Globo e Regina Duarte encerram contrato de mais de 50 anos

A decisão foi anunciada um mês depois de a atriz ter aceitado o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria Especial de Cultura.

A atriz Regina Duarte e a Globo encerraram a relação contratual em comum acordo depois de mais de 50 anos de vínculo da artista com a emissora, informou sexta-feira (28) a Central Globo de Comunicação (CGCom).

A decisão foi anunciada um mês depois de a atriz ter aceitado o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria Especial de Cultura.

“Deixar a TV Globo é como deixar a casa paterna. Aqui recebi carinho, ensinamentos e tive a oportunidade de interpretar personagens extraordinárias, reveladoras do DNA da mulher brasileira. Por mais de 50 anos sinto que pude viver, com a grande maioria do povo brasileiro, um caso de amor que, agora sei, é para sempre”, afirmou Regina em nota divulgada pela CGCom.

A Secretaria Especial da Cultura herdou as atividades do antigo Ministério da Cultura, extinto por Bolsonaro ao assumir a Presidência, e hoje faz parte do Ministério do Turismo.

Em 19 de fevereiro, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, disse que Regina Duarte deve assumir o cargo em um prazo entre dez e 15 dias após o Carnaval.

Renda no Maranhão sobe mais que a média nacional, mostra IBGE

O aumento da renda no Maranhão foi maior tanto no período 2014-2019 quanto no período 2018-2019. 

A mais recente pesquisa do IBGE sobre a renda do brasileiro mostra que os valores no Maranhão têm subido mais do que a média nacional em termos proporcionais.

Os dados estão na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), feita anualmente pelo instituto.

Os valores se referem aos rendimentos domiciliares per capita. Ou seja, a média da renda por cada pessoa.

O aumento da renda no Maranhão foi maior tanto no período 2014-2019 quanto no período 2018-2019. 

Na média nacional, o valor subiu 36,7% entre 2014 e 2019. Já no Maranhão, o avanço foi de 37,7%. 

Na comparação entre 2018 e 2019, o Brasil subiu 4,78%. E o Maranhão, 5,05%.

O aumento acima da média nacional ocorre mesmo em meio à grave crise econômica que atinge o país há anos.