído para beneficiar a empresa contratada Ires Engenharia Comércio e Representação.

A informação sobre as irregularidades foi repassada pela Força Estadual de Transparência e Controle (Fetracon), órgão criado pelo governador Flávio Dino para auxiliar nas auditorias em obras públicas pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle.

Para o líder do Governo, deputado Rogério Cafeteira, o ex-secretário Ricardo Murad vai ter que se explicar e prestar contas sobre o pagamento do hospital e que se trata de um caso de polícia já que houve desvio de recursos públicos e inúmeras irregularidades na licitação. “Os procedimentos de auditoria não são de agora. Quem cobra também tem que pagar”, ressaltou.

Cafeteira enfatizou que a entrega do hospital de 50 leitos de Rosário estava prevista para o dia 19 de maio deste ano, mas que no local existe apenas um terreno vazio, com tapume e placas de especificação da obra, ocasionando um prejuízo de R$ 4.265.621,95 ao Estado. Segundo o parlamentar, esse rombo é apenas mais um de uma série de irregularidades do Governo passado que acarretaram em entraves para o crescimento do Maranhão.

“É importante que se ressalte esse tipo de procedimento que aconteceu, que não é o único infelizmente, foi no montante de mais de 240 milhões de reais pagos no fim do governo de forma irregular, sem a devida autorização do BNDES. Essas irregularidades causaram a paralisação das obras e prejuízo gigantesco não só à população, como às empresas que ficaram sem a possibilidade de receber”, concluiu.

Delegacia de Rosário sofre atentado a bomba

Delegacia de Rosário

Delegacia de Rosário

A Delegacia de Rosário, que fica a uma hora de São Luís, sofreu um atentado a bomba, na noite deste sábado (24), por volta das 21:30h. Ninguém sabe de onde partiu o explosivo que foi jogado por cima do muro. Os policiais plantonistas se espantaram e pensaram que fossem tiros.

Não foi a primeira vez que a delegacia sofreu ataques. Há mais ou menos dois meses, a DP foi atingida por tiros, disparados por dois elementos que estavam em uma moto.

A Polícia continua investigando os atentados contra a delegacia, mas até agora não encontrou os autores dos ataques.

A onda de criminalidade no Maranhão, infelizmente, cresce a cada dia ao ponto de até mesmo as delegacias se tornarem alvos dos bandidos. Enquanto os crimes acontecem, não se vê ações efetivas para conter a violência. Lamentável!