“Essa política externa ainda vai trazer problemas”, afirma Flávio Dino

Integrante da oposição, Dino questionou o aumento da aproximação política com os Estados Unidos

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou a política externa implementada pelo governo Bolsonaro. Integrante da oposição, Dino questionou o aumento da aproximação política com os Estados Unidos.

“Essa política externa, com o lema ‘Estados Unidos acima de tudo’, ainda vai trazer problemas. Depois do Irã, agora a confusão é com a França, que concentra grandes investimentos no Brasil. Temos que defender o Brasil. E deixar Trump e os americanos cuidarem dos Estados Unidos”, afirmou o governador.

O presidente Jair Bolsonaro comentou hoje (1º) o anúncio da designação oficial do Brasil como aliado militar preferencial do país fora da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Segundo ele, o assunto foi tratado com o presidente Donald Trump durante sua visita aos Estados Unidos em março.

“É bem-vinda nossa participação como grande aliado extra-Otan, que facilita muitas coisas. O mais importante é questão de defesa, compra de armamento, algumas tecnologias. Alguma coisa sempre interessa pra gente. Como regra, um país da Otan uma vez agredido, todo mundo está junto”, disse Bolsonaro nesta manhã, ao deixar o Palácio da Alvorada.

Julho alcança o menor número de homicídios dos últimos 14 anos no Maranhão

Os investimentos do Governo do Estado influem positivamente no controle dos casos de mortes violentas e da criminalidade em geral

Mês de férias, julho registra considerável aumento no fluxo de pessoas que visitam a capital e outras áreas turísticas do Maranhão. No período, são intensificadas as ações de segurança, com um policiamento mais ostensivo e efetivo presente em pontos estratégicos. O resultado é a diminuição da criminalidade e garantia de segurança à população. Batendo recorde do mesmo mês do ano passado, julho contabilizou o menor número de homicídios dos últimos 14 anos no Estado.

O mês manteve ainda a queda consecutiva dos registros nos últimos três anos. Em 2016, os homicídios somaram 67 casos, reduzindo para 30 em 2017. A redução permanece no ano seguinte, quando foram registrados 14 casos e se manteve em 2019, com 11 ocorrências. Ao longo destes anos, a diminuição das mortes violentas foi de 84%.

“É um resultado muito expressivo, que tem sido gradativo e comprova o trabalho sério, compromissado e bem planejado da Segurança Pública, que tem total apoio do Governo do Estado em investimentos e recursos. Estamos mantendo uma linha de atuação com foco no controle e prevenção dos homicídios, e, assim, reduzindo também a criminalidade”, explica o secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela.

Julho apresentou também redução nos índices de homicídios, no comparativo com o mesmo mês do ano passado, segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), a partir de levantamento nas cidades que compõem a Região Metropolitana de São Luís. Foram registradas 11 ocorrências este ano, contra 14 no mesmo período de 2019, representando queda em 21% nos casos.

Os homicídios estão no grupo de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que incluem ainda o latrocínio (roubo seguido de morte) e a lesão corporal com morte. Estes registros também apresentaram queda no período. Totalizaram 12 casos em julho deste ano, contra 15 no mesmo mês do ano passado, representando queda de 14% nestas ocorrências. Os CVLIs são critério da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) para medir o nível de violência no país, seguindo convenção da Organização das Nações Unidas (ONU).

Os investimentos do Governo do Estado influem positivamente no controle dos casos de mortes violentas e da criminalidade em geral, avalia o superintendente da SHPP. Na lista está a criação da própria SHPP, que tornou mais qualificada a investigação destes casos; a implantação da Delegacia Móvel que tornou mais ágil a solução das ocorrências; e medidas para melhor estrutura, aumento de efetivo e aquisição de equipamentos.

Weverton Rocha nega interesse em disputar prefeitura de São Luís

Focado no seu mandato de senador, Weverton abre todos os caminhos para o vereador Osmar Filho

Sondado como um nome da disputa pela prefeitura de São Luís, em 2020. O senador Weverton Rocha (PDT) tratou de negar, em áudio encaminhado ao Blog Marrapa, qualquer interesse em disputar o cargo.

“Quero agradecer a lembrança do meu nome, mas quero adiantar que não estamos nesse debate. Eu tenho o reconhecimento e a gratidão dos quase 2 milhões de maranhenses, que me elegeram. E uma missão dessa, que seria muito honrosa, ela sairia completamente da expectativa dos 217 municípios na qual eu tenho trabalhado aqui em Brasília”, afirmou Weverton.

Focado no seu mandato de senador, Weverton abre todos os caminhos para o vereador Osmar Filho, presidente da Câmara Municipal de São Luís, ser o nome do PDT para a prefeitura da capital.

Roseana e João Alberto no fim de suas carreiras políticas

Caso as duas candidaturas aconteçam, iriam confirmar o fim menos triste das carreiras políticas de Roseana Sarney e João Alberto

Políticos que comandaram o Maranhão por várias décadas, Roseana Sarney e João Alberto, ambos do MDB, ainda não desistiram da vida política e podem disputar mais uma eleição, dessa vez em cargos menores, para não amargarem outras derrotas.

A ex-governadora Roseana Sarney estaria disposta a competir uma das 42 cadeiras da Assembleia Legislativa do Maranhão. Quatro vezes governadora, mas derrotada pelo governador Flávio Dino em 2018, Roseana viu seu capital político ser reduzido e encontraria no parlamento estadual uma forma de não acabar sua vida política derrotada.

Já o ex-senador João Alberto deve disputar uma vaga na Câmara Municipal de Bacabal, antigo desejo do político que também já governou o Maranhão.

Caso as duas candidaturas aconteçam, iriam confirmar o fim menos triste das carreiras políticas de Roseana Sarney e João Alberto, que por muitos anos comandaram o Maranhão, mas hoje, após várias derrotas, estão bem distantes da aceitação da população.