Eleições 2018 e a sobrevivência política de Waldir Maranhão

Para tentar sobrevivência política, só resta a Waldir Maranhão buscar a reeleição como deputado federal.

Durante entrevista à TV Guará, o senador Roberto Rocha (PSDB) fez um balanço sobre a situação do PSDB, que recentemente ganhou dois deputados federais e três estaduais.

Ao falar sobre a formação da chapa, Roberto foi enfático ao afirmar que os dois candidatos a senador de sua chapa serão Zé Reinaldo Tavares e Alexandre Almeida. Já o deputado Waldir Maranhão, que espalha aos quatro cantos ser pré-candidato ao Senado, terá que se contentar com uma tentativa de reeleição.

Waldir Maranhão poderia ser candidato a deputado federal na base do governador Flávio Dino com muito mais chances de eleição, mas sua sede de poder falou mais alto e deixou a base por achar que teria que ser candidato a senador. Se com Roberto Rocha, que há pouco tempo não tinha nem esboço de palanque, ele serve para ser candidato a Senado, imagine pela chapa da base governista após suas inconstâncias políticas e aparições diárias com figuras da oposição oligárquica.

Em entrevista, Lidiane Leite quebra o silêncio e fala pela primeira vez sobre acusações envolvendo seu nome

Presa em sua própria casa, com apenas 27 anos de idade, a ex-prefeita responde na Justiça por pelo menos 14 crimes.

Em entrevista ao programa Conexão Repórter (SBT), apresentado pelo jornalista Roberto Cabrini, a ex-prefeita Lidiane Leite, que ficou conhecida mundialmente como “prefeita ostentação”, quebrou o silêncio e falou pela primeira vez diante das câmeras sobre as acusações de desvio de milhões de reais dos cofres públicos, destinados a uma vida de luxo compartilhada nas redes sociais.

Dentre diversos temas abordados, Lidiane falou sobre a compra de urnas funerárias de luxo, redução no salário de professores, escolas em condições precárias, entre outras acusações. Presa em sua própria casa, com apenas 27 anos de idade, a ex-prefeita responde na Justiça por pelo menos 14 crimes.

Ao justificar os atos, Lidiane se diz vítima do ex-marido, Beto Rocha, e revela que ele teria usado seu nome em esquemas criminosos que a colocaram no centro da corrupção nacional. Ao ser questionado sobre o envolvimento nas acusações, Beto negou alegando que foi manipulado e enganado por Lidiane.

Durante entrevista, Temer afirma que Previdência poderá ser votada ainda este ano

Atualmente, a Previdência no Brasil funciona sob o regime de repartição, onde os trabalhadores que estão na ativa pagam pelos benefícios dos trabalhadores aposentados.

No último final de semana, o presidente Michel Temer disse que o governo não desistiu de votar a reforma da Previdência neste ano. Em entrevista à rádio Tupi, do Rio de Janeiro, Temer garantiu que a proposta não saiu da “pauta política” do país e, que uma possível votação, dependeria do êxito da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro.

Durante o período da intervenção, a Constituição não pode ser alterada. Logo, nenhuma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) pode ser aprovada, o que paralisou o andamento da reforma da Previdência. No entanto, Temer sugeriu que pode cessar a intervenção em setembro ou outubro.

O emedebista também disse acreditar que a reforma continuará no centro das atenções políticas, uma vez que os candidatos à presidência ou aos governos estaduais terão de se posicionar a respeito do tema e das possíveis consequências, caso as regras para aposentadoria não sejam alteradas.

Atualmente, a Previdência no Brasil funciona sob o regime de repartição, onde os trabalhadores que estão na ativa pagam pelos benefícios dos trabalhadores aposentados. O problema é que de acordo com estimativas do IBGE, em 2030, os idosos representarão 18% dos brasileiros, enquanto as crianças 17,6%.  Em 2015, por exemplo, para cada 100 pessoas em idade ativa, havia 11,5 idosos.

Em 2060, essa relação deverá ser de 44,4. O governo avalia que com menos contribuintes e mais beneficiários, a tendência é que as contas públicas entrem em colapso. Só no ano passado, o setor previdenciário registrou um rombo de mais de R$ 260 bilhões, segundo a Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda.

Em entrevista, Edison Lobão expõe fragilidade de seu grupo político

Para o senador, o verdadeiro político deve estar preparado para qualquer resultado.

Em entrevista concedida ao jornal O Imparcial, o senador Edison Lobão (MDB) deu claros sinais de que seu grupo político chega às eleições de 2018 mais fragilizado.

Ao ser questionado sobre o papel do senador João Alberto nesta eleição, Edison Lobão fala que a chapa já está montada, tendo ele e o deputado federal Sarney Filho (PV) como candidatos ao Senado Federal, e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) candidata ao governo.

Sobre João Alberto, Lobão fala que ele poderá ser candidato ao que quiser, mas não chega a citar seu colega para vice-governador, sinalizando que essa vaga na chapa poderá ser ocupada por um nome de outro partido.

Indagado se está pronto para qualquer resultado nesta eleição e se teme perder o pleito de outubro, Lobão afirmou que o verdadeiro político está pronto para qualquer resultado.

Edison Lobão sabe que a próxima disputa não será igual à de 2010, quando era ministro de Minas e Energia, quando tinha a máquina do governo a seu lado e a obra da Refinaria de Bacabeira para conquistar. O resultado daquele “empreendimento” todos os maranhenses já conhecem.

O senador já foi citado várias vezes na Operação Lava-Jato e coleciona processos na Justiça. Após 32 anos no Senado, Lobão finalmente poderá ser aposentado pelo povo.

Em entrevista, Flávio Dino fala sobre rompimento de Zé Reinaldo

Em entrevista à imprensa da região Tocantina, durante agenda política na cidade de Imperatriz, o governador Flávio Dino (PCdoB) posicionou-se, pela primeira vez, sobre a decisão do ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido) em romper com seu grupo político.

Dino lamentou o fato e declarou que aqueles, que optam por outra forma de governar ou por outro governo, estão optando por aquilo que foi derrotado nas urnas.

Na ocasião, o governador também fez referência à mudança do secretariado, que deve ocorrer nos próximos dias, antes do período eleitoral. Confira no vídeo acima a entrevista.

Temer vê dificuldade em aprovar Reforma da Previdência

Temer mencionou que faltam cerca de 40 votos para chegar aos 308 necessários à aprovação da reforma.

Durante entrevista à Rede TV, na noite desta segunda-feira (5), o presidente Michel Temer disse que o governo não pode ficar discutindo a reforma da Previdência ao longo de todo o ano e afirmou que o tema precisa ser votado nas próximas semanas, independentemente do resultado.

O presidente reforçou que, a partir de junho, o Congresso deve se voltar principalmente à questão eleitoral e lembrou que o governo precisa tocar outras reformas.

Temer mencionou a conta do governo, de que faltam cerca de 40 votos para chegar aos 308 necessários à aprovação da reforma. Ele lembrou ainda que há cerca de 70 deputados considerados indecisos, que podem ser convencidos a votar com o governo. A reforma da Previdência está marcada para ir a plenário no dia 19 de fevereiro.

Questionado sobre uma eventual candidatura à Presidência da República nas eleições deste ano, Temer afirmou que não pensa nisso e revelou que seu desejo é ser lembrado por esta gestão.

Reforma da Previdência poderá sofrer alterações

Temer afirmou que o governo não pretende abrir mão daquilo que está na reforma, mas o diálogo pode levar a uma ou outra modificação.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, na manhã desta segunda-feira (29), o presidente da República, Michel Temer, afirmou que na volta do recesso parlamentar o texto da reforma da Previdência poderá sofrer alterações.

Temer afirmou que o governo não pretende abrir mão daquilo que está na reforma, mas o diálogo pode levar a uma ou outra modificação. Segundo ele, diante do projeto original, a economia de recursos seria de cerca de R$ 900 bilhões em 10 anos. Com este novo projeto amenizado, a economia seria de R$ 550 bilhões a R$ 600 bilhões.

O presidente disse estar otimista em relação à aprovação do texto e declarou que “quem não votar pela reforma da Previdência estará fazendo um mal para o país”. Temer destacou que, pela proposta, para os trabalhadores que ganham até R$ 5.645 nada muda e disse que se a Previdência não for consertada, daqui a dois ou três anos ela não resiste.

Michel Temer disse ainda que, se a reforma for aprovada, “muito provavelmente a nota de crédito do Brasil será recuperada” e o país voltará a atrair investimentos, além de ressaltar que o país já está aumentando sua confiança e que foram abertos, nos últimos meses, mais de 1,4 milhão de postos de trabalho.

Em entrevista, Flávio Dino anuncia novos concursos públicos para este ano

Sobre o Concurso do Corpo de Bombeiros, Dino esclareceu que o projeto básico do concurso está pronto desde outubro do ano passado e o edital deverá ser divulgado ainda neste semestre.

Em entrevista ao site Folha Dirigida, maior portal de concursos do Brasil, o governador Flávio Dino (PCdoB) falou sobre o lançamento do Edital do concurso do Corpo de Bombeiros Militares do Maranhão.

Na entrevista, o governador fez referência a órgãos que estavam com carência de pessoal, como a Polícia Militar do Maranhão. Ele ainda citou outros concursos que estão previstos para 2018, como o da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac); e o da Secretaria de Planejamento, que ofertará vagas para analista de planejamento.

Sobre o Concurso do Corpo de Bombeiros, Dino esclareceu que o projeto básico do concurso está pronto desde outubro do ano passado e o edital deverá ser divulgado ainda neste semestre: “A seleção ofertará vagas para a carreira de oficial, que tem exigência de nível superior, e soldado, de nível médio. O concurso será no mesmo padrão do da Polícia Militar” , disse o governador.

Sobre a previsão do lançamento dos concursos, Flávio Dino garantiu que já existe uma comissão formada para algumas seleções e todos os editais devem sair entre março e junho deste ano.

A Folha Dirigida reconheceu que o Maranhão foi o “paraíso dos concurseiros” em 2017, mesmo com uma conjuntura completamente desfavorável de aguda crise econômica em todo o país. O ano de 2018 promete ainda mais oportunidades para aqueles que sonham em ingressar no serviço público.

Em entrevista, Dino afirma que nenhum governo fez tantas inaugurações em janeiro como a atual gestão

Em entrevista à TV Difusora, nesta segunda-feira (22), o governador Flávio Dino (PCdoB)  afirmou que há uma série de obras e investimentos a serem entregues nos próximos meses.

Ao fazer referência aos programas já implantados desde o início da sua gestão, Dino afirmou que nenhum governo fez tantas inaugurações em janeiro como a atual gestão.

Flávio acrescentou que foram feitas mudanças profundas em todas as áreas, incluindo a Saúde, e destacou, ainda, que, nestes três anos de governo, as desigualdades e problemas históricos do Maranhão vêm sendo combatidos.