Edivaldo diz que redução do fluxo de veículos e de passageiros indica que população está aderindo ao lockdown

O total de usuários do serviço caiu de mais de 500 mil por dia para apenas 70 mil.

Em entrevista no início da tarde de hoje, terceiro dia de lockdown, o prefeito Edivaldo Holanda Junior apresentou dados que mostram a redução do fluxo de pessoas no transporte coletivo e de veículos nas avenidas de São Luís, indicando que a população está aderindo ao lockdown e respeitando o distanciamento social.

O número de passageiros no transporte coletivo está 84% menor em comparação a dias normais. O total de usuários do serviço caiu de mais de 500 mil por dia para apenas 70 mil. Houve redução também no quantitativo de carros circulando pelas avenidas, segundo relatório da Secretaria Municipal de Trânsito de Transportes.

Nos bairros o fluxo de pessoas também têm diminuído com a intensificação da fiscalização das feiras, mercados e comércio não essencial em áreas como Cidade Operária e Cohatrac onde equipes de fiscalização da Blitz Urbana, Guarda Municipal e Polícia Militar estiveram esta manhã.

Edivaldo destacou que está trabalhando para reestruturar a rede de saúde e ampliar o número de leitos disponíveis para atendimento aos pacientes com Covid-19, mas reforçou que o respeito aos 10 dias de lockdown é fundamental para reduzir o crescimento do número de casos da Covid-19 em São Luís e pediu à população que permaneça em casa.

Mais 44 novos respiradores chegam ao Maranhão para salvar vidas

O Maranhão adquiriu 255 aparelhos respiradores desde o mês passado

Uma nova carga de respiradores chegou ao Maranhão nesta quinta-feira (7) para equipar UTIs em diversos hospitais do Estado. São 44 aparelhos, essenciais para salvar dias de pacientes com coronavírus.

O lote foi desembarcado no aeroporto de São Luís no fim da tarde. “Mais 44 respiradores chegando para salvar vidas no Maranhão. Esses são fruto de ação judicial contra requisição feita pelo governo federal. O Supremo Tribunal Federal nos deu razão e mandou entregar ao nosso Estado”, disse o governador Flávio Dino.

No mês passado, o STF determinou a entrega de 68 respiradores comprados pelo Governo do Maranhão da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda.

Os respiradores já deveriam ter sido entregues, mas foram requisitados à empresa pelo Ministério da Saúde. O Maranhão, então, recorreu à Justiça e teve vitória.

Dos 68 equipamentos, 24 já tinham chegado na semana passada. E agora veio o restante.

Além destes, o Maranhão comprou outros 187 respiradores no exterior, em parceria com empresas que atuam no Estado. São, portanto, 255 respiradores que chegaram ao Maranhão desde o mês passado.

Aglomerações nas feiras de São Luís necessitam de atenção das autoridades

É preciso que as forças policiais e órgãos de fiscalização façam cumprir as regras do lockdown, massificando a presença nos bairros mais afastados e reforçando as ações educativas.

Motivo de discussões em grupos de mensagens instantâneas e redes sociais, as aglomerações em bairros mais afastados do centro de São Luís têm chamado atenção e precisam de uma ação mais enérgica das autoridades.

A maioria dos internautas afirmam que muitas lojas pequenas de roupas e outras atividades não essenciais continuam abertas, mesmo com as proibições.

Em alguns bairros como a Divineia e Cidade Operária, a Blitz Urbana até chega a vistoriar alguns locais, mas, após a saída dos fiscais, as lojas voltam a reabrir.

Feiras e ruas de comércio continuam aglomerando um número bem considerável de pessoas, aumentando, ainda mais, os riscos de contágio do novo coronavírus.

É preciso que as forças policiais e órgãos de fiscalização façam cumprir as regras do lockdown, massificando a presença nos bairros mais afastados e reforçando as ações educativas.

Pesquisa mostra que 84% da população de São Luís aprova lockdown

A medida foi tomada para frear o crescimento dos casos de coronavírus na Ilha de São Luís.

A pesquisa da TV Difusora/Big Data divulgada, nesta quinta-feira (7), mostra que 84% da população de São Luís aprova o lockdown (bloqueio total). A medida foi tomada para frear o crescimento dos casos de coronavírus na Ilha de São Luís.

A pesquisa também aponta que a população concorda com o trabalho do governador Flávio Dino (PCdoB). 69% aprovam as ações do governador, 22% não aprovam e 8% não souberam responder.

O trabalho do prefeito Edivaldo Holanda Júnior é aprovado por 54% da população, 32% não aprovam e 14% não souberam responder.

Edivaldo garante abertura de novos leitos em São Luís

Unidades Mistas do Bequimão e São Bernardo estão com obras em andamento

As ações do prefeito Edivaldo Holanda Junior para reduzir os impactos da pandemia da Covid-19 em São Luís estão organizadas em duas frentes principais de trabalho: ampliar o isolamento social e também o número de leitos na rede municipal de saúde exclusivos para atendimento a pacientes vítimas do novo coronavírus (Covid-19). As medidas tiveram início ainda antes da confirmação do primeiro caso da doença há quase 50 dias.

Em suas redes sociais Edivaldo mostrou avanço das obras nas Unidades Mistas do Bequimão e São Bernardo, onde serão instalados novos leitos clínicos de retaguarda para tratamento da Covid-19. No São Bernardo as obras são com recursos de emenda do senador Weverton Rocha.

A estratégia de Edivaldo inclui ainda a ampliação de leitos na Maternidade Nazira Assub (Estiva) e na Unidade de Pronto Atendimento 24 horas da zona rural. Em parceria com o Governo do Estado serão disponibilizados leitos na Clínica São José e no Hospital Português, além de 20 leitos para atendimento infantil.

As Unidades Mistas Coroadinho e Itaqui-Bacanga também receberão novos leitos. Com estes investimentos, entre leitos próprios e em parceria, a rede municipal deve chegar a mais de 300 leitos para atendimento a pacientes com Covid-19.

Crise do coronavírus resultará em perda de R$ 8 bilhões no PIB do Maranhão

Quanto ao impacto econômico no estado, o governador projeta algo em torno de R$ 8 bilhões.

Em recente entrevista à TV Mirante, o governador Flávio Dino falou sobre as perdas fiscais no estado em face do coronavírus. Quanto ao impacto econômico no estado, o governador projeta algo em torno de R$ 8 bilhões.

“A perda econômica no Maranhão deve chegar a R$ 8 bilhões, no que se refere a perda no Produto Interno Bruto (PIB). Não por causa das medidas, mas sim por conta da crise sanitária do novo coronavírus. Então R$ 8 bilhões de perda no PIB significa que nós estamos diante de um impacto fiscal de algo em torno de R$ 1,5 bilhão para o Governo do Estado”, declarou Dino.

Desde que iniciaram as medidas protetivas, o governador afirma que cada nova decisão sobre a restrição na circulação de pessoas e do funcionamento do comércio é baseada nos dados epidemiológicos, analisados todos os dias pelo comitê científico estadual.

“Não é meu desejo que atividades comerciais sejam interrompidas. Infelizmente são medidas necessárias neste momento, de grave crise sanitária, onde precisamos diariamente salvar cada vida que precisa de internações e leitos de UTI”, disse o governador ao declarar que nenhum sistema de saúde do mundo está preparado para receber tantos pacientes ao mesmo tempo.

Movimento no transporte público reduz em 85% e mostra adesão popular às medidas do lockdown

A suspensão total de serviços não essenciais e redução da circulação na região tiveram início no dia 5 e prosseguem até dia 14 deste mês.

Reduziu em 85% a circulação de passageiros no sistema de transporte público da Região Metropolitana de São Luís. O índice reforça o resultado positivo das ações de fiscalizações, monitoramento e educativas, promovidas pelo Governo do Estado, e constata a contribuição da população no cumprimento das medidas determinadas pelo lockdown. O índice é fruto de levantamento conjunto do Governo e prefeituras. A suspensão total de serviços não essenciais e redução da circulação na região tiveram início no dia 5 e prosseguem até dia 14 deste mês.

No transporte urbano, de circulação nos municípios, e também no semiurbano, de circulação entre os municípios, foi registrada a redução de passageiros. No urbano, a média diária de passageiros, que era de 470 mil, caiu para 70 mil, indicando 85% de queda de movimentação neste sistema. No semiurbano, a média de 170 mil por dia diminuiu para cerca de 26 mil, representando 84,4% de menos movimentação. Ou seja, de uma média de 600 mil passageiros nos dois sistemas, com o lockdown diminuiu para, aproximadamente, 90 mil, gerando a redução geral de 85%.

O presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB). Lawrence Melo, avaliou como positivos os números em relação aos objetivos de combate à pandemia do coronavírus na Ilha de São Luís. “Os números de redução do sistema urbano e semiurbano são equivalentes e significa que as medidas estão sendo efetivadas, tendo eficácia e, deste modo, reduzindo a possibilidade de transmissão do vírus. Essas medidas dizem respeito à preservação da capacidade operacional da rede de saúde e das vidas dos maranhenses”, pontuou Melo.

A população entendeu o objetivo e a importância do isolamento social, enfatizou o titular da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), Isarel Pethros. “O principal objetivo neste momento é de orientação e disciplinamento, conscientizando a população de que as ações desenvolvidas pela Prefeitura, em parceria com o Governo do Estado, têm como único objetivo proteger a vida de todos”, reforça o gestor.

No transporte semiurbano, uma série de medidas são realizadas pela MOB, entre estas, o transporte apenas de passageiros sentados nos coletivos, redução do número de ônibus, permanência das janelas abertas e antes de cada viagem é feita limpeza dos veículos com água e sabão ou álcool 70%. Equipes da SMTT, com o apoio da Polícia Militar, seguem com barreiras nos principais pontos de tráfego.