Bolsonaro diz que é possível eleger ‘uns 100 deputados’ com Aliança Pelo Brasil

O Aliança pelo Brasil está em processo de formação, já que precisa coletar assinaturas para protocolar o pedido de criação na Justiça Eleitoral

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado, 4, acreditar que o Aliança pelo Brasil, partido que está formando, conseguirá eleger “uns 100 deputados” e “uns dez senadores”. A próxima eleição para o Congresso ocorre em 2022. “Dá para fazer uns 100 deputados pelo Brasil, dá para fazer uns 10 senadores pelo Brasil”, disse o presidente durante vídeo divulgado ao vivo nas redes sociais.

Jair Bolsonaro – agora sem partido após deixar o PSL – afirmou também que a entrada de pessoas na nova sigla será criteriosa. Para ele, seria ideal que não se filiem à legenda aqueles que não buscam disputar eleições. O Aliança pelo Brasil está em processo de formação, já que precisa coletar assinaturas para protocolar o pedido de criação na Justiça Eleitoral.

“Para a gente começar a filiar apenas as pessoas que queiram disputar eleições. Não é para filiar quem não quer disputar, seria bom até não filiar. Agora, a filiação não vai ser quem chegar na frente, quem já tem passado político ou não, vai ter em cima de um critério, do que seria nosso norte, que nenhum de nós nos desviaríamos dele”, afirmou o presidente.

Para Bolsonaro, “com 100 parlamentares” do partido no Congresso já é possível ocupar um “lugar de destaque na Mesa” do Parlamento. “Colocar pessoa na Mesa que realmente produza alguma coisa, que não seja um poste”, disse.

Para a seleção de quem irá entrar no partido ser criteriosa, Bolsonaro comentou também que a ideia é “designar um comandante em cada Estado”, com a devida orientação de como proceder na região. “Esperamos sim, e por ocasião de 2022, continuar a fazer trabalho que estamos fazendo, ter essa força que tivemos levando em conta 2018”, disse.

O presidente também lembrou da crise envolvendo o PSL, onde houve um racha entre as alas bivarista e bolsonarista. Bolsonaro afirmou que “lamentavelmente ocorreu o racha” pelo fato de o poder ter “subido” à cabeça de “quase metade” dos parlamentares. “Esperamos sim, e por ocasião de 2022, continuar a fazer trabalhar que estamos fazendo, ter essa força que tivemos levando em conta 2018”, afirmou.

Lula agendou encontro com Flávio Dino para discutir 2020 e 2022

Na pauta do encontro, conversa sobre o cenário das eleições municipais e as expectativas de Dino para as eleições de 2022.

Revista Fórum

Em meio a especulações que envolveram o nome do governador Flávio Dino para vice de um provável chapa com o apresentador Luciano Huck, o blogue apurou que está marcado um encontro de Dino com Lula em São Paulo para o meio do mês de janeiro, mais provavelmente no dia 17.

Na pauta do encontro, conversa sobre o cenário das eleições municipais e as expectativas de Dino para as eleições de 2022.

Dino tem sido apontado como nome forte tanto para ser vice de um candidato petista, como Fernando Haddad ou o próprio Lula, como para ser até o candidato à presidência por uma frente mais ampla, envolvendo Ciro Gomes e o PSB.

Recentemente o blogueiro Ricardo Noblat disse que Luciano Huck e Dino estariam conversando sobre 2022. Não é verdade.

O blogue apurou que houve Luciano Huck e Flávio Dino se encontraram recentemente em dois eventos, um na Fundação Estudar e outro na Casa das Garças e que depois disso Huck lhe telefonou, mas que em nenhum desses momentos eles conversaram sobre eleições.

Pessoas próximas de Dino garantem que ele não entraria numa aventura de um projeto liberal e que sabe qual é o seu lado no tabuleiro da política.

Maranhão virou moda para turistas de todo o mundo em 2019

Os bons indicadores do turismo no Maranhão são fruto de planejamento e programas especiais pensados para atrair estimular a economia

O ano de 2019 foi histórico para o setor do turismo no Maranhão. Investimentos em estrutura e promoção dos destinos turísticos maranhenses impulsionaram a ocupação hoteleira e o fluxo de passageiros no estado.

De acordo com a Secretaria de Estado do Turismo (Setur), enquanto em 2018 pouco mais de 1,5 milhão de passageiros desembarcaram no Aeroporto Marechal Cunha Machado, em São Luís, em 2019 esse número subiu, e a expectativa é que alcance a marca dos 2 milhões de visitantes em 2020.

Também chama atenção a projeção da taxa de ocupação hoteleira nas cidades de São Luís e Barreirinhas, para o período do Réveillon. Segundo o Booking, um dos maiores sites de reserva, tarifas de viagens e de mecanismo de busca para hospedagem de hotéis, São Luís e Barreirinhas registraram, respectivamente, 89% e 80% de taxas de ocupação em hotéis para reservas entre 31 de dezembro de 2019 a 1° de janeiro de 2020.

Os bons indicadores do turismo no Maranhão são fruto de planejamento e programas especiais pensados para atrair estimular a economia.

Em 2019, o Maranhão apresentou o maior São João de sua história. As 1.500 atrações culturais deste ano ganharam o adorno de mosaicos estampados nas tradicionais bandeirinhas juninas, que abrilhantaram o Centro Histórico de São Luís e a festa deste ano. A decoração especial ganhou destaque nacional e viralizou nas redes sociais. Resultado: mais turistas acompanharam de perto o São João do Maranhão em 2019.

Dados do Sistema de Cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo (Cadastur) apontam que, enquanto em todo o ano de 2018, 442 empresas foram formalizadas para atuar no segmento, esse número subiu para 835 em apenas nove meses de 2019.

Allan Garcês é anunciado como secretário de Saúde de Roraima

Allan Garcês é empossado como secretário de Saúde de Roraima e abandona pré-candidatura em São Luís

O governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), anunciou a nomeação do médico Allan Garcês para ocupar o cargo de secretário de Saúde daquele Estado.

Em 2018, o médico disputou uma das vagas na Câmara Federal pelo Maranhão e obteve 20.288 mil votos quando ainda era filiado ao PSL.

Allan Garcês foi nomeado diretor do Departamento de Articulação Interfederativa da Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde ainda em janeiro e deixou o governo Bolsonaro sexta-feira (03).

O médico era um dos críticos mais ácidos do Governo do Maranhão e defensor fiel do presidente Jair Bolsonaro.

Presidente da União da Direita Maranhense e até então pré-candidato a prefeito em São Luís, Allan Garcês abandona os dois projetos para exercer o cargo de secretário em Roraima.