Bomba – JBS entrega cabeça de Michel Temer em delação premiada

Do G1

Delação contra Michel Temer estourou nesta quarta

Os donos do frigorífico JBS disseram, em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR), que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação é do colunista do jornal “O Globo” Lauro Jardim.

Segundo o jornal, o empresário Joesley Batista entregou uma gravação feita em março deste ano em que Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Lourdes (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F, uma holding que controla o frigorífico JBS. Posteriormente, Rocha Lourdes foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

Ainda não há informação sobre se a delação foi homologada. O Supremo Tribunal Federal (STF) disse que não irá se pronunciar nesta quarta-feira (17) sobre a delação.

Delatores da JBS tinham gravações com Temer e histórico de propina

Em outra gravação, também de março, o empresário diz a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz, na gravação: “tem que manter isso, viu?”

Na delação de Joesley, o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, é gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. A entrega do dinheiro foi feita a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, e filmada pela Polícia Federal (PF). A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que foi depositado numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no Supremo Tribunal Federal (STF) e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República (PGR) em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação.

É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato: Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

Condomínio cansa de esperar Prefeitura e começa a tapar buracos de Holandinha em via pública…

Colaboradores e funcionários do condomínio Ilhas Gregas fazem o trabalho que as operações da Semosp deveriam estar fazendo na via pública

O condomínio Ilhas Gregas, localizado no Parque Shalon/Olho D´Água, em São Luís, resolveu tapar os buracos da Rua H 15, onde está situado, nas proximidades da escola de natação Nina. Cansada de esperar uma operação da Prefeitura de São Luís e enquanto o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) se encontra em “sono profundo”, a administração do IG, com a ajuda de funcionários ou colaboradores, está tentando reduzir os transtornos que os moradores têm, todos os dias, com a buraqueira que toma conta da via pública.

O condomínio está usando pedras, areia e cimento para amenizar a buraqueira, uma ação paliativa, mas que revela uma forma de protesto contra o descaso para com a via pública, que se intensificou com o desaparecimento das equipes de “tapa-buracos” da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) em toda a capital maranhense.

O cimento, a areia e as pedras são medidas paliativas porque não exste mais operação “tapa-buracos” em São Luís. Os moradores do condomínio e das residências, localizadas na Rua H 15 do Parque Shalon/Olho D´Água, esperam e cobram mesmo da Prefeitura de São Luís uma devida pavimentação ou, pelo menos, para o momento de período chuvoso, a manutenção que não tem sido vista em canto nenhum da cidade.

“Temos o direito e devemos exigir a devida recuperação da rua onde moramos, pois pagamos impostos caros para ter vias trafegáveis e não as temos. Esperamos que a Prefeitura faça alguma coisa e que atenda o nosso apelo”, disse uma moradora do condomínio que preferiu não ser identificada.

Eu mesma sou moradora do condomínio e já enviei diversas solicitações para o próprio titular da Semosp, Antonio Araújo, que não deu qualquer retorno.

Muito lamentável o estado de abandono das ruas e avenidas de São Luís. Que o Ministério Público se atente para cobrar uma postura da Prefeitura quanto a esse descaso, que chega à irresponsabilidade pública.

O blog aguarda e reserva o espaço para que a Prefeitura de São Luís se manifeste.

VÍDEO DO DIA! “Prefeita” Núbia Dutra leva “surra” de vaias ao aparecer em protesto

Repercute muito nas redes sociais a verdadeira “surra” de vaias que levou a mulher que hoje “governa” o município de Paço do Lumiar, primeira-dama Núbia Dutra. A cidade tem, oficialmente, como prefeito o seu marido, Domingos Dutra (PCdoB), mas é ela quem dá as ordens e a palavra final.

Núbia Dutra foi, fortemente, vaiada por moradores da localidade Eugênio Pereira, na Maioba do Mocajituba (Veja vídeo). Eles interditaram, esta semana, a rodovia estadual MA – 202, mais conhecia como Estrada da Maioba, cobrando do comunista ações no setor da infraestrutura que, pelo menos, amenizem a situação de caos verificada nas vias do bairro.

Os manifestantes esperavam a presença de Domingos Dutra, quando quem apareceu no local  foi a “prefeita de fato”, a toda poderosa, primeira-dama e super secretária municipal de Administração, Planejamento, Articulação e Fazenda, Núbia Dutra, que já está sendo chamada também de “A Futi”, já que o prefeito é, carinhosamente, lembrado como “O Futi”, marca criada por ele mesmo durante campanhas políticas.

Flávio Dino autoriza concursos públicos para 1.850 vagas no Maranhão

Governador Flávio Dino autorizou abertura de concurso para 1.850 vagas no Maranhão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), autorizou a realização de concursos para mais nove órgãos estaduais em 2017. São mais de 1.850 vagas distribuídas da seguinte forma: SSP – 100 vagas;  SSP (PMMA) – 1.300 vagas; SSP (Detran) – 170 vagas; Funac – 150 vagas; Procon/MA – 10 Vagas; Segep – 42 vagas; Imesc – 10 vagas; Aged – 100 vagas; Seplan– 20 vagas.

Até o final de 2017, serão 7.124 novos servidores admitidos por meio de concurso público em diversas áreas, incluindo as secretarias e órgãos com déficit histórico, caso da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A ausência de contratações de novos policiais nos últimos anos contribuiu para o aumento da violência registrada no estado até 2014, deixando o Maranhão com a menor relação entre policiais e habitantes, no comparativo com os demais estados.

Novo rumo

Para corrigir essa distorção, o governador Flávio Dino determinou, já a partir de 2015, a convocação de 2.648 policiais militares aprovados em concurso público e de 288 para compor o quadro do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA).

O reforço também foi garantido no quadro de Servidores do Sistema Penitenciário do Estado, com a realização de Concurso Público em 2016 para o preenchimento de 238 vagas na Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap).

Zé Inácio solicita criação de vara especializada em conflitos agrários

 

Deputado Zé Inácio

O deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT) solicitou ao presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA), Ângelo Santo, apoio para o seu projeto de criação da primeira Vara Agrária do Maranhão, que deverá ser implementada em São Luís.

O objetivo da criação da vara, segundo Zé Inácio, é que esta sirva para processar e julgar os conflitos coletivos pela posse e/ou propriedade de terras no campo do Maranhão.

O projeto de criação da Vara surgiu após uma audiência pública realizada em 2015, e promovida pela Comissão dos Direitos Humanos e Minorias, que na época era presidida pelo deputado Zé Inácio, em razão de intensos conflitos que vinham acontecendo naquele ano, chegando a ter como consequência a morte de uma liderança indígena Kaapor.

Na ocasião, a reunião contou com a presença de representantes do Programa Terra Legal no Maranhão, do instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), da Defensoria Pública do Estado, Câmara Municipal de São Luís, Secretaria de Estado de Segurança Pública, Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Tribunal de Justiça, Comissão de Direitos Humanos da OAB-MA, Policia Militar e Comissão Pastoral da Terra.

Um dos encaminhamentos da audiência foi o compromisso do deputado Zé Inácio em fazer uma indicação solicitando a criação da Vara que, inclusive, já foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado e agora aguarda um parecer do Tribunal de Justiça para que seja dado andamento no processo.

O deputado vem batalhando pela concretização do projeto que julga ser de extrema importância.

“A situação de conflito e violência no campo em nosso Estado deve ser enfrentada pelo Poder Público de forma mais eficiente, pois a tensão social se agrava a cada dia, envolvendo casos de ameaças a grupos vulneráveis da sociedade. Como é o caso dos índios Gamelas, que recentemente foram vítimas de um ataque bárbaro. ”, disse.

Segundo Inácio a vara agrária dará as condições de enfrentamento desta dura realidade, permitindo que os processos judiciais envolvendo grupos conflitantes na disputa pela posse da terra possam ser enfrentados de forma eficaz e os povos envolvidos possa se sentir amparados pelo estado.

“Eu espero que esse projeto seja aprovado, para que a instituição da Vara Agrária na 000Estrutura do Tribunal de justiça atue de forma eficaz no combate desses conflitos. ”, afirmou.